Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20150625

Quatro erros na Vida de um Ministro. Sup. André Queiróz - Culto de Celebração - 21/06/15

Quatro erros na Vida de um Ministro.

1 Veio a palavra do SENHOR, segunda vez, a Jonas, dizendo:
2 Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e proclama contra ela a mensagem que eu te digo.
3 Levantou-se, pois, Jonas e foi a Nínive, segundo a palavra do SENHOR. Ora, Nínive era cidade mui importante diante de Deus e de três dias para percorrê-la.
4 Começou Jonas a percorrer a cidade caminho de um dia, e pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.
5 Os ninivitas creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até o menor.
6 Chegou esta notícia ao rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou de si as vestes reais, cobriu-se de pano de saco e assentou-se sobre cinza.
7 E fez-se proclamar e divulgar em Nínive: Por mandado do rei e seus grandes, nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem os levem ao pasto, nem bebam água;
8 mas sejam cobertos de pano de saco, tanto os homens como os animais, e clamarão fortemente a Deus; e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos.
9 Quem sabe se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos?
10 Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez.
11 e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?

Introdução: A palavra de Deus fora claramente confiada a Jonas. Seu chamado não poderia ter sido mais claro. Porém, o profeta resolveu não ir a Nínive, mas fugir para Társis (na Espanha). (Jn 1.2,3). Com isso ele tentava algo impossível: escapar da presença do Senhor. Ao verificar a geografia da região (mapa), vemos que as duas cidades estão em direções opostas. À medida que ele procurava aproximar-se ou chegar a Társis, mais longe ficava do local da sua missão predita. O resultado foi que não conseguiu fugir da presença de Deus.
Em conseqüência dessa primeira atitude podemos observar as quatro falhas no Ministério de Jonas. Vejamos:



1- A Desobediência. (1.3).
Deus concedeu um propósito a Jonas – pregar para Nínive, a capital da Asssíria, poder mundial e o país mais temido e odiado pelo povo de Deus. Era uma cidade poderosa e perversa. Jonas odiava os assírios e temia suas atrocidades. Seu ódio era tão forte que não desejava que recebessem o perdão de Deus. Na verdade temia que aquele povo se arrependesse. (Jn 4.2,3). Por esta razão, respondeu com indiferença e desobediência ao propósito de Deus. Talvez, não sabendo ele que a desobediência é a conseqüência e a causa de todos os males.
Qual Foi a Desobediência de Jonas:
§  Quando fugiu da vontade de Deus.
§  Quando fugiu da presença de Deus. (Sl 139.7,8).
Salmos 139:7-8
7 Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? 8 Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também;

§  Quando fugiu de sua missão.
Consequências da Desobediência:
§  Deus enviou uma grande tempestade. (1.4).
§  Deus enviou um grande peixe para que tragasse a Jonas. (1.7). Instrumento de Castigo: “… e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe.” (1.17).



2- A Negligência. (1.5,6; 2.1).
Em meio à forte tempestade, Jonas dormia profundamente no porão do navio, talvez por causa do cansaço, exaustão e pressão. Isto nos mostra a condição espiritual do profeta, que ao invés de estar buscando a Deus em favor dos marinheiros que estavam prestes a ir a pique, preocupava-se apenas consigo mesmo. Mesmo diante da aparentemente situação os atos de Jonas não incomodavam sua consciência. A negligência é a omissão de cuidado; descuido, incúria, desmazelo, menoscabo, desatenção.
§   Na oração.
Enquanto deveria estar orando estava dormindo. Talvez Estivesse Dormindo Como:
§  Sansão, o sono da carnalidade. (Jz 16.19).
Juízes 19:16
16 Eis que, ao anoitecer, vinha do seu trabalho no campo um homem velho; era este da região montanhosa de Efraim, mas morava em Gibeá; porém os habitantes do lugar eram benjamitas.

§  Elias, o sono do desânimo. (1Rs 19.5).
1 Reis 19:5
5 Deitou-se e dormiu debaixo do zimbro; eis que um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come.

§  Os discípulos, o sono da negligência. (Mc 14.37-42).
Marcos 14:41
41 E veio pela terceira vez e disse-lhes: Ainda dormis e repousais! Basta! Chegou a hora; o Filho do Homem está sendo entregue nas mãos dos pecadores.

§  Lázaro, o sono da morte. (Jo 11.11).
João 11:11
11 Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo.


Qual o Sono você está Dormindo? As Escrituras Sagradas  dizem:
– “Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios.” (1Tss 5.6).
– “Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentro os mortos, e Cristo te     esclarecerá.” (Ef 5.14).
– “… que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.” (Rm 13.11).



3- A Covardia. (4.1-3).
Jonas se irou quando Deus poupou Nínive. Porque não queria que seus habitantes fossem perdoados, e sim que fossem destruídos. Jonas pensou que Deus não concederia gratuitamente a salvação a uma nação pagã pecadora. Em seguida, desejou morrer porque essa destruição não mais aconteceria. Como se esqueceu tão rapidamente da misericórdia que recebera de Deus quando estava dentro do peixe! (Jn 2.9,10). Ele ficou muito feliz quando Deus o salvou, mas irou-se quando Nínive foi salva.
§  Quando pensou que Deus tinha esquecido dele. (Is 49.15,16).
Isaías 49:15-16
15 Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti. 16 Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei; os teus muros estão continuamente perante mim.

§  Com sua atitude egoísta de pensar só em si próprio.
§  Quando pediu para Deus tirar a vida. (4.3).


4- O Exclusivismo. (4.6-11).
Jonas ficou irado pela planta que pereceu, mas não pelo que aconteceria a Nínive. Jonas não se queixou da misericórdia de Deus para com ele, ao salvá-lo do peixe. Ele sabia que Deus era “um Deus clemente e misericordioso, tardio em irar-se e de grande beneficência” (v.2), porém ele, pobre criatura, não podia concordar com Deus nisso. Queria ver a grande cidade incendiada.
O incidente da aboboreira servia para ensinar ao profeta a loucura e o egoísmo da sua atitude. Ele podia lastimar a falta da aboboreira porque desfrutou da sua sombra, mas estava bem disposto a ver uma grande cidade varrida com a destruição.
O exclusivista é aquele que tudo sacrifica ao seu próprio proveito; que tem como centro do mundo; que só pensa no seu próprio interesse. É a qualidade daquele que se acha dominado e envolvido pelo próprio eu. O exclusivismo é o contrário ao espírito missionário. A mensagem de Jonas é que Deus é o Deus não apenas dos judeus, mas também dos gentios.
§  Ele queria que Deus destruísse e castigasse os ninivitas. (4.2).
§  Ele queria que Deus não tivesse misericórdia dos ninivitas. (4.2,3).
§  Ele se preocupava mais consigo próprio e seu conforto do que com as almas da grande capital da Assíria.
§  Ele soube pregar com unção, mas não aprendeu que também é vital ter compaixão.
§  Ele tinha esquecido que o Senhor é um Pai cheio de ternura e misericórdia. (4.2).

Resumo: Jonas deveria estar feliz pelo grande avivamento, e a obra que Deus tinha feito com os ninivitas.

20150615

O poder de uma confissão. Parte 2. As quatro confissões que nos conduzem a vitória. Rm 10:9; 1Jo 1:9; Tg 5:16; 2C0 4:13-14. Pr. Edenir Araujo - Culto de Celebração - 14/06/15

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” Rm 10:9
“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1Jo 1:9
Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” Tg 5:16
“13 Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos, 14 sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco.” 2Co 4:13-14

Introdução

Deus sempre trabalha para nos levar ao arrependimento e confissão. Todo trabalhar de Deus inicia com arrependimento e confissão. O Espírito Santo é um agente de convencimento e encorajamento para a confissão. Isso deve ser assim porque palavras são sementes e nunca são neutras. Quando falamos, revelamos o que está em nosso coração e lançamos sementes. Devemos confessar também porque a confissão deve vir antes da petição.  
Adão
Adão foi o primeiro líder levantado por Deus na terra e recebeu domínio para liderar toda a terra. Mas este caiu. Após a queda, Deus procurou Adão para reestabelecê-lo à sua posição de líder. Quando Deus procurou o homem caído (perdido), a pergunta de Deus foi “onde estás?”. O homem que foi criado para ser visto e imitado (líderança) pois a luz de Deus estava nele, agora estava caído escondido (envergonhado). A pergunta “onde estás” tinha como objetivo, fazer com que o homem com a sua boca confessasse seu pecado. A pergunta levou Adão a reconhecer que estava escondido de Deus.
Caim
O mesmo acontece com Caim que se mostrou entristecido com Deus. Veja como Deus sempre quer levar o homem ao arrependimento e confissão.
“3 Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. 4 Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; 5 ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante. 6 Então, lhe disse o SENHOR: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? 7 Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.” Gn 4:3-7
Todo esforço e trabalhar do Senhor é para levar o homem caído ao arrependimento e confissão. Nesse caso, Caim não confessa seu pecado e se envenena ainda mais a ponto de atentar contra vida de seus irmão Abel.
“8 Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão, e o matou. 9 Disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: Não sei; acaso, sou eu tutor de meu irmão? 10 E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama da terra a mim.” Gn 4:8-9
Jacó
Jacó foi um homem enganador, usurpador, mentiroso e só após ter um encontro com Deus em Peniel ele foi transformado. Todavia a transformação na vida de Jacó só veio depois de uma confissão a Deus de quem ele era.
“22 Levantou-se naquela mesma noite, tomou suas duas mulheres, suas duas servas e seus onze filhos e transpôs o vau de Jaboque. 23 Tomou-os e fê-los passar o ribeiro; fez passar tudo o que lhe pertencia, 24 ficando ele só; e lutava com ele um homem, até ao romper do dia. 25 Vendo este que não podia com ele, tocou-lhe na articulação da coxa; deslocou-se a junta da coxa de Jacó, na luta com o homem. 26 Disse este: Deixa-me ir, pois já rompeu o dia. Respondeu Jacó: Não te deixarei ir se me não abençoares.
27 Perguntou-lhe, pois: Como te chamas? Ele respondeu: Jacó. 28 Então, disse: Já não te chamarás Jacó, e sim Israel, pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste.
 29 Tornou Jacó: Dize, rogo-te, como te chamas? Respondeu ele: Por que perguntas pelo meu nome? E o abençoou ali. 30 Àquele lugar chamou Jacó Peniel, pois disse: Vi a Deus face a face, e a minha vida foi salva.” Gn 32:22-30
Às vezes a vida não nos dá uma segunda chance. Mas Deus sempre nos dá uma nova oportunidade.
Provérbios 24:16 diz que “Porque sete vezes cairá o justo e se levantará.” O nosso Deus é especialista em dar segunda chance às pessoas! Ele é especialista em trabalhar com pessoas imperfeitas que decidem confessar suas fraquezas e pecados.
Jonas
Veja a história de Jonas. Deus disse a Jonas: “Vá a Nínive e pregue contra ela!” Deus lhe confiou uma missão, uma tarefa muito importante. O que fez Jonas? Ele seguiu na direção contrária. Ele fugiu da presença de Deus. Você tem fugido de Deus? Não é uma boa atitude! Deus está em toda parte! Deus, em sua terna misericórdia, disciplinou Jonas. Jonas 1: 4 “O SENHOR lançou sobre o mar um forte vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar”.
Os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus e lançavam ao mar a carga que do navio para o aliviarem do peso. Jonas dormia profundamente no porão. Os marinheiros o acordaram e fizeram um sorteio para saber quem era o responsável por aquela tragédia. A sorte recaiu sobre Jonas, que confessou sua culpa e seu histórico de desobediência ao Senhor. Os marinheiros perguntaram a Jonas: “Que te faremos, para que o mar se acalme?” Jonas lhes respondeu: “Tomai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará, porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade”. “Levantaram a Jonas e o lançaram ao mar; e cessou o mar da sua fúria” (Jn 1:15). Os marinheiros temeram, em extremo ao SENHOR; e ofereceram sacrifícios e fizeram voto. Mas a saga de Jonas não havia terminado ali!

“Deparou o SENHOR um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe”. Jonas 1:17
Três dias e três noites se passaram e Jonas ainda estava vivo e respirando no ventre do peixe. Ele sabia que só estava vivo porque Deus o sustentava. “Então Jonas do ventre do peixe orou ao Senhor, seu Deus”. Jn 2:1. “Falou, pois, o Senhor ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra”.
Jn 2:10 “Veio a palavra do Senhor segunda vez a Jonas, dizendo: Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive, e proclama contra ela a mensagem que eu te digo.” Jn 3:1-2
O Senhor deu uma Segunda chance a Jonas depois da confissão! Deus não desistiu de Jonas! Deus lhe concedeu uma segunda chance para pregar o arrependimento ao povo de Nínive e testemunhar o maior avivamento da história bíblica!
Davi
É também uma história muito conhecida. 2 Samuel 11 fala do pecado de Davi. A Bíblia não esconde os pecados e faltas dos seus personagens. Ninguém, na Bíblia era perfeito, exceto Jesus. Deus usa pessoas imperfeitas! Davi era o rei de Israel; era o homem segundo o coração de Deus. Mas ele praticou pecados horríveis. Praticou homicídio, adulterou, ficou embriagado e tentou esconder seus pecados. Davi ficou muito encrencado. Durante um ano Davi viveu uma vida miserável. Ele cometeu os piores pecados que alguém poderia cometer. Talvez você pense que seus pecados são grandes demais para alcançar o perdão. Você acha que já foi longe demais e não há solução. Você não acredita que Deus vai querer usá-lo de novo. Deus, em sua terna misericórdia, confrontou Davi com o seu pecado.
 “Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o SENHOR. Disse Natã a Davi: Também o SENHOR te perdoou o teu pecado; não morrerás.” 2Sm 12:13
Davi deveria morrer por causa do que ele fez. Mas porque ele confessou seu pecado ao Senhor, o Senhor o perdoou e apagou seu pecado. No Salmo 51:12, nós temos a oração de Davi. Ele confessa seu pecado, se arrepende e pede a Deus que o restaure. Salmo 51:12 “Restitui-me a alegria da tua salvação”.
Deus o restaurou.  Davi sofreu a conseqüência de seus pecados.  Todos nós sofremos a conseqüência de nossos pecados.  Davi colheu o que semeou. Uma das conseqüências foi que o primeiro filho de Davi com Beteseba veio a falecer.  Mas leia 2 Samuel 12: 24: “Então, Davi veio a Bate-Seba, consolou-a e se deitou com ela; teve ela um filho a quem Davi deu o nome de Salomão; e o SENHOR o amou”. 2Sm 12:24
O Senhor lhes deu Salomão. No final do capítulo 12, Davi vence uma batalha e declara vitória sobre os seus inimigos. Davi cometeu adultério e homicídio – O que dizer de alguém que cometeu esses crimes? Alguém pode dizer: “Não há esperança! Deus não usará mais esta pessoa!” Mas Deus age bem diferente de nós. Ele quer o nosso arrependimento e confissão. Mais tarde, Salomão, o filho de Davi e Bete-Seba – provavelmente inspirado na história de seu pai – escreveu o seguinte provérbio: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. Pv 28:13
Por cause de sua infinita misericórdia e principalmente a confissão de Davi, Deus o perdoou e não o abandonou. Deus o restaurou e o usou poderosamente. O nome de Davi é lembrado e honrado até hoje porque de sua descendência nasceu Jesus, também chamado “O Filho de Davi”. O Senhor deu uma segunda chance a Davi!
Pedro
Esta é também uma história conhecida. Pedro disse que jamais negaria Jesus. Mas Jesus o conhecia bem. Mas Pedro negou Jesus três vezes. Mais tarde, ele lembrou-se do que Jesus lhe havia dito, retirou-se e chorou amargamente. Quando o galo cantou pela terceira vez, Jesus virou-se e olhou para Pedro. Pedro chorou amargamente. Pedro arrependeu-se de seu pecado. Tudo isso aconteceu para que Pedro amadurecesse. Ele era muito querido pelo Senhor Jesus. Em Marcos 16:7, o anjo faz questão de que a mensagem da ressurreição seja entregue a Pedro: “Mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele vai adiante de vós para a Galiléia; lá o vereis, como ele vos disse.” Mc 16:7
Eu imagino a surpresa de Pedro quando as mulheres lhe deram a notícia da ressurreição e que o anjo o havia mencionado pelo nome. Talvez ele tenha pensado: “Jesus me perdoou? Eu vou servi-lo novamente? Mas eu o neguei! Eu ainda me lembro daquele olhar. Era direto para mim! Eu acho que vou voltar a pescar.”.
Jesus não desistiu de Pedro! Insistiu para que o mesmo confessasse seu pecado de tê-lo negado. Em João 21, após Pedro ter confessado seu pecado, Jesus confia uma missão especial a Pedro, pastorear o Colégio Apostólico.
“15 Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Ele lhe disse: Apascenta os meus cordeiros. 16 Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas. 17 Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas.” Jo 21:15-17
Pedro, aquele que Negara Jesus, torna-se o líder dos apóstolos. Passou a pregar com autoridade. Ele experimentou o poder de Jesus em sua vida mais uma vez. Serviu o Senhor com vigor renovado. Pregou e milhares de pessoas foram salvas. Deus usou Pedro para trazer a mensagem de salvação aos gentios em Atos 10. O Espírito Santo inspirou Pedro a escrever duas cartas pastorais que são parte da Bíblia. O Senhor deu uma segunda chance a Pedro. Você quer uma segunda chance? Confesse seus pecados!
A confissão nos dá a chance de começar de Novo
Agora se confessar pode te fazer nascer de novo, restaurar sua comunhão com Deus e com seus irmãos, confessar a palavra pode dar condição de receber muitas vitórias.

 “13 Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos, 14 sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco.” 2Co 4:13-14

Por que precisamos crer e falar a palavra porque isso é que faz a diferença entre homens e demônios. “Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem.” Tg 2:19
O inferno trabalha em função de nos impedir de confessar a Palavra. Os demônios tem um nível de fé muito maior que o nosso, mas não tem a unção e vida de Deus para confessar a palavra.
Há um poder sobrenatural na confissão da palavra. Nossa boca pode ser um canal de bênção e poder. O Pacto da Graça de Deus é um Pacto de boca, é um Pacto que se manifesta por aquilo que se crê e por aquilo que se confessa. O que se crê e o que se confessa têm poder de vida ou de morte. Assim, com o uso da confissão de pecados trás perdão e reconciliação, confessar a palavra de Deus manifesta o seu poder. Vamos começar com as palavras de Marcos 11:23-24 “porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele.” 
Devemos crer naquilo que confessamos e confessar aquilo que cremos. Nós precisamos crer e manter a nossa confissão. Aprenda que isso é um exercício! Em muitos casos as pessoas crêem, mas não falam. Em outros as pessoas falam, mas não crêem. Por fim, há aquelas que crêem e falam, mas não mantêm o que crêem e o que falam. Por que tantos cristãos vivem com tantas lutas, tantas dificuldades, tantos problemas? Problemas esses que, às vezes, se arrastam por longos anos? A resposta está aqui neste estudo: são pessoas que negligenciam aquilo que dizem, aquilo que confessam. Não estão com seus corações alinhados com a Palavra de Deus.

Vamos voltar em 2 Coríntios 4:13, porque há uns Mistérios no meio da Palavra. Tendo, porém, o mesmo espírito da fé… Isso significa que a Fé possui um Espírito. E qual é o Espírito da Fé? O Espírito da fé é Crer e falar. A Fé exige isso! Nós devemos crer e falar. Por isso Paulo disse: “Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei.”

Lembre-se: Precisamos crer e falar porque o diabo também crê. Todavia, ele e os demônios não falam Palavra. Vamos ler novamente o que disse Tiago: “Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem.” Tg 2:19

Confessar é o que diferencia a nossa fé da fé dos demônios. Eles creem e tremem, nós cremos e confessamos. Então, não é só crer, não é só concordar mentalmente. No Pacto é um Pacto de boca, é para falar. Cremos, confessamos, não duvidamos e começamos a exercitar a Fé, o Espírito da Fé, crendo na Palavra, falando na Palavra, confessando a Palavra… isso é o Espírito da Fé. É aí que coisas começam a acontecer.

Com relação a confissão da palavra, devemos confessar em três níveis:

1.      O que eu sou em Cristo.                                                                                                                           Nova Criatura, Escolhido do Senhor, servo de Deus, marido de uma só mulher, bem aventurado.
2.      O que eu tenho em Cristo.                                                                                                                Autoridade, poder, amor, fruto do espírito, proteção, coragem, ousadia, intrepidez.

3.      O que eu posso em Cristo.                                                                                                                                             Posso todas as coisas em Cristo, perdoar incondicionalmente, vencer o poder do diabo, do pecado e do mundo; liderar um célula, discipular, ser dizimista e ofertante fiel, etc.

20150611

O poder de uma confissão. Parte 1. As quatro confissões que nos conduzem a vitória. Rm 10:9; 1Jo 1:9; Tg 5:16; 2Co 4:13-14. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 07/06/15

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” Rm 10:9
“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1Jo 1:9
Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” Tg 5:16
“13 Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos, 14 sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco.” 2Co 4:13-14

Introdução                    
Nós brasileiros estamos todos perplexos com os tantos escândalos de corrupção envolvendo estatais como a Petrobras. Eu não sei precisar a quanto tempo os noticiários estão promovendo matérias a respeito, mesmo porque são tantos casos de corrupção que se tornou algo diário e corriqueiro nas nossas vidas. Todavia esses dias me chamou atenção um benefício que é concedido ao investigado que é a “delação premiada”. A tal da “delação premiada” é um benefício legal concedido a um criminoso delator que aceite colaborar na investigação entregando ou denunciando seus companheiros de quadrilha. O que acontece neste caso é que a confissão dos crimes trás o benefício (prêmio) de ter a sua pena reduzida ou minimizada. Aprendemos que há um poder na confissão do ilícito. A delação premiada é na verdade um prêmio pela confissão da verdade. Jesus disse que a verdade liberta e podemos dizer que confessar a verdade liberta. É comum nas acariações domésticas dizermos para os nossos filhos: Quem fala a verdade não merece castigo.
Veja como isso se assemelha aos textos que compartilhamos. Confessar segundo a Bíblia, sempre nos trará benefícios, nos trará bênçãos.
·         Como é que alguém se converte ao Senhor nascendo de novo? Através da confissão!
·         Como é que alguém tem os seus pecados perdoados? Através da confissão!
·         Como é que alguém pode ser sarado de suas dores e liberto de suas enfermidades? Através da confissão!
Todo agir de Deus na vida do homem começa e se desenvolve por meio de confissões. O novo nascimento é consequência de uma confissão. Após o novo nascimento, os pecados cometidos só poderão ser perdoados se forem confessados a Jesus. A cura e libertação plena também é uma consequência da confissão dos pecados para o nosso próximo seguido de oração mútua.
Podemos dizer então que seja qual for a prisão em que vivemos, só conseguiremos sair dela quando confessarmos nossos pecados a Deus e aos homens. O perdão vem da confissão vertical (1Jo 1:9) e a cura vem da confissão horizontal (Tg 5:16). Confessar para Deus e para o nosso próximo é uma de cruz na prática.
A confissão é uma expressão do poder de Deus.
Quem não confessa, morre por dentro!
“3 Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia.  4 Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio.  5 Confessei-te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado.” Sl 32:3-5
Este salmo de Davi está associado ao salmo 51, e os dois tem como pano de fundo a história contada em 2Sm 11e 12 quando Davi se envolve num caso de adultério e assassinato. Mas a lição aqui é que uma vida secreta e oculta de pecados não confessados leva o cristão a alimentar um verdadeiro câncer, que o aprisionará enquanto o pecado não for exposto.
Leia a declaração do um pastor muito conhecido:

“É com muita dor e tristeza que declaro isso hoje. Por mais de 16 anos eu tenho batalhado contra este vício de pornografia, como consequência desta vida cheia de pecados escondidos, meu corpo tinha recaídas constantes. Eu defendia a causa desses meus sintomas, simplesmente como uma doença, sendo assim eu joguei a minha vida em um ministério, tentando compensar meus anos de pecados. Há dois anos, eu havia dito que estava sofrendo com câncer. A verdade é que eu estava doente, porém não de câncer. Estava usando o diagnóstico incorreto, para esconder a vida hipócrita que estava levando”.

A história desse pastor nos mostra a dura realidade de milhões de cristãos dentro das igrejas que sofrem desse terrível câncer pecaminoso sem conseguir confessar sequer para o pastor. Líderes, encarregados do serviço da obra do Senhor e até pastores estão sujeitos a essa realidade quando não confessam e se humilham.

Sonde o seu interior e peça a Deus a coragem e ousadia necessária para confessar o seu pecado e ser liberto dele.

“1Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. 2 Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado. 3 Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.
 4 Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. 5 Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe.” Sl 51:1-5

Humilhe-se como Davi no Salmo 51 e arrependa-se. Peça sabedoria e discernimento para escolher a pessoa certa que vai lhe escutar e não vai expor teu pecado, que vai orar por ti e te abençoar. Procure também por uma pessoa que vai te ajudar na hora em que der vontade de recair no teu vício. Não deixe nunca de confessar inclusive as vontades e desejos que você tem. Alguém disse que quem não confessa tentação inevitavelmente vai ter de confessar pecado. Isso é certo por que não há nada em oculto que não seja revelado. Tudo que está escondido vai aparecer por meio de confissão ou denúncia.

É o que sempre dizemos para as pessoas, antes da consumação do pecado, sempre há o desejo ou a tentação. Nessa hora é necessário confessar as inclinações e intenções. Isso vai te livrar de voltar ao pecado e precisar se arrepender. A confissão tem que andar junto com o arrependimento. “Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”. Lc 15:10

Deus quer te restaurar e te quer por inteiro. Não apenas as partes já santificadas. Arrependa-se, confesse e peça perdão. Peça que orem por você. Mude de vida. Tua vida espiritual será completamente diferente.

Deus sempre trabalha para nos levar ao arrependimento e confissão.
Jonas
Veja a história de Jonas. Deus disse a Jonas: “Vá a Nínive e pregue contra ela!” Deus lhe confiou uma missão, uma tarefa muito importante. O que fez Jonas? Ele seguiu na direção contrária. Ele fugiu da presença de Deus. Você tem fugido de Deus? Não é uma boa atitude! Deus está em toda parte! Deus, em sua terna misericórdia, disciplinou Jonas. Jonas 1: 4 “O SENHOR lançou sobre o mar um forte vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar”.
Os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus e lançavam ao mar a carga que do navio para o aliviarem do peso. Jonas dormia profundamente no porão. Os marinheiros o acordaram e fizeram um sorteio para saber quem era o responsável por aquela tragédia. A sorte recaiu sobre Jonas, que confessou sua culpa e seu histórico de desobediência ao Senhor. Os marinheiros perguntaram a Jonas: “Que te faremos, para que o mar se acalme?” Jonas lhes respondeu: “Tomai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará, porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade”. “Levantaram a Jonas e o lançaram ao mar; e cessou o mar da sua fúria” (Jn 1:15). Os marinheiros temeram, em extremo ao SENHOR; e ofereceram sacrifícios e fizeram voto. Mas a saga de Jonas não havia terminado ali!

“Deparou o SENHOR um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe”. Jonas 1:17
Três dias e três noites se passaram e Jonas ainda estava vivo e respirando no ventre do peixe. Ele sabia que só estava vivo porque Deus o sustentava. “Então Jonas do ventre do peixe orou ao Senhor, seu Deus”. Jn 2:1. “Falou, pois, o Senhor ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra”.
Jn 2:10 “Veio a palavra do Senhor segunda vez a Jonas, dizendo: Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive, e proclama contra ela a mensagem que eu te digo.” Jn 3:1-2
O Senhor deu uma Segunda chance a Jonas depois da confissão! Deus não desistiu de Jonas! Deus lhe concedeu uma segunda chance para pregar o arrependimento ao povo de Nínive e testemunhar o maior avivamento da história bíblica!
A confissão nos dá a chance de começar de Novo. Deus tem uma nova história para aqueles que se arrependem e confessa seus pecados!

20150606

Atos, uma história inacabada! Parte 10. Deus quer fazer paralíticos andarem. Texto At 3: 1-11. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 31/05/15

Deus quer fazer paralíticos andarem. Texto At 3: 1-11.

“1 Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona. 2 Era levado um homem, coxo de nascença, o qual punham diariamente à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam. 3 Vendo ele a Pedro e João, que iam entrar no templo, implorava que lhe dessem uma esmola.  4 Pedro, fitando-o, juntamente com João, disse: Olha para nós. 5 Ele os olhava atentamente, esperando receber alguma coisa. 6 Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! 7 E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram;  8 de um salto se pôs em pé, passou a andar e entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus. 9 Viu-o todo o povo a andar e a louvar a Deus, 10 e reconheceram ser ele o mesmo que esmolava, assentado à Porta Formosa do templo; e se encheram de admiração e assombro por isso que lhe acontecera. 11 Apegando-se ele a Pedro e a João, todo o povo correu atônito para junto deles no pórtico chamado de Salomão.” At 3:1-11

Introdução

O livro de Atos é o único livro da Bíblia que não foi completamente terminado. Como já falamos outras vezes nessa série de palavras sobre o livro de Atos, nós estamos dando continuidade nesse mesmo livro.

Conhecer este livro é imprescindível para aqueles que querem viver como Cristo viveu, pois cada um de nós como discípulos, estamos escrevendo um capítulo à parte deste livro. O texto de Atos 3:3-11 mostra-nos Pedro e João dando seqüência ao ministério de Jesus, pois João 14:12 diz:

“Em verdade, em verdade vos digo, que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto ao Pai.” Jo 14:12   

Os milagres de Atos dos apóstolos podem ser experimentados hoje!

 

Amados vamos avaliar as pessoas envolvidas nessa história de Atos 3, pois elas são exemplos de vida que apontam para muitos de nós nos dias de hoje, e esta é a razão de compararmos nossas experiências com muitos relatos bíblicos.

 

1.      Avaliando a vida do coxo


Aquele homem coxo, diz o texto, era levado todos os dias para aquele lugar para mendigar. V. 2

 

Ele não precisava de dinheiro, e sim da bênção de Deus. Sua vida estava naquela mesmice desde sempre. O Dr. Scroggie diz que este homem tinha aproximadamente 40 anos. Provavelmente desde criança aquele homem era levado para a porta do templo para mendigar. Quão difícil deveria ser para aquele homem não ter uma perspectiva de mudança. Não ter alguém para dizer: Você pode mudar de vida.

Muitos como aquele homem, desconhecem a sua real necessidade, pois também pensam que precisam de dinheiro, mas precisam mesmo é da bênção de Deus. Outros pensam que precisam de um casamento para serem felizes, mas precisam mesmo é da bênção de Deus. Outros ainda, creem que precisam de outra igreja, um namorado novo, um novo trabalho, mas essas coisas são consequências da bênção de Deus.

 

O homem coxo estava sendo manipulado pelo próprio diabo! Alguns homens levavam o homem para a porta do templo para mendigar.


QUEM ESTÁ NOS CONDUZINDO???

Muitos hoje estão à como aquele paralítico, “à porta do templo”, vivendo de migalhas, dependendo da ajuda dos outros apenas. Estão condicionados a viver como sempre viveram! Converter-se significa mudar o rumo, a rota, a direção, não mais ser o mesmo, mas ser diferente. Mudança é sair do lugar onde se encontra, muitas vezes é sair da zona de conforto. Uma pessoa paralítica hoje, pode ser aquela em que desde a sua conversão, é a mesma, está no mesmo lugar, não cresceu, não avançou, não experimentou mudanças em sua vida. Gl 4:1 diz que aqueles que não crescem, ainda que sejam herdeiros, em nada é diferente do escravo.    

A maioria das pessoas não querem se esforçar para receber vitória! Os 6:3; Hb 10:35-38. Ex: Número 13 nos fala que os homens separados para tomar posse da terra prometida temeram os inimigos!
  
DEUS ESTÁ QUEBRANDO TODA MALDIÇÃO DE PARALISIA HOJE!!!

2.      Avaliando a vida de Pedro e João

 

2. a. Pedro e João decidiram seguir pelo caminho da oração, pelo caminho da bênção.

“Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona.” v.1

 

Após a morte e ressurreição de Jesus os judeus adquiriram a prática de oração às 9 da manhã, 3 da tarde e por do sol.


“Por mais erudito que um homem seja, por mais perfeita que seja sua capacidade de expressão, mais ampla sua visão das coisas, mais grandiosa sua eloqüência, mais simpática sua aparência, nada disso toma o lugar do fervor espiritual. É pelo fogo que a oração sobe aos céus. O fogo empresta asas à oração, dando-lhe acesso a Deus; comunica-lhe energias e torna-a aceitável diante do Senhor. Sem fogo não há incenso; sem fervor não há oração.” (E.M. Bounds)

“Pela fé e pela oração, fortaleça as mãos frouxas e firme os joelhos vacilantes. Você ora e jejua? Importune o trono da graça e seja persistente em oração. Só assim receberá a misericórdia de Deus.” (John Wesley)

O caminho da oração é um caminho de vitória!!! Fl 4:6-7; 2Cr 7:14.

2. b. No caminho da oração somos confrontados com os problemas! V 2 e 3.

É bom lembrar-mos que o êxito de Pedro e João nesse texto é uma conseqüência de uma posição de santidade em submissão e oração. “Todos eles tinham os mesmos sentimentos e eram assíduos na oração...”. (At 1:14)  “Quando chegou o dia de Pentecostes, todos eles estavam reunidos no mesmo lugar.” At 2:1

Baseados na vida de Pedro e João, vejamos 4 atitudes que fizeram a diferença na vida daquele homem coxo.

2.c. Quando viram o homem coxo não fizeram vista grossa. V. 4


Pedro, fitando-o, juntamente com João, disse: Olha para nós.” V. 4


Dezenas, centenas de pessoas passavam por aquele lugar, e ninguém fazia nada com relação àquele homem. Pedro e João não se esquivaram da responsabilidade de ajudar aquele homem! Enquanto a maioria dos homens se conformam com tanta desgraça, o crentes vencedores enfrentam os problemas de frente, em nome de Jesus.

2.c. Demonstraram convicção de que eram servos do Deus altíssimo. V. 4

Chamaram a atenção do homem coxo dizendo: “olhe para nós!”. V. 4

Será que temos um bom testemunho, ou um estilo de vida reto para podermos dizer aos necessitados “olhe para mim!”. O que acontece muitas vezes é o contrário, alguns dizem: “Não olha para mim não irmão, olhe para Jesus”. Mas como alguém pode ver Jesus sem olhar para um homem? Os discípulos pediram: Mostra-nos o Pai. Jesus disse quem me vê, vê o Pai, pois eu sou um com ele. Você pode dizer: “Olhe para mim pois eu sou um com Jesus e quem me vê, vê Jesus”.

Podemos ser vistos como referência de vitória e bênção pelo nosso próximo? 1Co 11:1

Precisamos chamar a atenção das pessoas para nós, não porque queremos glória, mas porque o Espírito Santo está em nós! O homem ficou tão surpreso com a atitude de Pedro que esperou receber dele “alguma coisa”.

2.d. Pedro e João estavam cheios da presença de Deus, por isto ofereceram Jesus para aquele homem. V. 6

“não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” V.6

Se de fato temos a preciosa presença de Deus em nós, estaremos sempre dispostos a oferecer.  

2.e. Pedro e João não somente oraram mas também agiram. V. 7

Por último gostaria de dizer a respeito da atitude de Pedro após orar, leiamos o verso 7

E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram.V. 7

Ler Tiago 2:17-26


PRECISAMOS AGIR A NOSSA FÉ!

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito