20151027

Chamados para o descanso. Hb 4:7b-10. Parte 2. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 26/10/15

7b Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração. 9 Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. 10 Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas.” Hb 4:5-10

Introdução

A obra de Deus é toda feita pelo próprio Deus. Quando decidiu criar o homem, primeiro Ele criou todas as coisas e depois plantou o jardim do Éden. Quando tudo já estava pronto, somente a partir dai, Adão foi criado. O homem foi criado no sexto dia. Isso indica que o primeiro dia do homem foi o sétimo de Deus, ou seja, o dia do descanso. Depois da obra concluída e consumada, o homem é convidado a participar da obra de Deus entrando em seu descanso. Como Adão, nós apenas cultivamos o que Deus já plantou, apenas participamos do descanso de Deus.
Isso certamente aponta para um princípio espiritual de que toda a obra de Deus em nós depende de aprendermos a entrar no Seu descanso.

O princípio do descanso em Canaã

Quando Deus livrou o povo de Israel da escravidão do Egito e os conduziu a Canaã, ele fez questão de mencionar que o povo não teria de fazer coisa alguma. Eles entrariam em casas que não tinham construído, poços que não tinham cavado e plantações que não tinham semeado. Eles iriam participar da bênção da obra completa de Deus, da obra consumada.

“Havendo-te, pois, o SENHOR, teu Deus, introduzido na terra que, sob juramento, prometeu a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, te daria, grandes e boas cidades, que tu não edificaste; e casas cheias de tudo o que é bom, casas que não encheste; e poços abertos, que não abriste; vinhais e olivais, que não plantaste.” Dt 6:10-11

O princípio do descanso na obra de Cristo

O mesmo princípio se aplica à obra de Cristo. Se Adão já recebeu o jardim do Édem pronto e o povo de Israel herdou uma nação pronta, nós também recebemos uma salvação completa. Temos salvação quando descansamos no que Deus já fez por meio de Cristo. A maior de todas as bênçãos que recebemos é a salvação e ela é recebida quando descansamos.

Como você recebeu a Cristo?

Pela fé! Se a salvação é recebida assim, por que as outras bênçãos nos seriam dadas de outra forma? Todas as bênçãos são recebidas pelo descanso da fé. Deus deseja que vivamos no descanso porque a fé é o descanso.

Sem fé é impossível agradar a Deus! “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” Hb 11:6
 
Em Colossenses 2:6, Paulo diz: “Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele”. Cl 2:6

Descanso é a principal evidência da fé autêntica

Quando cremos ou manifestamos a nossa fé, entramos no descanso de Deus. A fé possui muitas 
expressões (ousadia, intrepidez, coragem), mas a mais poderosa manifestação da fé é o descanso. Sabemos que uma pessoa tem fé quando em meio às circunstâncias adversas, em meio aos mais pavorosos problemas, a pessoa descansa.
Eu me lembro do dia em que depois de receber um diagnóstico negativo, nossa amada irmã Léia disse: “Hummmm... que vontade de comer coxinha e tomar café com leite.” A fé provoca o descanso. A fé é o próprio descanso, é a segurança.
Deus sempre vai se manifestar no descanso, nunca na confusão. “porque Deus não é de confusão, e sim de paz.” 1Co 14:33
Quando descansamos, estamos declarando que realmente cremos na promessa de Deus e na verdade de que tudo já está consumado.

A orientação de Pedro para não perdermos a fé (descanso) é sempre lançar as nossas ansiedades sobre o Senhor. 1Pe 5:6
“6 Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, 7 lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” 1Pe 5:6-7
“Portanto, contentem-se com o que são e não empinem o nariz. A mão de Deus é forte e está sobre vocês. Ele os exaltará no tempo certo. Vivam livres de preocupação na presença de Deus: ele toma conta de vocês.” 1Pe 5:6-7 (A Mensagem)
Jesus quer carregar o nosso fardo pesado! E o apelo é esse: “28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” Mt 11:28
Se não entramos no descanso, não temos como receber e desfrutar de todas as bênçãos de Deus, pois Deus não opera na ansiedade.

Salmo 23 – O Salmo do descanso

No Salmo 23, por exemplo, a primeira coisa que o Senhor faz é nos levar para repousar em pastos verdejantes e descansar junto às águas tranquilas. Assim, a primeira condição para termos a provisão de Deus é o descanso. O suprimento só flui quando descansamos em Deus.
O Salmo 23 é conhecido como o Salmo do bom pastor, mas deveria ser chamado de Salmo do descanso.

“1 O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. 2  Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; 3  refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. 4 A inda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum (descansarei), porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. 5  Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. 6  Bondade (favor de Deus) e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre.” Sl 23.1-6

Somente depois que repousamos nos pastos verdejantes e bebemos das águas de descanso, é que podemos desfrutar da bênção de ter uma mesa colocada diante de nossos inimigos, ter nossa cabeça ungida pelo óleo do Espírito e ter um cálice transbordante de toda sorte de bênçãos. Sem cumprirmos a condição do descanso, deixaremos de desfrutar de todas essas bênçãos.

Salmo 91 - O Salmo do descanso

Podemos ver o mesmo princípio no Salmo 91. Todas as bênçãos que o salmista descreve estão disponíveis somente para aquele que está descansando na sombra do Onipotente. Esta é a condição colocada logo no início, precisamos descansar na sombra do Onipotente.
O Salmo 91 é conhecido como um Salmo de livramento, mas poderia ser chamado de Salmo de descanso.

“1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. 2 Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. 3 Porque ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. 4 Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade é escudo e broquel. 5 Não temerás espanto noturno, nem seta que voe de dia, 6 nem peste que ande na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia. 7 Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido. 8 Somente com os teus olhos olharás e verás a recompensa dos ímpios. 9 Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio! O Altíssimo é a tua habitação. 10 Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. 11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. 12 Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra. 13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente. 14 Pois que tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque conheceu o meu nome. 15 Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; livrá-lo-ei e o glorificarei. 16 Dar-lhe-ei abundância de dias e lhe mostrarei a minha salvação.” Sl 91.1-11

Todo livramento virá depois do descanso

O descanso vem primeiro e depois uma série de bênçãos nos serão acrescentadas. Uma vez que descansamos na sombra do Onipotente, seremos:
·      Livrados do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.
·     Não nos assustaremos por causa da peste que se propaga nas trevas, nem por causa da mortandade que assola ao meio-dia. Mil cairão ao nosso lado, e dez mil, à nossa direita, mas não seremos atingidos. Tudo isso será assim porque estamos no descanso.
·      Nenhum mal nos sucederá e praga nenhuma chegará à nossa tenda.

Temos muita dificuldade de entrar no descanso por parecer um ato de irresponsabilidade.

Talvez por causa de nossos temores em relação à opinião dos outros sobre nós. O descanso pode ser interpretado por alguns como um tipo de irresponsabilidade, e nós não queremos que nos vejam assim. Dessa forma, nos sobrecarregamos de preocupações e problemas somente para passar a impressão de que somos muito responsáveis. Mas, fazendo assim, perdemos o desfrute da bênção.

O exemplo de Marta e Maria

“38 Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. 39 Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se (descansava) assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. 40 Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. 41 Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas (Descanse). 42 Entretanto, pouco é necessário (Pouca fé) ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.” Lc 10:38-42

“1 Estava enfermo Lázaro, de Betânia, da aldeia de Maria e de sua irmã Marta. 2 Esta Maria, cujo irmão Lázaro estava enfermo, era a mesma que ungiu com bálsamo o Senhor e lhe enxugou os pés com os seus cabelos. 3 Mandaram, pois, as irmãs de Lázaro dizer a Jesus: Senhor, está enfermo aquele a quem amas. 4 Ao receber a notícia, disse Jesus: Esta enfermidade não é para morte, e sim para a glória de Deus, a fim de que o Filho de Deus seja por ela glorificado. 5 Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. 6 Quando, pois, soube que Lázaro estava doente, ainda se demorou dois dias no lugar onde estava. 7 Depois, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia.” Jo 11:1-6
“17 Chegando Jesus, encontrou Lázaro já sepultado, havia quatro dias. 18 Ora, Betânia estava cerca de quinze estádios perto de Jerusalém. 19 Muitos dentre os judeus tinham vindo ter com Marta e Maria, para as consolar a respeito de seu irmão. 20 Marta, quando soube que vinha Jesus, saiu ao seu encontro; Maria, porém, ficou sentada em casa. 21 Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão. 22 Mas também sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. 23 Declarou-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. 24 Eu sei, replicou Marta, que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia. 25 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto? 27 Sim, Senhor, respondeu ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo. 28 Tendo dito isto, retirou-se e chamou Maria, sua irmã, e lhe disse em particular: O Mestre chegou e te chama. 29 Ela, ouvindo isto, levantou-se depressa e foi ter com ele, 30 pois Jesus ainda não tinha entrado na aldeia, mas permanecia onde Marta se avistara com ele. 31 Os judeus que estavam com Maria em casa e a consolavam, vendo-a levantar-se depressa e sair, seguiram-na, supondo que ela ia ao túmulo para chorar. 32 Quando Maria chegou ao lugar onde estava Jesus, ao vê-lo, lançou-se-lhe aos pés, dizendo: Senhor, se estiveras aqui, meu irmão não teria morrido. 33 Jesus, vendo-a chorar, e bem assim os judeus que a acompanhavam, agitou-se no espírito e comoveu-se. 34 E perguntou: Onde o sepultastes? Eles lhe responderam: Senhor, vem e vê! 35 Jesus chorou. 36 Então, disseram os judeus: Vede quanto o amava. 37 Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? 38 Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra. 39 Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. 40 Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? 41 Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste. 42 Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste. 43 E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora! 44 Saiu aquele que estivera morto, tendo os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir. 45 Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que fizera Jesus, creram nele.” Jo 11:17-45

Outros pensam que o descanso pode ser mal interpretado como sendo preguiça ou passividade.

Por isso, se enchem de atividades muitas vezes desnecessárias. Alguns acreditam mesmo que ficar preocupado é um tipo de expressão de cuidado e amor. Quantas esposas não dizem ao seu marido: “Como você pode ir dormir se seu filho ainda não chegou em casa?” “Mas eu sei que ele está bem! Já até orei por ele! Agora eu vou dormir!” Mas, para aquela mãe, o pai ama menos o filho, e ela certamente não se permitirá descansar porque ama o filho, mas também porque se sentirá culpada se for dormir. Afinal, uma preocupação ansiosa é o que se espera de uma boa mãe, imagina. Como posso dizer que amo se não fico preocupado? É como aquele que vai ao velório e chora muito, mas não de tristeza, apenas para que ninguém diga que ele não gostava do falecido.

Não por força e nem por poder humano, mas pelo descanso!

O suprimento de Deus está disponível para aquele que descansa no Seu poder. Em Zacarias 4, o profeta teve uma visão onde tubos de ouro vertendo azeite dourado supriam o povo de Deus.
“E me perguntou: Que vês? Respondi: olho, e eis um candelabro todo de ouro e um vaso de azeite em cima com as suas sete lâmpadas e sete tubos, um para cada uma das lâmpadas que estão em cima do candelabro. Junto a este, duas oliveiras, uma à direita do vaso de azeite, e a outra à sua esquerda. Então, perguntei ao anjo que falava comigo: meu senhor, que é isto? Respondeu-me o anjo que falava comigo: Não sabes tu que é isto? Respondi: não, meu senhor. Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.” Zc 4.2-6

No Novo Testamento, o Senhor Jesus disse que o candelabro é a igreja. Hoje, há uma botija com sete bocas despejando azeite sobre cada haste do candelabro. Cada haste pode ser interpretada como áreas distintas de nossas vidas. Todo o azeite de ouro está fluindo sobre as diferentes áreas de nossas vidas. O óleo de suprimento está constantemente fluindo e nunca cessa. Há óleo fluindo para nossa vida financeira, nossa vida familiar, nossa vida de santidade e tudo o mais. Mas, quando ficamos preocupados e ansiosos, fechamos a boca do tubo e cessamos o suprimento. Quando, porém, descansamos e relaxamos, nós liberamos o fluir da unção. Normalmente, as áreas em que temos problemas hoje são justamente aquelas com as quais estávamos preocupados ontem.
Veja que o Senhor diz ao profeta que a vitória não será por força e nem por poder humano. O poder de Deus é liberado quando entramos no descanso. O descanso é a expressão mais poderosa de fé.

“Porque assim diz o SENHOR Deus, o Santo de Israel: Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas não o quisestes.” Is 30:15

Eu aprendi pela experiência que a prosperidade e o sucesso vêm quando temos grandes ideias, e as novas ideias fluem quando estamos relaxados. A visão e os sonhos se renovam quando entramos no descanso.

Nunca pense, porém, que o descanso de Deus é o mesmo que passividade. Há uma grande diferença entre descanso e passividade. Podemos ver claramente essa diferença no exemplo da luta do povo de Israel contra Amaleque, em Êxodo 17. No verso 8, lemos: “Então, veio Amaleque e pelejou contra Israel em Refidim”.

Porque Amaleque veio guerrear contra Israel justamente em Refidim? A palavra “Refidim” significa “lugar de descanso”. Amaleque sempre vem para lutar contra você no seu lugar de descanso. A palavra “Amaleque” vem de uma outra palavra hebraica, emal, que significa “dor, fardo pesado e trabalho árduo”. Veja que isso é exatamente o oposto de descanso.
Como Israel venceu Amaleque? Diz a Palavra de Deus que Moisés subiu ao monte junto com Arão e Hur, enquanto Josué desceu ao vale com o exército para lutar contra os amalequitas. A Palavra de Deus diz que, quando Moisés erguia as mãos, Israel prevalecia, e quando ele abaixava as mãos, Amaleque prevalecia. Acontece que as mãos de Moisés eram pesadas e ele não conseguia ficar muito tempo com elas erguidas. Assim, Arão e Hur seguravam suas mãos.
O que significa isso? Arão era sacerdote, por isso ele simboliza o sacerdócio. Hur era príncipe da tribo de Judá, a tribo dos reis, por isso simboliza a realeza. Isso indica que a nossa vitória é sustentada pelo sacerdócio e pela realeza. Outra aplicação prática é que todo líder precisa de irmãos ao seu lado para prevalecer contra os inimigos.
Uma vez que Arão e Hur seguraram a mão de Moisés, então Josué podia prevalecer contra Amaleque. Diante disso, eu pergunto: se Moisés não levantasse as mãos, Josué poderia ter vencido? Certamente não. E se não houvesse Josué lutando no vale, será que Moisés sozinho no monte venceria o inimigo? Eu creio que não. Então, é preciso haver oração e trabalho. Descanso nunca pode significar inatividade ou passividade.

Se estou desempregado e creio que vou conseguir um emprego, eu preciso primeiro entrar no quarto e orar, como fez Moisés, mas depois é preciso sair e vencer lá no campo, como fez Josué. O descanso de Deus é sempre um descanso ativo. Deus disse que haveria guerra permanente contra Amaleque. Isso significa que essa é a única guerra para a qual somos chamados: a guerra do descanso. É a guerra para vencer a tentação de fazer as coisas em nossa própria força sem depender do poder de Deus.
Nós devemos, sim, lutar pelas almas dos homens, pelejar pela nossa casa, pela nossa família, pelos nossos filhos e cônjuge, mas essa luta precisa ser no descanso de quem sabe que a obra já foi completada.


Em Mateus 12.43, Jesus disse que, quando um demônio sai de uma pessoa, ele procura um lugar 
para descansar. Isso significa que o diabo não tem descanso e seu alvo é fazer com que vivamos em preocupação, medo e angústia em todo o tempo. Eu sei que essa é uma afirmação séria, mas eu creio que os demônios não têm descanso, e quando nós mesmos vivemos atribulados e sem descanso, estamos vivendo como um demônio. O lugar que damos ao diabo é justamente uma alma que não descansa em Deus. Mas, quando entramos no descanso, nós retiramos todo espaço do diabo em nós. O inimigo não pode entrar onde existe o descanso de Deus.

20151020

Chamados para o descanso. Hb 4:1-13. Parte 1. Pr. Edenir Araújo - Cuto de Celebração - 18/10/15

Hb 4: 1-13 (Revista e Atualizada)
Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado. Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. Nós, porém, que cremos, entramos no descanso, conforme Deus tem dito: Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso. Embora, certamente, as obras estivessem concluídas desde a fundação do mundo. Porque, em certo lugar, assim disse, no tocante ao sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as obras que fizera.” Hb 4:1-4

“E novamente, no mesmo lugar: Não entrarão no meu descanso. 6 Visto, portanto, que resta entrarem alguns nele e que, por causa da desobediência, não entraram aqueles aos quais anteriormente foram anunciadas as boas-novas, 7 de novo, determina certo dia, Hoje, falando por Davi, muito tempo depois, segundo antes fora declarado: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração. 8 Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não falaria, posteriormente, a respeito de outro dia. 9 Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. 10 Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas.” Hb 4:5-10

“11 Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência. 12 Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. 13 E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas.” Hb 4:11-13
Hb 4:1-14 (A Mensagem)

1-2 Enquanto a promessa de descansar nele nos impulsiona para o alvo de Deus, cuidemos para não sermos desqualificados. Recebemos as mesmas promessas que o povo do deserto; no entanto, elas não fizeram bem a eles, porque não foram recebidas com fé. Portanto, se crermos, iremos experimentar o estado de descanso; se não crermos, nada feito. Lembrem-se do que Deus disse: Com ira, jurei: “Eles nunca vão chegar ao seu destino, nunca vão conseguir descansar de verdade.” 3-7 Deus fez essa promessa, embora tivesse cumprido a parte dele antes da fundação do mundo. Em algum lugar, está escrito: “Deus descansou no sétimo dia, tendo completado sua obra”, mas outro texto diz: “Eles nunca vão conseguir descansar de verdade”. Portanto, essa promessa ainda não foi cumprida. Os antigos não chegaram ao lugar de descanso porque foram desobedientes (Não foram desobedientes para com a lei, pois a lei ainda não havia sido dada a Moisés). Deus continua renovando a promessa e estabelecendo a data de hoje, como fez no salmo de Davi, séculos depois do convite original: Hoje, por favor, ouçam; não fechem os ouvidos... 8-11 Essa promessa ainda é válida. Ela não foi cancelada no tempo de Josué. Do contrário, Deus não continuaria renovando a promessa para “hoje”. A promessa de “chegada” e “descanso” para o povo de Deus ainda está de pé. Deus mesmo está neste descanso. E, no fim da jornada, descansaremos com ele. Portanto, permaneçamos firmes e chegaremos ao local de descanso. Se não houver desobediência, não haverá desvio. 12-13 Tudo que Deus diz é sério. O que ele diz acontece. Sua poderosa Palavra é aguda como o bisturi e capaz de cortar tudo, seja dúvida, seja desculpa, mantendo-nos abertos para ouvir e obedecer. Nada — nem ninguém — está fora do alcance da Palavra de Deus. Não se pode fugir dela — não há como.

Introdução

A obra de Deus é toda feita pelo próprio Deus. Quando decidiu criar o homem, primeiro Ele criou todas as coisas e depois plantou o jardim do Éden. Quando tudo já estava pronto, somente a partir dai, Adão foi criado. Depois da obra concluída e consumada, o homem é convidado a participar da obra de Deus entrando em seu descanso. Como Adão, nós apenas cultivamos o que Deus já plantou, apenas participamos do descanso de Deus.
O homem foi criado no sexto dia. Isso indica que o primeiro dia do homem foi o sétimo de Deus, ou seja, o dia do descanso. Isso certamente aponta para o princípio espiritual de que toda a obra de Deus em nós depende de aprendermos a entrar no Seu descanso.

O princípio do descanso em Canaã

Quando Deus livrou o povo de Israel da escravidão do Egito e os conduziu a Canaã, ele fez questão de mencionar que o povo não teria de fazer coisa alguma. Eles entrariam em casas que não tinham construído, poços que não tinham cavado e plantações que não tinham semeado. Eles iriam participar da bênção da obra completa de Deus, da obra consumada.

“Havendo-te, pois, o SENHOR, teu Deus, introduzido na terra que, sob juramento, prometeu a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, te daria, grandes e boas cidades, que tu não edificaste; e casas cheias de tudo o que é bom, casas que não encheste; e poços abertos, que não abriste; vinhais e olivais, que não plantaste.” Dt 6:10-11

O princípio do descanso na obra de Cristo

O mesmo princípio se aplica à obra de Cristo. Se Adão já recebeu o jardim do Édem pronto e o povo de Israel herdou uma nação pronta, nós também recebemos uma salvação completa. Temos salvação quando descansamos no que Deus já fez por meio de Cristo. A maior de todas as bênçãos que recebemos é a salvação e ela é recebida quando descansamos.

Como você recebeu a Cristo?

Pela fé! Se a salvação é recebida assim, por que as outras bênçãos nos seriam dadas de outra forma? Todas as bênçãos são recebidas pelo descanso da fé. Deus deseja que vivamos no descanso porque a fé é o descanso.

Sem fé é impossível agradar a Deus! “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” Hb 11:6

Em Colossenses 2:6, Paulo diz: “Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele”. Cl 2:6

Como recebemos Cristo? Não foi pelo descando da fé? Será que precisamos nos esforçar para guardar os mandamentos da lei para sermos salvos? Não! Será que tivemos de fazer penitências e procurar agradá-lO com boas obras? Certamente não! Nós tivemos apenas de crer com o coração e confessar com a boca que Ele é o Senhor. Paulo, então, diz que precisamos andar em Cristo da mesma forma que o recebemos, ou seja, crendo e entrando no seu descanso.

“Ora, como recebestes Cristo Jesus (Porta), o Senhor, assim andai nele (Caminho)”. Cl 2:6
Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.” Jo 10:9
“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” Jo 14:6

Todas as bênçãos são recebidas do mesmo modo que recebemos a salvação. É a ausência dessa simplicidade que nos leva a perder a bênção voltando para a justificação pelo esforço próprio. Não tivemos de fazer nada para ajudar o Senhor a fim de sermos salvos. Hoje, participamos da obra completa do Senhor. O jardim já estava pronto para o homem, Canaã foi entregue com tudo pronto e hoje desfrutamos de uma vida cristã que já está pronta. Nós participamos da obra completa do Senhor que foi concluída há muito tempo.

Observações sobre o princípio do descanso:

1. Devemos temer não entrar no descanso. Hb 4:1-4
“Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado. Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. Nós, porém, que cremos, entramos no descanso, conforme Deus tem dito: Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso. Embora, certamente, as obras estivessem concluídas desde a fundação do mundo. Porque, em certo lugar, assim disse, no tocante ao sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as obras que fizera.” Hb 4.1-4

A Bíblia fala o tempo todo para não temermos, mas essa é uma condição de quem está no descanso. Essa foi a palavra para Josué. Por várias vezes, o Senhor diz a ele: “Não temas, (descanse) eu sou contigo!”.

Essa foi a palavra proferida ao povo de Israel cada vez que enfrentavam seus inimigos (2Cr 20:15).
“...e disse: Dai ouvidos, todo o Judá e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá, ao que vos diz o SENHOR. Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus.” 2 Cro 20:15

E também foi a palavra de Jesus para Seus discípulos: “Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!” Mt 14:27

A expressão “não temas” no Velho Testamento é “Yare”, apenas uma palavra no hebraico. Ela aparece 305 vezes de Gênesis a Malaquias. Se você juntar todos os equivalentes desse mesmo termo no Novo Testamento, você terá mais 60 citações. Juntando as 305 do Velho Testamento mais as 60 de Novo Testamento, teremos 365 menções dessa expressão não temas, que por fim é “descanse”. 

Essa é a vontade de Deus! Que lancemos fora todo medo. O amor lança fora o medo segundo João. 

No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. 19 Nós amamos porque ele nos amou primeiro.” 1Jo 4:18

Deus é amor, então em Deus não existe medo! “pois Deus é amor.” 1Jo 4:8b

Só devemos ter medo de uma coisa, não entrar no descanso! Descanse pois tudo está pronto!

“Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” Rm 8:32
“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” Fl 1:6
“porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade.” Fl 2:13

O motivo pelo qual nós podemos descansar é porque Deus concluiu todas as Suas obras desde a fundação do mundo. Hebreus diz categoricamente que as obras foram concluídas desde a fundação do mundo. A Palavra de Deus afirma que o próprio Cordeiro de Deus foi morto desde a fundação do mundo.

Deus viu tudo o que era necessário para a sua vida e Ele terminou todas as coisas de que você iria precisar antes de você vir a existir. Tudo o que era necessário para a sua vida foi concluído muito antes de você nascer. Na verdade, o próprio Senhor Jesus foi morto antes da fundação do mundo. Não temos como compreender isso com a mente, mas podemos entender com o coração.

A verdade sobrepuja os fatos

Precisamos caminhar na dimensão da obra que já foi terminada. Alguém pode dizer: “Mas eu estou doente e meu corpo dói!”. Todavia, a Palavra de Deus diz que a sua obra de cura já foi completada. “Mas estou com problemas com meus filhos!”. A Palavra de Deus diz para erguermos nossas mãos e nos fortalecermos cantando louvores. A obra está terminada e Deus deseja que você entre nesse descanso.

Devemos sempre nos lembrar que a verdade sobrepuja os fatos.

No Jardim do Getsêmani, Jesus seria crucificado algumas horas depois, mas Ele orou dizendo a Deus que tinha terminado a obra que viera fazer. Ele disse ao Pai: “Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer.” Jo 17.4

Mas como Ele poderia dizer isso se ainda não tinha morrido na cruz? Ele vivia na segurança da obra terminada. Este é o motivo por que Ele era tão tranquilo e descansado. Hoje, sempre que enfrento um problema, eu digo: “A obra já está terminada! Eu posso entrar no descanso de Deus!”.

Aos olhos de Deus, a igreja já foi glorificada e já estamos reinando com Cristo. Na dimensão da luz de Deus, o diabo já foi lançado no lago de fogo e Cristo já está encabeçando todas as coisas. Precisamos viver pela fé, pois a fé nos introduz na dimensão divina.

20151012

Estabelecendo uma nova mentalidade em Cristo. Pv 23:7; Rm 12:2. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 11/10/15

Porque, como imagina em sua alma, assim ele é...” Pv 23:7
“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2

Introdução

Você já ouviu falar da Lei de Murphy? O criador dessa lei foi um capitão da força Aérea Americana e seu nome era Eduard Murphy. No que consiste a lei de Murphy?
Essa lei dizia que se uma coisa tem a mais remota chance de dar errada, assim acontecerá. De fato, me parece que algo de real existe nesse sentido. 
Por que eu digo que algo de real existe nessa lei de Murphy? Pois bem...

·         O telefone sempre toca quando você está no banho, e geralmente quando você sai correndo do banheiro para atender a ligação, o máximo que você consegue é atender a ligação a tempo de ouvir a outra pessoa desligar.
·         Quanto mais coisas temos para passar no pão, menos pão temos.
·         Por falar em pão, a lei de Murphy diz que o pão sempre cai com o lado da manteiga virado para baixo e em cima de um fio de cabelo.
·         Você sempre encontra aquilo que não está procurando, e geralmente não encontra o que está procurando.
·         A fila sempre anda mais rápido do lado que você não está.
·         Você fica 15 dias sem lavar o carro e no dia que você lava chove.
·         Você sempre encontrará o que precisa na última gaveta que abrir. 
·         O gás geralmente acaba na hora que você decide cozinhar.
·         A impressora sempre acaba tinta quando você tem um documento importante para imprimir.
·         Seu computador sempre funcionará bem na presença do técnico, assim que o mesmo for embora ele apresentará algum problema.
·         A barata voadora sempre voa em sua direção.

O que isso tem haver com a Bíblia?

Eu acho que a lei de Murphy em partes pode ser explicada nos dizeres de Salomão em Provérbios 3:25:

“Aquilo que temo me sobrevém, e o que receio me acontece.” Pv 3:25

Sim, concordamos que isso pode acontecer, são fatos da vida. Todavia, a lei de Murphy não pode reger seu viver. Já viu pessoas que dizem: “As coisas sempre dão erradas pra mim”. Ou, “tudo o que eu faço da errado”. Ou ainda, “estou até com medo, pois quando as coisas começam a dar certo, logo algo ruim acontece”.

A síndrome de Hard

Hardy era personagem de desenho animado da série Lippy e Hard na década de 60,70. Seu lema era: “Eu sei que não vai dar certo... Oh dia, oh céus, oh azar...”. O leão Lippy que fazia dupla com ele era super animado, cheio de ideias mirabolantes. Hardy porém era o pessimismo em pessoa. Vivia resmungando e lamentando. Era um imã para as coisas que davam errado! Parece com alguém que você conhece, ou você está se enxergando nele?
Se você está se enxergando no personagem, ainda há tempo de mudar. Gente que reclama de tudo, fala mal de todo mundo, nunca está satisfeito com nada, acha que a vida no passado era melhor, que onde morava era melhor, que o emprego antigo era melhor, que ninguém valoriza ela, que nada que faz é reconhecido, que ninguém a ama, ninguém a quer... Ai! É triste! É o tipo de pessoa que acha que não vale a pena lutar, porque sabe que no final vai dar errado mesmo, que as coisas só tendem a piorar, que ninguém no mundo é bom, porque o ser humano é isso ou aquilo... Ui! É cansativo ouvir as mesmas lamúrias. A vítima acaba vitimando o pobre coitado do ouvinte! (Ninguém merece um Hardy no ouvido...) São pessoas que precisam despertar e ver que a vida vai muito além das adversidades que surgem. Problemas surgem na vida de todo mundo, mas a reação que é interior a eles é o primeiro passo para uma solução. Em vez de se lamentar, que tal inconformar-se?
A síndrome de Hardy é na verdade um condicionamento mental e interior que se tornou uma fortaleza na alma e muitas pessoas por conta de estarem presas a esses pensamentos, de fato não prosperam e não podem desfrutar do favor de Deus.

Precisamos mudar a mente

Meu objetivo hoje, é te ajudar a mudar sua mente renovando seu entendimento, pois seu sistema de crenças  determinam quem você é os resultados que você alcança.
“Porque, como imagina em sua alma, assim ele é...” Pv 23:7

Creia corretamente e você viverá corretamente. O oposto também é verdade: Creia incorretamente ou de maneira errada e você viverá de forma incorreta.

Por que eu devo mudar meu sistema de valores e crenças?

A importância de mudar os seus valores e crenças é que tudo acontece a partir do nosso interior. Na vida de um cristão tudo acontece de dentro para fora. Estabelecer uma nova base de crenças e valores no pacto da nova aliança é de fundamental importância para que novos resultados proveitosos e duradouros aconteçam.

A principal estratégia do diabo é fazer você olhar para fora, para as circunstâncias como aconteceu com Pedro em meio aos fortes ventos que o fizeram afundar.
22 Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões. 23 E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só. 24 Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário. 25 Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. 26 E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. 27 Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! 28 Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. 29 E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. 30 Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! 31 E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste?

Atentar para as situações exteriores pode ser muito perigoso!

Na contramão disso está o agir de Deus que quer te transformar de dentro para fora.

Deus quer trabalhar de dentro para fora.

Tabernáculo - A planta do tabernáculo foi dada a Moisés de dentro para fora.
Arca da Aliança - A própria arca da aliança que representa a presença de Deus, foi construída de madeira revestida de ouro. O ouro simboliza Deus e a madeira aponta para o homem. Este foi um poderoso sinal do que aconteceria com o homem tempos depois se tornando um com Deus como nós somos hoje. Mas o Maná (Provisão), o Cajado de Arão (Autoridade) e as Tábuas da Lei (Palavra de Deus), estavam dentro da arca. Nesse contexto a arca representa o homem e tudo o que precisamos de Deus já está em nós pela sua incondicional graça.
Deus quer que você olhe para dentro de você! Não falo aqui sobre introspecção e reflexão apenas, mas sobre confiar pela fé no Deus que habita em você.
Deus vê o coração - Outro exemplo sobre esse princípio de Deus trabalhar de dentro para fora está em 1Sm 16:7. Ao escolher o futuro rei de Israel, Samuel considerou a aparência exterior de Eliabe, um dos filhos de Jessé. Todavia, Deus rejeitou a Eliabe e a escolha de Samuel. A exortação de Deus foi... Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração.” 1Sm 16:7 

Os homens são inclinados a cuidar do exterior, daquilo que é visível.

Isso é um fato! Milhares de cristãos se adornam exteriormente para irem aos cultos de celebração aos domingos. Se maquiam e se vestem bem para os encontros diversos nas células e eventos ocasionais. Todavia, cabe aqui o ditado dos nossos amados irmãos de Minas Gerais: Por fora bela viola, por dentro pão bolorento.

Devemos mudar nosso sistema de crença para recebermos o a graça, para recebermos o favor de Deus.

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2

Precisamos formatar nosso software. É isso que precisamos fazer. Existem muitos vírus que corrompem o sistema da graça afastando o homem do favor de Deus. Quando digo formatar, quero dizer que devemos cortar todo mal pela raiz.

Ilustração do jardineiro

Todo jardineiro sabe que se for lançar fora as ervas daninhas do seu jardim, sem remover suas raízes, em pouco tempo, as ervas daninhas crescerão novamente no seu jardim. É isso que a maior parte dos pregadores empolgados e ungidos produzem na igreja. Temporariamente, o problema parece estar resolvido, mas enquanto as raízes das ervas daninhas estiverem vivas, o mesmo comportamento errado, os mesmos maus hábitos e vícios aparecerão novamente, como ervas daninhas teimosas.
Há muitas pessoas que tem a sua vida direcionada pela Lei de Murphy por isso as coisas sempre dão erradas para elas. Muitos se acostumaram a viver assim e acham que esse é o normal da vida. Você precisa formatar sua mente para viver debaixo favor divino.
Agora veja que eu não estou dizendo que estamos blindados contra algo dar errado em nossas vidas. Não é isso! Estamos sempre sujeitos a esse tipo de infortúnio ou decepção. O que eu quero dizer é que mesmo que algumas coisas erradas aconteçam, debaixo do pacto da nova aliança, ou debaixo do pacto da graça, isso vai se tornar em bênção. Veja a história do próprio José do Egito. Foi lançado numa cisterna pelos próprios irmãos, em seguida foi vendido como escravo para um oficial de Faraó. Foi acusado injustamente pela mulher de seu senhor Potifar, em seguida levado a prisão. Este homem teve tudo para desistir de seus sonhos, mas sua convicção interior de que era um homem próspero o fez permanecer firme até sua vitória chegar. Ele já havia sido ministrado pelo Senhor em sonhos sobre prosperidade e estava com seu interior alinhado com Deus. Sua mente estava cativa, presa a palavra do Senhor e sua crença correta o fez prosperar.

Ele mesmo disse aos seus irmãos agressores em Gênesis 50:20-21: “20 Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida. 21 Não temais, pois; eu vos sustentarei a vós outros e a vossos filhos. Assim, os consolou e lhes falou ao coração.” Gn 50:20-21
“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2

Não entre na forma do mundo, mas seja transformado de dentro para fora, para estar apto a experimentar a graça abundante de Jesus!
Ok pastor! Entendi! Preciso mudar minha mente! Mas de maneira prática, onde fica o botão que aciona a mudança de mente?

O que fazer para mudar o seu sistema de crenças e valores de maneira prática?

1.      Aparte sua mente dos maus pensamentos (pensamentos errados) plantados pelo inimigo.

Comece crendo que os pensamentos malignos e negativos não vem de você. Ignore-os estabelecendo um posicionamento em Deus. Eu tenho as vezes que lutar contra a opressão mental que são sugestões inflamadas de malignidade e desespero. Lembre-se que toda grande escravidão começa na mente!
Podemos identificar que um pensamento não vem de Deus quando nosso sentimento é prejudicado. Se o pensamento te fez sentir tristeza, amargura, medo, desânimo; isso não vem de Deus.
Pensamentos provenientes de Deus produzem bons sentimentos e boas sensações. Veja em Gálatas as obras malignas em contraste com as obras de Deus. “19 Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, 20 idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, 21 invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.Gl 5:19-21
22 Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, 23 mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. 24 E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.” Gl 5:19-22

A orientação de Tiago para vencermos a batalha na mente é: Sujeitai-vos (“Hupotasso” organizar sendo subordinado), portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”. Tg 4:7
Portanto, sejam submissos a Deus e (assim) resistam ao Diabo, que ele fugirá de vós.” Tg 4:7 (BPT)

Veja que resistir o diabo não é ir contra ele num enfrentamento, mas ignorá-lo. Isso fica claro pela primeira parte do verso, sujeitai-vos a Deus. A mais elevada e eficaz forma de resistência ao diabo é ignorar seus dardos inflamados, suas sugestões na nossa mente, principalmente quando eles partem de pessoas que amamos. As mulheres sabem bem disso. Elas sabem que a melhor maneira de resistir aos assédios de um homem é ignorá-lo.
Algumas pessoas passam boa parte do dia repreendendo o diabo e os demônios. Eles dizem: “Eu te repreendo pomba gira...” ou, “sai dele diabo...” ou, “eu não aceito você trabalhando na minha casa...”, etc. Acredite em mim, existem pessoas passando boa parte do tempo mais em contato com demônios repreendendo as hostes malignas do que em comunhão com Deus aos pés de Jesus. No fim do dia, esses mesmos crentes perderam até as contas de quantos demônios repreenderam ou expulsaram. Terminam o dia exaustos de tanto contato que tiveram com os demônios.

Israel se voltava para Deus antes de sair para a peleja

No Velho Testamento, ainda quando o povo de Deus habitava em barracas no deserto, a única maneira de Israel vencer seus inimigos opressores era antes de ir para a peleja se voltar para Deus dando as costas para o inimigo, buscando a Deus em primeiro lugar (Mt 6:33).

A história de Smith Wiglessworth

Conta-se a história desse evangelista que viveu no século 19 que numa ocasião no meio da noite, ele acordou e escutou o ranger de sua cadeira de balanço na sala. Sua esposa temendo a estranha presença, pediu ao marido que fosse até a sala ver quem seria o intruso. Quando o evangelista chega na sala, ele se depara com o próprio diabo. O diabo então diz: “Surpreso? Sou eu mesmo o diabo!” Então o evangelista disse: “Ah, é você diabo, eu achei que fosse alguém importante!”.
Ignore e menospreze o diabo, ele não merece a sua preciosa atenção. Ele sabe que já perdeu a batalha, assim o que resta para ele é tentar desviar a nossa atenção do Senhor. Não desvie seus pensamentos do Senhor!

Pensa nas coisas que são do alto e não nas que são da terra! Alguém disse que nossos pés tocam a terra mas nosso coração e mente devem sempre estar em Deus.
Deus não quer que seu foco esteja mais no diabo do que em Jesus, mas Ele deseja que você volte-se para ele o tempo todo. “Sujeitai-vos a Deus”, pois a guerra na nossa mente não precisa ser combativa. Ela pode ser calma, pacífica, simples e fácil.

Você pode estar dizendo: Pastor, você diz que a batalha pela mente é algo fácil, mas só eu sei o quanto eu tenho lutado para não ceder às tentações e opressão do diabo. Vencer os maus pensamentos não tem nada haver com a sua disposição mental, nem com sua capacidade de cativar os pensamentos no Senhor. Mas com a justificação em Cristo.

2.      Confie em Cristo como a sua única justiça.

Veja o que Paulo diz a esse respeito: “4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas 5 e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, 6 e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão.” 2Co 10:4-6

O Sumo Sacerdote representava e santificava o povo diante de Deus

“36 Farás também uma lâmina de ouro puro e nela gravarás à maneira de gravuras de sinetes: Santidade ao SENHOR. 37 Atá-la-ás com um cordão de estofo azul, de maneira que esteja na mitra; bem na frente da mitra estará. 38 E estará sobre a testa de Arão, para que Arão leve a iniqüidade concernente às coisas santas que os filhos de Israel consagrarem em todas as ofertas de suas coisas santas; sempre estará sobre a testa de Arão, para que eles sejam aceitos perante o SENHOR.” Ex 28:36-38

Arão foi o primeiro Sumo Sacerdote e foi uma representação do que é Cristo. Nas vestes sacerdotais, Deus estabeleceu que uma lâmina ou placa dourada fosse colocada na Mitra (Um tipo de turbante que cobria a cabeça do sacerdote) deveria estar sobre a cabeça do Sacerdote com os dizeres “Santidade ao Senhor” para que todo o Israel fosse aceito diante do Senhor. Os dizeres “Santidade ao Senhor” na testa do Sumo sacerdote era uma representação de consagrar os pensamentos ao Senhor.
Agora veja que o povo não tinha condições de se achegarem ao Deus Santo, mas o Sumo Sacerdote era Santo ao Senhor, e a santidade do sacerdote santificava o povo. Assim, Deus julgava o seu povo com base em seu Sacerdote. A mente santa do Sacerdote, santificava todo o povo.
O sacerdote era como um parlamentar que representa o povo perante o País. O parlamentar não representa o País para o povo, ele representa o povo diante do governo maior. 

Hoje nós temos um Sumo Sacerdote perfeito em Cristo.

“14 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. 15 Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado.” Hb 4:14-15

Portanto, não são seus pensamentos que o qualificam você para ser aceito por Deus. Sob a nova aliança da graça, Deus não está mais julgando-o com base em quem você é ou em seus pensamentos, mas com base em Jesus que é o nosso representante diante de Deus.

“Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.” 2Co 2:16

Isso está em conformidade com 2Co 10:4 que diz que estamos em Deus! “4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas 5 e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, 6 e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão.” 2Co 10:4-6


A nossa segurança é Cristo!