Pular para o conteúdo principal

Palavra do culto de celebração - 20/09/09 - Pr. Edenir Araújo


Chamados para Governar. Ef 2:5-6


Eu gostaria de compartilhar com você uma breve palavra que fala a respeito da vontade de Deus para nós, uma palavra que fala a nosso respeito. Espero que através dessa palavra Deus possa nos dar uma direção segura a respeito do caminho que devemos seguir, mas principalmente nos conscientizar sobre a posição que devemos ocupar. Pois a posição determina a vitória ou derrota na vida do crente.

O plano de Deus desde o início era que o homem fosse o governo da terra e ele rei do homem. Assim aconteceu no jardim do Éden. O homem governava sobre tudo; seguindo sempre os conselhos de Deus. Até que o diabo plantou em seu coração o sentimento de auto-suficiência. Fez com que o homem acreditasse não precisar que Deus fosse rei sobre ele. Então, acreditou que podia reinar sobre a terra e sobre sua própria vida. Mas isso era mentira e não deu certo. O homem caiu em ruína. Viu que sem o reinado de Deus, sobre sua vida, era impossível reinar sobre a terra de maneira eficaz e produtiva.

Graças a Deus, nós que somos crentes em Jesus, temos a possibilidade de restaurar a nossa posição original. Que posição é essa?

A respeito da nossa posição em Deus podemos ler o plano original em Gênesis 1:26-27:

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine (governe) sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”

Veja que desde o dia em que Deus criou homem, o propósito de Deus para o homem foi o governo. Porém o pecado originado em Adão, destituiu o homem dessa posição, por causa da queda, o homem entregou o cetro de governo nas mãos de satanás. Mas Jesus veio para restaurar o plano original de Deus. “E para isso se manifestou o Filho de Deus, para destruir as obras do diabo.” 1Jo 3:8

Sabemos que Jesus é Rei, Jesus veio para ser rei da nossa vida! E nos dar, novamente, condições de reinar, dominar, governar sobre a terra, pois o Salmo 116:15 diz: “Os céus são os céus do SENHOR; mas a terra a deu aos filhos dos homens.”
Por isso Ele, não deixou que o proclamassem rei da terra. "Sabendo, pois, Jesus que haviam de vir arrebatá-lo, para o fazerem rei, tornou a retirar-se, ele só, para o monte." João 6:15

Ele veio para restaurar o plano da criação. Teremos a chance de viver a promessa do Éden. Antes de irmos, definitivamente, para o seu reino, no céu, viveremos e governaremos aqui na terra com ele. Deus decidiu dar o governo da terra ao homem. O plano da redenção nos trouxe a oportunidade de ocupar novamente essa posição de serviço e governo.

“Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão (governarão) em vida por um só, Jesus Cristo.” Rm 5:17

“E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus.” Ef 2:6

João na ilha de Patmus ouviu que nós fomos constituídos reis e sacerdotes para ao lado de Jesus governar a terra.

Isaias 32 diz que:

1. Reinará um rei com justiça, e dominarão os príncipes segundo o juízo.
2. Cada um deles será um esconderijo contra o vento, e um refúgio contra a tempestade, como ribeiros de águas em lugares secos, e como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta.
3. Os olhos dos que vêem não se fecharão; e os ouvidos dos que ouvem estarão atentos.
4. O coração dos imprudentes entenderá a sabedoria; e a língua dos gagos estará pronta para falar distintamente.
5. Ao louco nunca mais se chamará nobre; e do avarento nunca mais se dirá que é generoso.
6. Porque o louco fala loucamente, e o seu coração pratica a iniqüidade, para usar de hipocrisia, e para proferir mentiras contra o SENHOR, para deixar vazia a alma do faminto, e fazer com que o sedento venha a ter falta de água.

Veja que esta palavra se refere a Jesus, seu reinado e seus príncipes que reinarão com Ele. No verso 1 vemos que o Rei é Jesus, mas O supremo Rei não está sozinho em seu governo. O verso 1 também fala de príncipes, que a exemplo de Jesus após a sua ressurreição, reinarão também.
Os príncipes aqui, somos nós, e cada um de nós fomos chamados a governar, pois o texto de Isaias diz que os príncipes de Deus serão:

Ø Esconderijo contra o vento,
Ø Refúgio contra a tempestade,
Ø Ribeiros de águas em lugares secos,
Ø Sombra de uma grande rocha.

Os príncipes em retidão governarão com seu Rei, e implantarão um reino de luz. A conseqüência do governo destes homens será:

“Os olhos dos que vêem não se fecharão; e os ouvidos dos que ouvem estarão atentos.” V.3

O texto diz que quando exercermos governo e liderança, as escamas dos olhos dos homens cairão, e os ouvidos destes mesmos homens estarão atentos. E o verso 4 diz: “E o coração dos imprudentes entenderá o conhecimento; e a língua dos gagos estará pronta para falar distintamente.” Isso nos fala que assumir uma posição de governo, fará com que os homens entendam o propósito de Deus para eles, e serão curados para também testemunharem a respeito de Jesus.

O verso 5 e 6 diz que haverá distinção entre aqueles que servem e os que não servem. Os loucos deste mundo não serão mais ovacionados, os loucos que estão disseminando suas idéias na mídia, na política, na religião não serão mais adorados como deuses que governam para alimentar sua arrogância, mas serão discernidos e deixados de lado. Você já parou para ver quantos seguidores estão servindo aos loucos nessa sociedade.

As pessoas estão sendo governadas por loucos religiosos, políticos, formadores de opinião que na mídia escrita e televisiva, estão disseminando suas idéias adúlteras e profanas. O mais triste é que isso acontece porque os santos de Deus não assumiram a posição de governo de Deus deu a eles.

A parábola de Jotão

Juízes capítulo 9 também nos fala sobre este tempo de governo que Deus tem para nós. Veja que muitas vezes quando a nação de Israel se encontrava mergulhada em maldição por desobediência, bastava um homem se posicionar, um rei temente a Deus governar, para Deus restaurar toda a nação.

Antes só para contextualizar Juízes capítulo 9, gostaria de falar sobre um personagem dessa história, um homem chamado Gideão, um juiz valente que libertou Israel, este homem teve 70 filhos. Um destes filhos de Gideão chamado Abimeleque matou todos os seus irmãos menos um, chamado Jotão, que havia fugido e que agora em Juízes 9:7 aparece ao povo contando a seguinte parábola falando sobre o reinado de Abimeleque.

7 ¶ E, dizendo-o a Jotão, foi e pôs-se no cume do monte de Gerizim, e levantou a sua voz, e clamou e disse-lhes: Ouvi-me, cidadãos de Siquém, e Deus vos ouvirá a vós;
8 Foram uma vez as árvores a ungir para si um rei, e disseram à oliveira: Reina tu sobre nós.
9 Porém a oliveira lhes disse: Deixaria eu a minha gordura (óleo), que Deus e os homens em mim prezam, e iria pairar sobre as árvores?
10 Então disseram as árvores à figueira: Vem tu, e reina sobre nós.
11 Porém a figueira lhes disse: Deixaria eu a minha doçura, o meu bom fruto, e iria pairar sobre as árvores?
12 Então disseram as árvores à videira: Vem tu, e reina sobre nós.
13 Porém a videira lhes disse: Deixaria eu o meu mosto (vinho), que alegra a Deus e aos homens, e iria pairar sobre as árvores?
14 Então todas as árvores disseram ao espinheiro: Vem tu, e reina sobre nós.
15 E disse o espinheiro às árvores: Se, na verdade, me ungis por rei sobre vós, vinde, e confiai-vos debaixo da minha sombra; mas, se não, saia fogo do espinheiro que consuma os cedros do Líbano.

É claro que a princípio a revelação de Jotão através da parábola era a respeito da desgraça que estava por vir através do reinado de Abimeleque, mas aqui também tem uma interpretação para nós.

As árvores que estão pedindo governo são os homens sem direção, pois isso está dentro do homem, o homem precisa ser governado e na ausência de um governo santo, este mesmo homem está entrando debaixo de qualquer espinheiro que estão pregando a si mesmos oferecendo filosofias de demônios.

Descobrindo as necessidades dos homens:

1º As árvores foram à oliveira. A princípio quem tem de reinar são as oliveiras por que elas tem óleo. O mundo não tem óleo, por isso a oliveira foi procurada. Mas a resposta da oliveira foi frustrante, pois ela estava preocupada com a sua própria vida. Nós temos o óleo, mas estamos pouco preocupados em governar. A oliveira deveria reinar com o óleo.
A história destes homens sedentos vai mudar pois os príncipes que governam com retidão, ungidos reinarão e governarão

2º As árvores foram à figueira. A figueira não quis deixar sua doçura, “deixaria eu a minha doçura.”

3º As árvores foram à videira. A videira disse que não poderia deixar o seu vinho. Veja que o mundo está carente de alegria, pois só a videira pode proporcionar alegria verdadeira para essa humanidade perdida. Muitos estão se esvaziando do vinho de alegria porque não estão governando. Pra quê tanto poder, e fogo se não há governo.

4º As árvores foram ao espinheiro. O espinheiro de pronto reinou sobre o povo. Ofereceu de pronto a sombra. Que mentira é essa. O povo lá fora está no engano pois a igreja está omissa de seu papel. Nós precisamos assumir o nosso lugar, oferecendo óleo, doçura, alegria pois do contrário nada mudará.

Fomos chamados a governar, e não podemos mais perder tempo, pois tempo perdido é alma perdida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O poder de crer e confessar. Parte 2. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 04/09/16

Entendendo a fé...
1. A fé é um espírito (2Co 4:13)
“Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos...”. 2Co 4:13
Veja que a fé não é questão de fórmula, mas de espírito. Paulo diz que temos o mesmo espírito de fé de Abraão, Moisés ou Davi. Sendo a fé um espírito, ela é contagiosa e por isso pode se espalhar. Você deve se lembrar do dia em que os doze espias foram enviados para espiar a terra de Canaã. Depois de quarenta dias, eles voltaram e dez deles disseram:
“Não podemos conquistar essa terra. As muralhas são muito largas, os gigantes, muito altos, e nós somos muito pequenos”. Mas dois deles, Josué e Calebe, disseram: “Vamos conquistar a terra, como pão, os podemos devorar; retirou-se deles o seu amparo; o SENHOR é conosco; não os temais”. Nm 14:9
Toda a nação acreditou nos dez espias e, por causa disso, morreram no deserto; mas, a respeito de Calebe, o Senhor disse que nele havia um espírito difer…

Destruindo os inimigos das nossas orações. Dn 10:12-13. Parte 2. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 13/08/16

"12 Então, me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e, por causa das tuas palavras, é que eu vim. 13 Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia.” Dn 10:12-13
Por que temos tanta dificuldade para orar?
Eu creio que todos temos ideia de quanto a oração é importante pelo grau de dificuldade que sempre enfrentamos para orar. O nosso inimigo vai lutar de todas as formas para impedir que nossas orações cheguem ao trono do Pai. Ele vai tentar colocar barreiras que vão tentar invalidar nossas orações, para que a nossa oração não seja ouvida pelo Senhor. Precisamos remover então essas barreiras para o êxito na nossa oração.
Guarde essa verdade: O diabo e os demônios não querem que você ore! Eles sempre se oporão a você, pois sabem melhor d…

Ore até que algo aconteça! Is 62:6-7. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 24/07/16

“6 Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, 7 nem deis a ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra.”  Is 62:6,7
Introdução
Toda ação sobrenatural de Deus é precedida de oração. As chuvas de bênçãos não caem sem que antes nossos joelhos se dobrem. Deus não sarará a nossa terra sem que primeiro seu povo se humilhe e ore fervorosa e perseverantemente. (2Cro 7:14)
Jonathan Edwards, o clássico teólogo do avivamento disse: “Quando Deus tem algo muito grande para realizar em favor da igreja, o desejo dele é que esse seu ato seja precedido por orações extraordinárias do seu povo.”
Muitos cristãos estão vivendo tempos de estiagem e sequidão, porque não oram. Alguém me disse: Pastor Edenir, em minha igreja a reunião de oração está em estado de coma, está na UTI prestes a morrer. Os irmãos andam muito ocupados para ocupar-se com Deus em oração.
Não pode…