20181031

Série de Mensagens O Valor da Igreja - A Videira e a dinâmica da igreja. Jo 15:1-16. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 28/10/18


“A igreja foi enviada ao mundo para continuar o que Ele veio fazer, no mesmo Espírito, reconciliando as pessoas com Deus.” Lesslie Newbigin

1 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. 2 Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. 3 Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; 4 permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. 5 Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6 Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora, à semelhança do ramo, e secará; e o apanham, lançam no fogo e o queimam. 7 Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito. 8 Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos. 9 Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor. 10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço. 11 Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo. 12 O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. 13 Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos. 14 Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando. 15 Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer. 16 Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. 17 Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros.” Jo 15:1-16

É importante dizer que como em tantos outros ensinos, no texto de João 15, Jesus está se utilizando de uma ilustração ou alegoria para ensinar alguns princípios. Em boa parte de seus ensinamentos, Jesus se utiliza de uma situação física para expressar uma realidade espiritual. Aqui no texto de João 15, Ele diz que o Pai é o agricultor, Ele é a Videira Verdadeira e nós somos os ramos responsáveis por produzir frutos. O ensino de João 15 trata da dinâmica ou vida prática da igreja local.

Como já mencionamos, Jesus diz que O Pai é o agricultor que lançou a semente na terra. A semente é o próprio Jesus. Ele mesmo disse:

“Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto.” Jo 12:24.

Jesus decidiu morrer, e por que morreu produziu muitos frutos. Os ramos da videira somos nós. Cada cristão gerado n’Ele é um ramo, uma extensão de sua vida. Somos todos responsáveis por produzir frutos, uns poucos e outros muitos, mas todos foram chamados para frutificar. Agora é interessante dizer que nesse processo de frutificação, os ramos que somos nós, devemos perseverar. O verbo permanecer, aparece 11 vezes do verso 1 ao 10. Jesus diz que devemos permanecer n’Ele, persistir n’Ele, perseverar n’Ele! Por que insistir tanto em um posicionamento? Não sei de outro texto nas Escrituras que fala tantas vezes sobre perseverar como aqui em João 15. Aos Hebreus, o escritor diz:

“Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa.” Hb 10:36

Perseverança para cumprir o propósito, é a ênfase desse texto. E que propósito é esse? O verso 16 nos diz que a perseverança é para frutificação! Como já disse anteriormente, a videira é uma alegoria, uma ilustração de uma realidade espiritual sobre a igreja local. Já que o texto é uma ilustração de uma realidade espiritual, devemos olhar para a videira e através de seu processo de crescimento e frutificação experimentar o mesmo na vida da igreja local.

Observando como a videira é cultivada desde o plantio até a colheita de seus primeiros frutos, podemos aprender algumas lições.

1. A videira com seus ramos só podem crescer e produzir frutos, se apoiados em uma estrutura.

Da mesma forma, Cristo e seus ramos crescerão de maneira visível através da estrutura que chamamos de igreja local. A igreja local é essa estrutura que expressa Cristo, é seu corpo e sua única expressão. Você pode ser crente individualmente, tendo comunhão com Cristo pelo Espírito, mas será impossível ser um cristão que expressa Jesus em sua totalidade se não viver em comunidade.

Ter a presença de Deus é diferente de manifestar o poder de Cristo

Temos a presença de Deus pelo Espírito habitando em nós, mas só podemos manifestar o poder de Cristo quando participamos ativamente do corpo. Como já mencionei, temos comunhão com Cristo individualmente no espírito, mas só poderemos expressar a vida de Cristo através do corpo, coletivamente na igreja. Na igreja local podemos ter esse mover plural para expressarmos Jesus.

Qual é a sua igreja?

É fundamental para o cristão estar ligado a uma igreja local. Quando nos apresentamos a alguém e dizemos que somos crentes, geralmente a pessoa com quem estamos conversando nos pergunta: Você pertence a qual igreja? Outros vão mais além e perguntam: Você faz o que lá? Tem alguma responsabilidade ministerial? Eu penso que seria constrangedor dizer que sou cristão, mas não pertenço a nenhuma igreja. Se você é funcionário em alguma empresa, certamente tem uma função, assim você jamais poderia dizer: Eu fui contratado pela empresa apenas para receber o pagamento, não preciso fazer nada. Isso não existe!

Por que será que na igreja é tão normal a maioria dos irmãos fazer tão pouco e ainda assim exigir muito da parte de Deus? Nós devemos amar a igreja, por que Cristo a ama! Nós devemos morrer pela igreja porque Cristo morreu por ela. Devemos valorizar a igreja seguindo suas direções, nos envolver e produzir constantemente frutos que permaneçam. Da mesma maneira que a videira não pode viver e frutificar sem uma estrutura, nós não podemos viver a vida cristã sadia sem essa estrutura que temos e chamamos de igreja local.

Uma questão estrutural

Cristo precisa de nós por uma questão estrutural, por isso ele disse para Pedro:

“tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja.” Mt 16:18.

O próprio Pedro disse:

“também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.” 1Pe 2:5.

Agora nós precisamos de Cristo como a nossa vida (seiva), e da igreja como nossa estrutura, portanto Jesus e sua igreja devem ser para nós uma necessidade vital. Ele disse:

“porque sem mim nada podeis fazer.” Jo 15:5

A vida de Deus que tanto precisamos para expressar Cristo, só pode ser experimentada em seu corpo, na igreja local. Todos os crentes precisam da comunhão, da coletividade, dos relacionamentos que só podemos ter na igreja local. Acredito que a bênção de Deus está ligada a uma geografia. A igreja local é essa extensão geográfica que delimita o lugar da bênção. É incrível pensar que existem tantas pessoas à margem da vida da igreja local, vivendo como marginais do mover de Deus.

2. A videira é uma trepadeira

Segundo a Wikipédia, a enciclopédia Livre. “A videira, vinha ou parreira é uma trepadeira da família das victáceas, com tronco retorcido, ramos flexíveis, folhas grandes e repartidas em cinco lóbulos pontiagudos, flores esverdeadas em ramos, e cujo fruto é a uva.” 

A videira só produzirá fruto se seus ramos estiverem no alto longe da terra. Seu produto, a uva, só pode ser produzido no alto. Seu tronco está ligado à terra, mas seus ramos precisam ser lançados para o alto. Jesus disse:

“Eu sou a videira, vós, os ramos.” V.5.

Isso nos fala de vivermos para alcançarmos as alturas, uma vida “sobrenatural”. Não se pode querer ter uma vida cristã bem sucedida se não subirmos mais alto no Senhor. Os salmistas sabiam que deveriam subir mais alto quando oravam. Eu me recordo bem da passagem que conta a experiência de Pedro quando este andou por sobre as águas (Mt 14:22-33). Pedro quando reconheceu que era Jesus que caminhava sobre as águas, disse:

“29 Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. 29 E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus.” Mt 14:28,29.

Eu penso que da mesma maneira que Cristo disse para Pedro “vem”, hoje ele também está dizendo “venham, subam mais alto, andem no mar do sobrenatural!”.

Veja como os salmistas tinham essa consciência que deveriam subir mais alto no Senhor.
“A ti, SENHOR, elevo a minha alma.” Sl 25:1?

“Elevo a Deus a minha voz e clamo, elevo a Deus a minha voz, para que me atenda.” (Sl 77:1).

“Alegra a alma do teu servo, porque a ti, Senhor, elevo a minha alma.”(Sl 86:4). “Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro?” (Sl 121:1).

“A ti, que habitas nos céus, elevo os olhos!” (Sl 123:1).

 Aos Colossenses Paulo diz:

“Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra...” (Cl 3:2).

O Profeta Isaias disse:

“O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim...”. (Is 61:1)

Em Atos 1 e 2 Jesus disse que do alto viria o Espírito santo que nos revestiria de poder. Lembremos também que o véu do templo se rasgou de cima para baixo, indicando que o mover de Deus sempre vem do alto. Quando Elias restaurou o altar do sacrifício, antes de orar, ele fez um rego ou vala ao redor do altar e encheu de água que representa Jesus que é a Água da vida. Esta água era para separar a terra profana do altar santo, fazendo do altar um lugar mais elevado e santo (1Re 18). É interessante dizer que nós somos este altar, e também somos o sacrifício. Veja então que devemos estar acima do nível do solo. Nossos pés tocam o chão, mas nossos corações e mentes devem estar sempre mais altos no Senhor.

3. A parte visível da videira são os ramos

Você e eu somos responsáveis por levar Cristo. Enquanto você diz: “Cristo me conduz”, o próprio Cristo diz: “Vá e pregue a minha palavra, você é minha testemunha, meu condutor”. Lembre-se: nós podemos apresentar Jesus, ou ocultá-lo. Nós precisamos deixar de lado aquela mentalidade de que “é Deus somente quem faz a obra”. Alguns irmãos que conheço dizem que devemos olhar somente para Deus e não para o homem. Todavia, como poderemos ver Deus se manifestando sem a cooperação do homem?

Lembremo-nos do que disse Jesus, “e vos designei para que vades e deis fruto...”. É certo que sem Ele não podemos fazer nada, mas se fomos escolhidos para sermos cooperadores de Deus segundo ensina Paulo, temos uma obra que é de nossa responsabilidade. Edificar a igreja local é essa tão preciosa obra.

4. Os ramos da videira são flexíveis

Lemos na Wikipédia que uma característica dos ramos é a flexibilidade. Assim se somos os ramos, devemos ser flexíveis. Isso nos fala de disposição para mudanças. Não negociamos princípios e valores fundamentais, mas estamos abertos para mudanças que nos permitam aperfeiçoar nosso serviço para Deus. Não podemos viver enrijecidos, duros e inflexíveis. Reconhecer que precisamos mudar, pode ser uma nova chance de produzir frutos.

Costumamos dizer que devemos plantar sementes diferentes se queremos uma colheita diferente. Responda com sinceridade e descubra se você é ou não uma pessoa flexível.

·    Você é do tipo que sempre ouve calado até o fim da argumentação de seu interlocutor?
·          Você tem disposição para reconhecer um erro e de pronto se retratar?
·          Você consegue lidar bem com mudanças sem deixar que elas tirem sua paz?
·          Você consegue acatar uma ordem ou pedido contrário à sua vontade e ainda assim cumprir a obediência?
·          Você reage bem às mudanças com um coração submisso?
·          Você reage mal quando alguém contraria o que você pensa?
·    Você tem facilidade em liberar perdão aos seus ofensores e promover a reconciliação sem querer nada em troca?

Se sua resposta foi negativa para algumas dessas questões, é hora de mudar, pois a inflexibilidade tem impedido muitos ramos de frutificarem. “Todo ramo (inflexível) que, estando em mim, não der fruto, ele o corta...”. (v. 2)

5. A videira leva de 120 a 200 dias para florescer e até 4 anos para dar seus primeiros frutos.

Do plantio até a primeira colheita, o agricultor espera de dois a quatro anos. Mas não se desespere, pois a videira começa a florescer em até seis meses. As flores são sinais da seiva que está correndo nos ramos. A vida de Cristo está em nós e por isso já vemos tantos sinais e evidências de que o tempo de frutificar está chegando. Sinto-me seguro em dizer que Deus quer operar todos os milagres necessários para você mudar de vida, e ele já está fazendo isso. Vamos ler o verso 7:

“7 Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito”. “16 Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.” Jo 15:7,16

Veja nestes dois versos, que Jesus nos garante que teremos êxito se fizermos a sua vontade. E qual é a sua vontade? Que sejamos um ramo frutífero na edificação da igreja local. O agricultor que plantou a videira está prestes a colher seus frutos, e se ele hoje viesse à vinha para colher seus frutos, o que ele acharia? Sua vontade é que o homem ganhe e cuide de almas. O fruto aqui no texto são pessoas. Deus sempre planejou que a humanidade se espalhasse e enchesse a terra com sua glória. Adão, Noé, Abraão, Isaque, Israel, Jesus, os discípulos ouviram a mesma mensagem sobre fecundidade, frutificação e multiplicação. A igreja hoje também está recebendo a mesma ordem de frutificar através de seus ramos. É bom ressaltar que frutificar não é só pregar para as pessoas, mas principalmente cuidar delas até que estejam firmes, até que permaneçam e façam o mesmo por outros. Isso não é fácil! A igreja não é um iate para passeio, é um navio de carga. Ela não tem viajantes, têm tripulantes.

Orientações para sermos ativados na igreja local

A seguir alistei algumas orientações para funcionarmos melhor como membros em nossa igreja local:

1. Participe da vida da igreja local. Seja uma parte ativa das soluções, e não um crítico de plantão. Não seja mais uma voz para realçar os problemas.

2. Ore pela igreja local. Ore com humildade e fé. Lembre-se de que Jesus morreu pela igreja, ama a igreja e vai voltar para buscá-la.

3. Honre a igreja falando bem de seus irmãos e de seus líderes. Somos imperfeitos, mas sempre há algo para se elogiar. Não permita jamais que falem mal de seus irmãos ou líderes. Em nossa igreja local temos um pacto de não falar mal de nenhum irmão e muito menos da igreja na qual estamos pertencendo.

4. Sirva. Envolva-se. Todo pastor gostaria de ter alguém na igreja local disposto a ajudar, a servir ou liderar um ministério.

5. Contribua. Ajude a manter sua igreja. Muitas igrejas não podem realizar todo o trabalho que planejam simplesmente porque as pessoas são muito mais livres para criticar do que para apoiar financeiramente.

Finalmente, seja o exemplo que você gostaria de ver nos outros. Levante-se do banco e entre no jogo. Há menos queixas dentro do campo. Envolva-se na solução dos problemas. Se você ama Jesus, ame também a Sua igreja, lutando para expandi-la e edifica-la.


20181023

Série de Mensagens Metanoia - Parte 11 - Obtendo vitória sobre o cansaço e o desânimo. Gl 6:9. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 21/10/18


“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.” Gl 6:9

“Portanto, não se cansem de fazer o bem. No tempo certo, teremos uma boa colheita, se não nos desesperarmos nem desistirmos.” (Bíblia A Mensagem)

Gostaria de compartilhar com você sobre a vitória sobre o desânimo e o cansaço. Um dos desafios que todos nós teremos de vencer em nossa vida é o desânimo e o cansaço. Quando falo de desânimo estou me referindo a aquela sensação de prostração que tira todo o prazer da vida. As coisas continuam acontecendo ao seu redor, mas você simplesmente se torna indiferente a tudo.

Quando vem o desânimo

- O desânimo vem quando as batalhas se tornam mais longas do que esperávamos.
- As dificuldades parecem demasiadamente grandes.
- Você tem se esforçado, mas parece que nada acontece.

Exemplos daquilo que pode nos cansar
- Você tem crido por um filho por anos a fio e ainda não ficou grávida.
- Tem lutado pelo seu casamento, mas as coisas parecem as mesmas.
- Você tem esperado por aquela promoção, para passar naquele concurso, tem crido pela libertação daquele vício ou tem lutado por anos com uma enfermidade.

Há aqueles que esperam por um casamento e muitos estão cansados de tanta espera. Você têm sofrido pela fadiga da batalha. O resultado tem sido desânimo e cansaço de alma.

Paulo diz para não nos cansarmos de fazer o bem porque a seu tempo ceifaremos.

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.” Gl 6:9

Você tem feito a coisa certa, mas não tem visto os resultados certos. Parece que tudo aquilo que fazemos não faz nenhuma diferença. Mas o Senhor nos diz:não se canse! Você vai colher!”

Eu quero encorajá-lo hoje: o seu tempo de colheita está chegando.
Não deixe o desânimo levá-lo a desistir. Não permita que pensamentos negativos o removam da sua posição.

 Há alguns que dizem:

“Já cansei de esperar por esse milagre! Estou desanimado demais para buscar essa bênção depois de todo esse tempo!”. Se você permitir que esses pensamentos encham a sua mente, você se tornará ainda mais desanimado, cansado e desencorajado.

O desânimo não vem automaticamente, ele entra quando abrimos a nossa mente para ele.

Isso é o que Davi estava enfrentando em I Samuel 30.

O grande teste em Ziclague
Ele estava fazendo a coisa certa, mas o resultado ruim veio sobre ele de repente.

O profeta Samuel o tinha ungido para ser rei quando ele tinha em torno de dezessete anos. Cerca de treze anos tinham se passado e Davi ainda estava perambulando no deserto sem destino certo. Um dia Davi e seiscentos homens que o seguiam voltaram de uma batalha e encontraram a sua cidade destruída, todos os seus bens tinham sido queimados ou roubados e suas esposas e filhos levados pelo inimigo.

Esse certamente foi o momento mais triste da vida de Davi.

1 Samuel 30:1-8
“Sucedeu, pois, que, chegando Davi e os seus homens, ao terceiro dia, a Ziclague, já os amalequitas tinham dado com ímpeto contra o Sul e Ziclague e a esta, ferido e queimado; tinham levado cativas as mulheres que lá se achavam, porém a ninguém mataram, nem pequenos nem grandes; tão-somente os levaram consigo e foram seu caminho. Davi e os seus homens vieram à cidade, e ei-la queimada, e suas mulheres, seus filhos e suas filhas eram levados cativos. Então, Davi e o povo que se achava com ele ergueram a voz e choraram, até não terem mais forças para chorar. Também as duas mulheres de Davi foram levadas cativas: Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a viúva de Nabal, o carmelita. Davi muito se angustiou, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam em amargura, cada um por causa de seus filhos e de suas filhas; porém Davi se reanimou no SENHOR, seu Deus. Disse Davi a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque: Traze-me aqui a estola sacerdotal. E Abiatar a trouxe a Davi. Então, consultou Davi ao SENHOR, dizendo: Perseguirei eu o bando? Alcançá-lo-ei? Respondeu-lhe o SENHOR: Persegue-o, porque, de fato, o alcançarás e tudo libertarás. I Sm. 30:1-8

Davi neste texto ainda não era Rei
Davi ainda não era rei e, embora Deus tivesse prometido a ele através do profeta Samuel que algum dia ele seria o rei, as circunstâncias estavam fazendo parecer que essa promessa poderia nunca acontecer.

A inveja de Saul sobre Davi
O profeta Samuel havia morrido e Saul ainda era o rei. Controlado pelo medo e pela inveja Saul perseguiu Davi por anos seguidos.

Os capítulos anteriores mostram Davi fugindo e escondendo-se junto com 600 homens que se juntaram a ele.

Davi organizou este grupo de desajustados em uma força de batalha chamada “valentes de Davi”.

A decadência do chamado de Davi

O estresse e a pressão de tudo isso levaram Davi ao fundo do poço. Em desespero, ele deixou Israel e foi procurar abrigo entre os filisteus – inacreditável. Foi quando a crise bateu!

Davi decidiu voltar para Ziclague, onde ele havia deixado sua família e as famílias de seus homens. Quando chegaram encontraram a cidade destruída e suas esposas e filhos levados pelo inimigo.

O que produz o Cansaço e o desânimo

Nos versos 4 a 6 vemos o tipo de atitude que produz desânimo e desencorajamento. Podemos ver três atitudes:

a. Reação de desespero

“Então, Davi e o povo que se achava com ele ergueram a voz e choraram, até não terem mais forças para chorar.” 1Sm 30:4

Esta é provavelmente a resposta mais comum na crise. Davi e seus homens choraram até não ter mais forças para chorar.

É absolutamente normal chorar, ainda mais em situações assim, mas não podemos nos deixar sobrecarregar pelo desespero. Isso drena toda a nossa energia.
Se alimentamos o desespero ele pode se tornar em autopiedade, então o desencorajamento tomará conta do nosso coração.

b. Procurar alguém para culpar

“Davi muito se angustiou, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam em amargura, cada um por causa de seus filhos e de suas filhas; porém Davi se reanimou no SENHOR, seu Deus.” 1 Sm 30:6

É tudo culpa do Davi. Ele é o líder. Ele deveria ter planejado melhor suas ações.

Depois que o homem caiu a primeira coisa que ele fez foi procurar um culpado.

Adão disse: “a mulher que me deste, ela me deu do fruto...”

Se Deus deu a mulher, logo ele é o culpado.

Quando entramos nesse jogo no final culpamos o próprio Deus.

c. Encher-se de raiva e amargura - 30:6

“Davi muito se angustiou, pois o povo falava de apedrejá-lo, porque todos estavam em amargura, cada um por causa de seus filhos e de suas filhas; porém Davi se reanimou no SENHOR, seu Deus.” 1Sm 30:6

Toda amargura no final é contra Deus

Pensamos que não merecemos sofrer porque somos bons, logo Deus é injusto em permitir o nosso sofrimento.

Mais que todos, Davi poderia se encher de amargura contra Deus, mas ele não agiu assim.

3 Atitudes para vencer o cansaço e o desânimo
1. Davi não permitiu a amargura entrar em sua vida
Por muitos anos seus irmãos olharam para ele com desprezo. Ele poderia ter se enchido de tristeza e rancor, mas em vez disso ele foi cuidar do rebanho do seu pai. Ele cultivava uma atitude de fé e louvor em vez de amargura e ressentimento.

A relação entre Saul e Davi
Muitas vezes ele tocou sua harpa para que Saul se sentisse aliviado da opressão maligna, mas como pagamento Saul tentou matá-lo com sua lança várias vezes.
Ele poderia ter se sentido frustrado. Ele estava fazendo o bem, mas recebeu o mal como resposta. Ele poderia ficar facilmente desencorajado e desanimado, mas ele continuou apenas louvando o Senhor.
Quando ficamos todo o tempo pensando em quão injusta é uma situação nós perdemos a nossa força e logo nos tornamos desanimados.
O desânimo virá, apenas tome conta para que ele não tome conta de seu coração.
Eu não estou dizendo que você nunca deve ficar desanimado. O desânimo virá muitas vezes em sua vida. Apenas não permita que ele tome conta do seu coração. Não deixe que a fadiga da batalha o afaste da vitória. Não pare de sonhar! Você está mais perto da bênção do que você imagina.

Davi estava deprimido e desencorajado. Eu penso que ele estava tentado a dizer para o Senhor: “Aqui é o fim da linha! Estou cansado! Eu tenho feito a coisa certa por anos e nada acontece.”

Ele poderia ter desistido e esse seria o fim da história. Ele nunca teria chegado ao trono.

2. Davi se levantou e se reanimou no Senhor
“porém Davi se reanimou no SENHOR, seu Deus.” 1Sm 30:6

Mas em vez de desistir a Escritura diz que ele se reanimou no Senhor seu Deus. Ele se levantou em fé enquanto os outros reclamavam e se enchiam de amargura, ele se encheu da força do Senhor.

A importância da Confissão de fé
Abra a sua boca hoje e confesse que maior é aquele que está em você do que aquele que está no mundo. Declare que você é forte no Senhor. Você é ungido e foi capacitado de forma sobrenatural para pelejar a batalha da fé. Quando você fala da maneira correta consigo mesmo a coragem se levanta, a visão é alargada e o ânimo é recobrado.

3. Davi vestiu-se com as vestes de justiça!
“Disse Davi a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque: Traze-me aqui a estola sacerdotal. E Abiatar a trouxe a Davi.” 1Sml 30:7

A terceira coisa que Davi fez foi pedir que trouxessem a ele a estola sacerdotal.

Essa era uma peça de roupa do sacerdote. Era uma túnica feita de linho.

O linho é um símbolo da justiça de Cristo. Hoje nós somos os sacerdotes reais e estamos vestidos com as vestes de justiça. Quando rejeitamos toda justiça própria e nos vestimos com a justiça de Cristo pela fé, nós então podemos vencer toda oposição do diabo. Quando abrimos a nossa boca e confessamos que nós somos justiça de Deus em Cristo, somos habilitados para ouvir a direção do Espírito que nos conduz à vitória.

A sua vitória está à porta!

Como Davi você pode estar lutando há muito tempo. E a tribulação o levou ao cansaço e a um profundo desencorajamento. Mas você deve se lembrar que o propósito de Deus não mudou e a sua promessa vai se cumprir em sua vida como se cumpriu na vida de Davi.

Davi não apenas recobrou o ânimo como perseguiu o inimigo e trouxe de volta tudo que ele tinha roubado. Além das famílias ele trouxe ainda muito despojo de guerra. O mais impressionante é que três dias depois, o rei Saul morreu em batalha e alguns dias depois Davi foi levantado como rei de Israel. Isso foi aproximadamente treze anos depois que foi ungido por Samuel.

Quando Davi enfrentou sua maior luta ele estava o mais próximo de ver o cumprimento da promessa. Quando tudo parecer se levantar contra você saiba que a sua promessa está às portas. Permaneça firme! Esse é o sinal de que a sua vitória está próxima.

Quando enfrentamos uma luta por muitos anos é fácil ficar desanimado e cansado da vida. Não se canse de fazer o bem, a coisa certa. O tempo da sua colheita está chegando, não desfaleça!

Durante aqueles treze anos, Davi teve de lutar contra a fadiga, o cansaço e o desencorajamento. Essas coisas vão pressiona-lo também muitas vezes. No dia da luta, da frustração e da perplexidade Davi chorou até não ter mais forças, mas ele se levantou e se reanimou no Senhor.

 Faça isso agora mesmo! Não desista! A vitória está mais próxima do que você imagina.

Série de Mensagens Metanoia - Parte 10 - Cobiça, a psicologia da queda. Ex 20:17. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 14/10/18


Um dos aspectos que requer maior disciplina para o crente é o controle do pensamento. A forma como se controla a mente irá inevitavelmente determinar a direção da vida e delinear o caráter. Pensamentos positivos que estejam de acordo com as escrituras (Fl 4:8) produzirão resultados positivos.
Uma mente impura, levará de forma inevitável a um comportamento desregrado, por essa razão a Bíblia diz: porque como imagina em sua alma, assim ele é provérbios 23 sete.
“Porque, como imagina em sua alma, assim ele é...” Pv 23:7
Como Alfred P. Gibbs costumava dizer: “Você não é o que pensa que é, mas o que pensa”. O conteúdo da mente do homem é o indicador do seu caráter. O homem mais sábio disse:
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.” Pv 4:23
A palavra coração neste versículo representa o homem interior, e faz sentido substituir a palavra coração pela palavra mente: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda a tua mente com toda a vigilância porque dela provém as fontes da vida”. A mente é a fonte da qual brota a maior parte do nosso comportamento. Se controlarmos a mente, controlaremos o manancial que dela brota.
O décimo mandamento
Não é sem finalidade que um dos dez mandamentos se refira ao nosso pensamento.
“Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.” Ex 20:17
A cobiça é uma atividade da mente. É o desejo de ter alguma coisa que está fora da vontade de Deus. Deus disse: não cobiçarás. Foi este mandamento que deu convicção ao coração de Paulo de Tarso. Tinha orgulho de ter sempre vivido uma vida exteriormente respeitável. Nunca tinha cometido nenhum dos pecados mais terríveis. Mas, quando o significado do décimo mandamento se tornou claro na sua mente, percebeu que os pensamentos malignos são tão pecaminosos como tantos atos imorais. Ao analisar os pensamentos ficou profundamente convicto do seu pecado.
“7 ... Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás. 8 Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque, sem lei, está morto o pecado. 9 Outrora, sem a lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri. 10 E o mandamento que me fora para vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para morte. 11 Porque o pecado, prevalecendo-se do mandamento, pelo mesmo mandamento, me enganou e me matou.” Rm 7:7b-11
Como funciona
Agora é importante dizer como nasce o pecado. Tiago faz-nos olhar incisivamente para a psicologia do pecado ao dizer:
“13 Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta. 14 Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. 15 Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.” Tg 1:13-15
Como homem pensa
Aqui o pecado é comparado ao ciclo da vida humana. Primeiro temos a concepção. Depois o bebê nasce. Então cresce até a maturidade. Depois morre. O pecado é semelhante: primeiro é concebido na mente humana. Então comece o ato. Depois o ato torna-se habitual e, finalmente, leva a morte. Fica implícito, senão mesmo afirmado, que se pensarmos tempo suficiente no certo pecado, mais cedo ou mais tarde acabamos por cometê-lo. Tal como diz o velho provérbio: “Semeie um pensamento e colha uma ação. Semeia uma ação e colha um hábito. Semeie um hábito e colha um caráter. Semeie um caráter e colha um destino.”
O Senhor Jesus, no seu ministério, realçou profundamente a importância dos pensamentos. Um dia, chamou um grupo de judeus para esclarecer este assunto. Eles eram minuciosos em relação ao exterior de uma pessoa, mas indiferentes quanto ao seu interior. Debaixo da lei de Moisés, sempre lhes tinha sito ensinado que seriam contaminados se comessem carne de porco, coelho, marisco, etc. E a verdade é que tais alimentos tornavam o homem cerimonialmente impuro durante a dispensação da lei. Agora Jesus declarava o fim dessa dispensação anunciando que a comida já não contaminava, mas os pensamentos malignos ainda podiam contaminar.
“14 Convocando ele, de novo, a multidão, disse-lhes: Ouvi-me, todos, e entendei (Suniemi – Colocar na mente). 15 Nada há fora do homem que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai do homem é o que o contamina. 16 Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça. 17 Quando entrou em casa, deixando a multidão, os seus discípulos o interrogaram acerca da parábola. 18 Então, lhes disse: Assim vós também não entendeis? Não compreendeis que tudo o que de fora entra no homem não o pode contaminar, 19 porque não lhe entra no coração, mas no ventre, e sai para lugar escuso? E, assim, considerou ele puros todos os alimentos. 20 E dizia: O que sai do homem, isso é o que o contamina. 21 Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, 22 a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. 23 Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem.” Mc 7:14-23
Nós sabemos que os pensamentos pecaminosos nos permeiam a mente enquanto estamos conscientes. Precisamos interromper os desejos tentadores que vem a mente espontaneamente. Qualquer pensamento ou desejo maligno, quer seja provocado ou não, é corrupto e necessita ser julgado e purificado pelo sangue de Cristo. É impossível viver neste mundo sem ser constantemente corrompido por publicidade sugestiva, conversa sujeiras e outras formas indesejadas de poluição mental. Mas o remédio é reconhecer imediatamente o pensamento como sendo impuro e rejeita-lo instantaneamente, expulsando-o.
Nem sequer pensei nisso
Jesus realçou a gravidade dos pensamentos malignos no sermão do Monte, dizendo:
“21 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que sem motivo se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. 27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. 28 Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela.” Mt 5:21-22;27-28
A Lei dizia “não matarás”, mas Jesus disse: “não pensa em matar”. Porque? Porque se não pensarmos nisso, nunca o faremos. A Lei dizia: “não adulterarás”, mas Jesus disse: “Não olhem para uma mulher com concupiscência no coração”. Porque ele disse isso? Porque primeiramente o ato é premeditado. Se afastarmos a concupiscência das nossas mentes, nunca teremos de nos arrepender do ato em si. O apóstolo João repetiu os mesmos princípios na sua primeira epístola:
Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino; ora, vós sabeis que todo assassino não tem a vida eterna permanente em si.” 1Jo 3:15

Parece um pouco extremo dizer que o ódio é crime, mas devemos lembrar que os dois estão interligados como o desejo e a concretização, a causa e o efeito. O ódio é crime em estado embrionário. Se não houver maldade ou ira descontrolada, não haverá crime. A mente humana é indescritivelmente misteriosa e maravilhosa. É como o quartel-general de um exército do qual são transmitidas todas as ordens. A mente diz a mão para apanhar a caneta e escrever. Determina o que tem de ser escrito. É um vasto sistema de comunicação enviando uma constante corrente de pensamentos. Como é que tudo isso acontece?
O que é um pensamento?
Sabe-se que um computador destinado a duplicar as funções do cérebro humano teria de ser tão grande como o Empire State building, e mesmo assim, não conseguiria ser uma cópia exata da mente. Normalmente não damos grande valor ou importância a nossa mente, no entanto, a Bíblia afirma que ela é uma faculdade que Deus nos confiou e pela qual somos responsáveis perante ele. Cada um de nós é como um rei, governando sobre um vasto e complicado reino, o reino da mente, e somos responsáveis pelo que pensamos e como pensamos. Os objetivos podem ser bons ou maus, merecedores ou indignos. Nós controlamos os nossos pensamentos.
O lado bom da mente
Pensemos no potencial da mente para o bem. Por exemplo, muitos cientistas estudam por muito tempo e descobrem a cura para várias doenças. Pacificadores são ganhadores do prêmio Nobel da Paz depois de gastarem muito tempo pensando para encontrar uma saída pacificadora para a guerra. Inventores como Thomas Edison, facilitam muito a vida de milhões de pessoas depois de seus inventos. Artistas nos embriagam com pinturas ou esculturas que criaram a partir de seus pensamentos. O que dizer dos tantos homens e mulheres de Deus que pensando, escreveram livros tremendos, compuseram lindos hinos que certamente serão eternizados.
No entanto podemos também debruçarmos sobre a capacidade da mente para fazer o mal. Pensemos nos tiranos sem coração pensando e criando as câmaras de tortura, campos de concentração, câmaras de gás e fornos crematórios. Lembremos da brutalidade que destruiu milhões de vítimas inocentes. Pensemos nos homens que devotaram seus talentos para destruir a fé dos outros como Voltaire, Tom Paine e Robert Ingersoll.
Dotados por Deus comentes astutas, prostituíram-nas, propagando o agnosticismo e a infidelidade. Pensemos nos homens de hoje que organizam, imprimem e publicam pornografia. Que maneira horrível de usar a mente! Charlatães da imundice, poluidores do ambiente moral, promotores da impureza e da impureza e perversão.
Em geral, pensemos no vasto potencial de qualquer mente para os pensamentos malignos. Nenhum de nós gostaria de aparecer por uma hora com imagens que revelassem publicamente nosso pior pensamento da semana. Todos sabemos que a mente nos pode levar até as profundezas do pecado onde nenhum olhar humano pode nos seguir. No campo da mente, podemos conjurar todos os tipos de situações menos dignas, participar em relacionamentos proibidos.
Se um dos nossos amigos fosse apanhado nalguma destas situações, não hesitaríamos em condena-lo, repletos de justa indignação. Mas quando estamos sozinhos, talvez no escuro, podemos entregar-nos à mesma lascívia e comportamento imoral sem sentir o mínimo sentimento de repulsa. Sem barreiras de tempo e espaço a controla-la, a mente pode transportar-nos instantaneamente a qualquer lugar, levar luz até uma pessoa ou pessoas com quem queremos estar, e fazer tudo o que o nosso coração desejar.
É assustador pensar nas possibilidades malignas do pensamento do crente. Se essas possibilidades forem frequentemente alimentadas, o resultado pode ser desastroso. Em 1988 um tele evangelista, que pregava a centenas de milhares em todo mundo, foi acusado de escândalo sexual. Ele confessou que desde que era pequeno, era fascinado pela pornografia.
Hoje em dia há muitas pessoas se lamentando sob o peso de um certo pecado, que as acorrenta. Dizem que querem a libertação, mas não se dispõem a disciplinar o pensamento.
Ter pensamentos malignos é como ensopar trapos em Petróleo e, quando a faísca da tentação sobrevém ficam em chamas. Podemos impedir-nos de pensar malignamente e devemos aprender a arte de controlar o pensamento, se ainda não o fazemos. Não há desculpa para esta tendência secreta da mente para as coisas da carne. Através do Espírito, todo pensamento pode ser controlado e submetido a obediência de Cristo. Todo pensamento deve ser modificado pelo espírito.
Ação radical
Bem, a base da questão é a seguinte: a árvore deve ser cortada pela raiz. Deve haver vontade de lidar decisivamente com pensamento. Para os descrentes significa que, antes de tudo, tem de se converter. Através da fé em Jesus Cristo devem nascer de novo. Somente ao receberem o poder do Espírito Santo poderão agir resolutamente contra os pensamentos impuros.
Para os crentes, indicasse vários passos: Primeiro, colocar o assunto diante do Senhor em oração. As palavras de Davi formam uma petição aplicável a cada um de nós:
Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.” Is 51:10
Estas palavras fazem parte da confissão de Davi depois de seu duplo pecado de adultério e homicídio. Parece que elas contêm uma admissão explícita de que o seus pecados começaram com pensamentos descontrolados.
Em segundo lugar, devemos julgar todos os pensamentos que entraram na nossa mente como se estivéssemos na presença de Cristo. O verdadeiro teste, quer para pensamentos quer para ações, acontece quando eles são levados a sua presença. Este fato é sugerido na segunda carta aos Coríntios 10:4-5.
“4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas 5 e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo...”. 2Co 10:4
Devemos submeter a Cristo cada pensamento, e confiar no seu veredito, como escravos que somos dele. Depois, devemos confessar como pecado e impureza cada um dos pensamentos que não recebam a sua aprovação. Quer desçamos a rua, quer andemos no automóvel, onde quer que estejamos, devemos confessar aquele pensamento maligno dizendo: Senhor isto é pecado. A minha mente ficou impura. Perdoa-me por favor. Invoco o poder do sangue do Cordeiro. Depois, é claro que devemos expulsar o pensamento das nossas mentes. A promessa de misericórdia não é para os que apenas confessa os pecados, mas para os que os confessam e abandonam.
“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” Pv 28:13
Na prática teremos que aprender a dizer não 10.000 vezes por dia. Sempre que formos tentados a pensar de maneira negativa, devemos dizer: “Não! Não dou abrigo a esse pensamento. Rejeito este pensamento expulso no nome do senhor Jesus”. Na prática teremos
Temos de aprender a pensar como a Bíblia aconselha (Fl 4:8). O fato é que não se pode pensar sobre as das coisas e ao mesmo tempo pensar no pecado. Se tivermos a mente ocupada com Cristo e a sua pureza, o pensamento e a corrupção não terão lugar. Quanto mais nos ocuparmos com Cristo, mais semelhantes a ele nos tornaremos.
“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” 2Co 3:18

O bom-senso diz-nos que se quisermos uma vitória sobre nosso pensamento, devemos disciplinar o que lemos, o que vemos e com quem confraternizamos. Os livros e os romances sugestivos, os filmes de Hollywood, os programas de televisão em geral, oferecem poluição ambiental instantânea. Há também certos objetos que despertam a licenciosidade na vida de cada um. Uma boa fogueira pode nestes casos ser muito útil. Por fim, é bom que nos ocupemos com o serviço do Senhor. A ocasião de maior perigo são as de ociosidade, quando o corpo está alimentando e descansado. Há uma grande proteção e segurança numa vida de serviço incansável na obra de Deus. O homem que aprendeu a redimir o seu tempo ocioso, luta muito menos com pensamentos desordenados que tentam invadir a sua mente. Talvez isso seja sugerido em Provérbios 16:3:
“Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos.” Pv 16:3

Confiar ao Senhor as obras das nossas mãos é consagrar-nos a Ele. É este, pois, o caminho para manter a mente santa com diligência.

Série de Mensagens O Valor da Igreja - A igreja precisa do seu investimento. 2Co 9:6-15. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 11/11/18

Eu quero falar sobre dinheiro hoje e fico bastante a vontade para tratar sobre isso. Em primeiro lugar eu fico a vontade pra tratar so...