20150928

Vencendo a crise através da Graça. 2Co 12:7-10. Pr. Edenir Araújo. Culto de Celebração - 28/09/15

“7 E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. 8 Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. 9 Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. 10 Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” 2Co 12:7-10

Introdução

“Por causa da grandiosidade daquelas revelações, para que eu não ficasse orgulhoso, recebi o dom de um obstáculo, que me mantém em contato permanente com minhas limitações. O anjo de Satanás fez o melhor que pôde para me derrubar, mas o que conseguiu foi me pôr de joelhos. Sem chance que eu ande de nariz empinado e orgulhoso! No princípio, eu não pensava nele como um dom, e pedi a Deus que o removesse. Repeti o pedido três vezes; então, ele me disse: Minha graça é o bastante; é tudo de que você precisa. Minha força brota da sua fraqueza. Assim que ouvi isso, achei melhor me resignar. Desisti de ficar pensando na limitação e comecei a apreciar o dom. Foi uma oportunidade para que a força de Cristo trabalhasse na minha fraqueza. Agora enfrento com alegria essas limitações, com tudo que me torna pequeno — abusos, acidentes, oposição, problemas. Simplesmente permito que Cristo assuma o controle! E, quanto mais fraco me apresento, mais forte me torno.” 2Co 12:3 (A Mensagem)

No texto compartilhado, vemos Paulo passando por uma extrema aflição. No limites de suas forças, como que num último recurso, Paulo ora três vezes ao Senhor e a resposta que o mesmo recebe é: “a minha graça te basta”. Meu Deus! Esse não é o tipo de resposta que se espera quando se está desesperado. Quando oramos a Deus, esperamos que o Senhor providencie a resposta de imediato. E esperamos também que a resposta seja arrancar o problema de nós. Mas o que vemos no texto é Jesus Cristo dizendo: “Paulo, não vou tirar esse espinho da sua carne, mas vou capacitá-lo através da minha graça”.

Qual é o problema da maior parte dos cristãos que conheço? Eles não dependem da graça somente mas tentam de todas as maneiras fazer algo para sua própria justificação.

A lição aqui é que devemos depender da graça. A partir do novo nascimento a graça deve se manifestar pois tudo a partir da salvação deve ser pela graça. Você pode perguntar: Mas pastor, onde fica Tiago quando a fé sem obras é morta?
As obras nunca podem ser para a nossa justificação.

Disciplinas para alcançar graça?

Dentro das nossas igrejas, sutilmente acontece uma tentativa de negociata com o Senhor. Orações com bases bíblicas, jejuns, promessas, são práticas habituais para se alcançar o que de graça nos foi concedido. Já pensou como seria a espiritualidade de uma pessoa, se em sua vida cotidiana, essas disciplinas espirituais fossem levadas tão a sério como nos dias em que queremos receber algo do Senhor?
Em tempos de “buscar a nossa bênção”, vale de tudo: Arrependimento profundo; orações e jejuns; reconciliação com irmãos; abstinência completa, etc.
Quero deixar claro, que não tenho nada contra as disciplinas espirituais, muito pelo contrário, eu as pratico e sei que delas depende a nossa permanência e relacionamento com o Senhor. Apenas creio ser muito perigoso e arriscado querer comprar o que não se pode pagar. Se recebemos algo de graça, é evidente que não precisamos pagar nada por isso. Simples assim. A benção de Deus não tem preço, é de graça!
Tentar induzir, coagir ou constranger nosso Senhor a mover-se em nosso favor com nossas práticas devocionais é insultá-lo, é colocarmo-nos à margem da graça.

Sempre achamos que temos algo bom em nós

O pensamento que temos é que podemos fazer algo para ajudar Deus. É sempre assim que pensamos.

Na pregação “Graça Irresistível e Depravação Total”, John Piper disse: “Não é que 99% de você seja escravo do pecado e uma parte de 1% seja bem esperta ou espiritual ou bastante bem-sucedida para produzir o que é exigido de você. Não há esse 1%, estamos 100% mortos em delitos e pecados e somos incapazes de fazer o bem. Você ama o mal de tal forma que não consegue fazer o bem. Você é tão inclinado ao orgulho, que não consegue ser humilde”.
Eis a verdade: Em nossa natureza não habita bem algum!

“16 Ora, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. 17 Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim. 18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. 19 Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. 20 Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.” Rm 7:16-20
“20 logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive (diariamente) em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” Gl 2:20

“Pois todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como o vento, nos arrebatam.” Is 64:6

Quando pensamos que Deus está fazendo algo pelo que nós fazemos estamos negociando com Deus!

Podemos chamar tal prática de “mercantilismo espiritual” e isso é muito comum nos dias de hoje. Quando o homem desenvolve uma prática devocional, seja ela qual for, com o objetivo de receber algo de Deus, anula-se o pleno e perfeito sacrifício de Cristo. Não precisamos acrescentar nenhum esforço sobre a obra que Jesus concluiu.

“Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo justo justificará a muitos, e as iniquidades deles levará sobre si.” Is 53:11

Deus não divide a glória d’Ele com ninguém!

“Eu sou o SENHOR, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura.” Is 42:8

Nosso devocional é muito importante!

Como já disse, devemos desenvolver o hábito do devocional diário, mas sem querer barganhar com Deus.
Não devemos orar e jejuar para Deus agir, mas porque Ele agiu fazemos essas coisas. Em outra dispensação, essa coisas de fato eram necessárias para a justificação. Mas nos dias de hoje, devemos fazer tudo isso para manifestar a nossa fé em Deus e não para sermos justificados pelas nossas obras.
Muitos tropeçam nesse sentido quando oram para ter poder, e não para relacionar com Deus; estudam a Bíblia não para conhecer ao Senhor e fazer sua vontade, mas só para preparar uma mensagem, texto ou canção; jejuam para acontecer aquilo que estamos esperando e buscando, e não para aguçar os sentidos e termos comunhão íntima com O Amado. É nessa hora que o sentimento de gratidão e o estado de dependência de Deus vão por água abaixo! Perdemos o sentimento de gratidão porque Deus não está fazendo de graça, tem um motivo, e o motivo é: Eu estou fazendo também. Perco o estado de dependência porque não dependo somente de Deus, dependo também das minhas práticas ou esforço próprio.

C.S. Lewis escreveu acertadamente: “O diabo manda armadilhas aos pares. Fugindo de uma armadilha é possível que eu caia na outra”.

Com uma “boa” intenção de fazer a coisa certa, nós podemos estar fazendo o certo da maneira errada. Veja o exemplo de Paulo quando ainda era perseguidor da igreja. Ele achava que estava fazendo um favor a Deus enquanto perseguia os cristãos, mas foi duramente reprovado pelo Senhor na estrada que conduzia a Damasco.

Não entendemos a graça

Temos certa dificuldade em lidar com a questão da graça, pois vivemos debaixo de um sistema de 
recompensas. Desde a mais tenra idade somos ensinados que se fizermos a coisa certa, então seremos recompensados, doutra sorte, nossas ações erradas nos trarão dano e punição. Não quero dizer que isso seja totalmente errado, pois de fato a lei da semeadura nos ensina que colheremos exatamente de acordo com o que estamos plantando. O problema surge, quando fazemos da lei da semeadura uma lei absoluta e irrevogável. A lei de Moisés está mais viva do que nunca nos dias de hoje na vida de muitos irmãos, eliminando a graça e o favor de Deus, fazendo parte do cotidiano, ainda que de maneira disfarçada. Nossa mente tem dificuldade em assimilar o favor de Deus.

É comum rejeitar o que nos é dado de graça

Por exemplo, se estamos em débito com alguém e este decide perdoar nossa dívida, muitas vezes resistimos o favor dizendo: “Que isso? Você está me ajudando, mas assim que puder, eu te pago”. Você já deve ter ficado constrangido, quando depois de almoçar com um amigo, este se dispõe para pagar a sua conta. Costumamos rejeitar a ideia dizendo: “Que isso? Deixa que eu pago”. Chamamos isso de “justiça própria” ou “auto justificação”, podemos chamar também de “Síndrome do jovem rico”, pois em Mateus 19, após Jesus ensinar sobre alguns valores do Reino de Deus, Ele é abordado por um jovem rico que lhe pergunta:

“16 ... (b) Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? 17 Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. 18 E ele lhe perguntou: Quais? Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; 19 honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. 20 Replicou-lhe o jovem: Tudo isso tenho observado; que me falta ainda? 21 Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. 22 Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades. Mt 19:16-22

Jesus repreende este jovem dizendo que o único bom é Deus, e desafia o mesmo a abrir mão de suas posses para depois segui-lo. O jovem queria fazer algo de si mesmo para receber de Deus, mas como era de se esperar, diante do desafio proposto por Jesus, o jovem rico desistiu do preço proposto e foi-se embora. Veja que passou pela cabeça deste homem a possibilidade de se justificar. O sujeito cheio de “boas intenções” queria pagar pela salvação. Por isso muitas pessoas não compreendem a salvação como um favor imerecido.

Muitos cristãos hoje em dia estão sofrendo da doença dos Gálatas, pois querem acrescentar esforços ao sacrifício de Jesus.

Veja a exortação de Paulo aos Gálatas:

“1 Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão. 2 Eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. 3 De novo, testifico a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei. 4 De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes.” Gl 5:1-4

A salvação é o favor imerecido para aquele que crê e confessa.

Isaias deixa claro que o que Jesus fez foi suficiente para que sejamos justificados completamente.

“11 Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si.” Is 53:11
Nós não devemos ter problema com a afirmação que diz: “A salvação é um dom gratuito da parte de Deus”. Não precisamos fazer absolutamente nada além de crer e confessar, para sermos salvos. É o favor imerecido! É a graça!

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; 9 não de obras, para que ninguém se glorie.” Ef 2:8-9

Não podemos acrescentar um só esforço por menor que seja para a nossa salvação. Ele pagou toda a nossa dívida. O que Jesus fez pela humanidade foi perfeito, por isso a palavra nos ensina que Aquele que começou a boa obra nas nossas vidas é também responsável por terminá-la.

Mas será que a graça é somente para a salvação eterna?

“...tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus...” Fl 1:6
“Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, 13 aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. 14 Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre (já está consumado) quantos estão sendo santificados.” Hb 10:12-14

Deus Pai aprovou o sacrifício de Jesus de uma vez por todas! O que Ele fez foi único, perfeito, suficiente e eterno! Ele pagou pelos pecados passados, presentes e os que ainda vamos cometer. Porque com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. Aleluia!
É favor imerecido! É graça! A salvação é o favor imerecido para aquele que crê e confessa.


Agora nos cabe entrar na plena dimensão da graça, que deve se manifestar em nosso viver diário nos provendo em todas as áreas.

“18b ...Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mt 28:18-20

“Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” Rm 8:32

“26 Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. 27 Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis. 28 E habitareis na terra que eu dei a vossos pais, e vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus. 29 Pois eu vos livrarei de todas as vossas imundícias; e chamarei o trigo, e o multiplicarei, e não trarei fome sobre vós; 30 mas multiplicarei o fruto das árvores, e a novidade do campo, para que não mais recebais o opróbrio da fome entre as nações.” Ez 36:26-30


Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará.” Sl 37:5

20150922

Vencendo as crises pelo poder do Espírito. Pr. Edenir Araújo. At 1:8. Culto de Celebração - 20/09/15

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 1:8

Introdução

Atos é uma mudança de era
Enquanto os evangelhos retratam Jesus encarnado como homem, em Atos a era muda para o agir do Espírito. O pastor Aluizio Silva diz que o tema de Atos é a liberação do Espírito de Cristo, e isso só foi possível pela morte e ressurreição do nosso Senhor Jesus, pois após sua morte, ressurreição e ascensão foi nos dado o Espírito. Por isso, Cristo não está mais restrito ao corpo, Ele veio habitar em nós e nos fez um com Ele.

Coluna dorsal
Atos é como uma coluna dorsal. A nossa coluna divide nosso corpo, está no meio e nos sustenta, nos coloca de pé. Assim é o livro de Atos, é uma extensão do Evangelho de Lucas, mas incrivelmente colocado os 4 evangelhos e as cartas paulinas e epistolas universais de Tiago, Pedro, João e Judas. Está no meio para mostrar-nos sua importância.

Atos é o poder de Deus dentro do homem
O livro de Atos é um relato do agir do Espírito a partir do interior do homem. É a união do Espírito conosco, nos fazendo igreja viva, tornando-nos membros do corpo, uma extensão de Cristo. A igreja nasceu da união do Espírito com os primeiros cristãos.
Sem a descida do Espírito (pentecoste) a igreja não existiria. Atos não é o livro que retrata apenas os atos de Pedro e Paulo, mas principalmente o agir do Espírito através dos Apóstolos.
Dessa forma, quero retratar aqui, o agir do Espírito no livro de Atos, pois sem esse agir jamais poderíamos ser como essa igreja gloriosa que foi a igreja primitiva.

O pentecoste é a autorização para o cumprimento da vontade de Deus
A ordem de Jesus era para que aqueles primeiros discípulos não fossem para o campo, não fossem enviados aos perdidos sem antes serem cheios do Espírito Santo. Essa era a capacitação necessária para o cumprimento do Ide.
Ter Jesus para Salvação é diferente de sermos cheio do Espírito para proclamação.
Num primeiro momento recebemos o Senhor Jesus pela fé para a nossa salvação, mas num segundo momento precisamos buscá-lo para sermos cheios do Espírito para a proclamação.
E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito...” Ef 5:18
Dynamus (Poder)
“Eu lhes envio a promessa de meu Pai; mas fiquem na cidade até serem revestidos do poder (Dynamus) do alto.” Lc 24:49 (At 1:4)
“E acontecerá, depois, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos derramarei do meu Espírito naqueles dias.” Jl 2:28-29
Por fim, podemos constatar os efeitos desse dynamus:
·      Intrepidez (ousadia) para anunciar a palavra de Deus e serem testemunhas. (At 4:8 e 31)
·      Sabedoria, o que fazia com que ninguém resistisse às suas palavras. (At 6:10)
·      Discernimento para tomar as decisões e direção. (At 8:29)
·      Autoridade para repreender o inimigo.
·      Autoridade sobre as doenças.
Este poder fez grande diferença na vida dos primeiros cristãos e pode fazer total diferença em nossas vidas também. Precisamos do derramar do Espírito Santo sobre nós e precisamos ser guiados por Ele assim como a igreja primitiva para como eles, façamos Sua vontade!

O Pentecoste é um poder transformador de dentro para fora
O novo nascimento te transforma em uma nova criatura, mas o pentecostes te capacita a provocar mudanças exteriores.

“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” At 2:1-4

Minha intenção nesse capítulo, é levar você a compreender a importância do Pentecoste em nossas vidas, vivendo uma vida cheia de Deus, desfrutando da  vida abundante do Senhor. Certamente há mais de Deus para experimentar! A salvação é o ponto de partida, e ela é maravilhosa, mas é apenas o começo. Existe o batismo no Espírito, ou a plenitude no Espírito como prefiro chamar.
Jesus um dia disse para um jovem rico e religioso: “uma coisa te falta...”. Para muitos faltam experiências com o Senhor, falta conhecer um pouco mais da glória e poder de Deus.

Pedro
Pedro era um homem de Deus, escolhido e chamado por Jesus, mas mesmo depois de ter andado 3 anos e meio com Jesus, ainda faltava algo em sua vida espiritual, faltava uma experiência com o Pentecoste.
            Se você olhar à luz da Bíblia verá como Pedro era um bom homem. Ele largou tudo pelo Senhor, era sempre proativo. Todavia, Pedro era alguém com dificuldades e limitações. Ele chamou o Senhor de canto para repreendê-lo e orienta-lo a não morrer na cruz. Pedro também negou o Salvador. Também não aceitava o fato do evangelho ser transmitido aos gentios. Em muitos momentos aparece na história como um homem que queria resolver as coisas na sua força. Mas, como diz em Tiago, “a ira do homem não produz justiça de Deus”. Você pode dizer: “Pastor, você só está falando de defeitos de Pedro”. É isso mesmo irmão! Faço isso para você entender que a glória de Deus não é para os grandes homens. A glória de Deus não é para monges e nem para os que se acham, mas sim para as pessoas simples como Pedro, para mim e para você. A glória de Deus está aí para quem quiser experimentá-la, para quem quiser vivê-la; para quem quiser se lançar nesse rio de glória.
Vamos analisar Pedro antes do Pentecostes:

Inconstante
Ele era inconstante. Vivenciou momentos de explosão de ira, sendo agressivo e violento. Quis andar por sobre as águas e até andou, mas, ao mesmo tempo, olhou para o vento e afundou. Veja bem, não estou simplesmente criticando Pedro, eu provavelmente nem desceria do barco sem o Pentecoste. Mas Pedro era assim, inconstante como são muitos dos que estão lendo esse texto.

Confiava em si
Certa noite, cortou a orelha de um servidor de Herodes durante a captura do Mestre (João 18:10-11). Você consegue imaginar um Apóstolo andar armado pronto para a briga? Pedro ainda esperava uma revolução que se resolvesse no braço, confiava em si, na sua própria força, dizendo para Jesus: “Eu te protejo, deixa comigo”. Quantos de nós estamos liderando, pastoreando, discipulando na força do braço, dizendo “eu consigo, eu vou chegar lá, eu dou conta”. O problema é que na força dos braços, alguns nunca se entregam, continuam dia após dia, fazendo na sua força. Você precisa do Pentecoste para saber que é na força do Espírito, na graça do Filho que fazemos proezas. O “tudo posso naquele que me fortalece” é usufruir do poder do Espírito pela graça de Deus. Deixe de confiar em si, essa luta é perdida, acredite em mim. No entanto, posso te dizer por experiência própria que, no Espírito, coisas que achávamos que nunca faríamos acontecem. Aleluia!

Era orgulhoso
Pedro, em minha opinião, era orgulhoso. A declaração de Pedro a Jesus dizendo que nunca O trairia ainda que todos o traíssem (Mt 26:31-35),  perdoem-me, mas é orgulho puro para mim. Digo isso porque já pensei a mesma coisa, admito meu pecado. Já vi líderes falhando e pensei “ah, eu não. Pode esses falharem, mas e não falharei”. Mesmo como pastor, já vi problemas em igrejas em que eu disse a mim mesmo: “Quando eu tiver a minha igreja isso jamais acontecerá”. E, para meu desespero, muito do que eu disse que jamais aconteceria, aconteceu e até pior. Acho que muito aconteceu por minhas falhas, mas também acredito que Deus permitiu para quebrar meu orgulho, meu sentimento de me achar superior.
Agora vamos olhar a passagem que inicia o capítulo. Jesus diz que o diabo estava peneirando, depois diz que orou por ele e ainda disse que Pedro o negaria. Não houve quebrantamento, houve um sonoro “EU NÃO O NEGAREI, o Senhor está errado dessa vez. Apesar de nunca errar, dessa vez o Senhor errou”.

Vejo a seguir três erros que o orgulho de Pedro o levou a cometer:
1. Contradisse frontalmente Jesus.
2. Foi arrogante, fazendo-se superior aos colegas.
3. Superestimou a própria estabilidade espiritual, pensando que poderia resistir a qualquer tipo de situação.

O que faltava a Pedro?
A glória, o fogo e o derramar do espírito era o que ele precisava; essa era a sua maior necessidade. E isso se cumpriu em Atos 2. Depois de Atos, Pedro foi outro. Ele não mais resolvia as coisas da sua forma, na força de sua carne ou na base da alma, mas sim era usado por Deus. Um homem simples tornou-se alguém extremamente ousado e cheio do Espírito. Não estou dizendo que Pedro se tornou infalível ou inerrante, pois depois de ser cheio do Espírito, ele ainda cometeu erros. O que ficou evidente após a ressurreição e o Pentecoste, é que dois “Pedros” bem distintos um do outro existiram.

“O Cristianismo não foi dado para melhorar o mundo e sim para transformar pessoas.” Martyn Lloyd Jones
Depois do pentecoste...
Onde Pedro chegava o ambiente mudava, e eu creio que será assim com você, em nome de Jesus!
Agora, vejamos algumas características de Pedro depois do pentecoste.

1.    Era usado
Até Atos 12, vemos em grande parte, a história de como Deus poderosamente estava usando Pedro. Ele foi usado para ser um agente divino, para impulsionar a igreja primitiva. Ele foi usado por Deus nas curas e, de tanto que era usado por Deus, acabou preso. Porém, aquelas grades não puderam parar o mover de Deus através da vida de Pedro.

2.    Tornou-se ousado
“Não tenho ouro e nem prata, mas o que tenho te dou Jesus, o nazareno. Levanta e anda.” At 3:6
Que Ousadia tremenda na hora de falar com esse homem que era coxo de nascença. Em Atos 2, sua pregação é tremendamente ousada, dizendo aos Judeus que eles mataram o Messias. Em Atos 5:27, Pedro é levado perante o Sinédrio, diante do sumo sacerdote, e é dito a ele que foi dado uma ordem para não pregar mais, mas sua resposta, juntamente com os apóstolos é: “É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!” At 5:29.
Vemos que Pedro creu no poder de Deus para livrá-lo naquela ocasião, ao mesmo tempo que estava pronto para morrer pelo evangelho, caso Deus não o livrasse.

3.    Confiava em Deus
Pedro confiou e foi guiado pelo Espírito, por isso, assumiu a liderança da igreja. Crendo no chamado de Deus e firmado nas Palavras de Jesus, deixou para trás a culpa por tê-lo negado e assumiu sua função no corpo, sendo ministro e sacerdote. Que eu e você façamos o mesmo, confiando no Senhor, pois aquele que nos chamou nos capacitará para fazermos a obra de Deus. Contudo, nossa base deve ser a confiança em Deus, o poder do Espírito e a graça de Deus. Nunca devemos não em nós mesmos.

4.    Era quebrantado
Pedro, depois do Pentecoste, foi muito quebrantado. Isso fica evidenciado na ocasião em que Paulo o corrige na frente de todos. Acredito que o antigo Pedro não suportaria tamanha pressão. Quando Tiago, irmão do Senhor Jesus, assumiu a liderança da igreja no lugar de Pedro como acreditam os melhores teólogos, não houve uma disputa carnal. Acredita-se que Pedro simplesmente aceitou que Deus estava agora usando Tiago. E além disso, há o fato de aceitar a pregação aos gentios, de ir à casa de Cornélio, pregar e ver o Espírito descer sobre eles.

Por tudo isso, creio que a história de Pedro pode ser a minha e a sua história. Deus quer nos encher e nos usar poderosamente nessa geração, nos fazendo homens e mulheres confiantes em Deus, quebrantados, usados e ousados no poder do Espírito. Essa mudança aconteceu porque Pedro foi imerso no Espírito, isto é, foi batizado no Espírito.

20150916

Salmo 91, uma promessa de proteção em meio às crises. Parte 2. Sl 91:1. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 13/09/15

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo (El Elion), à sombra do Onipotente (El Shadai) descansará”. Sl 91:1

Introdução

Há 4 semanas, temos buscado em Deus, respostas para este tempo de crise. O melhor de tudo isso, é que o Senhor nos tem respondido. Vemos que Deus não mudou, pois no Velho Testamento, em tempos de crise, Israel fazia o mesmo. Quando passavam por alguma situação de adversidade ou crise, buscando ao Senhor, eles O encontravam. Os homens que serviram a Deus no passado, bem como nós que servimos a Deus hoje, sabemos que todos os que buscam o Senhor de todo coração O encontram.
Tanto quanto, o Salmo 91, Isaias 43 nos diz que passaremos pelas crises e dificuldades e não seremos atingidos.

“Mas agora, assim diz o Senhor que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu. 2 Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” Is 43:2-3

As dificuldades, problemas ou crises, são oportunidades de experimentarmos o cumprimento das promessas de Deus. Quando Jacó fugia de seu irmão Esaú, em meio a uma enorme crise, teve um sonho em Betel e ouviu do Senhor: “Eis que eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a esta terra, porque te não desampararei, até cumprir eu aquilo que te hei referido”. Gn 28:15p

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.” Sl 23:4
“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mt 28:20

Deus sempre terá uma palavra para os que esperam n’Ele!

Dizem os estudiosos e eu creio nisso, que existem por volta de 32.000 palavras de promessas na Bíblia. Segundo a “Concordância Exautiva de Strongs”, a expressão “não temas” que no hebraico é “yare” ocorre 305 vezes na Bíblia, quando associamos à soma, todos os equivalentes desse termo como uma promessa dos cuidados protetores de Deus para Seu povo, chegamos a 365 promessas de cuidado e livramento. Vamos colocar nossos corações nas promessas de Deus. Todos os dias do ano, Ele renova suas promessas em nós!

Não entendemos os planos do Senhor pois são mais altos que os nossos

Os planos do Senhor são mais altos do que os nossos, e é por essa razão que não entendemos o seu trabalhar.
“...porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.” Is 55:9

Deime-me dar alguns exemplos:

Jesus na crucificação
Deus permitiu que satanás e seus demônios crucificassem a Jesus, contudo, por meio dessa morte, Ele condenou satanás e trouxe salvação a milhões de pessopés os discípulos se desesperaram e fugiram todos com exceção de João, que permaneceu aos pés da cruz.

A prova de Jó
Deus permitiu que Jó sofresse mais perdas em um dia do que qualquer outro homem na história havia sofrido antes. Posteriormente, Deus silenciou o inimigo, restituindo e acrescentando sobre Jó bênçãos sem medidas por sua fidelidade. Ainda hoje, a história de Jó nos serve de conforto em tempos de crises e adversidades.

José e seus irmãos
Deus submeteu José a uma grande prova permitindo que seus irmãos o vendessem como escravo para o Egito. Todavia, O Senhor exaltou José, levantando-o como uma das maiores autoridades do Egito e salvador de seu povo. Com relação a maldade que foi praticada contra José, ele mesmo disse:
“Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida.” Gn 50:20

Paulo aprisionado
Os perseguidores da igreja e inimigos do evangelho jogaram Paulo na prisão. Porém, dessas prisões vieram cartas que agora são partes importantes da palavra de Deus. (As epístolas da prisão são: Efésios, Filipenses, Colossesnses e Filemom)

“Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos.” Is 57:15
dizem alguns estudiosos comportamentais que o índice de pessoas depressivas entre os jogadores de vôlei é quase zero. Isso porque, segundo eles, os jogadores passam boa parte do tempo olhando para o alto. O que isso tem haver com o a depressão? É que quando o homem olha para o alto, ele dobra a cabeça para terá é olha para cima. Esse movimento libera uma endorfina, uma substância que promove o ânimo e

Segundo uma reportagem da ESPN, 26 % dos jogadores de futebol sofrem de depressão e ansiedade e esse número aumenta para 39% quando se trata de jogadores aposentados. Fonte de pesquisa: FIFIPro (Sindicato Mundial dos Jogadores).
Por que a arca de Noé só tinha uma janela para cima? Para que o homem olhasse sempre para cima.

Agora, eu quero voltar ao Salmo 91 verso 1 e fazer três importantes observações.
1.  
    O descanso de Deus em meio às crises é para os que estão habitando no “esconderijo do Altíssimo”.

O que significa Habitar?

Habitar significa “residir, fazer morada, viver, estar presente”. Eu sei que todos os crentes em Jesus, nascidos de novo, tem relacionamento com o Senhor. Mas sei também, que nem todos habitam de fato no Senhor e em Sua vontade. Só quem permanece no esconderijo do Altíssimo pode de fato descansar experimentando a ação do Todo-Poderoso. Habitar significa estar guardado e protegido em Deus. Pedro disse que devemos lançar as nossas ansiedades no Senhor, pois Ele cuidará de nós! 1Pe 5:8

Por exemplo, suas finanças estão no esconderijo do Altíssimo? Seu casamento está no esconderijo do Altíssimo? Seus negócios estão no esconderijo do Altíssimo? Seu ministério está no esconderijo do Altíssimo? Suas redes sociais estão no esconderijo do Altíssimo? Seus pensamentos estão no esconderijo do Altíssimo? Seu coração está no esconderijo do Altíssimo?
Se alguma área de sua vida não está no esconderijo do Altíssimo, está exposta aos perigos deste mundo.

Quando você não confia em Deus para te proteger, Ele te deixa responsável por seus atos. É por essa razão que muitas coisas dão errado em nossas vidas. Por que o relacionamento não deu certo? Porque não estava escondido no esconderijo do Altíssimo. Por que não estou crescendo profissionalmente? Porque seus projetos não estão escondidos no esconderijo do Altíssimo. Por que não consigo prosperar financeiramente? Porque seu dinheiro não está escondido no esconderijo do Altíssimo. Por que não consigo me ver livre desse sentimento ruim? Porque seu coração não está escondido no esconderijo do Altíssimo!

Como esconder-me de maneira plena no esconderijo do Altíssimo?

“5 Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará. 6 E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia. 7 Descansa no SENHOR, espera nele...”. Sl 37:5-7

Confia ao SENHOR as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.” Pv 16:3 (RC)

Confiar é submeter!

Quando você confia em um advogado para te orientar juridicamente, você se torna submisso a ele. Emtão, ele fala em seu nome com autoridade e poder para te proteger. Quando você presta uma queixa na delegacia sobre alguma agressão ou ameaça, você se submete a autoridade da polícia civil ou militar para ser protegido. A autoridade policial vai te representar e proteger diante daqueles que te ameaçam.

Não é diferente com Deus, pois quando nos submtemos a Ele, Somos guardados por Ele. Quando decidimos nos esconder n’Ele, vivemos a palavra de Isaia 45 que diz:

“1 Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela sua mão direita, para abater as nações diante de sua face; eu soltarei os lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão. 2 Eu irei adiante de ti, e endireitarei os caminhos tortos; quebrarei as portas de bronze e despedaçarei os ferrolhos de ferro. 3 E te darei os tesouros das escuridades e as riquezas encobertas, para que possas saber que eu sou o SENHOR, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome.” Is 45:1-3

Agora o contra ponto disso, é que as pessoas que não estão sujeitas à vontade de Deus, não habitam n’Ele e assim lutam com suas próprias forças. Um sentimento de auto-suficiencia geralmente cega os que decidem abandonar os cuidados de Deus. Quem não se submete a vontade de Deus é como Lúcifer no tocante a atitude de independência. Mesmo que isso não seja um ato voluntário ou declarado, se você não se submete, é porque se sente melhor ou mais capaz do que Deus é. Isso é muito ruim, pois todos os que se colocam acima de Deus ou de Sua vontade inevitavelmente são lançados por terra. Essa é a razão de vermos tantos irmãos derrotados nas nossas igrejas. Muitos são duros e intratáveis, arrogantes e prepotentes. São como materiais refratários, não absorvem as coisas do Espírito. São como um tolha nova. Você já se enxugou com uma toalha nova? De fato é horrível, pois parece que não absorve a água do corpo. Precisamos absorver o Senhor em tudo. Sua vontade e direção deve sempre reger as nossas vidas, ainda que isso venha nos custar o preço da obediência, da dor da renúncia.

As áreas da nossa vida são os meios pelos quais Deus ou o diabo age.

Como devo fazer para descansar na sombra do todo Poderoso?

Arrependa-se! Submeta-se! Desça! Diminua-se! Humilhe-se! Renuncie-se! Seja humilde! Dependa! 
Continua na próxima semana...


20150907

Salmo 91, uma promessa de proteção em meio às crises. Parte 1. Sl 91:1-16. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 06/09/15

“1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. 2 Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.  3 Porque ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. 4 Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade é escudo e broquel. 5 Não temerás espanto noturno, nem seta que voe de dia, 6 nem peste que ande na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia. 7 Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido. 8 Somente com os teus olhos olharás e verás a recompensa dos ímpios. 9 Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio! O Altíssimo é a tua habitação. 10 Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. 11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. 12 Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra. 13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente. 14 Pois que tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque conheceu o meu nome. 15 Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; livrá-lo-ei e o glorificarei. 16 Dar-lhe-ei abundância de dias e lhe mostrarei a minha salvação.” Sl 91:1-16 (ARC)

Introdução

Alguém me questionou dizendo: Pastor, será que não estamos idolatrando ou fazendo do Salmo 91 uma reza como alguns fazem com o “Pai Nosso”? Respondi ao irmão: Não acredito que estamos fazendo do Salmo 91 uma idolatria ou reza, apenas estamos aplicando suas verdades para a nossa realidade. O salmo 91 é uma palavra de livramentos em meio às crises, é uma palavra apropriada para a realidade que estamos vivendo. Veja bem, se estivéssemos vivendo um tempo enfermidades diversas assolando os irmãos, estaríamos lendo Isaias 53 ou Marcos 16:18, pois estes textos nos falam de curas físicas. Assim quero continuar lendo todos os dias este mesmo Salmo até que todas as promessas de livramentos do Senhor se cumpram sobre nós.

Deus está confirmando a sua palavra operando muitos milagres nos dando muitos livramentos nesses dias de crise, ontem mesmo, tivemos um grande livramento com relação ao nosso irmão André. Seu veículo foi atingido por uma bala perdida que estilhaçou o vidro do passageiro atravessando o veículo e nada lhe aconteceu. Cumpriu a palavra do Sl 91:7: Ainda que outros morram à sua volta e caiam por todos os lados, você não sofrerá nem um arranhão. (A Mensagem) Aleluia!

Ainda com relação ao Salmo 91, nós estamos orando o mesmo durante esses dias, não por sermos místicos e acharmos que existe um poder especial neste Salmo que não haja em outros, mas porque temos revelação dessa maravilhosa palavra de livramento e prosperidade. Sabemos que essa é uma palavra para nós em tempos de crise. Este é o Salmo da proteção para aqueles que se refugiam em Deus.

Deus não nos tira da crise

Deus não vai nos livrar da crise, mas vai nos livrar na crise. Ele não nos livra da fornalha, mas nos livra na fornalha. Não nos livra do deserto, mas nos livra no deserto. Deus faz isso para glorificar o seu nome, pois seu poder sempre vai se manifestar em situações adversas. Como Paulo disse: O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza. Isso está totalmente de acordo com a oração de João 17:15: “Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal.” Jo 17:15. Parafraseando: Não os livre do mundo, mas dê a eles livramento no mundo!

Esse Salmo é poderoso, pois nos desperta a fé para crermos no poder de Deus para nos guardar. O Salmo 91 é a oração para os momentos de crise. Por quê? Porque é um Salmo de descanso e livramento.
Veja algumas promessas do Salmo 91:
Verso 1: “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.” Descanso. No sentido de contemplar o que Deus está fazendo, sentindo-se seguro em Deus.
Verso 2: “Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio (trincheira), a minha fortaleza (Grande edificação murada), e nele confiarei.”
Veja a ordem na palavra: Primeiro me escondo e descanso, depois abro minha boca e profetizo: “Direi do Senhor...”. Refúgio (Trincheira), Fortaleza (Edificação Murada, bem guardada)
Verso 3: “Porque ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.” Somos livres das Armadilhas (Ef 6:11) e também das doenças (pestes perniciosas).
Verso 4: “Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade é escudo e broquel.” a) Ele nos cobre e nos protege como uma galinha cuida e protege seus pintinhos (Lc 13:34-35). b) Escudo (arma de defesa) e broquel (algo perfurante, anzol, farpa. Arma de ataque).
Verso 5 e 6: “5 Não temerás espanto noturno, nem seta que voe de dia, 6  nem peste que ande na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.” Essa palavra nos fala de livramentos diários! O texto está dizendo que de noite e de dia somos protegidos pelo Senhor. Protegido 24 Horas! É a nuvem durante o dia e a coluna de fogo de noite. Não é proteção parcial, mas integral, em todo o tempo!
Verso 7: “7 Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido.” A versão da Bíblia “A Mensagem”, diz que não sofreremos nenhum arranhão.
Verso 10: Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.” Nenhuma maldição prosperará contra a nossa casa.
Verso 11: “Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.” Anjos foram designados para nos guardarem nos dando livramento.
Verso 12: Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.” Anjos estão nos dando suporte e direção segura.
Verso 13: Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.” Andaremos seguros entre leões e cobras e o diabo será pisado e estará esmagado debaixo dos nossos pés.
Verso 15: Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia (crise); livrá-lo-ei e o glorificarei.” Seremos respondidos na angústia.
Verso 16: Dar-lhe-ei abundância de dias e lhe mostrarei a minha salvação Teremos vida longa e feliz.

Aleluia!

O salmista anônimo não é um poeta apenas, mas um proclamador da grandeza e poder de Deus. A lição que nos deixa é sobre a importância de confessar a palavra de Deus, por isso Ele diz: Direi do Senhor”. O Salmista pela fé é quem diz tudo isso sobre o Senhor.
O salmista anônimo profetizou, disse sobre sua fé em Deus “Direi do Senhor”. Enquanto a maior parte das pessoas estão dizendo sobre as dificuldades e coisas naturais, nós devemos dizer do Senhor.
A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, mas o mover e o poder de Deus se manifesta pela proclamação da Palavra viva de Deus. Jesus disse: “E vós sereis as minhas testemunhas”. Jesus é a Palavra segundo João 1:1 e nós somos suas testemunhas segundo At 1:8, então devemos falar a Palavra para que Deus se mova.
Vamos dizer do Senhor a exemplo do Salmista, e vamos todos juntos fazer isso na versão da Bíblia “A Mensagem”.

“1 Você, que se senta na presença do Deus Altíssimo e passa a noite à sombra do Todo-poderoso, 2 Diga assim: Deus, tu és meu refúgio. Confio em ti e estou seguro! 3 Isso mesmo. Ele protege você das armadilhas e o defende de perigos mortais. 4 Seus enormes braços estendidos são como um escudo: atrás deles, você está seguro. 5 Eles evitarão que você seja ferido. Não precisa ter medo de nada: nem de assaltos à noite, nem de flechas voando de dia, 6 Nem da doença que ronda pela escuridão, nem do desastre que irrompe ao meio-dia. 7 Ainda que outros morram à sua volta e caiam por todos os lados, você não sofrerá nem um arranhão. 8 Você será protegido, e, de longe, verá os ímpios serem punidos. 9 Sim, porque o Eterno é seu refúgio; o Deus Altíssimo, seu abrigo. 10 O mal não conseguirá chegar perto de você, a iniquidade não passará da porta. 11 Ele ordenou a seus anjos que o guardem para onde quer que você vá. 12 Se tropeçar, eles o segurarão: o trabalho deles é evitar que você caia. 13 Você caminhará tranquilo entre leões e cobras, pisará neles, e nada acontecerá. 14 Se você se apegar a mim para salvar a vida, diz o Eterno, tirarei você de qualquer problema. Se você aprender a confiar em mim, cuidarei de você como ninguém. 15 É só me chamar, que eu respondo: ficarei ao seu lado nas horas ruins, resgatarei você e depois darei uma festa em sua honra. 16 Eu o presentearei com uma vida longa, e a você mostrarei a minha salvação.” Sl 91:1-16 (A Mensagem)