Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20101128

Resgatar o desviado; minha responsabilidade! Lc 15:4 - Pr. Josafá Almeida - Culto de Celebração - 29/11/10

“Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até achá-la?” Lc 15:4

“Como o pastor busca o seu rebanho, no dia que está no meio da suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas. Livrá-las-ei de todos os lugares por onde foram espalhadas no dia de nuvens e escuridão”.Ez 34:12

Cada membro de nossa igreja tem o encargo de ser um ministro, e dentro dessa realidade, entendemos que a responsabilidade de evangelismo e alcance do perdido e o resgate dos afastados da igreja (a centésima ovelha) está sobre todos nós.

Jesus disse que devemos ir atrás da ovelha perdida até encontrá-la.

Neste mês de dezembro, estaremos orando pelos perdidos e principalmente os desviados de nossa igreja. Agora precisamos sair em busca da ovelha perdida. Cada membro tem o dever de cumprir o “Ide” (Mt 28:19; Jo 15:1-16), trazendo a ovelha desgarrada para os cuidados do Bom Pastor Jesus.

Quem deve ir atrás dos desviados? Quem deve ir em busca da centésima ovelha?

Resposta: TODOS!!!

Pois a nosso respeito Jesus disse que somos uma boa terra e produziremos a 30, 60 e 100 por um. Durante a sua vida nesta terra, no mínimo 30 pessoas serão alcançadas por Cristo por meio da sua vida. Mc 4:8 e 20

Todo crente deve Ter como alvo em sua vida, ganhar no mínimo 30 almas para Cristo.

Agora se somos a terra, também podemos ser chamados de sementes porque Jesus foi a semente, e a semente para produzir tem que morrer! Jo 12:24-26

O que é morrer? Nas palavras do Apóstolo Paulo podemos responder dizendo:

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo, na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gl 2:20

“Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro.” Fl 1:21

Isto nada mais é do que uma questão de renúncia a nós mesmos.

“Aquele que quiser vir após mim renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.” Mt 16:24

Será preciso deixar a televisão, o futebol, talvez alguns passeios, a comodidade de dormir até mais tarde no fim de semana para visitar a centésima ovelha. Lembre-se: O tempo que gastamos nos ocupando com algo, determina o valor deste bem para nós. Precisa haver um encargo genuíno por pessoas, e isso só será possível se houver compaixão em nós.

Qual o valor de uma alma para Jesus?

“Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? ou que dará o homem em recompensa da sua alma?” Mt 16:26

“Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados. Tg 5:20

Qual o valor da centésima ovelha para você?

20101122

Uma Geração de Loucos Profetas. 2 Reis 9:11 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 21/11/10

E, saindo Jeú aos servos de seu senhor, disseram-lhe: Vai tudo bem? Por que veio a ti este louco? E ele lhes disse; Bem conheceis o homem e o seu falar.

Introdução

Se nós somos cristãos e cremos que fomos chamados para anunciar o reino de Deus podemos dizer que somos profetas do Senhor para este tempo. Os profetas são levantados para servirem à sua geração, pois quem profetiza faz isso para outros. O nosso chamado é este: Ser bênção na vida de outros! Todos nós temos um chamado profético para abençoar o nosso próximo.

“Pois também o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.” Mc 10:45

Essa mesma unção que estava sobre Jesus, também esteve sobre Isaias, podemos ler em Isaias 61:1-2:

“1 O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; 2 a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes.” Is 61:1-2

Essa unção está sobre nós nestes dias! Como Deus usou profetas nos tempos passados, Deus também está chamando profetas nos dias de hoje, mesmo porque nossos dias se parecem muitos com os dias passados de Israel.

O desejo de Deus sempre foi de abençoar o seu povo, embora este raramente reconhecesse isto. Para expressar a sua vontade no meio de um povo rebelde e incrédulo Deus sempre levantou os seus profetas. É sobre isso que trata o texto de 2Re 9 compartilhado agora a pouco.

A condição de Israel

Houve uma época em que o povo de Israel foi castigado duramente pela sua desobediência. Isso por que um rei chamado Acabe (oitavo rei de Israel) fez aliança com o pecado casando-se com uma mulher chamada Jezabel (princesa pagã, filha de Etbaal, o rei dos sidónios). Essa mulher era a personificação do pecado que se manifestava por meio da rebelião, prostituição, idolatria e feitiçaria. Devido ao pecado de Acabe, Deus permitiu que a Síria cativasse Israel. Este cativeiro trouxe desgraça e fome ao ponto de mães comerem os seus próprios filhos por causa da escassez instalada no meio do povo.

Deus tinha falado com Elias (Profeta da época) que os cães lamberiam o sangue de Jezabel, e o culto a Baal (deus pagão adorado em Israel) seria findado. A palavra dada a Elias dizia que após a morte de Acabe o reinado de Jorão seu filho terminaria. Após isso seria levantado um rei chamado Jeú que exterminaria com toda influência e prática de pecado trazido por Jezabel.

Pra você se inteirar sobre como essa mulher influenciou Israel, Jezabel personifica a Rebeldia, prostituição, idolatria e feitiçaria.

Todas as vezes que você ouvir este nome Jezabel, poderá entender como: Rebeldia, prostituição, idolatria e feitiçaria.

A rebeldia trazia todo tipo de pecado sobre o homem. A rebeldia foi a origem do pecado e derrubou satanás trazendo sobre ele e os seus anjos toda sorte de maldição.

23 Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a iniqüidade de idolatria. 1Sm 15:23

Quais são os maiores pecados na geração de homens, mulheres e jovens nos dias de hoje?

Rebeldia, prostituição, idolatria e feitiçaria!

Ainda assim Deus decidiu restaurar seu povo, mas todo este processo de restauração não poderia realizar-se sem a cooperação dos profetas.

Porque Deus se manifesta na terra por meio de seus profetas.

A palavra profeta significa “Porta voz”. Nós hoje somos os porta-vozes de Deus. Somos os embaixadores do reino de Deus que vamos destronar Jezabel nos dias de hoje. (Mt 5:9)

Como eu disse a pouco, na época de Acabe e Jezabel, Elias deveria cooperar com Deus, pois recebeu do Senhor a responsabilidade de ungir Elizeu como discípulo e profeta, Hazael como rei da Síria e Jeú rei sobre Israel. 1Re 19:15-16

15 Então o Senhor lhe disse: Vai, volta pelo teu caminho para o deserto de Damasco; quando lá chegares, ungirás a Hazael para ser rei sobre a Síria. 16 E a Jeú, filho de Ninsi, ungirás para ser rei sobre Israel; bem como a Eliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, ungirás para ser profeta em teu lugar.

Jeú seria o futuro rei de Israel que representaria a nova geração de adoradores que Deus estava levantando que não faria aliança com o pecado. Podemos dizer que essa geração somos nós!

Deus quer levantar “Jeús” nos dias de Hoje!

Elias não pode cumprir todo o propósito!

Elias ungiu Eliseu (1Re 19:19), mas não fez tudo o que Deus pediu, e Eliseu também não completou essa obra. Mas este mandou que um jovem profeta ungisse Jeú.

Aprendemos aqui uma grande lição: Precisamos fazer discípulos para que continuem o que começamos! Não sabemos até onde iremos, mas sabemos que outros podem continuar esta obra. São os nossos discípulos! São os profetas de amanhã! Você tem um discípulo? Qual é o nome dele?

“Ide e fazei discípulo...” (Mt 28:19)

Talvez você ainda não tenha um discípulo, e isso talvez seja uma conseqüência de você próprio não ser um discípulo, não ter um discipulador, um profeta sobre você.

Você é um discípulo de profeta? Só pode fazer discípulos quem é discípulo.

Elias e Eliseu não conseguiram cumprir toda orientação de Deus, mas Eliseu enviou um discípulo filho de profeta, e este completou a obra de Deus.

Para saber se somos ou se temos características de um discípulo de profeta leiamos o texto de 2Re 9:1:13

Como era o nome deste jovem profeta? A Bíblia não diz o nome deste jovem profeta para que você o nomeie com o seu nome. Nós somos a geração de adoradores que vai levantar “Jeús” para destruir Jezabel e o seu reinado de pecado. Observe bem, este jovem profeta não tinha nome mas tinha algumas características. Essas características precisam ser tomadas como exemplo por cada um de nós.

Vamos ler o texto de 2 Reis 9:1-13 para entendermos melhor as atitudes deste jovem:

1.ENTÃO o profeta Eliseu chamou um dos filhos dos profetas e lhe disse: Cinge os teus lombos, e toma esta almotolia (vasilha) de azeite na tua mão, e vai-te a Ramote-Gileade; 2. E, chegando lá, vê onde está Jeú, filho de Josafa, filho de Nimsi: e entra, e faze que ele se levante do meio de seus irmãos, e leva-o à câmara interior. 3. E toma a almotolia de azeite, e derrama-o sobre a sua cabeça, e dize: Assim diz o Senhor: Ungi-te rei sobre Israel. Então abre a porta, e foge, e não te detenhas. 4. Foi, pois, o mancebo, o jovem profeta, a Ramote- Gileade. 5. E, entrando ele, eis que os capitães do exército estavam assentados ali; e disse: Capitão, tenho uma palavra que te dizer. E disse Jeú: A qual de todos nós? E disse: A ti, capitão! 6. Então se levantou, e entrou na casa, e derramou o azeite sobre a sua cabeça, e lhe disse: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Ungi-te rei sobre o povo do Senhor, sobre Israel. 7. E ferirás a casa de Acabe, teu senhor, para que eu vingue o sangue dos meus servos, os profetas, e o sangue de todos os servos do Senhor, da mão de Jezabel. 8. E toda a casa de Acabe perecerá. Destruirei de Acabe todo o varão, tanto o encerrado como o livre em Israel. 9. Porque, à casa de Acabe, hei-de-fazer como à casa de Jeroboão, filho de Nebate, e como à casa de Baása, filho de Aías. 10. E os cães comerão a Jezabel, no pedaço de campo de Jezreel; não haverá quem a enterre. Então abriu a porta e fugiu. 11. E, saindo Jeú aos servos de seu senhor, disseram-lhe: Vai tudo bem? Por que veio a ti este louco? E ele lhes disse; Bem conheceis o homem e o seu falar. 12. Mas eles disseram: É mentira; agora faze-no-lo saber. E disse: Assim e assim me falou, dizendo: Assim diz o Senhor: Ungi-te rei sobre Israel. 13. Então se apressaram, e tomou cada um o seu vestido, e o pôs debaixo dele, no mais alto degrau: e tocaram a buzina, e disseram: Jeú reina!

Este profeta não tinha nome, mas foi chamado de louco, vejamos esntão algumas características desse Louco Profeta:

1. O louco profeta era um discípulo. (v. 1-4)

“Depois o profeta Eliseu chamou um dos filhos dos profetas, e lhe disse: Cinge os teus lombos, toma na mão este vaso de azeite e vai a Ramote-Gileade; 2 quando lá chegares, procura a Jeú, filho de Jeosafá, filho de Ninsi; entra, faze que ele se levante do meio de seus irmãos, e leva-o para uma câmara interior. 3 Toma, então, o vaso de azeite, derrama-o sobre a sua cabeça, e dize: Assim diz o Senhor: Ungi-te rei sobre Israel. Então abre a porta, foge e não te detenhas. 4. Foi, pois, o mancebo, o jovem profeta, a Ramote- Gileade.

Você é um discípulo? Tem cobertura de um discipulador. Quem é o seu manto profético. Se você quer ungir Jeú, você precisa entender que você precisa de um manto profético. Eliseu deu uma ordem e esta ordem foi seguida a risca. Mas antes como já vimos, Eliseu foi discípulo de Elias. Até que ponto você está disposto a seguir a ordem do seu manto profético. Para ser um “Louco Profeta” você tem de estar debaixo da cobertura de um profeta. A rebeldia e independência não permite que o homem seja um verdadeiro profeta.

Cuidado com os passos de independência. Eliseu, Josué, Pedro, Tiago, João, Paulo, só fizeram a diferença onde viveram porque foram discípulos.

2. O louco profeta Cingiu os lombos. (v.1b)

Cinge os teus lombos...”

Efésios 6:14 diz: “14 Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade”. Sem verdade você não pode levantar “Jeús” nos dias de Hoje. Verdade fala de transparência. Saiba de uma coisa não podemos esconder nada do Senhor nem dos nossos irmãos. Leia 2Cr 16:9, Sl 33:18; 139:1-16, Tg 5:16

Transparência, luz. Até que ponto você está vivendo em clareza???

Vista-se com a verdade! Quem é a verdade? Jesus! (Jo 14:6) A verdade e você se misturam? Você é um com Jesus? Se você é uma pessoa mentirosa ou de meias verdades, cuidado! A sua farsa pode estar chegando ao fim! Sua filiação está prestes a ser descoberta. (Jo 8:44)

Não podemos servir a Deus com meias verdades!

Pessoas que tentaram servir a Deus com meias verdades:

Ananias e safira. (At 5:1-11); Sansão (Jz 16:1-22); Davi (2Sm 12:1-12); Saul (1Sm 15:1-23).

3. O louco profeta levou consigo o Azeite. V1c

e toma esta almotolia (vasilha) de azeite na tua mão...”

“Não vos embriagueis com o vinho onde há devassidão mas enchei-vos do Espírito (óleo).” (Ef 5:18)

Antes de cumprir a ordenança de evangelizar o mundo, Jesus deu ordem aos discípulos para que ficassem em Jerusalém para receber o azeite o Espírito Santo. O óleo também fala de cura, pois este era uma das finalidades do óleo. A palavra que sai da tua boca é uma palavra ungida ou sua palavra é seca, desprovida de vida? Suas obras são de fato obras ungidas? Ou tudo o que você faz é viver em atrito com as pessoas. Tem gente que sempre está se metendo em confusões, sempre está em atrito com alguém, sempre se arranhando com outros. Falta óleo!

“Bem-aventurados os pacificadores os cheios de óleo, porque eles serão chamados filhos de Deus.” Mt 5:9

Quem vai com o Espírito Santo, segue adiante e não se deixa levar por confusões, desânimos e assolações. Não se preocupa com o complexo de inferioridade ou melindre. Veja a vida de Jefte, filho de uma prostituta. Deixado pelos seus irmãos tinha tudo para desistir da vida. Este foi alguém que lutou e foi adiante na libertação de Israel. Nós somos um tipo de Jabez que orou e pediu a misericórdia de Deus e recebeu o que pediu.

“Em todo o tempo sejam alvos os teus vestidos (Ef 6:11a), e nunca falte o óleo (Espírito Santo) sobre a tua cabeça.” (Ec 9:8)

Roupas brancas sujam com facilidade. Qualquer mancha se percebe ao longe. Dá mesmo a impressão que não há asseio. Entretanto a recomendação é para que em todo o tempo nossas roupas sejam brancas. É a condição de vida, comportamento da pessoa neste mundo. Qualquer ação que denigra os bons costumes, induzam ao pecado ou comprometa sua condição de gente de bem. Essas coisas mancham a roupa branca! Como passar por esta vida sem manchar a roupa? Impossível! Mas ao manchá-las, deve levá-las a "lavanderia". Jesus é o lavandeiro que tira todas as manchas e marcas perdoando pecados de um comportamento inadequado.

O profeta que de fato está pronto para a tarefa de profetizar está com sua cabeça cheia de óleo. Seus pés tocam essa terra poeirenta, mas sua cabeça está no céu.

Honre a unção de Deus que está sobre a sua vida e use-a para edificar o Reino proclamando sobre os “Jeús” dessa Terra! O óleo, a unção, te capacita a fazer a obra de Deus. Ela te enche de autoridade para ministrar e para exercer o seu ministério! Não confie nos seus dons e talentos, confie na unção de Deus que está sobre a sua vida! Siga como um louco profeta cheio da unção de Deus, cheio do óleo do Espírito Santo e que “nunca falte o óleo sobre a tua cabeça”.

4. O louco profeta enxerga o potencial e investe em homens comuns. V5

E, entrando ele, eis que os capitães do exército estavam assentados ali; e disse: Capitão, tenho uma palavra que te dizer. E disse Jeú: A qual de todos nós? E disse: A ti, capitão!

Jeú estava como todos os demais capitães, e o Profeta Louco levantou um homem comum para mudar o rumo daquela nação. Jeú estava lá como todos os demais. A Bíblia não fala que Jeú era o mais bonito ou capaz, por essa razão, os comuns da sua célula, da sua família, na sua escola ou trabalho estão esperando um “Profeta Louco” para profetizar sobre eles. Muitos “Jeús” estão escondidos debaixo do caos esperando um “Profeta Louco” para se levantarem.

Antes do profeta chegar Jeú era só um entre os demais, mas agora depois da visita do profeta, Jeú tornou-se um rei para a libertação de toda uma nação.

Veja o que diz Isaias 65:8:

“Assim diz o Senhor: Como quando se acha mosto num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele; assim farei, por amor dos meus servos, para que os não destrua a todos.” Is 65:8

O SENHOR diz: “Quando alguém encontra algumas uvas cheias de suco numa parreira, diz: ‘Não vamos destruí-las, pois o vinho que fizermos com elas será uma bênção para nós.’ Assim também, por amor dos meus servos, eu não destruirei todo o meu povo. L.H.

Assim diz o Senhor: "Quando ainda se acha suco num cacho de uvas, os homens dizem: ‘Não o destruam, pois ainda há algo bom; assim farei em favor dos meus servos; não os destruirei totalmente. NVI

Alguns produtores de vinho produzem vinhos caros que pode chegar a R$ 20,000.00 a garrafa. Isso tudo a partir de um cacho de uva comum.

Deus enxergou valor em você, e quando você era ainda uma pessoa comum. Nós precisamos ver os Jeús de nossos dias.

Davi enxergou um grande exercito em homens comuns e problemáticos. (1Sm 22:1-2), por Ter essa visão conseguiu adiante e livrar a Queila, uma cidade de Judá. (1Sm 23:5). Davi conseguiu enxergar em um monte de homens problemáticos grandes guerreiros, Sinceros (1Sm 23:3) e fiéis.

Ananias não quis ver em Saulo um grande homem (At 9:13), mas Deus abriu a sua visão. Para muitos, Saulo era um farizeu perseguidor, mas para alguém possuidor de uma visão transformadora Paulo era um vaso escolhido! (At 9:15)

Paulo enxergou em Timóteo o seu “filho na fé”, um grande discípulo e companheiro que posteriormente morreria como mártir em Éfeso.

Jesus enxergou em Maria Madalena uma grande evangelista. Uma entre as demais prostitutas, endemoninhadas. Ela foi onde os discípulos não foram. Quem falou da ressurreição para os discípulos?

E você? Está enxergando o vinho novo nos que andam com você?

Não olhe as aparências, pois Deus vai levantar “Jeús” no nosso meio. (1Sm 16:7)

5. Os louco profeta fugiu do padrão da normalidade v.11

Por que veio a ti este louco? v.11

“Mas Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios, e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes.” 1Co 1:27

Loucura é fazer aquilo que foge do padrão de normalidade, se todos penteiam o cabelo para baixo, o louco penteia para cima. Anda na contra mão do mundo. Rm 12:1-2

Uma das definições da palavra loucura é “grande extravagância”.

20101119

Mais Uma Noite com as Rãs - Disc. Vinicius Cano - 14/11/10 Culto de Celebração -

ÊXODO 8:1-15

1 Depois, disse o SENHOR a Moisés: Chega-te a Faraó e dize-lhe: Assim diz o SENHOR: Deixa ir o meu povo, para que me sirva.

2 Se recusares deixá-lo ir, eis que castigarei com rãs todos os teus territórios.

3 O rio produzirá rãs em abundância, que subirão e entrarão em tua casa, e no teu quarto de dormir, e sobre o teu leito, e nas casas dos teus oficiais, e sobre o teu povo, e nos teus fornos, e nas tuas amassadeiras.

4 As rãs virão sobre ti, sobre o teu povo e sobre todos os teus oficiais.

5 Disse mais o SENHOR a Moisés: Dize a Arão: Estende a mão com o teu bordão sobre os rios, sobre os canais e sobre as lagoas e faze subir rãs sobre a terra do Egito.

6 Arão estendeu a mão sobre as águas do Egito, e subiram rãs e cobriram a terra do Egito.

7 Então, os magos fizeram o mesmo com suas ciências ocultas e fizeram aparecer rãs sobre a terra do Egito.

8 Chamou Faraó a Moisés e a Arão e lhes disse: Rogai ao SENHOR que tire as rãs de mim e do meu povo; então, deixarei ir o povo, para que ofereça sacrifícios ao SENHOR.

9 Falou Moisés a Faraó: Digna-te dizer-me quando é que hei de rogar por ti, pelos teus oficiais e pelo teu povo, para que as rãs sejam retiradas de ti e das tuas casas e fiquem somente no rio.

10 Ele respondeu: Amanhã. Moisés disse: Seja conforme a tua palavra, para que saibas que ninguém há como o SENHOR, nosso Deus.

11 Retirar-se-ão as rãs de ti, e das tuas casas, e dos teus oficiais, e do teu povo; ficarão somente no rio.

12 Então, saíram Moisés e Arão da presença de Faraó; e Moisés clamou ao SENHOR por causa das rãs, conforme combinara com Faraó.

13 E o SENHOR fez conforme a palavra de Moisés; morreram as rãs nas casas, nos pátios e nos campos.

14 Ajuntaram-nas em montões e montões, e a terra cheirou mal.

15 Vendo, porém, Faraó que havia alívio, continuou de coração endurecido e não os ouviu, como o SENHOR tinha dito.

(ÊXODO 8:1-15)

Introdução.

Gostaria de compartilhar uma palavra com a igreja que diz respeito a nossa posição quando temos que nos mexer, sair da zona de conforto pra melhorar a nossa vida.

Muitos não saem dos problemas, dos vícios e de situações desconfortáveis por causa da inércia.

Neste texto de Êxodo 8 vemos uma situação que depois de se pensar um pouco ficamos atônitos com a resposta de Faraó.

A passagem que me chama atenção refere-se às dez pragas que Deus enviou aos egípcios. Uma das pragas é a das rãs. Havia rãs por toda a parte. Faraó chama Moisés e diz: "Muito bem Moisés, desisto". Então Moisés pergunta: "Quando você quer que eu acabe com as rãs?". A resposta do Faraó foi clássica, ele disse: "Amanhã". Ele devia estar louco! Por que alguém esperaria tanto tempo para acabar com as rãs?
Como você se sentiria ao passar mais uma noite com as rãs? Por que cargas d'água uma pessoa adiaria uma oportunidade positiva? Esperávamos que o Faráo dissesse: "Acabe com as rãs agora mesmo!" E, no entanto, ele respondeu: "Amanhã".
Fazemos isso o tempo todo. Procrastinamos, deixamos para depois as mudanças que sabemos ser boas para nós. Por quê? Talvez sejamos complacentes; talvez sejamos preguiçosos demais para mudar; talvez estejamos com medo porque não sabemos em que essas mudanças implicarão; talvez sejamos orgulhosos demais ou simplesmente obstinados. Seja qual for o motivo, procrastinamos.

Vejamos algumas coisas que nos fazem dormir com as rãs ou procrastinar.

1. A Indecisão.

· O indeciso tem opções e não decide.

· Ele sabe que tem que comprar e não compra.

· Tem que casar e não casa.

· Ele tem que romper e não rompe.

· Ele está sempre na dúvida.

A dúvida é natural, mas quem permanece indeciso não receberá de Deus coisa alguma.

Você quer continuar assim?

A indecisão faz que você permaneça dormindo com as rãs, com "a praga" em tua vida.

2. Perfeccionismo.

· O perfeccionismo também te deixa dormindo com as rãs.

· Muitos precisam do dia perfeito, do clima favorável... Mas esse dia nunca chegará.

· Nós perdemos muito tempo esperando a hora perfeita, o momento perfeito.

· Tire os projetos parados, desengavete os sonhos e realize-os, mesmo sem condições ideais.

"Quem fica observando o vento não plantará e quem olha as nuvens nunca colherá" (Ec 11.4).

3. Medo.

· O que você faria se não tivesse medo? Comece a fazer isso. O medo paralisa e rouba os sonhos.

· Muitos têm medo de realizar, de comprar, de começar.

· Examine-se e veja qual o medo que está te fazendo dormir mais uma noite com as rãs.

“Em Deus, cuja palavra eu louvo, em Deus ponho a minha confiança e não terei medo” (Salmos 56:4).
Peça a Deus: Senhor dá-me mais coragem, mais ousadia, pra declarar pra mim mesmo: "nem mais uma noite com as rãs". Basta de medo!

4. A preguiça.

· O preguiçoso diz: amanhã eu começo. Ele quer, mas com facilidade.

· Tem gente que só procura facilidade. Mas a prosperidade e a bênção são para o diligente, para o que enfrenta.

· A preguiça nos faz dormir abraçadinhos com as rãs. Essa nova geração parece que não tem ânimo; é sem tenacidade. Ô ranzinha boa!

O preguiçoso deseja e nada consegue, mas os desejos do diligente são realizados (Pv 13.4).

Conclusão

ü Hoje é o dia de desalojar as rãs que estão em tua vida, e de mandá-las embora.

ü Moisés perguntou a Faraó: E aí, quando?

ü Diga pra você: eu quero resolver isso hoje.
Faça tudo o que puder fazer, decida-se, não deixe o medo te parar; abandone o perfeccionismo e a preguiça; hoje é o teu dia! Você crê nisso?

ü Hoje você vai mandar essas rãs embora, em nome de Jesus.
Talvez você nem saiba por que está protelando o que tem que fazer. Mas Deus te manda um recado hoje: tira a praga de tua vida, a praga do medo e da indecisão.

ü Eu profetizo definições sobre a tua vida hoje; fora a indecisão para realizar, para restaurar, para romper.

ü A partir do momento que você se definir o Senhor vai te abençoar.

ü Decida agora mesmo: nem mais uma noite com as rãs!

20101110

O preço da transformação

Por que uma igreja tão numerosa como a atual não está mudando a nação? Somos dezenas de milhões e vemos o Brasil apodrecer cada vez mais em sua moral e ética. Por que? Porque não estamos pagando preço para ser um modelo irrepreensível!

Escrito por Pr. Danilo Figueira


Nós já entramos no período mais desafiador da História em relação à fé. As nações estão sendo rapidamente formatadas por um espírito anticristo e a realidade crescente é de valores, ética e leis absolutamente opostos ao Cristianismo. À medida em que o tempo passa, aumenta a sensação de que estamos falando sozinhos e de que o que falamos deve ser reprimido. Deixe-me apontar alguns dos principais pontos dessa oposição de valores...

Em primeiro lugar, pensemos na desconstrução da família. O divórcio e o concubinato são conceitos estabelecidos da cultura e na lei do nosso país (agora, com novas facilidades legais, nos últimos meses os divórcios cresceram 149% em São Paulo). A união civil entre homossexuais e o direito dados a estes de adotarem crianças também já vigoram no Brasil (o "casamento", com caráter religioso, é a próxima conquista da pauta, para acabar de vez com a heteronormatividade e com o conceito original de família).

Há também um enorme esforço dos formadores de opinião e da mídia tentando impor o confinamento da fé. O mundo trata de limitar o exercício da fé ao espaço dos guetos religiosos e, se possível, da individualidade humana. Cada vez mais se rejeita a idéia da crença pública, divulgada, conquistadora. As leis que vem sendo propostas e aprovadas no Brasil são só a repercussão do movimento das nações ocidentais: proibição de símbolos religiosos em repartições públicas, limitação de espaços para programas religiosos na mídia, cerceamento de qualquer tipo de discurso que oponha práticas religiosas ou culturais estabelecidas (por conta disso, crianças indígenas são enterradas vivas no Brasil sem que ninguém possa interferir e o ensino contra ritos de feitiçaria e idolatria está para ser criminalizado como preconceito, como já é feito em muitas nações). Em outras palavras, o mundo nos impõe cada vez mais a idéia: “Se vocês têm fé, guardem-na com vocês e não nos incomodem!”

Outro ponto de conflito é foco nas liberdades individuais e o pragmatismo. O endeusamento do indivíduo é a grande marca desta geração. O que vale é a liberdade de cada um e o prazer pessoal. É esta mentalidade hedonista que justifica, não apenas a prática do aborto, por exemplo, mas as leis que a defendem. Sob esta ótica, uma mulher que tenha direito sobre o seu próprio corpo pode decidir entre seguir com uma gravidez ou interrompê-la. Questão pessoal... Esta é uma bandeira defendida e fomentada pela ONU e também pelo atual governo brasileiro. Junte-se a isso a mentalidade pragmática desta geração, segundo a qual o que interessa é o resultado imediato de cada ação humana ou social e não os valores que possam contradizer tal direção. Ora, como o Cristianismo defende e se baseia em valores, alguns dos quais só terão seus frutos revelados na eternidade, é visto (e será cada vez mais) como retrocesso pela sociedade secular.

Diante deste cenário tão contraditório, que opções restam ao povo de Deus? Se permanecermos passivos, como quem não tem nada a ver com tudo isto, seremos engolidos pelo secularismo e morreremos. Teremos assumido a condição descrita por Jesus como “sal insípido” e para nada prestaremos, exceto para ser pisados pelos homens.

Se nos colocarmos na defensiva, apenas preocupados em guardar o nosso espaço, talvez resistamos por um tempo, mas não seremos capazes de conquistar as próximas gerações e igualmente seremos tragados, ainda que mais lentamente. Escolher ser sal no saleiro não parece ser uma opção viável...

Resta-nos, então, apenas uma possibilidade digna: assumirmos a condição de agentes transformadores, nos apresentando ao mundo como um modelo completamente distinto e pagando o preço que for necessário para sustentá-lo. Talvez isso equivalha mais à proposta de Jesus de sermos “sal da terra”, que salga, que cura, que dá sabor...

Mas será isso possível, ou uma utopia da nossa religiosidade? Poderíamos nós causar uma verdadeira transformação social? A igreja pode levar a sociedade a mudar seus valores?

Se olharmos para o nível de corrupção que a igreja moderna apresenta e para a densidade das estruturas de iniquidade que regem a atual geração, diremos que não. Se, porém, colocarmos nossos olhos na Palavra de Deus, de onde pode nascer verdadeira fé, seremos inspirados a lutar por este ideal. A história de Daniel e seus três amigos (Hananias, Misael e Azarias) é um modelo para nós. Estes homens, que foram lançados ainda jovens no contexto absolutamente pervertido e pagão de Babilônia, viveram uma vida de compromisso tão radical com a fé e os valores da Palavra de Deus que se tornaram influência real sobre um grande império, mudaram a mentalidade de reis e deflagraram revisões inclusive nas leis, fazendo com que os valores santos sobrepujassem os decretos de iniquidade que vigoravam em sua época, em sucessivos governos (conf. Dn 3:28-30 e 6:26-30).

Como conseguiram tal proeza? O que de fato precisamos assumir em nossas vidas para ser sermos, mais do que uma igreja numerosa, uma geração transformadora?

A primeira verdade que me salta aos olhos ao ler a história de Daniel e seus amigos é que os transformadores não fogem ao desafio de serem homens "sem defeito". A busca de Nabucodonosor era por pessoas que pudessem ser um modelo (leia Dn 1:3-6, onde a expressão usada é "jovens sem defeito). De certa forma, esta é a busca do mundo nos nossos dias. Os medíocres não serão notados e não causarão nenhum tipo de influência... Daniel e seus amigos aceitaram o desafio, se esforçaram por apresentar-se excelentes, porém sob um padrão distinto do de Babilônia. Eles aceitaram ser investigados, avaliados. Estavam dispostos a se oferecer como referência, mas claramente não seguiriam os padrões do mundo. Seus valores eram outros e eles estavam dispostos a revelar uma excelência que Nabucodonosor não conhecia: a excelência do céu.

Por que uma igreja tão numerosa como a atual não está mudando a nossa nação? Somos dezenas de milhões de evangélicos e vemos o Brasil apodrecer cada vez mais em sua moral e ética social... Por que? Porque não estamos pagando preço para ser um modelo irrepreensível. Nosso comportamento não tem sido coerente com a nossa fé. Aceitamos ser medíocres em nossa expressão, em nosso compromisso. Por isso, fazemos volume, mas não causamos transformação... O mundo só ouvirá "crentes sem defeito"!

A igreja precisa entender que apenas volume não causa mudanças. O propósito de Deus para nós foi definido com muita sabedoria e objetividade por Paulo, em Filipenses 2:15. "Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como luzeiros no mundo".

Agora, precisamos estar conscientes de que não é possível alcançar a excelência em nada, a não ser que estejamos absolutamente comprometidos com uma visão. Como o preço é muito caro, só o pagam aqueles que estão dominados por um ideal. Aqueles quatro jovens investiram tudo o que tinham em ser uma referência do reino de Deus no Império Babilônico e esse investimento lhes custou muitos anos de vida fiel e irretocável.

Na verdade, os transformadores nascem da decisão de não se contaminar. O mundo em que Daniel e seus amigos foram plantados era um mundo consolidado em seus valores, cultura, linguagem e leis iníquas. Para os que se amoldassem aquele sistema haveria benefícios imediatos. Podiam comer da mesa do rei e beber do seu vinho livremente. Assim, teriam todas as facilidades para alcançar o status de referência babilônica, sem grandes dificuldades. O que a Bíblia nos informa, porém, é que "Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia"(Dn 1:8) e logo foi seguido nesse propósito por seus companheiros.

Decidir não se contaminar é antes de tudo definir a Palavra de Deus como única fonte de princípios, práticas e valores. Só se guarda de contaminação quem tem um conceito definido de pureza. No caso de Daniel, seguido por seus amigos, a fonte era a Lei do Senhor. Era a partir dela que eles definiriam o que aceitavam de Babilônia e o que não aceitavam.

Decidir não se contaminar é, na prática, abrir mão de benefícios e possibilidades do mundo para sustentar os valores do céu. Estou falando de abster-nos, de negar-nos ao caminho largo das facilidades mundanas para vivermos sob uma dieta celestial. Quer que eu traduza? Não prestamos para transformar nada se somos crentes que enrolam seus credores e deixam dívidas caducar até ao ponto de não poderem mais ser cobradas; se subornamos agentes de trânsito para não ter o prejuízo maior de uma multa; se assinamos declarações mentirosas para termos mais ganhos ou menos perdas em nossos negócios; se fazemos "gato" para manter um ponto adicional de TV por assinatura em nossas casas; se votamos em políticos "evangélicos" para que eles sejam simples "pistolões" que nos ajudem a "furar a fila" e ganhar casas de COHAB sem participar dos sorteios legais ou que facilitem a missão de construir nossos templos com dinheiro da imoralidade ética; se nossos jovens brincam com a afetividade e a pureza sexual em namoros tão erotizados e sem compromisso como os do mundo; se nossos casamentos também continuam terminando no atalho covarde do divórcio, enfim, se nos comportamos com esse tipo de postura baseada no chavão do "todo mundo faz", continuaremos sem condição que confrontar e questionar o padrão da sociedade sem Deus, por estarmos absolutamente conformados e comprados por ele. Ou seja, o que todo mundo faz só serve para nos colocar na condição medíocre e irrelevante de todo mundo.

Decidir não se contaminar é apostar numa outra forma de crescer na vida. Aqueles quatro jovens tinham a ambição de prosperar, de tornarem-se expoentes, de serem aprovados. Mas o caminho que eles escolheram para consegui-lo era completamente distinto. Enquanto os babilônicos se fiariam na carne, eles se fiariam na santidade... É esta a opção radical que a igreja precisa fazer e, infelizmente, de uma forma geral ainda não fez.

Outra coisa importante a destacar é que os transformadores se preparam em todos os níveis para conquistar influência. Daniel e seus amigos entenderam que era preciso investir no natural e no espiritual, aliar conhecimento e fé, razão e revelação. Se fossem só místicos, nunca chegariam a obter espaço sólido no mundo concreto. Se fossem só cabeças pensantes, pessoas tecnicamente preparadas, nunca poderiam falar em nome de Deus. Por isso, dedicaram-se fortemente nas duas dimensões, fazendo do espiritual a base para o natural, mas estabelecendo a excelência como meta para tudo. E quando, finalmente, foram avaliados ainda em sua juventude, o testemunho bíblico é que não foram achados outros tais como Daniel, Hananias, Misael e Azarias; portanto ficaram assistindo diante do rei. E em toda a matéria de sabedoria e de discernimento, sobre o que o rei lhes perguntou, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores que havia em todo o seu reino" (Dn 1:19-20).

A verdade é que não temos como tornar-nos modelos para o mundo se não buscarmos excelência naquilo que fazemos. É como eu falei: a mediocridade não chama a atenção... Daniel e seus amigos ocuparam espaço na área política e na administração pública porque estavam preparados para isto. Se não tivessem capacidade provada, não passariam de "gurus" do rei. Mas tornaram-se governantes, porque além de abençoados, tinham preparo para governar (conf. Dn 2:48-49). O que quero dizer é que uma igreja transformadora é uma igreja que envia gente "sem defeito" para ocupar espaço em todas as áreas da sociedade. Hoje, precisamos mais do que de pastores excelentes. Precisamos de educadores excelentes, de empresários excelentes, de políticos excelentes, de profissionais liberais excelentes, de trabalhadores excelentes, de artistas excelentes para mudar a sociedade.

Quero finalizar esse texto discorrendo sobre uma última e fundamental ideia: os transformadores são pessoas que não negociam seus princípios e sua devoção. Há momentos em que nossos valores e nossa fé são provados. No caso de Daniel e seus companheiros, o estilo de vida que eles propuseram foi ameaçado, não só pela privação de privilégios, mas pela punição de morte. Diante da fornalha ardente (conf. Dn 3:14-18) e da cova dos leões (conf. Dn 6:7-11), não titubearam e nem relativizaram sua fidelidade ao Senhor.

Na verdade, Daniel, Hananias, Misael e Azarias nunca aceitaram barganhar sua fé. Quando jovens, ainda em busca de um lugar ao sol, decidiram não se contaminar com os manjares do rei. Eles queriam subir na vida, mas escolheram o caminho estreito e mais difícil porque esse era o caminho de Deus... Creio que isso deve nos levar a uma avaliação: Como estamos buscando prosperar na vida? Como os do mundo ou como os transformadores?

Além do mais, esses homens não negociaram seus valores depois, para manter o lugar que conquistaram. Quando Daniel assistia diante do rei e contava com sua simpatia, não transigiu quanto à palavra profética e não deixou de falar segundo o coração de Deus, mesmo que não desse IBOPE ou mesmo o expusesse à rejeição... Ele não manteria o seu lugar às custas de se corromper.

Finalmente, Daniel e seus amigos não negociaram seus valores quando os decretos de iniqüidade ameaçaram suas vidas. A fidelidade dos transformadores aos princípios que crêem vai às últimas consequências. Por duas dramáticas ocasiões, esses homens foram expostos à morte por sua devoção, mas não transigiram. A fornalha ardente e a cova dos leões não foram ameaças suficientes para mudarem seu comportamento... E mesmo que Deus não os livrasse dos decretos de iniqüidade, estavam dispostos a manter sua visão.

O resultado de todo esse santo radicalismo (entenda esta palavra em sua forma literal, ou seja, a atitude de alguém que não se desprende de sua raiz), foi que a aprovação de Deus e o impacto que seu testemunho causou na vida de grandes reis desaguou numa influência tão forte que até as leis de um grande império foram mudadas por mais de uma vez em função do Deus de Daniel, Hananias, Misael e Azarias (conf. Dn 3:28-30 e 6:26-30).

Se nós tivermos a disposição de pagar o preço que eles tiveram, porque não podemos mudar o Brasil?

JESUS CRISTO É O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA!

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito