20190731

Série de mensagens Alívio - Deixe Deus trabalhar. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 28/07/2019


“E assim, a lei veio para o justo em si mesmo, a fim de quebrar seu orgulho. Todavia, o evangelho da graça veio para o pecador a fim de remover seu desespero.” Charles Spurgeon

A graça é a capacidade de Deus para justificar o pecador que se entrega totalmente a Ele. Quando penso nisso, decido tornar-me totalmente dependente d’Ele e me surpreendo por essa maravilhosa boa nova; tudo é pela graça!

Constantemente vejo irmãos preciosos dispensando grande esforço para agradar e atrair as bênçãos de Deus, a maior parte destes, mal sabe que quanto mais se esforçam para promover o agir divino, mais distantes se tornam da graça de Deus. Alguém achar que Deus o está abençoando por esforço próprio, está na verdade se enganando, pois esse é um dos sentimentos mais ridículos e repugnantes que o 
homem pode abrigar em seu coração.

Desde o dia em que fomos salvos pela decisão de receber Jesus como Salvador e Senhor das nossas vidas pela fé, tudo o que recebemos nos foi dado de graça, nada podemos receber por nosso esforço próprio.

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará.” Sl 37:5
“... tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus.” Fl 1:6

A graça deve operar em nós de maneira plena, pois é ela que tudo faz, quem começou essa maravilhosa obra vai continuá-la até o dia em que estivermos glorificados com Cristo.
O maravilhoso chamado para a graça está relatado em Mateus 11:28-30.

“28 Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. 29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. 30 Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve.” Mt 11:28-30

Nós precisamos viver a vida cristã no descanso da graça. Se você vive preocupado e não consegue descansar diante dos desafios dessa vida, te convido a ler comigo uma promessa na qual você deve depositar sua fé, pois ela se firma no pacto da graça. O Deus que não pode mentir, disse em Ezequiel 36:26:

“26 Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. 27 Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis. 28 E habitareis na terra que eu dei a vossos pais, e vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus. 29 Pois eu vos livrarei de todas as vossas imundícias; e chamarei o trigo, e o multiplicarei, e não trarei fome sobre vós; 30 mas multiplicarei o fruto das árvores, e a novidade do campo, para que não mais recebais o opróbrio da fome entre as nações.” Ez 36:26

Atente para a ação de Deus através de seu favor. Ele diz, “eu darei”, “eu porei”, “eu tirarei”, “eu farei”, “eu livrarei”, “eu multiplicarei”, e assim vai trazendo para Ele toda a glória. Tudo Ele fará! Aleluia! Esse é o estilo do Rei da graça, o qual é poderoso para realizar tudo em todos segundo a Sua perfeita vontade. D’Ele é todo o trabalho! Nunca será demais dizer: Ele tudo fará!
Em dias onde as circunstâncias parecem conspirar contra os planos do Deus de amor, quando os céus parecem fechar e o desespero tenta nos tragar, posso abrir a boca e cantar o refrão da canção de Marquinhos Menezes:

“É Meu somente Meu todo trabalho, e o teu trabalho é descansar em Mim”.

O Senhor decidiu fazer tudo pela graça, pois Ele sabe que você não pode mudar seu próprio coração nem purificar sua própria natureza por mérito próprio.
Disse Chuy Olivares, “nada temos pelos próprios méritos. Então, por que se orgulhar de algo que nem é nosso?”.

O doutor C. I. Scofield escreveu: “A graça não está em busca de homens bons a quem ela possa aprovar, porque isso não é graça, mas a simples justiça que aprova a bondade. A graça está buscando homens e mulheres condenados, culpados, que não se defendem e que não podem fazer nada por si mesmos; ela os busca para salvá-los, santificá-los e glorificá-los”.
Confesso que durante muito tempo estive preso pelas cadeias do legalismo, mas um dia os meus olhos se abriram para as palavras do apóstolo Paulo escritas para os irmãos em Roma.

“10 como está escrito: Não há justo, nem sequer um. 11 Não há quem entenda; não há quem busque a Deus. 12 Todos se extraviaram; juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.” Rm 3:10-12

A onisciência de Deus, que enxerga através dos enganos da religiosidade, sempre nos faz lembrar, que todas as nossas “boas obras” são como trapos de imundícia (Is 64:6).

Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como um vento, nos arrebatam.” Is 64:6

A graça se manifestará não porque somos justos, mas para fazer-nos justos.

Jesus veio para justificar pecadores que reconhecem que são fracos e incapazes de vencerem por seus esforços. A ação de justificar pecadores é dádiva de Deus, e segue na contramão do mundo que vive regido por um sistema de trocas e recompensas, por essa razão Jesus foi tão resistido pelos religiosos de sua época que não aceitaram a mensagem da graça.

“15 Ora, estando Jesus à mesa em casa de Levi, estavam também ali reclinados com ele e seus discípulos muitos publicanos e pecadores; pois eram em grande número e o seguiam. 16 Vendo os escribas dos fariseus que comia com os publicanos e pecadores, perguntavam aos discípulos: Por que é que ele come com os publicanos e pecadores? 17 Jesus, porém, ouvindo isso, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os enfermos; eu não vim chamar justos, mas pecadores.” Mc 2:15-17

O favor de Deus é para pecadores e não para justos. Só os que se despiram do orgulho e reconheceram a sua natureza falha e enferma receberam a graça de Deus, pois está fora dos planos de Jesus, perdoar quem pensa não ter pecado. A graça só pode ser liberada sobre os que reconhecem que são culpados e passivos de condenação. Será impossível ao caro leitor receber de Deus, se a partir desse ponto não reconhecer sua total fraqueza.

Na pregação “Graça Irresistível e Depravação Total”, John Piper disse: “Não é que 99% de você seja escravo do pecado e uma parte de 1% seja bem esperta ou espiritual ou bastante bem-sucedida para produzir o que é exigido de você. Não há esse 1%, estamos 100% mortos em delitos e pecados e somos incapazes de fazer o bem. Você ama o mal de tal forma que não consegue fazer o bem. Você é tão inclinado ao orgulho, que não consegue ser humilde”.

João Calvino também expressou a real condição do homem caído quando disse: “Nós mesmos somos totalmente corruptos, porque de uma maneira ou de outra o pecado contamina tudo que pensamos, desejamos e fazemos. Portanto, nunca tememos a Deus da maneira como deveríamos, nunca O amamos como deveríamos e nunca Lhe obedecemos com um coração completamente puro”.
Enquanto o homem não reconhecer sua insuficiência, não experimentará a graça dos céus. Se você expira ares de orgulho por alguma realização própria, distanciado está do favor imerecido. A graça não está disponível para o homem cuja justiça está embasada em suas próprias obras. Os sãos não precisam de médicos e sim os doentes. Será um grande desperdício de tempo estar diante de um médico se não está doente. Se em qualquer lugar do mundo houver um médico que tenha descoberto remédios seguros e eficazes, a quem seria ele enviado? Àqueles cheios de saúde? Acredito que não. Envie-o para uma comunidade onde não haja enfermos e ele se sentirá completamente deslocado, nada ele poderá fazer, pois os sadios não precisam dos seus serviços, e sim os doentes. O Médico dos médicos não pode fazer nada pelos sadios, o remédio da graça é só para os que reconhecem e confessam que estão enfermos. Charles Spurgion disse: “E assim, a lei veio para o justo em si mesmo, a fim de quebrar seu orgulho. Todavia, o evangelho da graça veio para o pecador a fim de remover seu desespero”.

Como escreveu Brennan Maninng:

“A graça de Deus não é para cristãos musculosos, nem para acadêmicos cheios de exegese; não é para os que nunca derramam lágrimas, não é para os que se gabam como o jovem rico. Não é para os soberbos que sustentam suas vitórias no esforço próprio; não é para os legalistas cumpridores de regras e doutrinas. A graça de Deus é para os sobrecarregados e oprimidos, é para os vacilantes e errantes que vez ou outra se desviam do ‘Caminho’ e rumam para o vale da sombra da morte. A graça de Deus é para os inteligentes que sabem que são estúpidos, para os discípulos que reconhecem que são canalhas”.

Ninguém pode desfrutar da graça por ser uma boa pessoa, mas somente porque Deus é bom e transbordante de amor incondicional. Seu amor e bondade manifesta diariamente sobre nós a Sua justiça, pois todos os dias quebramos as leis de Deus, mas a graça é que nos priva da condenação dos pecados que cometemos.

Acredite que tudo o que o Senhor prometeu, Ele cumprirá. Devemos crer nisso em relação ao perdão, justificação diária, preservação e glória eterna. A fé deve estar posta em Deus e na Sua infalível palavra em relação a tudo que vem das suas mãos segundo as promessas que Ele mesmo fez aos que n’Ele creem. No caminho da graça, devemos avançar sempre sem nunca retroceder, crendo de todo coração que Jesus é quem Ele disse ser e fará o que disse que faria; esse é o nosso “esforço”, é a nossa participação. Assim temos, cada um de nós, de confiar n’Ele dizendo: Ele será para mim quem Ele diz ser, e fará comigo aquilo que Ele prometeu fazer; entrego-me nas mãos d’Aquele que foi designado para me salvar. Meu descanso diário está na promessa de que ele está todos os dias comigo, até a consumação do século. Decido depositar na graça, a fé que me salva e justifica. 

Quaisquer que sejam os perigos e dificuldades, trevas ou barreiras, enfermidades ou pecados, basta-nos crer que em Cristo não somos condenados e jamais seremos derrotados.
O resultado imediato de tudo o que foi escrito neste capítulo é: “Não temas, crê somente”. Confie e descanse. A graça do Senhor está sobre nós

20190725

A Fé Ativada Pela Palavra de Cristo! Rm 10:17. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 21/07/2019


“E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.” Rm 10:17

Introdução

O poder do Evangelho consiste em viver cada momento na presença do Senhor abundantemente, para isso, precisamos ter confiança de que todos os nossos pecados foram de fato perdoados. Segundo Isaias, o pecado separa o homem de Deus, afasta-nos das manifestações de poder do Senhor.

Muitos cristãos ainda se comportam como se a responsabilidade de manterem-se perdoados coubesse a eles por intermédio das obras que fazem. É por isso que muitos carregam um perpétuo sentimento de culpa e condenação, associado ao pensamento de que perderam a comunhão com Deus até que confessem todos os pecados.

Cartas de cristãos que não entenderam o perdão baseado na justificação de Cristo

Prezado pastor,

Nos últimos treze anos tenho sido um cristão em luta. Meu problema é que nunca estou em paz e sempre estou tentando ser bom — isto é, fazendo algo para ser melhor. Tenho muito medo de cometer erros. Faço faculdade e sou crente em Cristo. Eu sempre sinto muita ansiedade, culpa e condenação. Esses sentimentos invadem a minha vida cotidiana. Não posso executar uma tarefa, ler um livro, nem ensaiar minha música sem sentir que estou sendo julgado. Há vários anos aceitei a Cristo como meu salvador, mas sinto que tudo o que faço não é suficientemente bom para meu Senhor. É difícil para mim continuar frequentando a igreja, porque me sinto alguém inferior, não tão espiritual quanto alguns de meus irmãos. Na verdade, me parece que Deus gosta mais deles do que de mim.

Olá, pastor,

Sou cristã e estou numa busca desenfreada pela aprovação de Deus guardando várias regras legalistas. Algumas vezes por conta do sentimento de incapacidade de resolver esse problema, cheguei a pensar até em suicídio.

Boa tarde Pastor,

Eu quero ser usado com mais eficácia pelo Senhor, mas me sinto tão indigno, na verdade me sinto inútil. Tive uma conversão maravilhosa, e em vários sentidos sou uma “nova criatura em Cristo”. Mas só eu sei de fato o que vai em meu coração. Eu realmente tenho alimentado muita magoa e rancor de pessoas que suponho estão me fazendo mal. Oscilo entre períodos de paz e tranquilidade com outros períodos de desavenças e problemas relacionais. Sinto que minha saúde física está sendo afetada por conta disso. Sempre me arrependo ou sinto remorso pelos pecados e em seguida fico deprimido. Eu acho que o que me irrita, mais é não estar tendo vitória espiritual.

Caro pastor,

Meu nome é... e sou missionário. Deus tem-me usado para ganhar almas. Conheço todas as respostas, todas as Escrituras, e posso citar exatamente o capítulo e o versículo de centenas de passagens da Bíblia. Mas sinto que isso tudo está em minha cabeça. Estou convicto de que O Deus a quem sirvo nunca está contente comigo e certamente não se parece nada com o Deus gracioso e amoroso em que professo crer — e que anuncio a outros. Por que não posso praticar aquilo que prego? Sinto-me um impostor. Já passei por várias sessões de aconselhamento, e Deus realizou muitas mudanças em mim. Sei que preciso abandonar a falsa pessoa “espiritual” que tentei ser durante tantos anos. Mas tenho muito medo disso, porque não sei quem eu realmente sou e o que poderei vir a ser. É possível a pessoa estar aterrorizada e entusiasmada ao mesmo tempo? Essa é minha condição. Sinceramente tento ser amoroso, mas sou tão crítico e reprovador, tão duro com a minha esposa e meus filhos. A menor falha da parte deles fico com raiva e sinto que vou explodir. Então me sinto culpado e deprimido. Minha família é muito amorosa e sempre perdoa — mas isso só toma as coisas piores. E como se a mesma história sempre se repetisse.

Bom dia pastor,

Sou motorista e meu problema é que estou lutando para não cair em um pecado que me escravizou durante anos. Parece que quanto mais me esforço, mais caio. Quando fico exausto, e desisto de tentar, aí realmente me sinto condenado. Parece uma espécie de círculo vicioso.

Como podemos ver através desses relatos, muitos irmãos estão crendo de maneira errada a respeito do perdão de Deus. Mesmo pastores, pregadores e líderes, com títulos e credenciais eclesiásticas ainda estão confusos acerca do ensinamento do perdão.

Muitos irmãos, pastores, líderes, estão debaixo da acusação do nosso adversário.

“10 Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus.” Ap 12:10

Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.        Is 59:2

11 Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si. Isaías 53:11

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Rm 8:1

Se você não entender que os seus pecados foram todos perdoados, dificilmente você receberá toda a graça que lhe está reservada.

Mudar a sua teologia é fundamental para que algo novo aconteça. Sua crença e valores determinam o que você vai experimentar.

Como entender o evangelho? Primeiro, é importante você entender que “evangelho” significa “boas novas” ou “boas noticias”.

O melhor jeito de entender o Evangelho puro e libertador é olhar o que os apóstolos pregaram na igreja primitiva. Vamos examinar o que Paulo, o apóstolo da nova aliança, pregou:

Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar. 9 Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, 10 disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava.” Atos 14:8-10

Observe como o Espírito Santo descreve este homem aleijado:

·         Primeiro, ele estava sem força em seus pés.
·         Segundo, ele era deficiente desde o ventre de sua mãe.
·         Terceiro, ele jamais tinha andado.

O Espírito Santo usou três diferentes descrições para enfatizar que o homem não podia andar e estava enfrentando um problema aparentemente impossível de ser solucionada. No entanto, quando ele ouviu Paulo falando, ficou cheio de fé para ser curado! Ele ouviu a pregação, a pregação pela palavra de Cristo e isso ativou sua fé! Rm 10:17

Ouvir a palavra de “CRISTO” nos liberta

“E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.” Rm 10:17

O homem de Listra ficou cheio de fé porque ouviu a palavra de Cristo! Algumas traduções da Bíblia constam que a fé vem pelo ouvir “a palavra de Deus”. Mas se você estudar a palavra original em grego para “Deus” aqui, verá que não está sendo utilizada a palavra Theos para “Deus”, e sim Christos, que é “Cristo”.

Somente quando Cristo é pregado a fé é transmitida

Você pode pregar qualquer texto do velho testamento, mas deve fazer isso sob a perspectiva de Jesus e de Sua graça. Sim, porque Ele estava lá. Afinal de contas, Cristo está oculto no Antigo Testamento e revelado no Novo Testamento.

Voltemos a mensagem de Paulo

Agora voltemos para a mensagem de Paulo e a pergunta que faço é: O que Paulo estava pregando? O que era tão poderoso a ponto de conceder tal fé àquele homem que o levou a crer na cura, mesmo em sua situação impossível? Com certeza Paulo estava pregando o Evangelho de Jesus, a mensagem da graça!

“Tomai, pois, irmãos, conhecimento de que se vos anuncia remissão de pecados por intermédio deste; 39 e, por meio dele, todo o que crê é justificado de todas as coisas das quais vós não pudestes ser justificados pela lei de Moisés.” At 13:38-39

“38 Portanto, meus irmãos, quero que saibam que mediante Jesus lhes é proclamado o perdão dos pecados. 39 Por meio dele, todo aquele que crê é justificado de todas as coisas das quais não podiam ser justificados pela Lei de Moisés.” Atos 13:38-39 (NVI)

“Quero que vocês saibam, meus prezados, que é por causa do Jesus ressuscitado que o perdão dos pecados pode ser prometido a vocês. Ele realiza, naqueles que creem, tudo que a Lei de Moisés nunca pôde realizar. Mas qualquer um que crê no Jesus ressuscitado é declarado bom e justo diante de Deus.” Atos 13:36-39 (A Mensagem)

A antiga aliança estava fundamentada na justificação pelas obras (obediência aos Dez Mandamentos). Você precisava ter um bom desempenho para ser perdoado. Mas a nova aliança da graça é fundamentada inteiramente na justificação pela fé (crer em Jesus Cristo). A exigência não está mais sobre você, e sim em Cristo.

Esta é a boa-nova: Todos aqueles que creem em Jesus recebem perdão de todos os seus pecados e são justificados de todas as coisas!

Temos um advogado junto ao Pai que intercede por nós

“Será que alguém poderá condená-los? Ninguém! Pois foi Cristo Jesus quem morreu, ou melhor, quem foi ressuscitado e está à direita de Deus. E ele pede a Deus em favor de nós.” Rm 8:34 (NTLH)

“Quem pois é que nos condenaria? Ninguém o poderia fazer visto que foi mesmo Cristo quem morreu e ressuscitou por nós, e se encontra sentado no mais honroso lugar junto de Deus, ali intercedendo em nosso favor.” Rm 8:34

Para todo ato de pecado há duas manifestações:

1.      Jesus intercede por nós. Rm 8:34; 1Jo 1
2.      O diabo intercede contra nós. Acusador dos nossos irmãos - Ap 12:10

Voltemos ao homem de Listra

Podemos imaginar como o homem em Listra respondeu quando ouviu Paulo anunciando que ele poderia ser justificado de todas as coisas se apenas cresse em Jesus. Quando ele ouviu Paulo pregando sobre a boa nova de Cristo, a fé veio e encheu o seu coração. Com lágrimas em seus olhos, ele deve ter ignorado suas pernas defeituosas e rejeitado cada pensamento de enfermidade. Em lugar disso, ele deve ter acreditado com todo seu coração que se cresse em Jesus Cristo, seria perdoado de todos os seus pecados. Ao ouvir a mensagem certamente ele disse: Eu creio!!!

E naquele momento, ouviu uma voz forte dizendo: “Levante-se! Fique em pé!”

Era Paulo dando uma ordem a ele, e antes que tivesse tempo de hesitar, ele se viu saltando sobre seus pés com alegria e, pela primeira vez em sua vida, ele andou!

O evangelho da graça transmite fé, e quando você ouvir a mensagem da cruz, a boa nova da graça, diga: Eu creio!!! Observe que Paulo não precisou colocar as mãos sobre o homem para curá-lo. Não houve apelo, ninguém foi convidado para ir a frente para receber cura. A fé para ser curado veio sobre aquele homem simplesmente ao ouvir o evangelho de Jesus Cristo.

Quanto mais revelação você tem da obra consumada de Jesus, mais recebe uma liberação de fé para qualquer situação, mesmo as aparentemente impossíveis!

O texto não menciona o nome do homem de Listra, acredito que de propósito. Para que você seja esse homem ou mulher de Pirituba, do Jaraguá, de Franco da Rocha, de São Paulo, etc.

Coloque seu nome no texto, creia e viva o mesmo milagre que esse homem experimentou!!! 

Esse é o poder do ouvir, e ouvir o Evangelho de Jesus.

É desse modo que a fé surge! Quanto mais de Jesus nós ouvimos e cremos, mais de Sua graça recebemos.

Jesus perdoou todos os nossos pecados e venceu todas as nossas lutas quando nos justificou naquela cruz, creia nisso!

O homem de listra creu e foi perdoado e curado! Não sei quem você é e nem o problema que está enfrentando, mas sei que Jesus não mudou, pois nele não há sombra de variação, Ele é o mesmo ontem, hoje e para sempre será! Creia agora e seja perdoado de todos os seus pecados, curado de todas as enfermidades e completamente restaurado em todas as áreas de sua vida em nome de Jesus!

Cabe aqui o apelo que Paulo fez àquele homem:

“Levante-se! Fique em pé!”

20190710

O que fazer quando não se sabe o eu fazer? Pra. Silvana Araújo - Culto de Celebração - 07/07/19


“1 Depois disto, os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos meunitas, vieram à peleja contra Josafá. 2 Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi. 3 Então, Josafá teve medo e se pôs a buscar ao SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá. 4 Judá se congregou para pedir socorro ao SENHOR; também de todas as cidades de Judá veio gente para buscar ao SENHOR.” 2Cro 20:1-4

Introdução

  • Você já esteve em uma situação como essa em que a circunstâncias parecem totalmente sem esperanças?
  • Situações em que você se sentiu imobilizado e oprimido pelos desafios a sua volta, sem saída ou sequer um alívio temporário a vista?
  • Você já enfrentou situações que lhe parecem muralhas intransponíveis?
Em nossas vidas pode haver épocas em que parece que nossos desafios chegam a nós simultaneamente de todas as direções e estamos totalmente inundados por problemas após problemas.

- dificuldade financeira
- rupturas no casamento
- desenvolvimento de um problema médico
- uma forte opressão mental.

Ou  tudo isso vindo contra você de uma só vez, você se sente como se toda a sua vida estivesse fora de controle e desmoronando.

O Rei Josafá e o povo de Judá passaram por grandes aflições

Quando os exércitos de saqueadores de Moabe, Amom e do Monte Seir se levantaram contra Jerusalém, Josafá, Rei de Judá convocou um estado de emergência e reuniu todo Judá para buscar ajuda do Senhor. Todos os homens de Judá, com suas mulheres e filhos colocaram-se diante da casa do Senhor com rostos sombrios esperando ansiosamente para ouvir o que seu rei tinha a dizer. Ele sabia o que os exércitos de seus inimigos eram muito maiores que o seu e o medo de perder tudo o que tinham esmagava seus espíritos. 

Algumas das mulheres choravam incontrolavelmente temendo pela vida de seus maridos na batalha iminente. Seus filhos que nunca haviam testemunhado seus pais e familiares tão atemorizados e abatidos apenas esperava o rei falar com uma tranquilidade atípica.
Foi exatamente isso o que aconteceu com a pequena tribo de Judá quando foi cercada em todas as frentes por três exércitos poderosos sanguinários, que avançavam rapidamente em direção a eles (2Cro 20:1-4). Com seus inimigos impiedosamente empenhados em aniquilados e a todos os habitantes de Jerusalém, a situação era desoladora e sem esperança, e parecia que ele se dirigiam a um fim trágico.

Dia após dia a circunstâncias parecem estar se deteriorando rapidamente, apesar de seus esforços para resgatar as coisas. Nesses tempos de desespero...

... o que você faz quando honestamente não sabe o que fazer?

Acredito que a resposta pode ser encontrada no relato bíblico da batalha de Josafá. Ali há muitas pérolas preciosas e práticas de sabedoria das quais você e eu podemos nos beneficiar, especialmente no tocante a enfrentar uma grande pressão e sentir-se paralisado pela simples grandeza dos adversários que nos rodeiam.

O que fazer quando não se sabe o que fazer?
1.   
         1. Tenha uma verdadeira esperança Bíblica. 2Cro 20:6 (Ore)

Depois de haver reunido todo Judá com ele, Josafá ficou diante do povo na casa do Senhor e orou:

“e disse: Ah! SENHOR, Deus de nossos pais, porventura, não és tu Deus nos céus? Não és tu que dominas sobre todos os reinos dos povos? Na tua mão, está a força e o poder, e não há quem te possa resistir.” 2Cro 20:6

Josafá teve medo!

Só quero chamar a sua atenção para o fato de que ao ser informado de que uma grande multidão estava vindo contra ele, Josafá temeu. É isso mesmo, a primeira reação de Josafá foi o medo! “Então, Josafá teve medo...” 2Cro 20:3

Ele era não somente um valente guerreiro sempre cheio de fé e dotado de uma dose desproporcional de coragem impetuosa sempre para derrubar os inimigos, não era ele um sujeito assim. Ele era um sujeito comum, ele era como nós. Quando ouviu o relato negativo acerca de seus inimigos, ele fez o que eu e você teríamos feito, ele entrou em pânico.

Cercado pelo medo, josafá decidiu buscar ao Senhor!

Isso é algo que eu e você também precisamos aprender a fazer sempre que estivermos com medo.

Em vez de se lançar no abismo da derrota saiba que quando você está se sentindo sobrecarregado pelas circunstâncias, esse é o momento de buscar o Senhor. Certamente não é o momento de fugir de Deus ou de ficar amargo, irritado, frustrado e decepcionado com Ele.

Deus não é autor dos seus problemas ele é autor e consumador da sua fé, vitórias e sucesso.

Josafá nos mostra que não há problema em ter medo, todos nós experimentamos crises de medo de vez em quando. Deus não o condena quando você está com medo.

Mas quando você receber um relatório médico negativo ou algumas más notícias sobre sua família ou empresa, determine-se a buscar o Senhor.

Jesus é a sua resposta! Seu amor perfeito por você irá lançar fora todo medo. O apóstolo João disse que Deus é amor e o amor lança fora o medo.

O que você vê nas palavras da oração de Josafá? Em vez de reafirmar seus medos ao Senhor e lamentar-se de quão inferior em poderio bélico era sua pequena tribo em relação aos seus inimigos, Josafá centrou sua oração e pensamento sobre quão grande e poderoso seu Deus verdadeiramente é. Ele proclamou corajosamente que ninguém é capaz de resistir ao Senhor. Ninguém, nem mesmo os poderosos guerreiros de Moabe, Amom e do monte Seir!
2.    
         Espere no Senhor

6.Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.
E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia.
7.Descansa no Senhor, e espera nele... 
Sl 37:5-7

Em meio a uma situação desesperadora, Josafá esperou no Senhor. Chamo isso de esperança bíblica.

Quando você espera no Senhor, há uma alegria em seu semblante (dito de maneira simples, um sorriso em seu rosto). Há em seu coração uma confiante segurança de que, por mais sombrias que as circunstâncias pareçam ser, ainda não acabou.
Deus está agindo nos bastidores em seu favor e transformando a situação a sua volta para o seu bem (Rm 8:28). Ele está preparando uma mesa para você na presença do seus inimigos (Sl 23:5). Todos os seus abundantes recursos celestiais, seu poder, cura, restauração, livramento, favor, provisão, ajuda, conforto e amor estão com você e do seu lado, esperando para serem liberados sobre você. O Senhor, seu Deus, abrirá as janelas do céu sobre a sua vida e derramará sobre você uma benção tal, que não haverá espaço suficiente para recebê-la!

Quando toda nossa esperança e confiança estão nele, podemos contar com suas promessas a nós. Ele repreenderá o devorador pelo nosso bem e não permitirá que o inimigo tome o que nos pertence por direito.

O mau uso da palavra esperança

Infelizmente, a maneira como a palavra “esperança” é utilizada em nosso vocabulário moderno, é totalmente diferente e, às vezes, até mesmo oposta à maneira como a Bíblia a define.

Quando usamos a palavra “esperança” hoje, dizemos coisas como:

·         “espero conseguir esse emprego”
·         “espero que não chova amanhã”.

O modo como usamos a palavra tem uma conotação de incerteza, dúvida e ambivalência.
Muitas vezes chegamos a usar a palavra esperança em sentido negativo, como se esperasse o pior. Por exemplo, podemos dizer: “Espero que o relatório médico não seja ruim”, em um tom cheio de medo, apreensão e insegurança. Essa não é a esperança da Bíblia.

Não importa quão adversa sua situação possa parecer hoje, deposite a sua confiança no Senhor. O homem pode nos decepcionar e desapontar, mas Deus nunca falha.
O Salmo 118:8-9 nos diz isso com clareza: 8 Melhor é buscar refúgio no SENHOR do que confiar no homem. 9 Melhor é buscar refúgio no SENHOR do que confiar em príncipes.” Sl 118:8-9

Você quer saber por que o salmista podia depositar sua confiança no Senhor em vez de no homem? O segredo é revelado na maneira como esse salmo começa e termina. O primeiro versículo é um enfático: “Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.” (Sl 118:1); e o salmo termina de modo idêntico: “Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.” (Sl 118:1)

Meu amigo, espere no Senhor porque ele é bom e seu amor por você dura para sempre! independente de quão difícil, impossível ou terrível, a situação atual possa ser, você pode ter uma expectativa positiva, otimista e confiante do bem, por você saber e crer que o seu Deus é bom e que o seu amor por você permanece por toda eternidade. Você é a menina dos seus olhos! Essa esperança nunca decepciona, o que isso significa que as suas maiores vitórias estão por vir.

O que fazer quando não se sabe o que fazer?

Após Josafá ter buscado o Senhor e orado perante toda a congregação de Judá, o Espírito do Senhor veio sobre Jaaziel e ele falou as palavras do Senhor.

“15 e disse: Dai ouvidos, todo o Judá e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá, ao que vos diz o SENHOR. Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus. 16 Amanhã, descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz; encontrá-los-eis no fim do vale, defronte do deserto de Jeruel. 17 Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o SENHOR vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR é convosco.” 2Cro 20:15-17

Ao ouvir essas palavras de esperança, todo o Judá se humilhou perante o Senhor, curvando-se diante dele e adorando-o. Hoje o Senhor está me dizendo as mesmas palavras na sua situação. Espere nele porque ele o ama! Você não tem que viver com medo e desânimo quando sabe que a batalha não é sua, mas do Senhor. Fique parado e veja o livramento do Senhor. A batalha é dele e você não terá de lutar nela.

O que fazer quando não se sabe o que fazer?

2. Fique parado! 2Cro 20:17

Fique parado e veja o livramento do Senhor na situação que o aflige! É o que você precisa fazer!

“Mas pastor, se eu ficar parado nada acontecerá”. Meu querido, ficar parado não é inatividade ou ficar sem fazer nada.

É ter uma postura de esperança e envolve manter a sua esperança ancorada na pessoa de Jesus, e ter uma expectativa certa e confiante da bondade de Deus.

Quando os exércitos saqueadores de Faraó estavam atacando os filhos de Israel, obcecados por aniquila-los, Moisés simplesmente declarou aos israelitas aterrorizados:

“não temais, aquietai-vos e vede o livramento do Senhor”.  Êx 14:13

Para enxergar é necessário aquietar-se. No hebraico é Yatsab que é “fixar-se”.

A palavra hebraica para livramento é Yeshua, que é de fato o nome de Jesus. Assim, a salvação é a pessoa de Jesus e ele está com você. Quando você se encontrar em uma situação desesperadora, aprenda a se posicionar, fique parado e veja o poder libertador da obra de Jesus para o seu bem. Ele nunca deixará nem o desamparará (Hb 13:5). E quando você centralizar a si mesmo, seus pensamentos, crenças e esperanças em Jesus, Ele irá conduzi-lo quanto ao que fazer, assim como conduziu Josafá há uma vitória triunfante sobre os seus inimigos.

O que fazer quando não se sabe o que fazer?

3. Creia no Senhor e nos seus profetas.

O clímax da história: Crer em Deus e nos seus profetas!

Estamos prestes a chegar ao clímax da história. Você está pronto para ler a respeito da Batalha de Josafá? A Bíblia nos diz:

“Pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; ao saírem eles, pôs-se Josafá em pé e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém! Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis.” 2Cro 20:20

Creia no Senhor o seu Deus e você será estabelecido. Creia nos seus profetas e você prosperará. Creia que as batalhas que você está enfrentando pertencem ao Senhor!
Quando você crer corretamente, experimentará a verdadeira esperança da Bíblia e começará a viver com uma expectativa segura, alegre e confiante do bem, independentemente das suas circunstâncias atuais. Muitos estão lutando por que não creem no Senhor, não creio na sua palavra e não tem o seus profetas. A crise deles é uma crise de crença, por isso é tão essencial compreender o poder da crença correta. Crer corretamente sempre produzirá viver corretamente. Se você conseguir mudar aquilo em que crê, conseguirá definitivamente mudar sua vida e começar a viver com esperança, alegria e confiança.

A Estratégia militar incomum de Josafá

Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o SENHOR, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus, dizendo: Rendei graças ao SENHOR, porque a sua misericórdia dura para sempre.” 2Cro 20:21

Pouco antes do Exército de Judá marchar em direção ao campo de batalha, Josafá consultou o povo. Então ele fez uma coisa muito incomum. Nomeou adoradores para cantar louvores ao Senhor em frente ao exército. Essa foi uma estratégia militar muito peculiar para dizer o mínimo. Pergunte a qualquer especialista em guerra. Ninguém o aconselharia a enviar seus músicos no campo de batalha, muito menos posiciona-los bem na frente, a menos que você deseja a morte deles.

Do pouco que sei sobre estratégias de guerra, você precisa enviar suas forças de elite em primeiro lugar, como as dos Exército ou da Marinha para reunir informações ou atacar alvos chave. E eles devem operar camuflados para obter vantagem tática contra seu inimigo. Um grupo de adoradores louvando a Deus na maior alta voz e entregando sua própria posição ao inimigo soa mais como uma missão suicida do que como uma boa estratégia militar.

Mas lembre-se de que essa não era uma batalha comum, a batalha pertencia ao Senhor e a palavra registra que: Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o SENHOR emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados.” 2Cro 20:22

Deus causou confusão entre os acampamentos dos inimigos e em vez de irem contra Judá, os soldados de Amom e de Moabe formaram uma aliança para “matar e destruir totalmente” os habitantes do Monte Seir. Então, após aniquila-los totalmente, eles se voltaram uns contra os outros até que todos estavam mortos. “Porque os filhos de Amom e de Moabe se levantaram contra os moradores do monte Seir, para os destruir e exterminar; e, tendo eles dado cabo dos moradores de Seir, ajudaram uns aos outros a destruir-se.” 2Cro 20:23

Judá se prepara para enfrentar os 3 exércitos

Em todo esse tempo, enquanto seus inimigos estavam destruindo uns aos outros, os adoradores de Judá estavam louvando a Deus, alheios os ao que se passava entre o seus inimigos. Então, ao chegarem ao local com vista para o campo de batalha, ele se prepararam para um ataque total das forças combinadas de três diferentes inimigos.
Imagine seus rostos ao verem em vez disso os cadáveres daqueles que seriam os seus executores espalhados por todo vale. A destruição de seus inimigos foi tão completa que a Bíblia registra: “Sem nenhum sobrevivente”. 2Cro 20:24

Louve ao Senhor porque Ele é bom

Judá não desembainhou uma única espada naquele dia, mas a batalha foi vencida. De fato, ela foi vencida antes mesmo de as tropas de Judá sequer chegarem ao local. Você percebeu quando o Senhor começou a armar emboscadas contra os inimigos deles? Foi quando eles começaram a cantar louvores a Deus. Quando ouço essa história ser contada no púlpito, a ênfase é geralmente em como o louvor derrota nossos inimigos. Esse é um grande ensinamento, mas hoje eu quero leva-los a um passo adiante, quero te mostrar que as palavras de louvor utilizadas são igualmente importantes, se não ainda mais importantes. Você pode louvar ao Senhor por diferentes razões, mas nos períodos em que pressões, desafios e problemas vem a você de todos os lados, o que você faz quando não sabe o que fazer?

Em tempos de grande a diversidade, como você mantém uma expectativa confiante do bem e continua a ter esperança no Senhor? Você já deve saber que uma das minhas frases favoritas é: “não há detalhes insignificantes na Bíblia”. Deus registrou deliberadamente para nós as palavras que o povo de Judá usou para louvar enquanto marchava para batalha. E é por isso que sabemos que eles estavam cantando: “Rendei graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre”. 2Cro 20:21.

Parece familiar? Falamos disso anteriormente neste capítulo, quando estudamos como salmo 118 começa e termina com esse mesmo refrão. Mas essa frase não aparece só no livro de Salmos. De fato esse refrão está tão perto do coração de Deus, que se revela muito proeminentemente em muitos momentos chave da história de Israel.

Várias passagens enfatizam essa expressão “Rendei graças ao Senhor...”.

Por exemplo, a Bíblia narra que, no mesmo dia em que Davi finalmente trouxe a arca da aliança de volta a Jerusalém, ele entregou nas mãos de Asafe um salmo que continha esse refrão: “Rendei graças ao Senhor porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre”. (1Cro 16:7,34)

A Bíblia também registra que depois, no dia da dedicação do tempo que Salomão, Filho de Davi construiu para Deus, todos os filhos de Israel, adoraram, e louvar o Senhor “porque é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre”. (2Cro 7:3). Mais uma vez ouvimos esse poderoso refrão.

Meu amigo, penso ser óbvio que há algo muito especial acerca dessas duas singelas linhas de louvor. Acredito que Deus quer que meditemos nele e louvemos com essas palavras singelas, mesmo quando nos sentimos desanimados, oprimidos ou temerosos. Em tais momentos, ainda podemos louva-lo “porque Ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre”! Você acredita nisso hoje? Louve com essas palavras até crer nelas em seu coração, e eu te prometo que a esperança brotará dentro de você!

Hoje muitos estão lutando por não crerem que Deus é bom e que sua misericórdia dura para sempre. Aqui, a palavra misericórdia é a palavra hebraica checed, muito poderosa, que fala da graça, do amor, da compaixão e da misericórdia de Deus. Independentemente de quantas vezes você falhou e deixou a desejar, e mesmo que os problemas que o cercam sejam uma consequência de seus próprios atos, você se voltaria para o Senhor hoje, e o louvaria por sua graça e checed (bondade)?

Louve ao Senhor porque ele é bom, porque sua graça e amor, compaixão e misericórdia em sua vida duram para sempre. Adore-o com essas palavras e, enquanto você O louva, ele emboscará todos os seus inimigos, problemas, medos, desafios e vícios. Acredito que quando você chegar o seu campo de batalha, os seus inimigos estarão todos caídos. Nem um só de seus adversários escapará, porque o próprio senhor trava a suas batalhas.

O vale da bênção

Você sabe como termina a história da batalha de Josafá e seus homens? Eles passaram três dias inteiros reunindo os despojos de guerra que encontraram entre os cadáveres de seus inimigos. Eles recuperaram riquezas em abundância e objetos preciosos. No quarto dia, eles se reuniram com todos os seus despojos no vale de Beraca, e ali adoraram e deram graças ao Senhor. Foi muito apropriado, portanto eles darem ao vale, o nome de “Berachah”, que significa benção. A Bíblia nos diz que depois disso voltaram todos os homens de Judá, e de Jerusalém, e Josafá, à frente deles, e tornaram para Jerusalém com alegria, porque o senhor os alegrara com a vitória sobre seus inimigos. Deus transformara seu medo em regozijo, sua tristeza em alegria seus problemas em bênçãos.

Isso é o que acontece quando esperamos no Senhor. Louve-o porque Ele é bom e sua misericórdia (Checed) dura para sempre. Você pode ter uma expectativa confiante no bem, porque o seu Deus é um Deus bom. Como povo de Judá que significa “louvor” em hebraico (Gn 29:35), você não precisará lutar, porque a batalha pertence ao Senhor. Aleluia!

Vencendo o medo pelo poder da fé. Sl 34:4. Pr. Edenir Araújo. Culto de Celebração - 16/02/20

Meses atrás , eu e minha esposa estávamos indo de carro para Poá, quando percebi que o marcador de combustível estava na reserva. Quando a...