Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20110228

A Disciplina na Igreja - Disc. Vinicius Cano - Culto de Celebração - 27/02/11

Introdução.

Todos somos falhos e imperfeitos, e na igreja encontraremos falhas, erros e limitações. A maneira de se lidar com estes erros é com amor e paciência; vamos nos ajustando aos poucos e assim prosseguimos. Mas quando se trata de pecado, a igreja deve agir diferente, deve usar de disciplina. Repreensão pessoal, com testemunhas, pública e Exclusão.

Muitos são tão impactados por Deus na sua conversão e experimentam uma transformação tão grande, que chegam a pensar que todos na igreja são perfeitos. Porém, não é necessário muito tempo para descobrir que isto não é verdade; todos somos falhos e imperfeitos, e na igreja encontraremos falhas, erros e limitações.

A maneira de se lidar com estes erros é com amor e paciência; vamos nos ajustando aos poucos e assim prosseguimos. Mas quando se trata de pecado, a igreja deve agir diferente, deve usar de disciplina.

Na igreja encontraremos todo tipo de gente; aqueles que querem levar Deus a sério, e os que não. O Senhor Jesus disse que quando a rede é lançada ao mar, recolhe todo tipo de peixes: bons e ruins (Mt.13:47,48); nesta mesma ocasião Jesus também ilustrou isto de outra forma, falou acerca do joio e do trigo para mostrar que na igreja temos todo tipo de gente. O Senhor nos preveniu que haveria escândalos em nosso meio (Mt.18:7), deixando claro que estes por quem vem os escândalos serão julgados, mas que é inevitável que isto ocorra.

Quando o evangelho é proclamado, a pessoa é convidada a vir a Deus como está, mas depois que passa a pertencer à Igreja do Senhor terá que se ajustar à Sã Doutrina.

Todos somos falhos e pecamos. Como diz a Escritura "Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós"(I Jo.1:4).

Portanto, não é qualquer pecado que nos fará sermos disciplinados, senão viveríamos só de disciplina. Quando pecamos, devemos nos arrepender e confessar nossos pecados e seremos perdoados (I Jo.1:9); a disciplina é para tratar com quem peca e não quer se arrepender, insistindo em viver no pecado.

Somos um corpo

Não podemos perder de vista que ninguém vive espiritualmente isolado; somos membros uns dos outros e constituímos um só corpo. Quando alguém passa a viver no pecado fere não só a si mesmo, mas também ao corpo de Cristo!

O Velho Testamento nos revela como o pecado de um só homem, Acã, prejudicou todo Israel e como foi necessário que ele fosse julgado (Js.7:11-26). O Novo Testamento enfatiza muito a idéia do corpo; quando Jesus envia sua mensagem a cada uma das sete igrejas da Ásia (Ap.2 e 3), ele as trata como um todo tanto ao falar de suas virtudes como também de seus erros.

Os Quatro Níveis da Disciplina na Igreja

Jesus foi quem primeiro falou de disciplina no Novo Testamento:

"Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só. Se te ouvir, ganhaste a teu irmão. Mas se não te ouvir, leva contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada.E se não ouvir, dize-o à igreja; e, se também não ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano".
(Mt.18:15-17).

Há quatro níveis distintos no processo de disciplina que o Senhor ensinou:

1. Repreensão pessoal;

2. Repreensão com testemunhas;

3. Repreensão pública;

4. Exclusão.


Não praticamos a disciplina quando a pessoa se arrepende, mas sim quando ela se recusa a arrepender-se. E neste caso, dentro de uma progressividade; com a repreensão pessoal primeiro, a com testemunhas em segundo, a diante da igreja em terceiro e só então a exclusão em quarto lugar. Não podemos excluir alguém sem ter dado antes estes passos. Porém, alguém pode não querer receber os primeiros níveis da repreensão fugindo deles; neste caso, constatada a indiferença e relutância da pessoa, passamos então ao quarto nível, subentendendo terem sido os outros insuficientes ou impraticáveis.

Quando a repreensão se torna pública, ainda que seguida de arrependimento, e a pessoa em questão é um líder, a disciplina se manifestará afastando a pessoa de sua posição de liderança até comprovada restauração.

1° Repreensão pessoal

· Vários textos bíblicos falam sobre a necessidade de repreensão. E não são necessariamente ligados ao presbitério, pois no corpo de Cristo ministramos uns aos outros. Veja alguns deles:

"Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos..."
(I Tessalonicenses 5:14)

"Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações, e tanto mais vedes que aquele dia se aproxima".
(Hebreus 10:25)

"Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e, sim, deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente; disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade". (II Timóteo 2:24,25)

· Note que corrigir não significa contender, mas demonstrar cuidado com mansidão.

· Quando porém, a situação se agrava, é necessário que o governo da Igreja (os lideres) assuma a situação, que pode ser delicada e necessitar que a autoridade espiritual seja imposta, como Paulo fez com os coríntios (II Co.13:2 e 10).

"Já o disse anteriormente e torno a dizer, como fiz quando estive presente pela segunda vez; mas, agora, estando ausente, o digo aos que, outrora, pecaram e a todos os mais que, se outra vez for, não os pouparei,” (2 Corintios 13:2)

“Portantp, escrevo estas coisas, estando ausente, para que, estando presente, não venha a usar de rigor segundo a autoridade que o Senhor me conferiu para edificação e não para destruir.” (2 Corintios 13:10)

2° Repreensão com Testemunhas

· Além da instrução do Senhor Jesus, não encontramos outro texto que fale com clareza sobre este nível de disciplina, mas ele é muito eficaz por tirar a situação do aspecto pessoal e colocá-la num patamar de formalidade.

· E se as pessoas escolhidas para acompanharem a repreensão forem pacificadoras, serão de grande proveito para promoverem o arrependimento com argumentação mansa e amorosa.

3° Repreensão Pública

· Ao dizer que levasse a repreensão para o terceiro nível, à Igreja, Jesus não se referia a tratar a questão na Igreja (templo) ou com os líderes da Igreja, como alguns gostariam que fosse. Na verdade, Ele se referia a tratar a questão em público.

· Paulo também falou sobre este princípio ao escrever para seu discípulo Timóteo:

"Quanto aos que vivem no pecado, reprende-os na presença de todos, para que também os demais temam".
(I Timóteo 5:20)

· E a razão para isto é clara: "Para que outros tenham temor". Toda a Igreja precisa ser ensinada sobre a disciplina cristã e vê-la funcionando quando necessário. Somos um corpo no Senhor; o pecado contínuo de alguém prejudicará a todos. O único meio de evitar isto é cortando a raiz do pecado com arrependimento ou cortando a pessoa (quando ela não quer se arrepender) da comunhão do corpo. Diante da Igreja ela será obrigada a optar entre um ou outro.

4° A Exclusão

· Na Igreja de Corinto, alguém chegou ao ponto de se envolver sexualmente com a madrasta (I Co. 5:1). Tão logo isto chegou ao conhecimento do apóstolo Paulo, ele ordenou: "Tirai do meio de vós a esse iníquo". Antes, contudo, deixou claro em que condições isto deve acontecer:

"Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; refiro-me com isto não propriamente aos impuros deste mundo, ou avarentos, ou roubadores, ou idólatras, pois neste caso teríeis que sair do mundo.

Mas agora vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem ainda comais.

Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro? Os de fora, porém, Deus os julgará. EXPULSAI, pois, de entre vós o malfeitor".

(I Coríntios 5:9-13)

Observe o detalhe que Paulo inseriu ao falar do pecador: "dizendo-se irmão". Isto se refere a quem quer se parecer irmão sem o ser; não fala de uma queda ou tropeço espiritual, mas de uma prática continuada nestes pecados.

Excluir não significa proibir a pessoa de colocar o pé na Igreja, mas sim deixar de reconhecê-la como parte do corpo, e isto envolve deixar de se relacionar (Tt.3:10,11), de ter comunhão com a pessoa. Isto fica claro quando o apóstolo diz: "com o tal nem ainda comais". Paulo explica melhor esta distinção na sua carta aos tessalonicenses:

"Caso alguém não preste obediência à nossa palavra dada por esta epístola, notai-o; nem vos associeis com ele, para que fique envergonhado.
Todavia, não o considereis por inimigo, mas adverti-o como irmão".
(II Tessalonicenses 3:14,15)

Este princípio já havia sido estabelecido desde o Velho Testamento, onde havia vários motivos pré-estabelecidos para exclusão.

O motivo é poupar o corpo de prejuízos espirituais, e não tentar manter um controle sobre as pessoas. Os casos não manifestos não chegam a ser tratados na Igreja, só os que chegam a ser conhecidos.

O clamor que derruba muralhas - At 16:22-28 - Disc. Adilson Gomes - Culto de Celebração - 19/02/11

Deus tem nos preparado dias de milagres onde através do louvor e da adoração de seus filhos, cadeias tem sido quebradas. Quando você adora prisões se abrem porque você é um adorador. Deus quer que você entenda que o seu clamor e a sua adoração tem poder e por essa razão, as cadeiras do desanimo, enfermidade, dificuldade financeira, problemas conjugais serão quebradas em nome de Jesus.

Baseado no texto de Atos 16:12, iremos compartilhar sobre 4 características de um adorador.

Características de um adorador

1 -Acreditar que Deus enxerga em você um adorador. Atos 8:3 diz que Paulo perseguia os crentes quando era Saulo. Muitas vezes atentamos para nossas falhas. Deus te conhece e assim como fez com Saulo quer transformar sua vida. Deus investiu em Saulo e através de seu posicionamento teve um ministério abençoado.

2 – Não murmurar em meio as dores e aflições. Atos 16:22 diz que Paulo e Silas foram açoitados e humilhados.

Como você tem se comportado diante das dores e humilhações? Paulo e Silas mesmo feridos, humilhados, permaneceram no propósito. O adorador pode até chorar, mas não é um choro de desistência , falta de fé, esperança, choramos muitas vezes pois a luta dói, porém o adorador mesmo triste não perde a convicção da sua fé.

3 – Resistir as provas e as circunstancias contrárias - Atos 16:23. Depois de serem açoitados Paulo e Silas foram jogados na prisão. Como você tem reagido diante das dificuldades, diante das circunstancias contrárias. Saiba que há um galardão para aqueles que permanecem firmes.

4 – O adorador louva até alcançar o milagre - ATOS 16:25

A bíblia diz que á meia noite , presos, acoitados, humilhados, Paulo e Silas louvaram e oraram a Deus e todos as presos ouviram um grande terremoto , cadeias se quebraram , prisões se abriram, todos puderam ver a glória de Deus.

Não sei de que maneira você chegou aqui nesta noite, Mas saiba que Deus quer operar um grande milagre através da sua adoração. 2Sm 6:9

20110214

4 personagens do mover de Deus. 2 Sm 6:1-11 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 13/02/11

Eu quero compartilhar com você hoje sobre 4 personagens deste texto. Existe aqui um mover da parte de Deus e todas as vezes que há um mover, algumas pessoas tomam posições ou posturas diferentes dentro deste mesmo mover.

introdução:

A arca da aliança que representava a presença da glória de Deus tinha sido roubada pelos filisteus. A respeito da presença de Deus, podemos dizer que Deus se manifesta como Deus onipresente, ou seja, Ele está em todos os lugares ao mesmo tempo, e também se manifesta através de sua glória. A arca manifestava a glória de Deus e agora ela tinha sido levada para a filistéia. Só que na filistéia a arca só causou problemas. Com a chegada da arca na filistéia, ela foi levada para um templo de um Deus chamado dagon. A partir daí muitos filisteus morreram com tumores e até a imagem deste deus chamado dagon amanheceu um dia sem cabeça. Então os filisteus devolvem a arca para Israel, e esta foi levada para a casa de Abinadabe, mas o rei Saul não se importou com a glória de Deus, ficando a arca ali por 20 anos. Mas Davi quando assume o reinado decide trazer a arca para Jerusalém. Neste processo é que aparecem 4 personagens que eu gostaria de observar e mencionar a vocês.

1º Uza. 2Sm 6:6

“E, chegando à eira de Nacom, estendeu Uzá a mão à arca de Deus, e pegou nela; porque os bois a deixavam pender. Então a ira do SENHOR se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu ali por esta imprudência; e morreu ali junto à arca de Deus.”

Quando os bois tropeçam, Uzá, um dos filhos de Abinadabe toca na arca e é fulminado por Deus. Porque Deus fulminou Uzá? Alguns poderiam dizer: “Uzá só quis ajudar, não deixando a arca cair. O que era boa intenção, e era pra ser bênção virou maldição. Porque isso aconteceu?

1ª A familiaridade com coisas espirituais matam.

Uzá e Aiô era filho de Abinadabe, a arca ficou 20 anos na casa de Abinadabe. Sem querer forçar o texto, podemos dizer que Uzá se familiarizou com a arca. Talvez Uzá olhava para a arca como uma mobília apenas, do tipo um fogão, uma geladeira. Perdemos o mover e até morremos quando nos familiarizamos com ele.

Porque você acha que Judas traiu Jesus?

Certamente Judas traiu Jesus por ter se familiarizado com ele. Andando com Jesus percebeu que o mestre também sentia dores, de vez em quando corria atrás de uma árvore para suas necessidades fisiológicas. Judas criticou a mulher que derramou um jarro de perfume aos pés de Jesus. Ele dizia: “Isso é um desperdício”. Tudo porque ele se acostumou com a glória de Deus. Acostumamos-nos com os encontros, com o culto, com a célula e a partir daí nos familiarizamos. “Não precisamos mais orar e jejuar no dia da célula, na hora da mesma é só orar. Nos acostumamos até com nossa liderança, pois no princípio quando começamos a caminhar com nossos líderes, tínhamos cuidado no falar, na maneira como expressávamos nossos pensamentos. Hoje muitos dizem: Meu líder é como eu, tem falhas, não merece honra. Esse foi o problema de Uzá.

2ª A religiosidade.

O religioso está acostumado com o que é sagrado. O crente religioso é pior do que o não crente. O não crente respeita o mover de Deus, porque não O conhece. Quando estão diante de uma reunião gloriosa, onde as pessoas estão tremendo ou caídas no chão se contorcendo, eles dizem: “Algo sobrenatural está acontecendo aqui.” Agora por outro lado, muitos crentes religiosos tornam-se zombadores. Diante das manifestações de Deus eles criticam, fazem julgamentos, são juízes de si mesmos e darão conta por toda injustiça que manifestam. Maldito são aqueles que olham para as coisas de Deus e as tornam desprezíveis. Não podemos brincar com as coisas de Deus. Precisamos nos preocupar com isso principalmente com nossos filhos, pois eles estão crescendo neste ambiente de glória e de unção.

3ª Uzá não deveria ter segurado o que deveria cair. 2Sm 6:3

“E puseram a arca de Deus em um carro novo, e a levaram da casa de Abinadabe, que está em Gibeá; e Uzá e Aiô, filhos de Abinadabe, guiavam o carro novo.” 2Sm 6:3

A instrução de Deus para se levar a arca segundo o próprio Davi era seguinte: “Então disse Davi: Ninguém pode levar a arca de Deus, senão os levitas; porque o SENHOR os escolheu, para levar a arca de Deus, e para o servirem eternamente.” 1Cro 15:2

Quem tinha que carregar a arca, era os levitas. Davi estava bem intencionado, mas usou meios não estabelecidos. Aliás o método utilizado por Davi era o método dos filisteus. (1Cro 6:7)

Nas nossas vidas, algumas coisas tem de dar errado cessar. Aquilo que estamos fazendo por nossa própria vontade ou desejo te de cair por terra! Não podemos segurar o que Deus quer derrubar!!! Pare de sustentar situações que Deus reprova, pare de continuar se alimentando do que Deus já vomitou.

Deus não precisa de ajuda, só precisa que seus filhos o obedeçam!

A distância da casa de Abinadabe até Jerusalém era de 20 km, e a maneira sobre como Davi deveria conduzir a arca até lá era a seguinte: “E sucedeu que, quando os que levavam a arca do SENHOR tinham dado seis passos, sacrificava bois e carneiros cevados.” 2Sm 6:13

Aqui vemos algo interessante, pois eu creio que os números na Bíblia nos ensinam muitos princípios. Aqui um deles é que a cada 6 passos eles deveriam sacrificar. Porque 6 passos? 6 na Bíblia aponta para o homem, e quando os homens davam 6 passos, lembravam o seguinte: Somos homens e não podemos fazer essa obra por nós mesmos, vamos sacrificar a Deus pois só o Senhor pode nos dar condições de carregar essa arca.

Eu sei que muitos aqui querem agradar a Deus, mas só podemos reconhecer Jesus como Senhor pelo Espírito Santo!

Deus não precisa de pessoas que ajudem, Deus está precisando de pessoas que o obedeçam. Muitas vezes antes de edificar será preciso demolir.

Deus não precisa de ajudantes, e sim de filhos obedientes!

2º Obede-Edon o Geteu. 2 Sm 6:10-11

Deus não queria matar Uzá, mas isso foi preciso fazer. Davi vendo a tragédia e como um bom sanguíneo deu logo um jeito e mandou a arca pra casa de Obede-Edon. O interessante é que Obede-Edon começa a ser abençoado. Na casa de Abinadabe a arca fica 20 anos e nada acontece, mas na casa de Obede-Edon, milagres acontecem. Aprendemos qui que nada é neutro no reino espiritual. O que determina se algo será bênção ou maldição na nossa vida é a obediência. Obede poderia ter rejeitado a arca, mas ele obedeceu e Deus o abençoou. A relação de Obede-Edon com a arca foi diferente de Uzá. Ele recebeu a arca porque também era um levita. Só quem sabe que é um sacerdote toma para si a glória de Deus.

Se nós queremos a glória de Deus. Devemos ter o espírito de obediência de Obede-Edon.

3º Mical. 2Sm 6:14,16

Quando Davi percebe que a arca estava abençoando a casa de Obede-Edon, ele decide trazer a arca de novo para Jerusalém. E no trajeto Davi se alegra e celebra. Aprendemos que devemos celebrar as nossas vitórias. No texto, Mical uma das esposas de Davi não participou e o desprezou no coração. No verso 20 ela diz: Quão honrado foi o rei de Israel, descobrindo-se hoje aos olhos das servas de seus servos, como sem pejo se descobre qualquer dos vadios.

Mical é o tipo de gente que olha para o mover de Deus e diz: “Pra que isso, não precisa ser tão exagerado.” Essas pessoas estão preocupadas mais com a forma do que com o conteúdo. O texto diz que enquanto ele pulava suas partes íntimas puderam ser vistas.

Não podemos preservar a dignidade e buscar a divindade.

Devemos ser como Davi, não abrir mão da glória.

1º A forma não pode ser mais importante que o conteúdo. A aparência não pode ser mais importante do que a essência.

2º Não podemos receber aquilo que não honramos. 2Sm 6:20 Mical desprezou Davi e não recebeu sua unção. Não podemos ter aquilo que não abençoamos.

3º A conseqüência para os que desprezam o mover de Deus é maldição. 2Sm 6:21 Desprezou e foi desprezada. Mulher não ter filho neste tempo de Davi, era uma mulher maldita.

4º Davi. At 15:16

“Depois disto voltarei, E reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, Levantá-lo-ei das suas ruínas, E tornarei a edificá-lo.” At 15:16

Porque Deus não diz que vai restaurar o tabernáculo de Moisés ou o templo de Salomão??? O tabernáculo de Davi era apenas uma cabana, mas Deus decide restaurar o tabernáculo de Davi porque Deus não está interessado em palácios, mas em pessoas apaixonadas. É neste lugar que ele vai habitar.

1º Sinceridade apenas, não substitui a verdadeira espiritualidade. Ele não deveria ter carregado a arca em um carro novo. Os levita deveriam ter trazido nos ombros

2º As grandes manifestações de Deus acontecem diante de muita persistência. Algumas pessoas pensam que é só vir ao culto ou receber uma imposição de mãos e pronto. 2Sm 6:13 O texto que quando eles davam 6 passos e sacrificavam. Da casa de Obede-Edon até Jerusalém foram 3333 sacrifícios. Tudo que você paga um preço você atribui valor.

Quero encerrar este compartilhamento lendo o verso 9 deste mesmo texto:

E temeu Davi ao SENHOR naquele dia; e disse: Como virá a mim a arca do SENHOR? 2Sm 6:9

A pergunta de Davi foi como trarei a mim a arca do Senhor? Buscando! Mas como devemos buscar? Com temor no coração.

20110207

O Valor dos relacionamentos. At 15:36-41 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 07/02/11

Eu quero falar nesta noite sobre o valor de um relacionamento, pois o texto compartilhado fala de um desencontro entre Barnabé e Paulo. Três personagens estão inseridos nessa história, Barnabé, Paulo e João marcos.

Barnabé foi um líder reconhecido, alguém de muita influência no início da igreja, liderou a jovem igreja em Antioquia e, em seguida, fez a primeira viagem missionária de Antioquia com o inexperiente Paulo ao seu lado. Barnabé foi o discipulador de Paulo.

Paulo como você já sabe, é o Apóstolo Paulo que levou a palavra de Deus aos gentios e foi autor das epístolas Paulinas. 13 cartas ao todo.

João Marcos era discípulo de Barnabé, alguém que Barnabé estava cuidando.

Algumas curiosidades a respeito de João Marcos?

· Cl 4:10 diz que João Marcos era sobrinho de Barnabé.

· Atos 12:12 diz que a 1ª igreja cristã se reunia na casa da família de João Marcos.

· João Marcos estava entre os primeiros judeus que se converteram ao cristianismo. Ele estava entre o grupo que era contrário a pregação do evangelho aos gentios. Talvez também por isso, Paulo decidiu não levá-lo junto em sua viagem missionária.

Alguns outros detalhes importantes sobre os personagens desta história.

1º Saulo e Barnabé eram amigos de infância. Dizem os historiadores que barnabé foi o primeiro influenciador de Saulo. Interessante é que Barnabé é que apresenta Saulo para os primeiros apóstolos. At 9:26-27

2º At 11 Barnabé trouxe Paulo de tarso para pastorear a primeira igreja juntos em Antioquia.

3º Nos textos antigos sempre quando havia menção de pessoas os nomes mais importantes apareciam primeiro. At 13:1 Barnabé, Simeão Lucio e Saulo. e no verso 7 a bíblia diz Barnabé e Saulo.

Qual é o pano de fundo dessa história? O cenário é o seguinte:

Barnabé está fazendo um apelo a Paulo para que João Marcos fosse com eles para visitar igrejas onde eles já tinham anunciado a Palavra do Senhor. Paulo não concorda e diz que eles não deveriam levá-lo, pois na última viagem João Marcos havia desistido da missão no meio do caminho. Barnabé e Paulo discordaram duramente e dividiram-se sobre este assunto (Atos 15:39). Eles parecem ter dividido o território em consideração, sendo que Barnabé e João Marcos foram para Chipre (sua pátria ancestral) e Paulo e Silas foram à missão de visitar as igrejas. O que nos chama atenção é a atitude de Barnabé, pois quando Paulo rejeita a companhia de João Marcos, este poderia ter exigido seus direitos por ter investido no ministério de Paulo.

Barnabé poderia ter dito: “Quando você se converteu, eu era uma figura proeminente e fui eu quem abri as portas para você junto aos discípulos de Jesus. Fui eu quem legitimei sua conversão, pois os primeiros discípulos tinham muitos motivos para te rejeitar, porque você foi um perseguidor da Igreja. O seu crescimento se deu por causa do investimento que eu fiz na sua vida.”

Barnabé poderia ter agido dessa forma, mas diante da negativa do apóstolo Paulo, Barnabé apenas diz: Tudo bem Paulo, se você não quer levá-lo, eu volto com ele, não vou ser tropeço em seu ministério. Rompem momentaneamente com o propósito de visitar igrejas entre os gentios, mas não com a aliança e o propósito de edificação do reino.

O foco do meu compartilhamento é a vida de Barnabé, pois a vida e história de Barnabé nos trazem tesouros escondidos de Deus, tesouros que se manifestaram através de relacionamentos.

Os maiores tesouros na vida de um cristão podem ser revelados através de seus relacionamentos.

Que lições podemos extrair para as nossas vidas através dessa história e da conduta de Barnabé.

1º O foco da vida cristã está nos relacionamentos.

Não está no trabalho e nem na execução de tarefas, mas nos relacionamentos. Barnabé deixa claro que o visitar igrejas era menos importante do que o cuidado com João marcos.

Deus está pouco preocupado com o que você faz, mas está muito interessado no investimento que você faz nas pessoas enquanto desenvolve as suas tarefas.

Barnabé deixa claro que a viagem missionária era menos importante do que o cuidado com seu discípulo amado. Barnabé é quem tinha descoberto João Marcos na casa onde a igreja começou e tinha assumido plena responsabilidade por seu crescimento.

Você tem responsabilidade pelo crescimento de alguém nessa igreja?

Provavelmente quando Paulo se manifestou contra Barnabé, passou pela cabeça de Barnabé o esforço que ele despendeu quando ele na Antioquia recebeu a notícia da conversão de Saulo e então resolveu buscar Saulo para ajudá-lo a pastorear a Igreja em Antioquia. Detalhe: A viagem de Antioquia até onde Paulo estava era de três meses pra ir e outros três meses para voltar. Para suas tarefas e durante seis meses investe em uma vida. Para Deus não importa o que você faz se você não faz por e para se relacionar e cuidar de pessoas. Entre realizar uma tarefa e cuidar de uma pessoa cuide dessa pessoa. O que você tem que edificar no reino é seus relacionamentos. Para construir um reino que alcance o coração de Deus é preciso alcançar o coração dos nossos irmãos.

Barnabé é o tipo de pessoa que para tudo o que está fazendo, para investir em um relacionamento de discipulado.

Deus te chamou pra cuidar e estar pessoas. Os tesouros de Deus vão se manifestar quando nós nos interessarmos por nossos irmãos. A vida de Deus se manifesta quando nós arrumamos tempo na agenda para investir em pessoas.

O reino de Deus não é reino de tarefas, mas reino de relacionamentos.

Para Deus não importa quantas tarefas você executa, mas os relacionamentos que você constrói enquanto você executa essas tarefas.

Muitas pessoas dizem: eu me sinto tão parada na igreja, eu não sei o que fazer no reino?

Sua missão prioritária está em ter seu foco no Senhor Jesus, mas você só poderá experimentar plenitude do alto quando você se ocupar com pessoas. O êxito no seu relacionamento com Deus está no êxito de seus relacionamentos com pessoas. Jesus era um homem de relacionamentos.

Nenhum sucesso na execução de tarefas justifica fracassos nos nossos relacionamentos.

A coisa mais importante que barnabé deve ter feito é parar tudo por seis meses para cuidar de Paulo. Paulo influencia até hoje a igreja de Cristo por que um homem chamado Barnabé creu nisso.

Invista e cuide dos seus relacionamentos, pois não tem nada que nos machuca mais do que relacionamentos, e também não tem nada que nos abençoa mais do que relacionamentos. O foco principal da vida cristã está nos relacionamentos.

Quantos relacionamentos você está construindo nesta igreja?

Não conheço gente que sai da igreja por causa de heresia ou questões doutrinárias, mas por causa de relacionamentos desagradáveis. A coisa mais importante que Barnabé fez em sua carreira cristã foi promover pessoas nos seus relacionamentos.

O foco de Barnabé estava nos relacionamentos.

2º O foco da vida cristã começa no relacionamento 1 a 1.

1 pessoa é campo missionário. Às vezes gastamos muita energia tentando alcançar uma multidão do que trabalhar com poucas pessoas. Fazemos muito pela multidão e pouco por umas poucas pessoas. Alguns dizem a áfrica é campo missionário, Brasil, São Paulo, etc. 1 pessoa é importante para Deus. A única citação de festa no céu é no ato de conversão de um pecador. 1 alma vale mais que o mundo todo!

O que eu aprendo com barnabé é que uma pessoa é campo missionário.

Jesus sabia do valor de um relacionamento a dois, pois os dois versículos mais profundos que registram os sentimentos de Jesus são conversas com uma pessoa apenas. À mulher samaritana ele disse: Deus é Espírito, e importa que os que o adoram, o adorem em espírito e em verdade.” Jo 4:24

Na conversa particular com Nicodemus Jesus disse: “Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu único filho para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.” Jo 3:16

Muitos acham que investir em uma pessoa não é algo valoroso.

Uma pequena conversa de Jesus com essas pessoas trouxe grandes resultados. Uma pequena conversa diária ou semanal com uma pessoa, a médio e longo prazo trará grandes resultados e transformará milhares de outras.

Se você acha que não está sendo útil no reino de Deus, comece prestar atenção nas pessoas que está do seu lado. Dê mais atenção à elas, esteja com elas, nem que seja para ouvi-las, abraçá-las, amá-las.

Você pode dizer: “Mas as pessoas não querem estar comigo!”

Isso pode ser um sinal de que você precisa mudar sua maneira de se relacionar. Talvez você esteja sendo uma pessoa intolerante, impaciente, desagradável etc. Se uma pessoa me evita, fico tranqüilo porque isso aconteceu com Cristo, mas se todos se esquivam de relacionar comigo, preciso repensar meus conceitos e certamente mudar meu comportamento.

O foco de Barnabé estava no relacionamento 1 a 1.

3º Sua saúde espiritual e emocional depende diretamente da qualidade dos relacionamentos e do tipo de pessoas com quem você se relaciona.

A nossa saúde espiritual está sendo alimentada ou desnutrida através dos relacionamentos que desenvolvemos. A superficialidade nos relacionamentos está fazendo naufragar muitos Cristãos. Vemos isso acontecer em demasia dentro de nossas igrejas. Perguntamos por educação: Paz do Senhor irmão, como está você? Respondemos com mais educação ainda: “Estou bem, graças a Deus.” Porque as vezes saímos tão tristes dos cultos?

Falta qualidade nos nossos relacionamentos!

Se você não tem 2, 3 ou 5 pessoas cristãs com quem você se relaciona semanalmente de maneira profunda, pessoas para quem você tira sua mascara, então você está doente ou em breve vai adoecer.

Barnabé trabalhava para melhorar a qualidade de seus relacionamentos.

4. Não importa o quanto demore, insista no seu crescimento e de seus relacionamentos, breve o fruto aparecerá.

Barnabé não desistiu de João Marcos, acreditou e na segunda carta à Timóteo, (2Tm 4:6-11) Paulo diz que marcos lhe era útil para o ministério. Toma contigo a Marcos v. 11”. A despeito de sérias dúvidas quanto à sua aptidão para o ministério (At 15:38), aqui Paulo (Cl 4:10) louva Marcos como útil para o ministério, talvez no Evangelho ou talvez para algumas necessidades pessoais do apóstolo. O verso 12 deste mesmo capítulo deixa subentendido que talvez Paulo necessitasse de Marcos para tomar o lugar de Tíquico.

Barnabé investiu em João Marcos e depois de quase 20 anos do episódio narrado no texto de Atos 15 no início dessa palavra, João Marcos escreve o Evangelho de Jesus segundo Marcos.

Qual é a diferença entre o João marcos de antes e o de agora. A diferença era Barnabé. Este homem deixou tudo e investiu em João Marcos e agora este era útil para o mistério.

Vocês acreditam que podemos investir em uma só pessoa. Deixe-me fazer algumas perguntas para avaliar sua saúde nos seus relacionamentos:

· Quem é a pessoa que nas suas horas mais difíceis está ao seu lado?

· Quem é o seu ombro na hora que você chora?

· Quem estoura rojão com você na hora que o seu time ganha?

· Quem é que nas horas difíceis continua ao seu lado?

· Quem é a pessoa para quem você pode se despir e abrir sua vida oculta?

Não há nada mais revelador de tesouros de Deus que um relacionamento de transparência e confiança.

Há grandes lições a serem aprendidas a partir do registro da falha de João Marcos.

1º Deveríamos tomar cuidado com falhas em nossas vidas, porque isso afeta os outros e pode ser motivo para nossa ruína. Se Barnabé não insistisse em perdoar ele, Marcos poderia nunca mais ter sido usado no ministério.

2º Deveríamos ver a necessidade de dar a um discípulo falho uma segunda chance, como fez Barnabé e como fez Paulo mais tarde (Colossenses 4:10 e II Timóteo 4:11). Não há duvidas de que Deus quer que estudemos a vida de tais homens cuidadosamente e aprendamos com eles.

3º Como João Marcos devemos ter um coração de servo e sempre estar disposto a honrar as pessoas que nos amam.

Eu gostaria de encerrar com uma história muito interessante.

Era uma vez um escritor que decidiu morar a beira mar, todos os dias pelas manhãs e principalmente pelas tardes o escritor caminhava a beira da praia. Numa bela tarde o escritor viu que um jovem caminhando na areia apanhava estrelas do mar e as atirava de volta no mar. Ele chegou e perguntou ao jovem: O que você está fazendo? O jovem respondeu: A maré está baixa, o sol está quente e as estrelas estão morrendo desidratadas na areia, por isso, eu estou jogando-as de volta ao oceano. Então o escritor disse: Que isso rapaz? Existem centenas de quilômetros de praia, centenas de milhares de estrelas do mar espalhadas na areia, jogar uma ou outra de volta ao oceano vai fazer alguma diferença no total? O jovem agachou, apanhou uma estrela do mar e levantando-se disse fitando os olhos do escritor: Pra essa eu fiz a diferença!

Voltando para casa, naquela tarde o escritor não conseguiu escrever, naquela noite ele não conseguiu dormir, e na manhã seguinte correu e se juntou ao jovem para atirar as estrelas de volta ao mar.

Nós estamos juntos a mais ou menos uma hora, não imagino qual será os resultados dessa palavra na vida de todos os presentes, mas se fizer a diferença na vida de um eu já me dou por satisfeito, pois como Barnabé pensava eu quero pensar 1 pessoa é um campo missionário.

Deus Abençoe!!!

20110202

O Ataque às Emoções. Jo 10:10 - Disc. Paulo Cesar - Culto de Celebração - 30/01/11

O alvo do diabo é conservar as feridas e as opressões. A Bíblia diz que o Senhor Jesus veio para nos trazer vida em abundância, enquanto o diabo veio para roubar, matar e destruir as emoções, os sentimentos, a vida espiritual, a vida intelectual, a vida afetiva. O propósito do diabo é nos tornar reféns do seu cativeiro (João 10:10). Jesus quer retirar o Seu povo de todo cativeiro e trazer libertação. A vontade do Pai é nos ver plenamente curados e sarados.

A cura de Deus

Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará. e a tua justiça irá adiante de ti; e a glória do Senhor será a tua retaguarda. (Isaías 58:8)

Jesus quer curá-lo apressadamente para que você se expresse cem por cento no Reino, de forma que seja uma surpresa para todos que o cercam. Por isso expresse-se. Essa é a qualidade de uma alma plenamente curada.

Aquele que começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus (Filipenses 1:6). Se o Filho do Homem vos libertar, verdadeiramente sereis livres. (João 8:36).

O objetivo da cura

Uma pessoa curada se expressa porque é liberta. Deus quer que você seja livre para que, ao abrir da sua boca, a comunicação do Trono lhe encha de palavra rhema, palavra de conhecimento, palavra de poder, palavra que quebra grilhões e constrói coisas novas, porque uma alma livre se expressa.

O capítulo 15 de João é um discurso para líderes e discípulos curados, chamados discípulos do Senhor Jesus. Jesus faz todo esse discurso para mostrar o que é ter uma alma livre, sarada, curada e liberta em sua essência.

Prisões na alma

Existem situações que ainda prendem a alma, como as resistências, por exemplo. Resistência à liderança, à obediência, à submissão. Tudo isso porque existe um histórico que prende a alma em um ponto.

A pessoa quer até se desprender, mas o diabo sempre a leva ao ponto da dor para deixá-la amarrada, presa e, conseqüentemente, anulada. Com isso, a pessoa não consegue vislumbrar a grandeza da parte do Pai nem receber tudo quanto tem sido ensinado e encaminhado para gerar uma vida plenamente transformada.

Obediência

A obediência é uma das características de uma pessoa curada. Todas as ordens foram dadas para serem obedecidas, quer sejam humanas, quer sejam espirituais. Quem trabalha na vida secular sabe que, ao receber uma ordem do seu chefe, precisa cumpri-la, senão sofrerá conseqüências e deixará de gozar alguns privilégios.

Pode ser durante um minuto, um segundo, não importa, uma lei foi quebrada e seu infrator deverá administrar as conseqüências dessa ação, seja de ordem física ou espiritual. Quando somos curados, passamos a ter sensibilidade à obediência. Só obedece quem tem sintomas de cura e libertação.

O amor a Deus

Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. (Dt 6:5-7)

Em João 15:12, Jesus disse que há uma ordem para nós, um mandamento que diz que devemos nos amar uns aos outros assim como o Senhor nos amou e nos ama e sempre nos amará. Essa é a Sua ordem para nós: amar vidas. Através da obediência, alcançamos o amor porque amar é uma decisão.

O amor aos inimigos

Jesus disse em Mateus 5:44-48, Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis demais?

não fazem os gentios também o mesmo? Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.

Amar os inimigos é uma ordem do Reino que não deve ser quebrada. Amar uns aos outros como o Senhor nos ama e amar os que nos perseguem significa que não há benefício quando fazemos o contrário.

Orar pelos inimigos

A Bíblia diz que além de amar devemos orar por nossos inimigos que nos perseguem (Mateus 5:44). Orar pedindo de Deus graça, revelação, unção, paz para que não haja mais motivos para inimizades. É assim que uma pessoa curada age.

Quando a pessoa é curada, não permite que mágoa, ressentimento, lembranças ou mesmo alguém que, por ignorância fez algo para prejudicá-la, prenda a sua vida ao passado. Seja você essa pessoa.

Quem é nascido do espírito, vence a obra da carne. Deus nos dará o dom perdoador para que haja liberalidade em nossos corações para que amemos verdadeiramente uns aos outros. Se você decidir amar os que lhe perseguem, não terá mais motivo de lembrar de alguém que lhe causou algum dano.

Amar a si mesmo

Para amar vidas é necessário ter a habilidade de se amar primeiro, de ter uma alma organizada e renovada. Como está o nível da sua alma? Quando cumprimos os mandamentos, o Senhor organiza o nosso mundo interior.

Uma pessoa que não se ama também não ama vidas. O que faz uma pessoa se amar não é a aparência, o biotipo, o estereótipo, o fator externo, mas o que é somado na alma é que conduz ao amor ou ao aborrecimento. Há pessoas que são aparentemente bonitas e se odeiam e outras, que são aparentemente feias e se amam. Quem tem uma alma livre se ama e ama vidas.

Deus vai ampliar o conceito que você tem de si mesmo para que se alguém intentar contra sua alma tenha prazer em dizer que o seu Senhor, Yeshua Ha Mashiach, aparentemente era feio, mas mudou uma história (Isaías 53:2).

Jesus não possuía em Sua aparência beleza, mas mudou uma história.

O cuidado com a alma

Sabemos que pessoas que vivem no mesmo contexto possuem posturas diferentes e não é por causa das informações que receberam e sim por causa dos lixos que absorveram. São pessoas que só jogam lixo na alma enquanto outras vivem em meio ao lixo, mas não se contaminam, por gostarem de nobreza. São as antíteses ao ambiente.

Deus transformará a sua alma e as pessoas olharão para você e verão que você é uma pessoa de excelência e de muitas conquistas. Tome posse da grandeza do Reino de Deus. Não permita que sua alma fique perturbada. Receba o mandamento de Deus e ame as vidas.

Respeito

O respeito nos permite enxergar a nós mesmos e as pessoas de forma diferente. Tudo se torna mais compensador quando voltamos a respeitar a vida, respeitar o que fazemos e respeitar as pessoas.

Quando voltarmos a amar, ganharemos, consolidaremos, discipularemos e enviaremos uma equipe de excelência.

Deus está desestressando a nossa alma e nos batizando em amor. Somente através do amor aumentamos o nosso nível de conquista. Toda pessoa que vive de bem com a vida prospera muito mais.

Não podemos esquecer que Deus nos entregou através de Jesus o mandamento do amor: O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer. Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros. (João 15:12-17)

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito