Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20150922

Vencendo as crises pelo poder do Espírito. Pr. Edenir Araújo. At 1:8. Culto de Celebração - 20/09/15

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 1:8

Introdução

Atos é uma mudança de era
Enquanto os evangelhos retratam Jesus encarnado como homem, em Atos a era muda para o agir do Espírito. O pastor Aluizio Silva diz que o tema de Atos é a liberação do Espírito de Cristo, e isso só foi possível pela morte e ressurreição do nosso Senhor Jesus, pois após sua morte, ressurreição e ascensão foi nos dado o Espírito. Por isso, Cristo não está mais restrito ao corpo, Ele veio habitar em nós e nos fez um com Ele.

Coluna dorsal
Atos é como uma coluna dorsal. A nossa coluna divide nosso corpo, está no meio e nos sustenta, nos coloca de pé. Assim é o livro de Atos, é uma extensão do Evangelho de Lucas, mas incrivelmente colocado os 4 evangelhos e as cartas paulinas e epistolas universais de Tiago, Pedro, João e Judas. Está no meio para mostrar-nos sua importância.

Atos é o poder de Deus dentro do homem
O livro de Atos é um relato do agir do Espírito a partir do interior do homem. É a união do Espírito conosco, nos fazendo igreja viva, tornando-nos membros do corpo, uma extensão de Cristo. A igreja nasceu da união do Espírito com os primeiros cristãos.
Sem a descida do Espírito (pentecoste) a igreja não existiria. Atos não é o livro que retrata apenas os atos de Pedro e Paulo, mas principalmente o agir do Espírito através dos Apóstolos.
Dessa forma, quero retratar aqui, o agir do Espírito no livro de Atos, pois sem esse agir jamais poderíamos ser como essa igreja gloriosa que foi a igreja primitiva.

O pentecoste é a autorização para o cumprimento da vontade de Deus
A ordem de Jesus era para que aqueles primeiros discípulos não fossem para o campo, não fossem enviados aos perdidos sem antes serem cheios do Espírito Santo. Essa era a capacitação necessária para o cumprimento do Ide.
Ter Jesus para Salvação é diferente de sermos cheio do Espírito para proclamação.
Num primeiro momento recebemos o Senhor Jesus pela fé para a nossa salvação, mas num segundo momento precisamos buscá-lo para sermos cheios do Espírito para a proclamação.
E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito...” Ef 5:18
Dynamus (Poder)
“Eu lhes envio a promessa de meu Pai; mas fiquem na cidade até serem revestidos do poder (Dynamus) do alto.” Lc 24:49 (At 1:4)
“E acontecerá, depois, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos derramarei do meu Espírito naqueles dias.” Jl 2:28-29
Por fim, podemos constatar os efeitos desse dynamus:
·      Intrepidez (ousadia) para anunciar a palavra de Deus e serem testemunhas. (At 4:8 e 31)
·      Sabedoria, o que fazia com que ninguém resistisse às suas palavras. (At 6:10)
·      Discernimento para tomar as decisões e direção. (At 8:29)
·      Autoridade para repreender o inimigo.
·      Autoridade sobre as doenças.
Este poder fez grande diferença na vida dos primeiros cristãos e pode fazer total diferença em nossas vidas também. Precisamos do derramar do Espírito Santo sobre nós e precisamos ser guiados por Ele assim como a igreja primitiva para como eles, façamos Sua vontade!

O Pentecoste é um poder transformador de dentro para fora
O novo nascimento te transforma em uma nova criatura, mas o pentecostes te capacita a provocar mudanças exteriores.

“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” At 2:1-4

Minha intenção nesse capítulo, é levar você a compreender a importância do Pentecoste em nossas vidas, vivendo uma vida cheia de Deus, desfrutando da  vida abundante do Senhor. Certamente há mais de Deus para experimentar! A salvação é o ponto de partida, e ela é maravilhosa, mas é apenas o começo. Existe o batismo no Espírito, ou a plenitude no Espírito como prefiro chamar.
Jesus um dia disse para um jovem rico e religioso: “uma coisa te falta...”. Para muitos faltam experiências com o Senhor, falta conhecer um pouco mais da glória e poder de Deus.

Pedro
Pedro era um homem de Deus, escolhido e chamado por Jesus, mas mesmo depois de ter andado 3 anos e meio com Jesus, ainda faltava algo em sua vida espiritual, faltava uma experiência com o Pentecoste.
            Se você olhar à luz da Bíblia verá como Pedro era um bom homem. Ele largou tudo pelo Senhor, era sempre proativo. Todavia, Pedro era alguém com dificuldades e limitações. Ele chamou o Senhor de canto para repreendê-lo e orienta-lo a não morrer na cruz. Pedro também negou o Salvador. Também não aceitava o fato do evangelho ser transmitido aos gentios. Em muitos momentos aparece na história como um homem que queria resolver as coisas na sua força. Mas, como diz em Tiago, “a ira do homem não produz justiça de Deus”. Você pode dizer: “Pastor, você só está falando de defeitos de Pedro”. É isso mesmo irmão! Faço isso para você entender que a glória de Deus não é para os grandes homens. A glória de Deus não é para monges e nem para os que se acham, mas sim para as pessoas simples como Pedro, para mim e para você. A glória de Deus está aí para quem quiser experimentá-la, para quem quiser vivê-la; para quem quiser se lançar nesse rio de glória.
Vamos analisar Pedro antes do Pentecostes:

Inconstante
Ele era inconstante. Vivenciou momentos de explosão de ira, sendo agressivo e violento. Quis andar por sobre as águas e até andou, mas, ao mesmo tempo, olhou para o vento e afundou. Veja bem, não estou simplesmente criticando Pedro, eu provavelmente nem desceria do barco sem o Pentecoste. Mas Pedro era assim, inconstante como são muitos dos que estão lendo esse texto.

Confiava em si
Certa noite, cortou a orelha de um servidor de Herodes durante a captura do Mestre (João 18:10-11). Você consegue imaginar um Apóstolo andar armado pronto para a briga? Pedro ainda esperava uma revolução que se resolvesse no braço, confiava em si, na sua própria força, dizendo para Jesus: “Eu te protejo, deixa comigo”. Quantos de nós estamos liderando, pastoreando, discipulando na força do braço, dizendo “eu consigo, eu vou chegar lá, eu dou conta”. O problema é que na força dos braços, alguns nunca se entregam, continuam dia após dia, fazendo na sua força. Você precisa do Pentecoste para saber que é na força do Espírito, na graça do Filho que fazemos proezas. O “tudo posso naquele que me fortalece” é usufruir do poder do Espírito pela graça de Deus. Deixe de confiar em si, essa luta é perdida, acredite em mim. No entanto, posso te dizer por experiência própria que, no Espírito, coisas que achávamos que nunca faríamos acontecem. Aleluia!

Era orgulhoso
Pedro, em minha opinião, era orgulhoso. A declaração de Pedro a Jesus dizendo que nunca O trairia ainda que todos o traíssem (Mt 26:31-35),  perdoem-me, mas é orgulho puro para mim. Digo isso porque já pensei a mesma coisa, admito meu pecado. Já vi líderes falhando e pensei “ah, eu não. Pode esses falharem, mas e não falharei”. Mesmo como pastor, já vi problemas em igrejas em que eu disse a mim mesmo: “Quando eu tiver a minha igreja isso jamais acontecerá”. E, para meu desespero, muito do que eu disse que jamais aconteceria, aconteceu e até pior. Acho que muito aconteceu por minhas falhas, mas também acredito que Deus permitiu para quebrar meu orgulho, meu sentimento de me achar superior.
Agora vamos olhar a passagem que inicia o capítulo. Jesus diz que o diabo estava peneirando, depois diz que orou por ele e ainda disse que Pedro o negaria. Não houve quebrantamento, houve um sonoro “EU NÃO O NEGAREI, o Senhor está errado dessa vez. Apesar de nunca errar, dessa vez o Senhor errou”.

Vejo a seguir três erros que o orgulho de Pedro o levou a cometer:
1. Contradisse frontalmente Jesus.
2. Foi arrogante, fazendo-se superior aos colegas.
3. Superestimou a própria estabilidade espiritual, pensando que poderia resistir a qualquer tipo de situação.

O que faltava a Pedro?
A glória, o fogo e o derramar do espírito era o que ele precisava; essa era a sua maior necessidade. E isso se cumpriu em Atos 2. Depois de Atos, Pedro foi outro. Ele não mais resolvia as coisas da sua forma, na força de sua carne ou na base da alma, mas sim era usado por Deus. Um homem simples tornou-se alguém extremamente ousado e cheio do Espírito. Não estou dizendo que Pedro se tornou infalível ou inerrante, pois depois de ser cheio do Espírito, ele ainda cometeu erros. O que ficou evidente após a ressurreição e o Pentecoste, é que dois “Pedros” bem distintos um do outro existiram.

“O Cristianismo não foi dado para melhorar o mundo e sim para transformar pessoas.” Martyn Lloyd Jones
Depois do pentecoste...
Onde Pedro chegava o ambiente mudava, e eu creio que será assim com você, em nome de Jesus!
Agora, vejamos algumas características de Pedro depois do pentecoste.

1.    Era usado
Até Atos 12, vemos em grande parte, a história de como Deus poderosamente estava usando Pedro. Ele foi usado para ser um agente divino, para impulsionar a igreja primitiva. Ele foi usado por Deus nas curas e, de tanto que era usado por Deus, acabou preso. Porém, aquelas grades não puderam parar o mover de Deus através da vida de Pedro.

2.    Tornou-se ousado
“Não tenho ouro e nem prata, mas o que tenho te dou Jesus, o nazareno. Levanta e anda.” At 3:6
Que Ousadia tremenda na hora de falar com esse homem que era coxo de nascença. Em Atos 2, sua pregação é tremendamente ousada, dizendo aos Judeus que eles mataram o Messias. Em Atos 5:27, Pedro é levado perante o Sinédrio, diante do sumo sacerdote, e é dito a ele que foi dado uma ordem para não pregar mais, mas sua resposta, juntamente com os apóstolos é: “É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!” At 5:29.
Vemos que Pedro creu no poder de Deus para livrá-lo naquela ocasião, ao mesmo tempo que estava pronto para morrer pelo evangelho, caso Deus não o livrasse.

3.    Confiava em Deus
Pedro confiou e foi guiado pelo Espírito, por isso, assumiu a liderança da igreja. Crendo no chamado de Deus e firmado nas Palavras de Jesus, deixou para trás a culpa por tê-lo negado e assumiu sua função no corpo, sendo ministro e sacerdote. Que eu e você façamos o mesmo, confiando no Senhor, pois aquele que nos chamou nos capacitará para fazermos a obra de Deus. Contudo, nossa base deve ser a confiança em Deus, o poder do Espírito e a graça de Deus. Nunca devemos não em nós mesmos.

4.    Era quebrantado
Pedro, depois do Pentecoste, foi muito quebrantado. Isso fica evidenciado na ocasião em que Paulo o corrige na frente de todos. Acredito que o antigo Pedro não suportaria tamanha pressão. Quando Tiago, irmão do Senhor Jesus, assumiu a liderança da igreja no lugar de Pedro como acreditam os melhores teólogos, não houve uma disputa carnal. Acredita-se que Pedro simplesmente aceitou que Deus estava agora usando Tiago. E além disso, há o fato de aceitar a pregação aos gentios, de ir à casa de Cornélio, pregar e ver o Espírito descer sobre eles.

Por tudo isso, creio que a história de Pedro pode ser a minha e a sua história. Deus quer nos encher e nos usar poderosamente nessa geração, nos fazendo homens e mulheres confiantes em Deus, quebrantados, usados e ousados no poder do Espírito. Essa mudança aconteceu porque Pedro foi imerso no Espírito, isto é, foi batizado no Espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito