20110306

As Leis da Crise. Sl 42:5 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 06/03/11

“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu” (Salmo 42:5).

Não resta dúvida de que todo ser humano enfrenta muitas crises pessoais em seu desenvolvimento existencial. A crise faz parte da nossa natureza humana, e diferentemente dos animais, nós temos a consciência das crises que enfrentamos, mesmo que não percebamos sua intensidade. Absolutamente nenhum ser humano está imune as crises. É comum vermos pessoas estourarem, se retraírem, até pensar em coisas horríveis como suicídio ou matar alguém, quando passam por alguma crise. Entretanto para se viver e vencer o crente em Jesus precisa ser testado. E pode ter certeza de que estes testes ou crises, se já não chegaram, irão chegar.

Através desta palavra, teremos um melhor entendimento sobre estes momentos que passamos em nossas vidas, para que possamos pedir a Deus a força necessária para poder atravessar este momento da melhor maneira possível e para que o nome de Deus seja glorificado através das nossas vidas. Amém.

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um eterno peso de glória mui excelente.” 2Co 4:17

Algumas considerações:

1. Você passará por muitas crises ao longo de sua vida.

2. Graças a elas, você crescerá e prosperará.

3. Não adianta fugir, as crises te perseguirão onde quer que você vá! É preciso, no entanto, encará-las de modo espiritual e saudável.

4. É necessário dar as respostas certas para avançar e, além disso, manter a alegria.

Muita gente desanima e desiste em meio às crises. Isso não deve necessariamente ser assim. Se você for maduro em encarar as crises, viverá melhor e mais feliz. As crises são oportunidades de transformar seu aparente caos num estrondoso êxito. Não podemos desistir, vença as suas lutas e cresça, avance, prospere!

O tema dessa palavra é “As leis da crise”, mas antes de continuar, primeiro precisamos definir o que é uma crise. Vamos fazer isso de modo prático e aplicável antes de avançarmos para algumas leis da crise.

O QUE É UMA CRISE?

“É o momento da vida quando todo o seu sistema existencial de valores; trabalho, família e fé entra em pane, em ‘curto circuito’. A crise é um tempo especial de decisão entre progresso e regressão.”

Tipos de crises mais comuns no nosso meio:

Crises existenciais - O que eu estou fazendo aqui.

Crises de identidade - Será que eu fui chamado para ser crente mesmo?

Crises profissionais – Não sei se estou na função certa, se o que estou estudando...

Crises relacionais - Conjugal, pais, irmãos, amigos etc.

Crises ministeriais – Estou decepcionado com meu desempenho, será que fui chamado para ser pastor mesmo?

Crises financeiras, emocionais, psicológicas, etc.

Não queremos maiores transtornos, então em meio às crises buscamos deses­peradamente o fim deste processo. O tal "curto-circuito" em que falamos, acon­tece quando você não tem mais respostas, quando já não sabemos mais o que fazer. Em meio as crises ou junto delas sempre haverá 2 caminhos a serem seguidos (Dt 11:26-28), se respondermos bem, sairemos disso melhores e mais seguros; se não, sairemos depressivos, amargurados e rabugentos. Você é quem escolhe. A boa nova é que podemos pela orientação da palavra de Deus e disposição para segui-la vencer todas as crises. Aleluia!

LEIS DA CRISE

1º Lei - Todos nós passaremos pelas crises. Jo 16:33; Ec 9:2-3b

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. Jo 16:33

“Tudo sucede igualmente a todos; o mesmo sucede ao justo e ao ímpio, ao bom e ao puro, como ao impuro; assim ao que sacrifica como ao que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador; ao que jura como ao que teme o juramento. Este é o mal que há entre tudo quanto se faz debaixo do sol; a todos sucede o mesmo.” Ec 9:2-3b

Todo ser humano que vive ou viveu neste planeta passou ou esta passando por crise, e ninguém foi exceção. Abraão, Jacó, Moisés, Davi, Elias, Paulo e outros tantos homens, enfrentaram muitas crises em suas vidas. Arrisco dizer sem medo que o próprio Jesus enfrentou muitas crises também.

“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” Hb 4:15

Você está prestes a passar por uma nova CRISE!

Desculpe-me a má notícia. Mas não, não é notícia falsa. A realidade é que as crises virão mais cedo ou mais tarde em cada quadrante da nossa vida. Área por área, tudo passará por crises. Crises nos relacionamentos familiares e nas amizades. Haverá crises em seu casamento, na sua vida sexual e na área afetiva. Você enfrentará na vida muitas crises profissionais, espirituais, de convicções e valores e na saúde.

Nenhuma área da sua vida será poupada, sendo assim, bem-vindo à realidade! Crises agudas, crises pas­sageiras, crises difíceis e aquelas fáceis. Isso é um fato da vida. Portanto, é melhor aprender a lidar com elas e estar preparado para manejar com as crises de modo prático e realista, pois você nunca se livrará delas. Fazendo assim, você viverá melhor e será uma pessoa mais saudável e feliz.

Muitos dizem: “Eu não estou em crise, estou em Cristo.” Será mesmo???

Acredito que quem está em Cristo, sempre estará experimentando algum tipo de crise. Mt 16:24

Crise, de fato, é algo bom. Difícil, dolorido e desconfortável, mas bom. Nas crises seremos lapidados e com elas cresceremos, amadureceremos, ganharemos segurança e estabilidade, competência, bom senso, foco e êxito. Pra falar a verdade, são as crises que forjam todo o nosso avanço e progresso. Sem elas, seríamos pessoas tolas, superficiais e infantis.

2º Lei - As crises sempre atingirão o nosso emocional.

Em maior ou menor intensidade, as crises sempre atingem nosso emocional. Em uma crise superficial, recebemos o alerta de que precisamos nos mexer fazer alguma coisa, tomar alguma providência, alterar sistemas, ajustar rotas. Em uma crise profunda há níveis de dor, so­frimento, insegurança e trabalho bem mais com­prometedores.

Para a maioria dos homens, o desequilíbrio emocional será a reação imediata no surgimento da crise. Isso pode ou não se estender dependendo de como as emoções serão tratadas. Costumo dizer aos irmãos que todas as vezes que alguém perde o equilíbrio, este perde a razão. É incrível ver como muitos de nossos irmãos vivem baseados em suas emoções (igreja, casamento, compras etc). Davi foi alguém que soube lidar com essa questão de maneira espiritual (Sl 103).

Em qualquer crise, enfrentaremos uma gran­de pressão sobre o nosso emocional e sobre a nossa identidade. A crise pressionará também todo seu potencial, dons, talentos, suas habi­lidades e competências.

Qualquer crise provocará um abalo emocional. É impossível uma crise vir sem trazer um impacto nas emoções. Nossos pensamentos devem submeter ao controle de Cristo, pois na crise o primeiro campo de batalha é na nossa mente. Aos colossenses Paulo escreveu:

“Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. 2. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; 3. Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” Cl 3:1-3

Na crise devemos alinhar os nossos pensamentos com a mente de Cristo. Isso fala de uma renovação interior. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2

Mudar os pensamentos é mudar de rota.

Não adianta tentar evitar, somos mesmo seres com sentimentos e viveremos em profundidade as nossas emoções em tempos de crise. A pressão sobre aqueles que encaram a crise e decidem enfrentá-la os fará crescer, avançar, conquistar, amadurecer. Chegarão onde ninguém chegou, farão o que ninguém fez e conquistarão o que ninguém antes conquistou.

Para os tais, a crise, seja ela em que quadrante da vida for, será um impulso para adiante. Por outro lado, para outros, a crise os fará simplesmente explodir, pois, ao invés de lidarem com ela positivamente, esses a transformam em algo destrutivo e puramente emocional.

Todo poder para transformação, amadurecimento, conquistas, prosperidade, realização e avanço são resultado direto de uma crise.”

3º Não há garantias exteriores que você sairá melhor de uma Crise. Isso depende de você!

Todo o processo de crise te levará por um caminho natural de avanço, amadureci­mento e conquistas. Como já mostramos você não supera os próprios limites sem crise. É o inevitável e sofrido caminho do progresso pessoal. Acontece que não há nenhuma garantia que se instalando uma nova crise, você sairá dessa nova crise melhor. Pode sair pior. Tudo dependerá de como você responde, de quais serão as suas escolhas. Tudo pode piorar.

Ao invés de sair de uma crise profissional com um emprego melhor, recebendo mais, você pode seguir desempregado por anos. Ao invés de melhorar seu casamento, poderá acabar com ele. Uma cri­se de relacionamento familiar, com um filho, por exemplo, poderá danificar para sempre a amizade que possuem. Não há garantias que as coisas melhoraram com as crises. Dependendo do conjunto de circunstâncias, pode é trazer um desfecho ruim, negativo, pior do que era. Ilus. Judas Iscariotes, Rute e Orfa.

Algumas pessoas estão escrevendo o capítulo 6 de lamentações, suas vidas parecem um eterno sofrimento. Chegou a hora de ver suas lutas com outros olhos. Você foi chamado para escrever Atos 29!!!

4º A Crise é o momento mais fácil e doloroso de tomar decisões

Em uma crise as decisões e a resposta que você decidirá dar serão as mais delicadas de sua vida. Por um lado, a pressão fará com que você, mais facilmente, escolha por qual caminho sua vida vai avançar. Por outro lado, as escolhas feitas nesse momento podem não ser as mais sábias. Podem ser as piores e que trarão conseqüências drásticas.

Mas há ainda outro aspecto aqui. A crise é o momen­to em que você pode sair da passividade, e emergir com novos para­digmas, pois tudo na sua vida estará maduro para receber profundas redefinições.

Uma nova rota pode ser traçada. Um novo modelo, um novo estilo de vida, um novo foco com novas prioridades podem surgir desse momento de crise. Se formos analisar as nossas vidas, todo novo rumo que tomamos, foi resultado direto de tempos de crise e de redefinições de rota.

5º Na crise escolhemos a conquista ou a acomodação

Podemos na crise continuar a atribuir impor­tância àquilo que nos causa pressão ou podemos ir pelo caminho da desistência. O caminho do conforto é o caminho que retira a oportunidade de crescimento.

Se queremos colher o que nunca colhemos, nós devemos plantar o que nunca plantamos.

Exemplo do Viciado em Drogas

Por exemplo, um viciado em drogas está sob a enorme pressão da família para se desintoxicar, internar-se em uma clínica e retomar a vida produtiva e familiar. Sua vida, casamento e profissão entraram em colapso por causa do uso descontrolado de drogas. Diante da pressão da vida, parar de se drogar e retomar o caminho da sanidade, o toxicômano pode fazer duas coisas: aceitar a pressão, enfrentar o problema e prosseguir no dificílimo processo de recuperação; ou, simplesmente, decidir que sua família não é tão importante assim, que realmente aquela vida de regras, normas, e valores é muito chata, que o caminho e difícil demais e que nem deseja tentar.

Ao fazer essa segunda escolha, na verdade, essa pessoa está esvaziando a pressão por mudança e diminuin­do o peso do desconfortável sentimento por mudança. Assim, ela reencontra certo “bem-estar interior” cujo resultado direto é a acomodação. É como se falasse para si próprio: "Até que seria bom me recuperar, mas, como é difícil demais, eu não quero isso e sou eu quem sabe o que é o 'melhor' para mim". Isso funciona assim para todas as áreas da sua vida.

13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; 14.E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Mt 7:13-14

A crise pode lhe levar a construir um casa­mento melhor, ou a ter em sua vida conjugal os mesmos problemas de sempre até o fim da vida. Pode levar alguém a se superar na tentativa de entrar em uma boa faculdade, ou a desistir de ser um médico por causa do caminho difícil que isso vai requerer. Quando você escolhe o caminho estreito e difícil, você sempre cresce, conquista e avança. Quando desiste e se acomoda, você paralisa a sua caminhada, seu amadurecimento, seu aperfeiçoamento humano e profissional.

6º Seu futuro dependerá daquilo que você fará com agora com a crise

A crise é também um momento delicadíssimo, pois o que você fizer nela decidirá o seu futuro. Como vai ser a sua vida depende direta­mente disso. Você pode ter um futuro brilhante ou medíocre. Pode ter uma vida próspera ou extremamente apertada financeiramente. Pode ter qualidade de vida ou pode viver um inferno constante, construído por si mesmo ao redor. Pode ter grandes relacionamentos ou ser uma pessoa isolada, sem amigos, sem gente íntima por perto. Pode ser um crápula, um mau caráter irresponsável e preguiçoso, ou alguém confiável e disciplinado que conquista o que se "dispõe a construir”. Pode ter uma família unida ou viver relacionamentos partidos e emocionalmente de­vastadores. Pode construir respeito e honra, ou pode ser o “zero à esquerda”, foco da piedade e da censura de todos. Pode morrer realizado, ou pode ir definhando devagar com raiva de Deus, da família e do mundo. Amargurado pelas injus­tiças de todos. Seu futuro você decide hoje com aquilo que faz com a sua crise. Veja o que aconteceu com Saul, viveu um bom tempo como rei, mas terminou seus dias como um coitado, tudo porque nas suas crises respondeu de maneira errada.

7º O Seu nível de maturidade determinará o tamanho de sua dor

Quando, diante da crise, decidimos nos aco­vardar, ou abraçar o caminho fácil da fuga e da acomodação, a crise se instala e ali permanece parada. Tudo fica estagnado naquele ponto. Há muita gente que conheço que, diante de um problema grave, paralisou sua caminhada. Estão estagnadas lá, em algum lugar do passado. Algum grave acontecimento ainda hoje determina o seu futuro. Gente que não perdoa, não supera, não conclui, não processa e não esquece. Uma praga! Dessa forma, ficam como que "entalados" com os acontecimentos da vida que se acumulam e nunca são "digeridos".

Uma crise se torna crônica destruindo ami­zades, fazendo do casamento um ambiente inós­pito e duro. Na falta de resposta, uma crise vem para ficar e, dependendo da nossa dureza e obs­tinação, fazemos do desconforto momentâneo a experiência do dia-a-dia. Algumas atitudes, ou falta delas, também podem prolongar uma crise.

Pessoas que se vêem diariamente, mas não se falam; arrependimento e pedido de perdão que nunca chegaram; decisão por se disciplinar e buscar ajuda que nunca aconteceram, disposi­ção para falar de coisas delicadas e desagradáveis que nunca se manifestaram, atitude de estudar e trabalhar duro que nunca existiram, orgulho que nunca se dobra, preguiça que nunca acaba, amargura, cinismo, ironia e rispidez que nunca mudam ...

Assim, as pessoas vão vomitando na própria cama, criando a sua própria infelicidade. Elas fazem da crise, ao invés de uma positiva pressão para a sua própria transformação e su­peração, algo ruim. A crise vira algo crônico, negativo. A vida se torna "a crise". Esse tipo de gente é gente que escolheu ser doente e faz ado­ecer todos os que o amam.

“Os fatos diante de nós não mudam. O que muda é a maneira como os recebemos”.

2 comentários:

  1. essa palavra foi abençoada e falou muito comigo

    ResponderExcluir
  2. pastor segue o meu blog e visite porfavor

    ResponderExcluir