20171212

2018 O ano da bondade. Sl 65:11. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 10/12/2017

Coroas o ano da tua bondade; as tuas pegadas destilam fartura. Sl. 65:11
Nesse final de ano quero fazer uma declaração profética sobre o próximo ano. Não é uma declaração baseada em algo que nós mesmo faremos, mas é a visão de Deus para nós. Esse será o ano coroado com a bondade do Senhor e, nessa bondade caminharemos pelas veredas que destilam fartura e abundância.

Há três palavras chaves nesse texto: coroar, bondade e fartura. Vamos entender o sentido delas no original hebraico e entender como desfrutamos de um ano coroado da bondade de Deus.

A palavra “atar” (Coroar)
A palavra coroar no hebraico é “atar” que significa cercar, rodear. Então a coroa aqui não é necessariamente algo que se coloca na cabeça, mas algo que nos cerca ao derredor. Ser coroado de bondade significa ser cercado e envolvido com a bondade de Deus.

A palavra atar também pode significar proteção. Seremos rodeados pela bondade de Deus para proteção. Nesse ano você será marcado por Deus para proteção.
Pois tu, SENHOR, abençoas o justo e, como escudo, o cercas da tua benevolência. Sl. 5:12
Nesse versículo do livro de Salmos a palavra cercar é “atar” no hebraico. Veja que aqui ela é traduzida como cerca de proteção porque somos protegidos como que por um escudo. Benevolência poderia ser traduzido como favor. Ter o ano coroado de bondade significa desfrutar da proteção de Deus por causa do seu favor.

A palavra “tov” (Bondade)
A palavra bondade é a “tov” no hebraico. “Tov” significa bom ou bondade.

Esse ano será coroado por Deus e cada dia, cada semana e cada mês serão coroados de bondade. Davi disse que a bondade e a misericórdia nos seguiriam todos os dias da sua vida.

Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre. Sl. 23.6

Você precisa estar consciente dessa bondade. Estar consciente de algo é ter completa certeza. Se Você tem uma certa quantia de dinheiro na sua conta você sabe disso e está consciente disso, por isso conta como certo. Esteja consciente da bondade de Deus a cada dia e então veja o que ela fará por você.

Como podemos desfrutar dessa bondade?

No verso 4 lemos sobre como pode nos posicionar debaixo dessa bondade.

Bem-aventurado aquele a quem escolhes e aproximas de ti, para que assista nos teus átrios; ficaremos satisfeitos com a bondade de tua casa—o teu santo templo. Sl. 65:4

A bondade é encontrada na casa de Deus. O Senhor vai coroar o ano da sua bondade, mas essa bondade fluirá da vida da Igreja. Invista tempo para vir adorar, receber a palavra e contribuir para o crescimento da Casa de Deus.

A palavra “deshen” (Fartura)

O sentido primário da palavra “deshen” é abundância, gordura, fartura e fertilidade. A bondade de Deus será prosperidade e abundância na sua vida.

Cinzas

Mas a palavra “deshen” também tem um outro significado muito interessante, significa cinzas. Os dois sentidos parecem não ter nenhuma relação um com o outro, mas eu creio que há uma ligação espiritual.

Na oferta pelo pecado o animal era queimado fora do arraial até as cinzas.

Mas o couro do novilho, toda a sua carne, a cabeça, as pernas, as entranhas e o excremento, a saber, o novilho todo, levá-lo-á fora do arraial, a um lugar limpo, onde se lança a cinza, e o queimará sobre a lenha; será queimado onde se lança a cinza. Lv. 4:11-12
O que significam as cinzas? É o resultado de queimarmos uma substância até que ela não possa mais ser queimada. Significa que o julgamento veio sobre ele e esse julgamento foi exaurido, não havendo mais nada para ser julgado e condenado pelo fogo. A cinza fala de um uma obra completa, totalmente consumada.

O fogo morre quando a substância se transforma em cinzas. As cinzas representam o fim, a consumação. As cinzas são a lembrança do que o Senhor declarou na cruz: “Está consumado!” Ele recebeu todo o juízo. Não há mais nada para ser julgado.

Creio que a relação entre fartura e as cinzas da obra consumada são claras. II Coríntios 8:9 lemos que o Senhor se fez pobre na cruz para que pela sua pobreza nos tornássemos ricos.
Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos. II Cor.8:9

A base da prosperidade é a grande troca do Calvário.

Quando entendo o sentido das cinzas eu desfruto do perfeito suprimento de Deus.

Por fim lemos que são as pegadas do Senhor que destilam fartura. Se ele deixou pegadas é porque ele está adiante de nós, ele vai à frente. O Senhor quer que sigamos as suas pegadas. E se as suas pegadas destilam prosperidade, então coloque os seus pés ali.
Há um texto na Palavra de Deus onde as palavras “tov” e “deshen” aparecem justas. Está em Isaías 55:2
Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares. Is.55:2
Quando comemos o que é bom (tov) nós nos deleitaremos com finos manjares (deshen). Sempre que provamos da bondade o resultado é fartura e prosperidade.

Mas isso só acontece quando ouvimos atentamente. Invista tempo ouvindo a palavra pregada a cada semana. Não ouça apenas uma vez, continue ouvindo para que a fé flua no seu coração. A ordem do Senhor é apenas essa: “ouça atentamente!” Quando ouvimos provamos a bondade e o resultado é prosperidade e fartura.


O ano de 2018 será coroado o ano da tua bondade; e as pegadas do Senhor vão destilar fartura.

20171205

21 Marcas do Espírito Santo. Parte 1. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 03/12/2017

21 Marcas do Espírito Santo

“Sem o Espírito de Deus, não podemos fazer nada de proveitoso, a não ser acrescentar pecado sobre pecado”. John Wesley

“16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, 17 o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. 19 Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis.” João 14:16-19

“25 Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; 26 mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.” João 14:25-26

“26 Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim; 27 e vós também testemunhareis, porque estais comigo desde o princípio.” João 15:26-27

Relacionar com as pessoas que Deus tem colocado no nosso caminho tem sido um grande desafio, mas relacionar com Deus através do Espírito Santo é que nos tornará bem sucedidos em todos os outros relacionamentos. Certamente muito pode ser aprendido com a leitura deste livro, mas uma experiência relacional diária com o Espírito Santo será imprescindível para o êxito em todas as áreas das nossas vidas. Devemos considerar como primeira regra da vida cristã, o fato de que, quanto mais tempo passarmos com Deus, mais glorificaremos o Senhor Jesus, e mais preparados estaremos para conviver com o nosso próximo.

O Espírito Santo deve ser para o cristão, a primeira pessoa motivadora que o fortalecerá nas crises relacionais. Ele é quem nos levará pelos caminhos do amor e perdão incondicionais. Antes de mandar a igreja para o mundo, Cristo mandou seu Espírito para a igreja. Essa ordem deve ser seguida; antes de me relacionar com os homens, devo me relacionar com Deus através do Espírito Santo. O apóstolo Paulo disse que só podemos expressar o senhorio de Jesus Cristo pelo Espírito Santo. Sem Ele, não poderemos fazer nada. O homem desprovido da influência do Espírito está sentenciado à frustração. Será impossível ao crente, amar, perdoar, suportar, encorajar, acreditar em seu próximo se o Espírito não estiver atuante nele. Ele torna a fé dinâmica e nos dá compreensão exata da vontade de Deus. A luz só poderá brilhar e iluminar nossa compreensão acerca das coisas espirituais através do Espírito Santo. Como disse John Wesley, “Sem o Espírito de Deus não podemos fazer nada, a não ser acrescentar pecado sobre pecado”.

A aceitação de Jesus Cristo como Salvador e Senhor se dá apenas pela ação do Espírito Santo (Jo 16:18). Na hora da tristeza e da angústia o conforto que invade o nosso coração é uma ação direta do Espírito Santo (Rm 5:5). A vida que flui nas palavras que pronunciamos aos aflitos, nos vem soprada pelo Espírito Santo, segundo a promessa de Jesus (Lc 12:12). O arrependimento que envolve nossos corações e nos leva a confessar pecados, é ação do Espírito Santo. Ele é quem nos convence do pecado, da justiça e juízo (Jo16:8). Ele intercede por nós com gemidos inexprimíveis (Rm 8:26). O Espírito Santo é o marco zero do agir de Deus. Ele deve ser tudo para nós. Precisamos do Espírito Santo, tanto quanto nossos pulmões precisam de ar. Aleluia!

As evidências decorrentes dos ensinos bíblicos mostram que o Espírito Santo não é uma força impessoal. Ele é Deus, a terceira e não menos importante pessoa da trindade. Não há vida cristã autêntica e abundante sem o auxílio do Espírito Santo. O salmista diz que podemos ser como árvores frutíferas (Sl 1), e Jesus disse que somos ramos da Videira que é o próprio Senhor, disse também, que devemos frutificar. Mas o que é o fruto? Podemos dizer que o fruto é algo que vem de dentro. É produto da vida que vem do solo, da seiva, que passando pela raiz, tronco, galhos e folhas manifesta o seu fruto. Essa vida de Deus que nos fará frutificar em amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, fidelidade, mansidão e domínio próprio, está no Espírito que habita em nós. É o relacionamento diário com este ente querido que nos fará canalizar e expressar a vida de Deus em nossos relacionamentos.

Quero concluir essa introdução citando a “benção apostólica” tão anunciada em nossas congregações: “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” 2 Coríntios 13:13

A graça, o amor e a comunhão, são promessas para todos os cristãos. É fato que já experimentamos o amor de Deus quando fomos atraídos e perdoados por Ele. A sua graça nos alcançou, e diariamente somos garantidos para a eternidade por seu sacrifício. Minha pergunta é: Temos também experimentado a comunhão do Espírito Santo?

Não podemos rejeitar absolutamente nada que venha do alto. Cada uma das três pessoas da trindade tem seu meio de agir. Deus Pai nos amou, Deus Filho nos deu sua graça e o Deus Espírito nos oferece comunhão.

Os cientistas descobriram recentemente que uma semente, por menor que seja, ao germinar produz calor. Esse calor interno de uma pequena semente não é perceptível ao toque humano, mas é real. Essa fonte de calor é a combustão de certas matérias carboníferas da semente. Parafraseando, há uma “fogueirinha” em cada planta ou flor que nasce. O homem precisa dessa combustão interior que só o Espírito Santo de Deus pode produzir. Isso fará germinar a semente da palavra produzindo calor para transformar nossos relacionamentos. Tenha um tempo diário com o Espírito Santo, aprenda d’Ele e seja feliz.

O Espírito Santo nos capacita a chamar Jesus de Senhor. 1Co 12:3
O Espírito Santo nos capacita a experimentar o poder sobrenatural dos dons. 1Co 12:4-11
O Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Jo 16:8
O Espírito Santo e a noiva dizem vem. Ap 22:17 

1ª Marca do Espírito Santo: Saudação

“39 Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá,
40 entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. 41 Ouvindo esta a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre; então, Isabel ficou possuída do Espírito Santo. 42 E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre! 43 E de onde me provém que me venha visitar a mãe do meu Senhor? 44 Pois, logo que me chegou aos ouvidos a voz da tua saudação, a criança estremeceu de alegria dentro de mim. 45 Bem-aventurada a que creu, porque serão cumpridas as palavras que lhe foram ditas da parte do Senhor.” Lc 1:39-45

Pelo contexto do capítulo, sabemos que o anjo acabara de aparecer a Maria, informando-lhe sobre a graça que viria sobre ela de gerar e conceber Jesus, O Salvador da humanidade. Na verdade, Maria foi cheia do Espírito Santo naquele momento, ao receber a semente dele. A natureza do Espírito Santo estava dentro dela.

Maria, talvez eufórica por encontrar Isabel e lhe contar a grande notícia do nascimento de Jesus, ao chegar a casa da prima, saudou-lhe. E sua saudação foi poderosa, pois ao ouvi-la, “a criança lhe estremeceu no ventre , então Isabel ficou possuída do Espírito Santo”. E em uma reação igualmente eufórica, Isabel exclamou em alta voz: “Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do vosso ventre”!

Veja que o que fez Isabel ser cheia do Espírito Santo foi a saudação de Maria.

Nós temos algo que o mundo não tem. Temos o Espírito Santo habitando em nós, e precisamos liberá-lo para que outras pessoas tenham a mesma experiência de Isabel. Nós somos recipientes cheios da graça e poder de Deus, e as pessoas com quem relacionamos precisam receber esse amor e graça.

Que tal agora saudar alguém com poder e graça?

2ª Marca do Espírito Santo: Enchei-vos

“18 E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, 19 falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais...” Ef 5:18-19

O Espírito Santo é o próprio Deus. Ser cheio do Espírito Santo é ser cheio do próprio Deus.

No texto citado, o apóstolo Paulo faz um contraste entre uma pessoa que é cheia de vinho com uma pessoa que é cheia do Espírito Santo. Há uma semelhança nessas duas situações. Alguém cheio de bebida é controlado pelo álcool. As emoções, a fala, as ações e reações e escolhas da pessoa passam a ser controladas pelo vinho. Há pessoas que até se esquecem do que fazem enquanto se embriagam. Assim deve ser em relação ao Espírito Santo. Paulo quis dizer exatamente isso. Você é controlado pelo que você está cheio. Se você está cheio de rancor, isso é o que te controla. Se você está cheio de sensualidade, isso é o que te controla. Se você está cheio de avareza, isso é o que te controla. Se você está cheio de adultério, isso é o que te controla. Se você está cheio de rivalidade, isso é o que te controla. Se você está cheio de ofensa, isso é o que te controla. Se você está cheio de medo, isso é o que te controla. Agora, Se você está cheio do Espírito Santo, Ele é quem te controla.

 Segredo para ser feliz com Deus andando nos caminhos dele, é sermos cheios do Espírito Santo constantemente. No texto, o verbo “enchei” nos dá um sentido de abundância e de constância, como um copo totalmente cheio, preenchido até o topo. Portanto não devemos ser cheios uma vez apenas, ou de vez em quando em uma conferência ou em algum evento especial. Devemos ser cheios sempre!

Você está cheio do Espírito Santo?

Que tal ser cheio do Espírito Santo até o fim deste culto?

3ª Marca do Espírito Santo: Koinonia

“A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” 2 Co 13:13

Mais uma vez temos aqui um versículo que nos revela a trindade divina. O Apóstolo Paulo encerra a segunda carta aos coríntios  falando do amor do Pai, a graça de Jesus, e a comunhão do Espírito Santo, e ressalta o que se destaca em cada pessoa da divindade.

Deus Pai está relacionado com amor, Deus Filho está relacionado com a graça, e Deus Espírito Santo está relacionado a comunhão. A palavra comunhão no original é Koinonia, que pode ser definida como companheirismo, parceria, amizade e intimidade.

O Espírito Santo é o nosso companheiro de todas as horas.

Devemos e precisamos buscar relação íntima com o Espírito Santo durante todo o tempo.

Já falou com o Espírito Santo hoje? Vamos fazer isso agora?

4ª Marca do Espírito Santo: Liberdade

“O Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade.” 2Co 3:17

O Espírito Santo é o próprio Deus de liberdade. Não há lugar algum em que possamos escapar de Sua presença. Deus te faz livre em qualquer lugar onde você esteja. Mas precisamos perguntar honestamente: Se o Espírito Santo é onipresente e está em todos os lugares, há liberdade em todos os lugares? Há liberdade nos bares, nas prisões, nos lares e hospitais? Infelizmente não! É triste, mas nem mesmo em algumas igrejas há liberdade do Espírito.

O fato é que o versículo diz que “O Senhor é o Espírito”. Assim, talvez uma tradução mais correta seria: “Onde quer que o Espírito seja Senhor, aí haverá liberdade”.

A palavra traduzida por Senhor é Kyrios, cuja definição é “suprema autoridade”. Então, o problema é que não é permitido ao Espírito Santo ser autoridade na maioria dos bares, prisões, lares, hospitais e até em muitas igrejas. Todavia, onde lhe for permitido governar e tomar decisões, então haverá liberdade.

Deixe o Espírito Santo governar sua vida e permita que ele seja Senhor em sua casa, no seu casamento e nos seus negócios. Isso trará liberdade plena e duradoura.
Aleluia!!!

5ª Marca do Espírito Santo: A Pessoa

“16 Depois de batizado, Jesus saiu logo da água. E viu o céu se abrir e o Espírito de Deus* descer como uma pomba, vindo sobre ele. 17 E uma voz do céu disse: Este é o meu Filho amado, de quem me agrado.” Mt 3:16-17

Neste texto, vemos Jesus ser batizado por João Batista, o Espírito Santo descendo sobre Ele e o Pai falando: “Este é o meu filho amado em quem eu me comprazo”.

O Espírito Santo é uma pessoa, Ele é a terceira e não menos importante pessoa da trindade. Ele tem sentimentos, vontades e disposição para relacionar com os filhos de Deus. Ele não é apenas uma força, energia ou poder sobrenatural apenas. Ele é Deus em pessoa!

Quer experimentar mais de Jesus em sua vida? Busque o Espírito Santo e seja muito abençoado!

6ª Marca do Espírito Santo: O Gerar

“18 O nascimento de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava comprometida a casar-se com José. Mas, antes de se unirem, ela achou-se grávida pelo Espírito Santo. 19 José, seu marido, era um homem justo e não queria expô-la à desgraça pública. Por isso, decidiu separar-se* dela secretamente.” Mt 1:18-19

A história de Jesus é conhecida de quase todos os homens e é um verdadeiro milagre.

Maria era uma moça virgem, mas já estava comprometida com José. Eles estavam noivos, aguardando apenas o casamento, que se oficializaria no ato sexual. Porém algo sobrenatural aconteceu: Maria ficou grávida! A semente que gerou Jesus em Maria veio do próprio Espírito Santo, e por isso Jesus é Deus.

O DNA de Jesus é o DNA do Espírito Santo de Deus.

Dá pra imaginar a luta que Maria teve pra contar pra família que estava grávida sem ter se relacionado com seu parceiro?

2 pontos são importantes ára se destacar nessa história:

1.      O Espírito Santo é quem gera Cristo nas pessoas. Nosso papel é pregar a palavra, mas é o Espírito quem se encarrega de introduzir Jesus pra dentro do coração das pessoas. É ele qiuem gera revelação para que as pessoas se arrependam e convertam seus corações ao Senhor.
2.      É Ele também quem gera sonhos, projetos, expectativas e desejos dentro de nós. Quando buscamos o Senhor em oração, quando meditamos nas escrituras, estamos na verdade permitindo que o Espírito Santo gere em nós os seus desígnios.

Vamos permitir que hoje o espírito Santo gere Jesus e Sua vontade em nós!!!

7ª Marca do Espírito Santo: Deserto

“Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto...” Lc 4:1
 
Após ter sido batizado nas águas e ter recebido o Espírito Santo, Jesus foi levado ao deserto pelo próprio Espírito para ser tentado e testado.

Na perspectiva de Deus a sequência é sempre esta: Unção e teste!

O deserto nos fala de um lugar árido seco e quente. É um lugar de provação e teste, e ele é inevitável em nossa vida e em nossa caminhada cristã. O deserto pode ser uma crise no casamento, uma crise financeira, uma situação constrangedora na família ou até mesmo a perda de alguém, que amamos.

É no deserto que precisamos dar respostas certas para Deus. É lá que enxergamos quem realmente somos, é lá que nossas motivações são testadas, nossa fé é checada e nosso amor é provado. Todos nós passamos por desertos e provações na vida e não tem como fugir disso.

Lembre-se: O Espírito é quem te leva e permite passar pelo deserto. Portanto, na vida cristã, se alguém passar pelo deserto sem estar cheio do Espírito Santo, não suportará a provação.

Jesus foi levado pelo Espírito Santo e foi venceu, porque estava cheio do Espírito.


Você está passando por alguma tribulação? Ore agora mesmo ao Espírito Santo que o ajude a passar por essa difícil fase como um vencedor.

20171130

Tudo vem d’Ele e é para Ele. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 26/11/17

“Ó SENHOR, nosso Deus, nós trouxemos toda esta riqueza a fim de construir um templo para honrar o teu santo nome, mas tudo isso veio de ti, e tudo é teu.” 1Cro 29:16

De todas as cartas, destinadas às igrejas para as quais Paulo escreveu, a carta aos Gálatas é a mais exortativa. O apóstolo chega a dizer a essa igreja “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça decaístes.” Gl 5:4

Vemos o apóstolo chamando esses irmãos de “insensatos”, pois começaram a vida cristã justificados pela fé na graça, mas no decorrer do processo, da carreira, se inclinaram para as obras da carne. Insensato, é o mesmo que insano ou doido. De fato, a palavra foi dura, mas necessária.
O mesmo apóstolo escrevendo aos coríntios orientou a igreja para que os vigiassem para não caírem da graça por pensarem estar de pé pelo seu próprio esforço. Ele disse: “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” 1Co 10:12

Embora a igreja de Corinto fosse uma comunidade cheia de escândalos, não vemos Paulo manifestando tanta severidade em comparação ao que foi dito aos gálatas. A dura mensagem endereçada aos Gálatas foi para despertá-los do sono profundo em que estavam por causa dos ensinos dos falsos mestres.
Todos, devemos tomar muito cuidado para não fazermos como os Gálatas, que depois de terem começado no Espírito, desviando-se, terminavam por agir na carne. No aspecto prático da vida cristã, uma linha tênue faz separação entre lei e graça.

É bem possível que a lei esteja presente em nossas vidas, anulando por completo o poder da graça e nos fazendo carregar o fardo pesado das obras meritórias. Vemos muito isso acontecendo quando ouvimos testemunhos do tipo: “Deus contemplou ‘meu esforço’ e me abençoou”, ou “Jesus me abençoou porque eu Jejuei e orei 40 dias no monte”, ou ainda, “eu tive muita fé, e por essa razão alcancei a minha vitória”.

Eu não quero diminuir o valor das conquistas desses preciosos irmãos, mas precisamos entender que ninguém pode chamar Jesus de Senhor se não for pelo Espírito. 1Co 12:3b

O que quero dizer com isso? Estou querendo dizer que tudo o que fazemos para glorificar o Senhor não vem de
nós; Ele mesmo é quem produz boas obras em nós através de sua graça capacitadora. Se orarmos, jejuarmos ou fizermos campanhas, faremos tudo pela graça que habita em nós e essa é a fonte que nos capacita para oferecermos nossas vidas como sacrifício ao Senhor. Devemos rejeitar a falsa ideia de que Deus está trabalhando porque estamos nos esforçando. Nunca devemos esquecer que o “nosso esforço” é um produto da graça operando em nós. Paulo tinha a certeza de que tudo o que fazia era pala graça.

“Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo.” 1Co 15:10

O Dr. Paul Tournier disse em seu livro “Culpa e Graça”:
“Nenhum preço pago a Deus pode ser suficientemente alto pelo que Ele merece”. Em outras palavras, ninguém pode oferecer um sacrifício a Deus que não venha d’Ele mesmo. Vamos ver essa verdade lendo o que diz o Salmista.

“10 Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros. 11 Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é meu. 12 Se eu tivesse fome, não to diria pois meu é o mundo e a sua plenitude.” Sl 50:10-12

Vemos no texto acima que os animais oferecidos como sacrifício ao Senhor na antiga aliança, eram fornecidos pelo próprio Deus. Outro texto bíblico que remete a Deus toda honra e glória está no reconhecimento de Davi, registrado em 1 Crônicas 29:16, que depois de ofertar muitas riquezas para a construção do templo declarou: “Ó SENHOR, nosso Deus, nós trouxemos toda esta riqueza a fim de construir um templo para honrar o teu santo nome, mas tudo isso veio de ti, e tudo é teu.” 1Cro 29:16

Veja mais uma vez que a oferta que Davi ofereceu ao Senhor veio d’Ele mesmo. Resta-nos perguntar: Que mérito o homem poderia ter no sacrifício de animais a Deus, se o animal foi fornecido pelo próprio Deus? Que reconhecimento o homem deve ter se o dinheiro dado para a obra é um produto da bondade do Senhor? O fôlego da vida que nos sustenta vem de quem? Será que podemos requerer alguma parte da glória pelos esforços que fazemos?

Davi sempre soube que o único digno de reconhecimento é o Senhor.
“Somente a ti, ó SENHOR Deus, a ti somente, e não a nós, seja dada a glória por causa do teu amor e da tua fidelidade.” Sl 115:1 (NTLH)

Gosto de meditar no texto de Isaías 64:4 que diz:
“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que opera a favor daquele que por ele espera.” Is 64:4

A vida cristã deve ser um caminho percorrido pelo solo seguro da graça, onde não há mais mérito próprio, e o reconhecimento seja dado direto para Aquele que fez a obra de maneira inteira e completa.
Rendamos sempre glórias ao Senhor por todos os Seus poderosos feitos! Não a nós, mas a Ele porque tudo vem d’Ele e é para Ele!

Deus te abençoe e agracie sempre em nome de Jesus!

20171109

Crendo na Palavra da nova aliança! Rm 10:17. Pr. Edenir Araújo - CUlto de Celebração - 05/11/17

“E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.” Rm 10:17 (RA)

Introdução

O poder do Evangelho consiste em viver cada momento na presença do Senhor abundantemente, para isso, precisamos ter confiança de que todos os nossos pecados foram de fato perdoados. Segundo Isaias, o pecado separa o homem de Deus, afasta-nos das manifestações de poder do Senhor.

Muitos cristãos ainda se comportam como se a responsabilidade de manterem-se perdoados coubesse a eles por intermédio das obras que fazem. É por isso que muitos carregam um perpétuo sentimento de culpa e condenação, associado ao pensamento de que perderam a comunhão com Deus até que confessem todos os pecados.

Muitos irmãos, pastores, líderes, estão confusos quanto ao perdão de Deus.

Muitos irmãos estão crendo de maneira errada a respeito do perdão de Deus. Mesmo pastores, pregadores e líderes, com títulos e credenciais eclesiásticas ainda estão confusos acerca do ensinamento do perdão. Se você não entender que os seus pecados foram todos perdoados, dificilmente você receberá toda a graça que lhe está reservada.

Existem dosi tipos de ensinamentos quanto ao perdão de Deus na Bíblia. Um, está baseado na antiga aliança, enquanto que o outro está baseado na Nova Aliança.

Na antiga Aliança, o perdão é concedido mediante ao seu esforço. Na nova aliança, seu perdão é concedido pelo que Cristo fez.

Mudar a sua teologia é fundamental para que algo novo aconteça. Sua crença e valores determinam o que você vai experimentar.

Como entender o evangelho

O melhor jeito de entender o Evangelho puro e libertador, é olhar o que os apóstolos pregaram na igreja primitiva. Vamos examinar o que Paulo, o apóstolo da nova aliança, pregou:

Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar. 9 Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, 10 disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava.” Atos 14:8-10

Observe como o Espírito Santo descreve este homem aleijado:

Primeiro, ele estava sem força em seus pés.
Segundo, ele era deficiente desde o ventre de sua mãe.
Terceiro, ele jamais tinha andado.

O Espírito Santo usou três diferentes descrições para enfatizar que o homem não podia andar e estava enfrentando um problema aparentemente impossível de ser solucionada. No entanto, quando ele ouviu Paulo falando, ficou cheio de fé para ser curado! Ele ouviu a pregação, a pregação pela palavra de Cristo e isso ativou sua fé! Rm 10:17

Ouvir a palavra de “CRISTO” nos liberta

O homem de Listra ficou cheio de fé porque ouviu a palavra de Cristo! Algumas traduções da Bíblia constam que a fé vem pelo ouvir “a palavra de Deus”. Mas se você estudar a palavra original em grego para “Deus” aqui, verá que não está sendo utilizada a palavra Theos para “Deus”, e sim Christos, que é “Cristo”.
Observe que a fé não vem pelo ouvir a palavra de Deus, porque a palavra de Deus abrange tudo na Bíblia, incluindo a lei de Moisés. Não há liberação de fé quando você ouve os Dez Mandamentos sendo pregados. A fé vem somente pelo ouvir a palavra de Cristo. Ouvir a palavra de Cristo é ouvir a pregação e o ensino puro através da nova aliança da graça e da obra consumada de Jesus.

Somente quando Cristo é pregado a fé é transmitida. Você pode pregar qualquer texto do velho testamento, mas deve fazer isso sob a perspectiva de Jesus e de Sua graça. Sim, porque Ele estava lá. Afinal de contas, Cristo está oculto no Antigo Testamento e revelado no Novo Testamento.

Voltemos a mensagem de Paulo

Agora voltemos para a mensagem de Paulo e a pergunta que faço é: O que Paulo estava pregando? O que era tão poderoso a ponto de conceder tal fé àquele homem que o levou a crer na cura, mesmo em sua situação impossível? Com certeza Paulo estava pregando o Evangelho de Jesus, a mensagem da graça!

“Tomai, pois, irmãos, conhecimento de que se vos anuncia remissão de pecados por intermédio deste; 39 e, por meio dele, todo o que crê é justificado de todas as coisas das quais vós não pudestes ser justificados pela lei de Moisés.” At 13:38-39

“38 Portanto, meus irmãos, quero que saibam que mediante Jesus lhes é proclamado o perdão dos pecados. 39 Por meio dele, todo aquele que crê é justificado de todas as coisas das quais não podiam ser justificados pela Lei de Moisés.” Atos 13:38-39 (NVI)

“Quero que vocês saibam, meus prezados, que é por causa do Jesus ressuscitado que o perdão dos pecados pode ser prometido a vocês. Ele realiza, naqueles que creem, tudo que a Lei de Moisés nunca pôde realizar. Mas qualquer um que crê no Jesus ressuscitado é declarado bom e justo diante de Deus.” Atos 13:36-39 (A Mensagem)

A antiga aliança estava fundamentada na justificação pelas obras (obediência aos Dez Mandamentos). Você precisava ter um bom desempenho para ser perdoado. Mas a nova aliança da graça é fundamentada inteiramente na justificação pela fé (crer em Jesus Cristo). A exigência não está mais sobre você, e sim em Cristo. Esta é a boa-nova: Todos aqueles que creem em Jesus recebem perdão de todos os seus pecados e são justificados de todas as coisas!

Temos um advogado junto ao Pai que intercede por nós

“Será que alguém poderá condená-los? Ninguém! Pois foi Cristo Jesus quem morreu, ou melhor, quem foi ressuscitado e está à direita de Deus. E ele pede a Deus em favor de nós.” Rm 8:34 (NTLH)

“Quem pois é que nos condenaria? Ninguém o poderia fazer visto que foi mesmo Cristo quem morreu e ressuscitou por nós, e se encontra sentado no mais honroso lugar junto de Deus, ali intercedendo em nosso favor.” Rm 8:34

Para todo ato de pecado há duas manifestações:

1.      Jesus intercede por nós. Rm 8:34; 1Jo 1
2.      O diabo intercede contra nós. Acusador dos nossos irmãos - Ap 12:10

Voltemos ao homem de Listra

Podemos imaginar como o homem em Listra respondeu quando ouviu Paulo anunciando que ele poderia ser justificado de todas as coisas se apenas cresse em Jesus. Quando ele ouviu Paulo pregando sobre a boa nova de Cristo, a fé veio e encheu o seu coração. Com lágrimas em seus olhos, ele deve ter ignorado suas pernas defeituosas e rejeitado cada pensamento de enfermidade. Em lugar disso, ele deve ter acreditado com todo seu coração que se cresse em Jesus Cristo, seria perdoado de todos os seus pecados. Ao ouvir a mensagem certamente ele disse: Eu creio!!! E naquele momento, ouviu uma voz forte dizendo: “Levante-se! Fique em pé!” Era Paulo dando uma ordem a ele, e antes que tivesse tempo de hesitar, ele se viu saltando sobre seus pés com alegria e, pela primeira vez em sua vida, ele andou!

O evangelho da graça transmite fé, e quando você ouvir a mensagem da cruz, a boa nova da graça, diga: Eu creio!!! Observe que Paulo não precisou colocar as mãos sobre o homem para curá-lo. Não houve apelo, ninguém foi convidado para ir a frente para receber cura. A fé para ser curado veio sobre aquele homem simplesmente ao ouvir o evangelho de Jesus Cristo.

Quanto mais revelação você tem da obra consumada de Jesus, mais recebe uma liberação de fé para qualquer situação, mesmo as aparentemente impossíveis!

O texto não menciona o nome do homem de Listra, acredito que de propósito. Para que você seja esse homem ou mulher de Pirituba, do Jaraguá, de Franco da Rocha, de São Paulo, etc.

Coloque seu nome no texto, creia e viva o mesmo milagre que esse homem experimentou!!! 

Esse é o poder do ouvir, e ouvir o Evangelho de Jesus.

É desse modo que a fé surge! Quanto mais de Jesus nós ouvimos e cremos, mais de Sua graça recebemos.
Jesus perdoou todos os nossos pecados e venceu todas as nossas lutas quando nos justificou naquela cruz, creia nisso!

O homem de listra creu e foi perdoado e curado! Não sei quem você é e nem o problema que está enfrentando, mas sei que Jesus não mudou, pois nele não há sombra de variação, Ele é o mesmo ontem, hoje e para sempre será! Creia agora e seja perdoado de todos os seus pecados, curado de todas as enfermidades e completamente restaurado em todas as áreas de sua vida em nome de Jesus!

Cabe aqui o apelo que Paulo fez àquele homem:


“Levante-se! Fique em pé!”

Deus é bom, e quer prosperar você! Mt 7:11. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 29/10/2017

“Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?” Mt 7:11

Queridos, uma coisa que tenho aprendido é que não existe evangelho da prosperidade, só há um evangelho: O evangelho de Jesus Cristo! Esse evangelho é o evangelho da prosperidade, pois na cruz Jesus tomou sobre si a maldição da pobreza e miséria.

Quando nascemos de novo, passamos a receber toda prosperidade que Jesus conquistou na cruz. Ouça com atenção o que Paulo escreve aos Gálatas: “Assim vocês não são mais escravos; vocês são filhos. E, já que são filhos, Deus lhes dará tudo o que ele tem para dar aos seus filhos.” Gl 4:7

O problema é que muitos vivem como escravos, mesmo sendo filhos. “Digo, pois, que, durante o tempo em que o herdeiro é menor, em nada difere de escravo, posto que é ele senhor de tudo.” Gl 4:1

É sabido de todos nós que um pai sempre procura dar o melhor para seus filhos. Agora tente imaginar como o nosso Pai celestial deseja tratar com as nossas necessidades.

Se queremos ver nossos filhos saudáveis, Deus Pai quer que você experimente de sua abundante saúde. Da mesma forma que queremos nossos filhos recebendo além do que precisam, Deus Pai quer que desfrutemos de sua provisão sobrenatural. Essa é a perspectiva que Jesus nos dá quando diz que nosso Pai quer nos dar muitas bênçãos.
Deus se alegra na prosperidade de seus filhos!
Porque Ele se Alegra, Ele tem o desejo, tem prazer em que sejamos prósperos. Sl 35:27

Deus não tem prazer no sofrimento dos homens

Acredite, Deus abomina a miséria, a pobreza, as doenças e os vícios. Ele deu tudo o que tinha para exterminar com a pobreza e a doença quando nos deu Jesus Cristo para morrer na cruz por cada um de nós! Jesus decidiu levar sobre si as nossas dores e enfermidades. Sobre seu corpo todo pecado foi lançado e a obra consumada de justificação nos trouxe da sua abundante graça. Deus quer que experimentemos de sua abundancia de bênçãos. Deus quer que sejamos abençoados no espírito, na alma e no corpo. Na graça de Jesus há uma promessa de prosperidade e abundância de bens.

Algumas pessoas pensam que Deus é contra você ter muito dinheiro e bens.

O Senhor não é contra você ter dinheiro e bens, Ele é contra o dinheiro e as coisas possuírem você. Gosto de uma frase do pastor Joseph Prince: “Ame as pessoas e use o dinheiro, não ame o dinheiro e use as pessoas.” Deus quer que você e sua família sejam totalmente abençoados com mais do que o suficiente para serem bênçãos. Minha oração é para que a maravilhosa graça do Senhor nos prospere abundantemente nos fazendo desfrutar de tudo o que nosso Pai amoroso tem para nos dar.

A oração de Jabez pode nos ensinaro quanto Deus quer nos abençoar.

“Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; sua mãe chamou-lhe Jabez, dizendo: Porque com dores o dei à luz. 10 Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.” 1Cro 4:9-10 (ARA)

“9 Houve um homem chamado Jabes, que foi a pessoa mais respeitada da sua família. A sua mãe pôs nele o nome de Jabes porque ela havia sofrido muito durante o parto. 10 Mas Jabes orou assim ao Deus de Israel: “Ó Deus, abençoa-me e dá-me muitas terras. Fica comigo e livra-me de qualquer coisa que possa me causar dor. E Deus atendeu a sua oração.” 1Cro 4:9-10

Essa é a menor biografia da Bíblia, e aparece em uma genealogia. Os 4 primeiros capítulos do primeiro livro de Crônicas mencionam uma genealogia. Quinhentos nomes aproximadamente são mencionados, apenas constando e ponto nada mais que isso, mas quando aparece o nome desse homem chamado Jabez, algo diferente acontece. A genealogia imediatamente é interrompida e só depois de contar a história de Jabez o texto continua. A respeito de Jabez, o texto diz que ele foi o mais importante, o mais nobre de seus irmãos. Dos quinhentos personagens dessa genealogia ele foi o mais ilustre, mas não era pra ser assim, a começar pelo nome que Jabez recebeu de sua mãe.

O nome Jabez significa: Dor ou aquele que provoca dor.

O texto diz que sua mãe lhe deu este nome pelas dores fortíssimas que sentiu no parto. Nos tempos Bíblicos os nomes eram profundamente ligados a personalidade da pessoa.

Mas no verso 10, Jabez faz uma oração, não baseado em quem ele era, mas no que ele cria que Deus era. O pedido simples e direto que fez a Deus, mudou a sua vida e marcou a história de Israel. Essa oração diferenciou Jabez de todos os demais nomes da lista.

A oração de Jabez pode ser sincera, sensível, e até nobre, mas não poderíamos dizer que é extraordinária.

Jabez não foi um “Grande” homem de Deus.

Jabez não aparece triunfalmente no Antigo Testamento, como um Moisés, Davi ou Elias, nem tampouco no Novo Testamento como um herói da fé cristã. Ele não ilumina o livro de Atos como aqueles primeiros cristãos que viraram o mundo de cabeça para baixo. Mas uma coisa é certa: a pequena diferença na oração de Jabez, fez toda a diferença.

1º Jabez pediu a Deus a sua bênção. Oh! Tomara que me abençoes...”. V. 10

Em uma recente pesquisa entre cristãos, descobriu-se que 85% dos cristãos não pedem a bênção de Deus diariamente. Estes dizem: Deus sabe do que eu preciso, então não preciso ficar pedindo, só agradeço. Muito bonito e poético e até piedoso, mas pouco bíblico. Jesus disse: Pedi e dar-se-vos-a!!!

Um depósito de bênçãos estocadas

Alguém contou que teve uma visão do céu, enxergou um galpão com uma porta escrita com o seguinte dizer: DEPÓSITO. Quando o irmão adentrou aquele lugar viu muitas bênçãos empoeiradas. Perguntou ao anjo ali presente: Porque tantas bênçãos empoeiradas aqui desse jeito? O anjo respondeu: Os homens não as reinvidicam através da oração, e elas continuam aqui.
Nas traduções diversas da Bíblia na nossa língua, podemos ler:

Oh! Tomara que me abençoes...” (ARA)
“Se me abençoares muitíssimo...” (ARC)
“Oxalá que me abençoes...” (ARMT)
“Que tu me abençoes...” (ASXXI)
“Peço-te a tua bênção...” (BPT)
“Peço que me abençoes...” (Católica)
“Tomara que me dês a bênção” (CNBB)
“Peço-te que me concedas as tuas maravilhosas bênçãos!” (O Livro)
“Oh, quanto eu desejo que o Senhor me abençoe maravilhosamente...” (VIVA)

Mesmo diante de tantas traduções desse início da oração de Jabez, não foi possível traduzir o que realmente o original em hebraico diz. A expressão para essa frase Oh! Tomara que me abençoes” é algo como: “Deus me abençoes muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito...! Me abençoes muitíssimo!”.
A bênção nada mais é do que a perfeita vontade de Deus sendo feita em nossas vidas. Orar pela bênção é orar para que o desejo de Deus se cumpra. “A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas e preocupações”. Pv 10:22

Falta-nos orar como Jabez: Senhor me abençoe muito! “Pedi, e dar-se-vos-á...” Mt 7:7; “Nada tendes, porque não pedis, diz Tiago.” Tg 4:2

Se ontem não lhe pedimos a bênção, então não receberemos hoje o que poderíamos receber.

2º Jabez pediu crescimento. “me alargues as fronteiras.” V. 10
“Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” 1Co 2:9

Agora alargar as fronteiras é ter mais influência, maior responsabilidade. Algumas pessoas não desejam isso. Temem crescer e decidem continuar onde estão porque não querem mais responsabilidades.

Saiba de uma coisa: Não crescer é pecado!!!

Você pensa que pecado é só falar palavrão, se drogar, se prostituir, assistir a novela das 8. Não desejar crescer é pecado e é gravíssimo porque fere o primeiro mandamendo de Deus para o homem. Gn 1:26
Jabez conhecia Gênesis 1:28 e por isso decidiu orar “me alargues as fronteiras.”

3º Jabez desejou a obra das mãos de Deus em sua vida. que seja comigo a tua mão”. V. 10
A mão de Deus só será com você se você estiver disposto a trabalhar para o reino de Deus. A mão de Deus foi com sansão enquanto estava com aquela queixada matando aqueles mil filisteus, mas quando agiu de maneira pecaminosa Deus retirou sua mão e a vida de Sansão de desgraçou no colo de uma mulher chamada Dalila. Davi foi um grande guerreiro enquanto as mãos de Deus foram com ele, mas quando se distanciou da mão de Deus, foi derrotado e envergonhado.
Quem ora para que as fronteiras se alarguem, precisa pedir a proteção das mãos de Deus. Pois os desafios serão maiores, e as lutas mais ferrenhas. As oportunidades que surgiram na empresa onde você trabalha parecem exigir recursos que você não possui. A obra ministerial que lhe foi confiada parece exigir uma pessoa com habilidades muito superiores às suas. Isto tudo produz uma sensação de desconforto e insegurança, mas este sentimento se chama dependência. Quando deixamos de ter esse sentimento de dependência isto significa que deixamos de viver por fé.

Enquanto nos sentirmos pequenos e dependentes a mão do Senhor estará conosco

O termo bíblico “a mão do Senhor” expressa o poder e a presença de Deus na vida de seu povo.
“Para que todos os povos da terra conheçam a mão do SENHOR, que é forte, para que temais ao SENHOR, vosso Deus, todos os dias.” Js 4:24
Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir.” Is 59:1
Em Atos o sucesso da Igreja é atribuído a mão do Senhor. “E a mão do Senhor era com eles, e grande número creu e se converteu ao Senhor.” At 11:21

4º Jabez pediu livramento do mal. e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição” V. 10.

 Você se lembra de alguém que fez uma oração parecida com essa de Jabez? Se você disse Jesus acertou.

Queridos veja que Jabez centenas de anos antes de Jesus terminar o Pai Nosso dizendo: “Não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal” Jabez orou exatamente como ele.

 “Certa vez um aluno disse a Howard Hendricks: “quando cheguei ao seminário estava sendo tão tentado e atacado que pensei que iria sucumbir. Mas agora a minha vida aqui no seminário está mais tranqüila". Hendricks ficou muito preocupado – uma reação que o aluno não esperava. Esta é a pior coisa que eu poderia ter ouvido. Isto significa que você não está mais na batalha.”
Uma estória diz que dois homens saíram para caçar patos, um destes homens era caçador experiente, enquanto que o outro um iniciante. Enquanto esperavam, alguns patos se aproximaram voando em “V”, o caçador mais experiente logo atirou, e de pronto viu cair patos mortos e outros feridos. O caçador mais novo correu para pegar os patos mortos quando foi de pronto exortado pelo caçador mais experiente que disse: Não se preocupe com os mortos, não mexa neles, pois já são nossos.

Me preocupa ouvir crentes desviados em sua prepotência e orgulho dizerem: “Depois que parei com a igreja as coisas melhoraram.”

Melhoraram sim, pois satanás não está mais preocupado com você. Você não precisa orar mais como Jabez, me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição”. 
“também sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar para o dia do juízo os injustos, que já estão sendo castigados.” 2Pe 2:9

“E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. e, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que já alcançamos as coisas que lhe temos pedido.” 1Jo 5:14-15