Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20110329

Três Pessoas Necessárias para o nosso Crescimento. 1 Coríntios 3:1-9 - Discipulador Vinicius Cano - Culto de Celebração - 27/03/2011

“Eu, porem, irmãos, não vos pude falar como a crianças em Cristo.

Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.

Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem?

Quando, pois, alguém diz: Eu sou de Paulo, e outro: Eu, de Apolo, não é evidente que andais segundo os homens?

Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um.

Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus.

De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.

Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho.

Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós.”

(1 Coríntios 3:1-9)

Introdução

A vida cristã é exatamente como a vida natural, nós nascemos, nós crescemos, nós amadurecemos e por fim nos morremos fisicamente. Precisamos seguir este curso da vida para que sejamos pessoas espiritualmente saudáveis.

Muitos crentes nascem de novo mas, Deus encontra dificuldades de fazê-los crescer, de fazê-los avançar por não darem espaço pro Senhor operar em suas vidas.

Deus estabeleceu alguns princípios para o crescimento espiritual, e um deles é o principio dos relacionamentos.

Existem níveis de relacionamentos que são chave pro nosso crescimento espiritual.

Gostaria de mostrar esses relacionamentos na vida do Apostolo Paulo. Não vejo no novo testamento pessoa melhor pra usar como exemplo.

Gostaria de mostrar três níveis de relacionamento na vida de Paulo.


1- O pai espiritual (Barnabé).

“Tendo chegado a Jerusalém, procurou juntar-se com os discípulos; todos, porem, o temiam, não acreditando que fosse discípulo.

Mas Barnabé, tomando-o consigo, levou-o aos apóstolos; e contou-lhes como ele vira o Senhor no caminho, e que este lhe falara, e como em Damasco pregara ousadamente em nome de Jesus.”

(Atos 9:26-27)

· Barnabé foi o instrumento de Deus para o sucesso na vida de Paulo.

· Foi Barnabé quem discipulou à Paulo nos seus primeiros passos cristãos, foi Barnabé quem jejuou e orou pela vida de Paulo.

· Barnabé pagou um alto preço pela vida de Paulo.

· Características cristãs são passadas através de uma linhagem.

· Só se entra por uma linhagem quem tem pai espiritual.

· Quem é seu pai espiritual? Você o tem?

· A vida cristã é o único local que você pode nascer e ser um bastardo.

“porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe.

É para disciplina que perseverais (Deus vos trata como filhos); pois que filho há que o pai não corrige?

Mas, se estais sem correção, de que todos se têm tornado participantes, logo, sois bastardos e não filhos.”

(Hebreus 12:6-8)

· Com quem isso pode acontecer.

2- O amigo (Lucas).

“Porque Demas, tendo amado o presente século, me abandonou e se foi para Tessalônica; Crescente foi para a Galácia, Tito, para a Dalmácia.

Somente Lucas está comigo.”

(2 Timóteo 4 10-11a)

· Paulo também tinha uma grande pessoa que iria fazer a diferença em sua vida, Lucas.

· Lucas foi para Paulo o seu companheiro, alguém que Paulo confiava.

· Em outras palavras o seu melhor amigo.

· Haverá momentos em nossas vidas que somente os amigos (Lucas) estarão próximos, mas precisamos diferenciar os verdadeiros amigos dos colegas.

· O amigo fala a verdade, o colega apenas agrada.

· O amigo guarda segredo para nos preservar, o colega nos expõe.

3- O discípulo (Timóteo).

“Chegou também a Derbe e a Listra. Havia ali um discípulo chamado Timóteo, filho de uma judia crente, mas de pai grego;

dele davam bom testemunho os irmãos em Listra e Icônio.

Quis Paulo que ele fosse em sua companhia e, por isso, circuncidou-o por causa dos judeus daqueles lugares; pois todos sabiam que seu pai era grego.”

(Atos 16:1-3)

· Paulo entendeu a benção de se estar sob uma linhagem. Paulo tinha um referencial que era Barnabé que o ensinou a fazer discípulos, por este motivo, Paulo discipulou a Timóteo.

· Deus nos chamou para multiplicarmos e sermos fecundos (Gn. 35. 11).

· Mas não só com filhos naturais, mas com os filhos espirituais também.

· Precisamos entender que fomos gerados para gerarmos à outros.

· Por que precisamos de discípulos?

· O discípulo é o resultado da sua maturidade espiritual.

CONCLUSÃO

Todos nós sabemos que temos um propósito de Deus em nossas vidas e precisamos de pessoas para que ele seja cumprido.

E que o propósito de Deus só será cumprido nas nossas vidas quando formos pessoas maduras.


20110323

Aprendendo a lidar com as perdas da vida. Fl 4:12-13 - Culto de Celebração - 20/03/11

“Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. 13 Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.” Fl 4:12-13

Viver é um difícil aprendizado, na vida precisamos aprender a trabalhar com ganhos e perdas. Ganhar é sempre visto como uma virtude, mas devemos entender que perder também faz parte da vida. Enquanto temos vida, ganhamos experiência, maturidade, amigos, o gosto pelas coisas, por aquilo que é belo, aprendemos a gostar das coisas. Ganhamos percepção, sensibilidade. Durante este processo ganhamos amizades, adquirimos também muitos bens. A verdade é que nossas expectativas e vida gira em torno de ganharmos ou conquistarmos coisas. Agora na medida em que vamos vivendo também vamos descobrindo que de certa forma viver também é perder.

Começa quando a gente nasce, veja a pequenina Letícia, assim que nasceu segunda feira passada, perdeu o aconchego do útero de sua mamãe, mas adiante ela vai perder o peito da mãe, depois perderá o colinho da mamãe e do papai. Na medida em que vamos crescendo entramos na fase da infância e em pouco tempo perdemos essa fase tão gostosa de se viver.

Na adolescência a gente perde a inocência, ganhamos percepção do que é errado, a partir daí optamos muitas vezes em fazer o que é errado e perdemos a oportunidade de acertar. O tempo passa e a gente perde a juventude, a dependência e a proteção dos pais, perdemos amigos, familiares, por fim perdemos a nossa própria vida biológica. Quem sabe e aprendeu ganhar, mas não aprendeu a lidar com as perdas da vida, certamente vai enfrentar muitas dificuldades e vai viver uma vida de angústia.

Algumas pessoas não aprenderam a lidar com a realidade das perdas e por isso vivem uma vida frustrada.

Eu gostaria de fazer três considerações a respeito dessas pessoas:

1º Não transpõe as fases da vida

Exemplo: Pessoas que estão com 50 anos e ainda querem viver como adolescentes. Outras pessoas estão presas a experiências do passado. Muitos pais estão frustrados porque criaram seus filhos e agora eles casaram, mas os pais não se deram conta de que perderam seus filhos. Alguns maridos ainda estão vivendo como se fossem solteiros, não aceitam perder a solteirice. Conheço uma pessoa que foi um artista famoso, mas sua fama passou e hoje ele vive frustrado.

2º Não conseguem se dar bem nos relacionamentos.

Eu vejo muito isso dentro de nossa própria igreja. Você já viu como é difícil perder alguém de sua célula? De repente determinada pessoa decidiu que não quer mais andar com você, e sua reação de pronto é não aceitar. No namoro, noivado ou relacionamento conjugal sempre há aquele medo doentio de perder o cônjuge, daí as grandes crises de ciúmes. Precisamos entender que algumas pessoas vem e vão nas nossas vidas e não poderemos fazer nada para segurá-las junto de nós. Algumas pessoas dizem: O que será de mim se fulano morrer??? Se eu perder Beltrano??? Só para alertar as esposas, as estatísticas dizem que 75% das esposas enterram seus maridos. Inevitavelmente perderemos amigos, irmãos da igreja, pessoas que gostamos e amamos nos deixarão. Não gostamos de perder pessoas principalmente quando investimos tempo, dinheiro. Quantas pessoas já passaram por esse ministério e depois se vão sem dizer nada.

3º Vivem uma espiritualidade egoísta. Se vem ao culto e não “ganha”um milagre, sente-se no prejuízo. Se vai ao culto e o cego não enxerga ela diz: “O culto não foi bom, eu não recebi nada.”

Essas pessoas não contam com perdas por isso quando perdem alguma coisa, se sentem lesadas e logo se entristecem. Eu fico preocupado com pessoas que nunca estão disponíveis ou prontas para enfrentar a dor da perda. Existem pessoas que não conseguem obter maturidade espiritual, emocional e mental porque não souberam lidar com perdas.

Eu quero afirmar a você que haverá momentos em que o próprio Deus dirá a você: Perdeu!!!

O ato de aceitar Jesus como seu Salvador te fez ganhar salvação, uma nova vida, mas também te fez perder muitas coisas. Tornar-se cristão, te fez perder amizades, libertinagem, prazeres que o pecado pode proporcionar,

Muitos crentes estão desviados porque vieram para a igreja debaixo da falsa promessa que depois de virem à igreja só conquistariam. Foram privados da palavra que Jesus disse: Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.” Mt 16:25

Quem vive só querendo ganhar e não sabe lidar com as perdas, sempre viverá frustrado.

Decidi compartilhar esta palavra porque existem muitas pessoas que precisam aprender a lidar com as perdas. Essa palavra é para você que perdeu alguma coisa ou alguém. Perdeu sua dignidade, sua posição, emprego, bens. Em casos mais graves, perdeu um amigo, marido, esposa, filhos; é justamente para você que essa mensagem foi colocada no meu coração.

Para você que talvez esteja nesta condição, eu quero te dizer que Deus é maior que suas perdas!

É justamente pra você que perdeu ou que certamente vai viver este tipo de experiência aparentemente negativa que eu quero compartilhar três verdades sobre as perdas da vida.

Lições preciosas sobre as perdas:

1º Não se sinta culpado por ter perdido algo ou alguém. Sinta-se livre para expressar suas dores e fraquezas através de seu choro. Gn 23:2

“E morreu Sara em Quiriate-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã; e veio Abraão lamentar Sara e chorar por ela.” Gn 23:2

O texto de Gênesis fala de uma história de perda, mas também fala de uma preciosa lição.

Este texto diz que Abraão perdeu Sara sua esposa e chorou (v.2). Como vivia nômade, não tinha residência fixa e foi pra uma terra estrangeira. Com a perda de sua esposa, Abraão pediu aos dos hititas para enterrar sua esposa ali. Foi recebido como príncipe por aqueles homens que deram a ele a terra para enterrar sua esposa. Disseram: “Abraão você é príncipe de Deus, portanto escolha um lugar para enterrar sua mulher”. Mas Abraão decidiu ter uma postura de honra e decidiu comprar a caverna de Macpela para enterrar a sua esposa. Após negociar com Efron, Abraão compra aquela terra por 400 ciclos de prata onde por fim sepulta sua esposa.

Podemos expressar a nossa dor em meio às perdas, chorar como Abraão chorou, isso não é errado. Abraão parou e chorou a perda de sua esposa. A dor da nossa perda tem de ser trabalhada em nosso coração e está comprovado que quando choramos, nossas dores são diminuídas. Nunca ignore sentimentos reais. Alguns dizem: “Crente não deve chorar porque com Jesus a gente nunca perde!” será?

Para Jesus, uma das bem-aventuranças do cristão é sua capacidade de chorar: “Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados.” (Mateus 5:4)

A dor é um sentimento genuíno e nós não podemos ignorar isso. Grandes explosões de íra acontecem geralmente em pessoas que não são se deixam quebrantar.

2Re 20:1-6 conta a história de Ezequias que passava por um processo de enfermidade. O profeta Isaias vai até ele e diz: “Põe a tua casa em ordem, porque morrerás e não viverás.” Ezequias ouviu aquelas palavras e chorou, orou e buscou a Deus. No verso 5 deste mesmo capítulo Deus muda decide acrescentar mais 15 anos a Ezequias. Volta, e dize a Ezequias, capitão do meu povo: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que eu te sararei; ao terceiro dia subirás à casa do SENHOR. v. 6 E acrescentarei aos teus dias quinze anos...”

Chorar é um verbo que todo ser humano deve conjugar. É a primeira coisa que fazemos neste mundo; e ao morrer, deixamos chorando os nossos queridos. Do berço à tumba, da maternidade ao cemitério, as lágrimas são a nossa permanente companhia".

Chorar faz bem à saúde porque as lágrimas limpam o corpo dos hormônios do stress. Cada um deve chorar tranqüilamente quando a situação vai mal. Isso funciona até como prevenção contra úlceras no estômago...

“O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” Sl 30:5

“À tarde, pela manhã e ao meio-dia choro angustiado, e ele ouve a minha voz.” Sl 55:17

“Os que semeiam em lágrimas, com cânticos de júbilo segarão. Aquele que sai chorando, levando a semente para semear, voltará com cânticos de júbilo, trazendo consigo os seus molhos" (Salmo 126.1-6).

Chorar é difícil. É desgastante, é cansativo. Muitos não choram por questão de cultura, outros por vergonha, outros ainda porque não querem demonstrar suas fraquezas. Com a repressão do choro em diferentes momentos adversos o indivíduo podem manifestar em longo prazo o desenvolvimento da temida depressão ou até doenças psicológicas, tendo gastrite, úlcera e pressão alta. As crianças que são educadas para a repressão do choro possuem grande probabilidade do surgimento de problemas relacionada à inibição emocional, assim será preciso redobrar a atenção com o mesmo, pois as crianças geralmente utilizam o choro como ferramenta para chantagear para conseguir algo que desejam. Quando há sinceridade o choro atrai pessoas. Uma pessoa chorando em público atrai outras pessoas a ela, mesmo sendo ela uma desconhecida.

A bem-aventurança do chorar reside na capacidade extravasar suas emoções, de sentir pelo outro, de ter empatia pelo próximo, de sentir a intensidade de uma lágrima descendo dos olhos, no desespero da uma dor.

Chorar muitas vezes nos faz bem-aventurados porque nos faz abraçar o ferido e o entristecido. E, em assim fazendo, alimentamos nossa capacidade de amar como Cristo nos ama. É quando choramos que somos consolados pelo Espírito. E, em sendo consolados, crescemos em empatia, na nossa capacidade de “chorar com os que choram”. Bem-aventurados os que choram disse Jesus.

Os profetas eram chorões, Pedro chorou seu pecado. Jesus chorou.

Jesus chorou pra mostrar que também era um homem, era como todos nós... também tinha sentimentos e sentia dor... Hebreus 5:7 diz que Jesus orou com clamor e lágrimas. Jesus chorou no Getsêmani. Em João 11:35 Jesus chorou de pesar ao ver seu melhor amigo, Lázaro, morto e de ver suas irmãs também chorando.

Lucas 19:41 diz que Jesus chorou de tristeza, pois Jerusalém o rejeitou e iria enfrentar a destruição vindoura.
Jesus chorou por tristeza, por pesar e por compaixão... quando Ele se fez carne e se fez homem, passou por tudo que passamos e sofreu tudo que sofremos...

Chorar faz bem, alivia a angústia e libera a tensão.

Por que será que as crianças são tão felizes e das tais pertencem o reino dos céus??? Há alguns dias vi uma criança que logo após ter recebido uma grande bronca de sua mãe e chorado um pouco em seguida saiu saltitante como se nada tivesse acontecido. Eu me lembro do primeiro dia em que eu quando criança não chorei, eu tinha talvez uns 6 anos, e ao me deitar me deparei com essa realidade, então eu disse a mim mesmo: Puxa eu não chorei hoje.

Segundo especialistas cerca de 85% das mulheres e 75% dos homens se sentem melhor após chorar, o ato de chorar não ocorre por acaso, pois em determinadas ocasiões o cérebro humano estimula a produção de algumas substâncias como a prolactina que tem a função de ativar as glândulas lacrimais, essas concentrações aumentam em momentos que o indivíduo esteja estressado, e sofre uma redução novamente desta quantidade ao ocorrer o choro, como a adrenalina. Isto ocorre devido à liberação de substâncias como a leucina-encefalina, serotonina e noradrenalina que são capazes de proporcionar aos seres humanos a sensação de calma e simultaneamente anestesia, assim o indivíduo põe fim a tensão e angústia.

Muitos não choram expressando a sua fraqueza para não se expor. Estes dizem: O que vão dizer de mim???

"Quanto mais assumimos as nossas fragilidades, mais conseguimos nos enxergar de uma forma inteira e mais nos tornamos fortes."

Alguns psicólogos concordam que as pessoas que tem facilidade de expressar suas fraquezas são mais sensatas porque esvaziaram a sua alma da íra e mágoas. Antes de tomar alguma decisão importante chore!

A glândula lacrimal é capaz de produzir aproximadamente 500 mL de lágrimas em um ano. Quando choramos, eliminamos adrenalina, o que produz uma sensação de alívio e tranquilidade. Um exemplo disso é que, após o pranto, adultos e crianças ficam com sono.

Chorar expressando suas fraquezas, segundo os psicólogos:

1º Baixa a ansiedade

Pessoas que não liberam suas emoções com o choro vivem sob constante tensão e ainda têm mais chances de desenvolver asma, ansiedade e úlcera intestinal.

2º Traz calma

Depois de chorar, a gente sente um alívio sempre maior e mais intenso do que o estresse causado por aquela situação desagradável que nos levou às lágrimas. É como se o choro esvaziasse o corpo.

3º Aproxima as pessoas

As lágrimas ajudam a fortalecer relações e construir novos laços. É automático: ao ver uma pessoa chorando, transmitimos a ela apoio e compreensão.

2º Mesmo que a perda pareça uma catástrofe, Deus nunca deixará você desamparado. Jó 1

Jó era um homem bom e honesto, temia a Deus e procurava não fazer nada que fosse errado. Ele era um exemplo de caráter, de valores e de prosperidade em todos os sentidos da vida. Se vivesse em nossos dias, talvez fosse um molde do "bem sucedido homem de Deus". Modelo de vitória e de unção. Mas perdeu...

Perdeu seus bens e empregados

"Nós estávamos arando a terra com os bois, e as jumentas estavam pastando ali perto. De repente, os sabeus nos atacaram e levaram tudo. Eles mataram à espada os empregados..." (Jó 1:14-15)

Perdeu seus pastores e ovelhas

"...veio outro empregado e disse: —Raios caíram do céu e mataram todas as ovelhas e os pastores..." (Jó 1:16)

Perdeu mais animais e empregados

"...chegou um terceiro, que disse: —Três bandos de caldeus nos atacaram e levaram os camelos. Eles mataram à espada os empregados..." (Jó 1:17)
Perdeu seus filhos

"...chegou mais um, que disse a Jó: —Os seus filhos e as suas filhas estavam no meio de um banquete na casa do seu filho mais velho.De repente, veio do deserto um vento muito forte que soprou contra a casa, e ela caiu em cima dos seus filhos. Todos eles morreram..." (Jó 1:18-19)

Por fim perdeu sua saúde

"Aí Satanás saiu da presença do SENHOR e fez com que o corpo de Jó ficasse coberto de feridas horríveis, desde as solas dos pés até o alto da cabeça. Jó sentou-se num monte de cinza e pegou um caco para se coçar." (Jó 2:7-8)

Alguém pode dizer: Jó perdeu tudo. Na verdade, Jó não perdeu tudo! Além do caco que servia para coçar sua feridas, restou-lhe o principal, aquilo que realmente era a [parte abundante] de sua vida. Para os padrões humanos e doutrinários de alguns a abundância está nos bens, na saúde, nas conquistas. Mas a prosperidade de Jó estava em sua fé em Deus, por isso sua prosperidade não o abandonou com suas perdas, pelo contrário:

"Então Jó se levantou e, em sinal de tristeza, rasgou as suas roupas e rapou a cabeça. Depois ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e adorou a Deus. Aí disse assim: — Nasci nu, sem nada, e sem nada vou morrer. O SENHOR deu, o SENHOR tirou; louvado seja o seu nome!" (Jó 1:20-21)

Por maior que seja a sua dor não permita que ela comprometa a sua dignidade.

A melhor maneira de não sucumbirmos diante da dor da perda é acreditar que não temos nada nesta terra. Jesus ensinou que onde estiver o nosso coração, ali estará o nosso tesouro.

Perder faz parte da vida. “Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” Filipenses 4:12 (ACF)
Mantenha seu foco no Senhor, dizendo como Jó: “Porém ele sabe o meu caminho; provando-me ele, sairei como o ouro.” Jó 23:10 “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado.” Jó 42:2

Não focalize sua vida nas perdas “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Romanos 8:28 (ACF)

Faça de Deus o seu maior bem
“A minha alma disse ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; não tenho outro bem além de ti.” Salmo 16:2
Faça de Deus a sua maior esperança. “Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.” – Salmo 39:7

20110315

Para que nos serve o poder de Deus. At 1:8 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 13/03/11

"Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia, e Samaria e até aos confins da terra."

Temos usado muito os termos "poder, glória, fogo" para nos referir ao mover de Deus nestes dias. A questão hoje é saber a finalidade deste mover. Depois de participar de uma conferência tremenda como foi a de Mauá com os irmãos da IBAV, o que você vai fazer depois disso, depois de estar cheio do poder de Deus??? Como aplicar isso de maneira prática no processo de edificar igreja??? A maior parte das pessoas que se enchem da glória e poder de Deus, guardam para si o que receberam, penso que não porque querem, mas porque talvez não saibam como se comportar após serem cheios do Espírito Santo.

2 Considerações:

1. Tudo o que Deus faz para você no fim do processo não é só para você, mas sempre que Deus opera em nós, sua finalidade é operar através de nós, para o alcance de outras pessoas.

2. Sempre que Deus nos enche com sua presença, isso é abundante, derrama, transborda para que outras pessoas sejam alcançadas também. Mt 14:20; 15:37.

O derramamento do Espírito Santo certamente tem um objetivo, um alvo final. Alguns podem dizer que o poder do Espírito Santo é para curar os enfermos; expulsar demônios, outros diriam que o poder do Espírito Santo é para conquistar coisas, derrubar gigantes etc. Tudo isso de fato será uma conseqüência de ser cheio do Espírito Santo, mas não significa que isso é um fim em si mesmo.

Para que nos serve o poder de Deus???

1º Para falar

“Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo e ser-me-eis testemunhas...”

Na interpretação simples e literal do texto, o poder de Deus é para falar ou testemunhar do amor de Cristo. No verso 8 do capítulo 1, a promessa para os que recebessem o Espírito Santo é que estes seriam “testemunhas”. Isso pode ser comprovado logo no ato do derramamento, pois o verso 3 diz: “e viram línguas repartidas como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles”. O texto do livro do profeta Joel mencionado em At 2:17-21 menciona que após o derramamento o primeiro sinal seria o de profetizar. “E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão...” Jl 2:28b

Jesus foi batizado nas águas por João Batista e também foi cheio do Espírito Santo segundo o relato de Lucas 4:1, após essa experiência de ser cheio, foi tentado no deserto e voltando para Nazaré foi à sinagoga para ler as Escrituras. O texto que Jesus compartilhou foi o do profeta Isaias 61:1-3:

1. O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos;

2. A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes;

3. A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado.

Voltando ao livro de Atos, no capítulo 2, o verso 14 nos traz o relato do apóstolo Pedro levantando a sua voz para falar das boas novas do Reino de Deus fazendo cumprir a profecia de Isaias 61:1-2.

Pessoas que nasceram de novo e não sentem arder dentro de seus corações o desejo de falar de Cristo e ganhar os perdidos precisam do enchimento do Espírito Santo.

Você é cheio para falar do amor de Deus!!!

2º Para uma visão mais clara do propósito. Quando Deus derrama seu espírito, ele nos dá uma visão clara de seu propósito.

“e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia, e Samaria e até aos confins da terra."

Isso se confirma na variedade de línguas vistas pelos estrangeiros presentes na festa de pentecostes. At 2:5-12

A igreja nasceu em Jerusalém com o desafio missionário fervendo em seu coração. No dia de Pentecoste, como já vimos a maior manifestação sobrenatural que acompanhou o derramar do Espírito, foi o fato de que os crentes começaram a falar noutros idiomas e os estrangeiros que estavam na cidade para a festa judaica ouviram a Palavra do Senhor em suas línguas maternas. Isto foi um sinal profético! Uma igreja cheia do Espírito será levada a comunicar as grandezas de Deus entre os povos, falando as línguas das nações.

Não podemos correr o risco de nos entusiasmar muito com o poder de Deus, perdendo o enfoque missionário que Deus plantou no nosso chamado original. Sua expectativa é que sejamos testemunhas, falemos de seu amor e plano de salvar a humanidade.

"tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra" (At 1:8). Em outras palavras, o Senhor espera que tenhamos olhos para perto, mas também para longe, pois o fluxo do seu Reino é sempre "ir" e nunca "ficar".

Muito se falou sobre a quantidade de células desta ou daquela igreja, mas confesso que sentia uma ausência da ênfase missionária translocal no nosso meio. Creio que está chegando a hora de, não apenas abrirmos células, mas plantarmos igrejas através das células. Se os ministérios que adotaram a "visão em células" resistirem à tentação de investir apenas na localidade, reservando seus melhores obreiros para "ficar" ao invés de "ser enviados", estou certo de que estaremos inaugurando o maior mover missionário mundial de toda a História.

Estou fazendo uma observação em relação à prática da "visão de células" pela maioria dos ministérios que a receberam. Estão ainda muito voltados para "eu quero crescer aqui". É uma questão de prática e não de teoria, pois no processo o último estágio de seu papel de crente aponta para fora. “Portanto ide e fazei discípulos de todos os povos...” Mt 28:19

O degrau mais alto da escada que galgamos é "enviar". Este é o ápice do ministério, segundo a palavra do próprio Jesus. Esta verdade é ainda mais profunda quando se trata de enviar alguém de uma localidade a outra, de um estado a outro, de uma nação a outra, com o propósito de levantar discípulos e formá-los para a multiplicação.

Nossos obreiros Almir e Rose estão fazendo um reboliço em Poá, o casal Evandro e Fabiana estão em Carapicuíba e estamos prestes a enviar outras para outros municípios.

Como você pode notar, para nós e para Deus o fogo é para termos uma visão clara e de longo alcance. Babel é cegueira e falta de visão: edificar uma grande obra para não sermos espalhados pela superfície da Terra.

3º Para investirmos no projeto de plantação de igrejas.

Comecemos no plano original de Deus de multiplicar sua imagem e semelhança através dos homens espalhando-se por toda a terra. Esse é o nosso maior objetivo e somente a igreja de Jesus pode cumprir isso. Jesus disse que as portas do inferno não prevaleceriam contra a igreja. Mt 16:18

Jesus é o maior investidor que já existiu. Jesus investiu toda a sua vida, e nós como filhos também precisamos investir. A verdade é que fomos chamados para investir, investir em nossos filhos, cônjuge, discípulos, e principalmente na igreja. Devemos ter esse princípio em nosso coração, pois, se Jesus investiu a sua vida em prol de muitos, precisamos também dar a nossa vida para outros que ainda não conhecem a Ele. Como igreja, devemos investir financeiramente nna Igreja de Deus aqui na terra, pois somos seus filhos e queremos dar o melhor que temos para agradar o nosso Pai.


Cinco motivos para investirmos na igreja de Jesus

1- Dever (ML 3:10): Devemos contribuir na igreja de Deus porque o Senhor nos ordenou. A prática do dízimo, instituída no Antigo Testamento na relação de Deus com o povo de Israel, também foi referida por Jesus aos seus discípulos, que deveriam não apenas dar o dízimo, mas ir além, doando medida maior, excedendo em justiça. Alguns acham que o dever de trazer o dízimo é uma prática somente para o Velho Testamento, mas será que o padrão para o Novo Testamento aumentou ou diminuiu? (MT 5:17, 5:21-22, 5:27 e 5:20)

2- Causa (MC 16:15): Devemos investir na igreja de Jesus em razão de nosso compromisso com a causa, com a visão, pois, quem diz que acredita em alguma coisa, mas não coloca a mão no bolso, no fundo não acredita. Apenas os cristãos que patrocinam, são os que acreditam.

3- Semeadura (2Co 9:6 e 10): Princípios da semeadura: “cada semente gera segundo a sua espécie”, “o que colhemos é da mesma espécie do que semeamos”.
3.1 - Para colhermos presença de Deus em nossa vida temos que sacrificar nosso tempo na presença de Deus (SL 105:4).
3.2 - Para colhermos vidas salvas temos que nos sacrificar em jejuns, pois o jejum traz a conotação de morte, pela falta de alimento para sustentar a vida (ET 4:16).
3.3 - Para colhermos abundância de prosperidade e riquezas de Deus temos que sacrificar recursos materiais (ML 3:10-12).

4- Gratidão (SL 106:12): A gratidão é o ato de reconhecimento de uma pessoa por alguém que lhe prestou um benefício, um auxílio, um favor etc. Alguns mais nobres doam por gratidão, pensam: "estou recebendo tanto de Deus que devo retribuir, contribuindo de alguma maneira". Mesmo doar com gratidão não é o caminho mais excelente, pois corremos o risco de doar apenas enquanto temos ou apenas enquanto estou sendo abençoado. A gratidão é uma motivação legítima, mas ainda não é a melhor motivação para a contribuição financeira.

5- Adoração (JÓ 1:13-21): Finalmente, há os que contribuem por adoração. Esse é um gesto que visa tão somente a glória de Deus. Na verdade as pessoas contribuem porque amam a Deus, independente se estão recebendo algo d’Ele ou não, ou da situação que estão vivendo. A adoração é a resposta do coração, cheio de graça. Contribuir é adorar, por isso, que é possível dar sem amar, mas é impossível adorar sem dar.

20110306

As Leis da Crise. Sl 42:5 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 06/03/11

“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu” (Salmo 42:5).

Não resta dúvida de que todo ser humano enfrenta muitas crises pessoais em seu desenvolvimento existencial. A crise faz parte da nossa natureza humana, e diferentemente dos animais, nós temos a consciência das crises que enfrentamos, mesmo que não percebamos sua intensidade. Absolutamente nenhum ser humano está imune as crises. É comum vermos pessoas estourarem, se retraírem, até pensar em coisas horríveis como suicídio ou matar alguém, quando passam por alguma crise. Entretanto para se viver e vencer o crente em Jesus precisa ser testado. E pode ter certeza de que estes testes ou crises, se já não chegaram, irão chegar.

Através desta palavra, teremos um melhor entendimento sobre estes momentos que passamos em nossas vidas, para que possamos pedir a Deus a força necessária para poder atravessar este momento da melhor maneira possível e para que o nome de Deus seja glorificado através das nossas vidas. Amém.

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um eterno peso de glória mui excelente.” 2Co 4:17

Algumas considerações:

1. Você passará por muitas crises ao longo de sua vida.

2. Graças a elas, você crescerá e prosperará.

3. Não adianta fugir, as crises te perseguirão onde quer que você vá! É preciso, no entanto, encará-las de modo espiritual e saudável.

4. É necessário dar as respostas certas para avançar e, além disso, manter a alegria.

Muita gente desanima e desiste em meio às crises. Isso não deve necessariamente ser assim. Se você for maduro em encarar as crises, viverá melhor e mais feliz. As crises são oportunidades de transformar seu aparente caos num estrondoso êxito. Não podemos desistir, vença as suas lutas e cresça, avance, prospere!

O tema dessa palavra é “As leis da crise”, mas antes de continuar, primeiro precisamos definir o que é uma crise. Vamos fazer isso de modo prático e aplicável antes de avançarmos para algumas leis da crise.

O QUE É UMA CRISE?

“É o momento da vida quando todo o seu sistema existencial de valores; trabalho, família e fé entra em pane, em ‘curto circuito’. A crise é um tempo especial de decisão entre progresso e regressão.”

Tipos de crises mais comuns no nosso meio:

Crises existenciais - O que eu estou fazendo aqui.

Crises de identidade - Será que eu fui chamado para ser crente mesmo?

Crises profissionais – Não sei se estou na função certa, se o que estou estudando...

Crises relacionais - Conjugal, pais, irmãos, amigos etc.

Crises ministeriais – Estou decepcionado com meu desempenho, será que fui chamado para ser pastor mesmo?

Crises financeiras, emocionais, psicológicas, etc.

Não queremos maiores transtornos, então em meio às crises buscamos deses­peradamente o fim deste processo. O tal "curto-circuito" em que falamos, acon­tece quando você não tem mais respostas, quando já não sabemos mais o que fazer. Em meio as crises ou junto delas sempre haverá 2 caminhos a serem seguidos (Dt 11:26-28), se respondermos bem, sairemos disso melhores e mais seguros; se não, sairemos depressivos, amargurados e rabugentos. Você é quem escolhe. A boa nova é que podemos pela orientação da palavra de Deus e disposição para segui-la vencer todas as crises. Aleluia!

LEIS DA CRISE

1º Lei - Todos nós passaremos pelas crises. Jo 16:33; Ec 9:2-3b

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. Jo 16:33

“Tudo sucede igualmente a todos; o mesmo sucede ao justo e ao ímpio, ao bom e ao puro, como ao impuro; assim ao que sacrifica como ao que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador; ao que jura como ao que teme o juramento. Este é o mal que há entre tudo quanto se faz debaixo do sol; a todos sucede o mesmo.” Ec 9:2-3b

Todo ser humano que vive ou viveu neste planeta passou ou esta passando por crise, e ninguém foi exceção. Abraão, Jacó, Moisés, Davi, Elias, Paulo e outros tantos homens, enfrentaram muitas crises em suas vidas. Arrisco dizer sem medo que o próprio Jesus enfrentou muitas crises também.

“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” Hb 4:15

Você está prestes a passar por uma nova CRISE!

Desculpe-me a má notícia. Mas não, não é notícia falsa. A realidade é que as crises virão mais cedo ou mais tarde em cada quadrante da nossa vida. Área por área, tudo passará por crises. Crises nos relacionamentos familiares e nas amizades. Haverá crises em seu casamento, na sua vida sexual e na área afetiva. Você enfrentará na vida muitas crises profissionais, espirituais, de convicções e valores e na saúde.

Nenhuma área da sua vida será poupada, sendo assim, bem-vindo à realidade! Crises agudas, crises pas­sageiras, crises difíceis e aquelas fáceis. Isso é um fato da vida. Portanto, é melhor aprender a lidar com elas e estar preparado para manejar com as crises de modo prático e realista, pois você nunca se livrará delas. Fazendo assim, você viverá melhor e será uma pessoa mais saudável e feliz.

Muitos dizem: “Eu não estou em crise, estou em Cristo.” Será mesmo???

Acredito que quem está em Cristo, sempre estará experimentando algum tipo de crise. Mt 16:24

Crise, de fato, é algo bom. Difícil, dolorido e desconfortável, mas bom. Nas crises seremos lapidados e com elas cresceremos, amadureceremos, ganharemos segurança e estabilidade, competência, bom senso, foco e êxito. Pra falar a verdade, são as crises que forjam todo o nosso avanço e progresso. Sem elas, seríamos pessoas tolas, superficiais e infantis.

2º Lei - As crises sempre atingirão o nosso emocional.

Em maior ou menor intensidade, as crises sempre atingem nosso emocional. Em uma crise superficial, recebemos o alerta de que precisamos nos mexer fazer alguma coisa, tomar alguma providência, alterar sistemas, ajustar rotas. Em uma crise profunda há níveis de dor, so­frimento, insegurança e trabalho bem mais com­prometedores.

Para a maioria dos homens, o desequilíbrio emocional será a reação imediata no surgimento da crise. Isso pode ou não se estender dependendo de como as emoções serão tratadas. Costumo dizer aos irmãos que todas as vezes que alguém perde o equilíbrio, este perde a razão. É incrível ver como muitos de nossos irmãos vivem baseados em suas emoções (igreja, casamento, compras etc). Davi foi alguém que soube lidar com essa questão de maneira espiritual (Sl 103).

Em qualquer crise, enfrentaremos uma gran­de pressão sobre o nosso emocional e sobre a nossa identidade. A crise pressionará também todo seu potencial, dons, talentos, suas habi­lidades e competências.

Qualquer crise provocará um abalo emocional. É impossível uma crise vir sem trazer um impacto nas emoções. Nossos pensamentos devem submeter ao controle de Cristo, pois na crise o primeiro campo de batalha é na nossa mente. Aos colossenses Paulo escreveu:

“Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. 2. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; 3. Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” Cl 3:1-3

Na crise devemos alinhar os nossos pensamentos com a mente de Cristo. Isso fala de uma renovação interior. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2

Mudar os pensamentos é mudar de rota.

Não adianta tentar evitar, somos mesmo seres com sentimentos e viveremos em profundidade as nossas emoções em tempos de crise. A pressão sobre aqueles que encaram a crise e decidem enfrentá-la os fará crescer, avançar, conquistar, amadurecer. Chegarão onde ninguém chegou, farão o que ninguém fez e conquistarão o que ninguém antes conquistou.

Para os tais, a crise, seja ela em que quadrante da vida for, será um impulso para adiante. Por outro lado, para outros, a crise os fará simplesmente explodir, pois, ao invés de lidarem com ela positivamente, esses a transformam em algo destrutivo e puramente emocional.

Todo poder para transformação, amadurecimento, conquistas, prosperidade, realização e avanço são resultado direto de uma crise.”

3º Não há garantias exteriores que você sairá melhor de uma Crise. Isso depende de você!

Todo o processo de crise te levará por um caminho natural de avanço, amadureci­mento e conquistas. Como já mostramos você não supera os próprios limites sem crise. É o inevitável e sofrido caminho do progresso pessoal. Acontece que não há nenhuma garantia que se instalando uma nova crise, você sairá dessa nova crise melhor. Pode sair pior. Tudo dependerá de como você responde, de quais serão as suas escolhas. Tudo pode piorar.

Ao invés de sair de uma crise profissional com um emprego melhor, recebendo mais, você pode seguir desempregado por anos. Ao invés de melhorar seu casamento, poderá acabar com ele. Uma cri­se de relacionamento familiar, com um filho, por exemplo, poderá danificar para sempre a amizade que possuem. Não há garantias que as coisas melhoraram com as crises. Dependendo do conjunto de circunstâncias, pode é trazer um desfecho ruim, negativo, pior do que era. Ilus. Judas Iscariotes, Rute e Orfa.

Algumas pessoas estão escrevendo o capítulo 6 de lamentações, suas vidas parecem um eterno sofrimento. Chegou a hora de ver suas lutas com outros olhos. Você foi chamado para escrever Atos 29!!!

4º A Crise é o momento mais fácil e doloroso de tomar decisões

Em uma crise as decisões e a resposta que você decidirá dar serão as mais delicadas de sua vida. Por um lado, a pressão fará com que você, mais facilmente, escolha por qual caminho sua vida vai avançar. Por outro lado, as escolhas feitas nesse momento podem não ser as mais sábias. Podem ser as piores e que trarão conseqüências drásticas.

Mas há ainda outro aspecto aqui. A crise é o momen­to em que você pode sair da passividade, e emergir com novos para­digmas, pois tudo na sua vida estará maduro para receber profundas redefinições.

Uma nova rota pode ser traçada. Um novo modelo, um novo estilo de vida, um novo foco com novas prioridades podem surgir desse momento de crise. Se formos analisar as nossas vidas, todo novo rumo que tomamos, foi resultado direto de tempos de crise e de redefinições de rota.

5º Na crise escolhemos a conquista ou a acomodação

Podemos na crise continuar a atribuir impor­tância àquilo que nos causa pressão ou podemos ir pelo caminho da desistência. O caminho do conforto é o caminho que retira a oportunidade de crescimento.

Se queremos colher o que nunca colhemos, nós devemos plantar o que nunca plantamos.

Exemplo do Viciado em Drogas

Por exemplo, um viciado em drogas está sob a enorme pressão da família para se desintoxicar, internar-se em uma clínica e retomar a vida produtiva e familiar. Sua vida, casamento e profissão entraram em colapso por causa do uso descontrolado de drogas. Diante da pressão da vida, parar de se drogar e retomar o caminho da sanidade, o toxicômano pode fazer duas coisas: aceitar a pressão, enfrentar o problema e prosseguir no dificílimo processo de recuperação; ou, simplesmente, decidir que sua família não é tão importante assim, que realmente aquela vida de regras, normas, e valores é muito chata, que o caminho e difícil demais e que nem deseja tentar.

Ao fazer essa segunda escolha, na verdade, essa pessoa está esvaziando a pressão por mudança e diminuin­do o peso do desconfortável sentimento por mudança. Assim, ela reencontra certo “bem-estar interior” cujo resultado direto é a acomodação. É como se falasse para si próprio: "Até que seria bom me recuperar, mas, como é difícil demais, eu não quero isso e sou eu quem sabe o que é o 'melhor' para mim". Isso funciona assim para todas as áreas da sua vida.

13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; 14.E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Mt 7:13-14

A crise pode lhe levar a construir um casa­mento melhor, ou a ter em sua vida conjugal os mesmos problemas de sempre até o fim da vida. Pode levar alguém a se superar na tentativa de entrar em uma boa faculdade, ou a desistir de ser um médico por causa do caminho difícil que isso vai requerer. Quando você escolhe o caminho estreito e difícil, você sempre cresce, conquista e avança. Quando desiste e se acomoda, você paralisa a sua caminhada, seu amadurecimento, seu aperfeiçoamento humano e profissional.

6º Seu futuro dependerá daquilo que você fará com agora com a crise

A crise é também um momento delicadíssimo, pois o que você fizer nela decidirá o seu futuro. Como vai ser a sua vida depende direta­mente disso. Você pode ter um futuro brilhante ou medíocre. Pode ter uma vida próspera ou extremamente apertada financeiramente. Pode ter qualidade de vida ou pode viver um inferno constante, construído por si mesmo ao redor. Pode ter grandes relacionamentos ou ser uma pessoa isolada, sem amigos, sem gente íntima por perto. Pode ser um crápula, um mau caráter irresponsável e preguiçoso, ou alguém confiável e disciplinado que conquista o que se "dispõe a construir”. Pode ter uma família unida ou viver relacionamentos partidos e emocionalmente de­vastadores. Pode construir respeito e honra, ou pode ser o “zero à esquerda”, foco da piedade e da censura de todos. Pode morrer realizado, ou pode ir definhando devagar com raiva de Deus, da família e do mundo. Amargurado pelas injus­tiças de todos. Seu futuro você decide hoje com aquilo que faz com a sua crise. Veja o que aconteceu com Saul, viveu um bom tempo como rei, mas terminou seus dias como um coitado, tudo porque nas suas crises respondeu de maneira errada.

7º O Seu nível de maturidade determinará o tamanho de sua dor

Quando, diante da crise, decidimos nos aco­vardar, ou abraçar o caminho fácil da fuga e da acomodação, a crise se instala e ali permanece parada. Tudo fica estagnado naquele ponto. Há muita gente que conheço que, diante de um problema grave, paralisou sua caminhada. Estão estagnadas lá, em algum lugar do passado. Algum grave acontecimento ainda hoje determina o seu futuro. Gente que não perdoa, não supera, não conclui, não processa e não esquece. Uma praga! Dessa forma, ficam como que "entalados" com os acontecimentos da vida que se acumulam e nunca são "digeridos".

Uma crise se torna crônica destruindo ami­zades, fazendo do casamento um ambiente inós­pito e duro. Na falta de resposta, uma crise vem para ficar e, dependendo da nossa dureza e obs­tinação, fazemos do desconforto momentâneo a experiência do dia-a-dia. Algumas atitudes, ou falta delas, também podem prolongar uma crise.

Pessoas que se vêem diariamente, mas não se falam; arrependimento e pedido de perdão que nunca chegaram; decisão por se disciplinar e buscar ajuda que nunca aconteceram, disposi­ção para falar de coisas delicadas e desagradáveis que nunca se manifestaram, atitude de estudar e trabalhar duro que nunca existiram, orgulho que nunca se dobra, preguiça que nunca acaba, amargura, cinismo, ironia e rispidez que nunca mudam ...

Assim, as pessoas vão vomitando na própria cama, criando a sua própria infelicidade. Elas fazem da crise, ao invés de uma positiva pressão para a sua própria transformação e su­peração, algo ruim. A crise vira algo crônico, negativo. A vida se torna "a crise". Esse tipo de gente é gente que escolheu ser doente e faz ado­ecer todos os que o amam.

“Os fatos diante de nós não mudam. O que muda é a maneira como os recebemos”.

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito