20100929

Aprendendo a orar o Pai Nosso com Jesus. Lc 11:1-2; Mt 6:9-13

“De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos lhe pediu: Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos.” (Lc 11:1-2)

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal {pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém! (Mt 6:9-13)

A oração é um fundamento da vida cristã, na oração conhecemos se alguém é íntimo ou amigo de Deus. Deixe-me te dar uma informação interessante: 95% das orações que fazemos não pode ser atendida porque não oração a vontade de Deus. Eu tenho percebido que as minhas orações não tem nada a ver com a oração do Pai Nosso.

Nós temos a idéia que toda oração é atendida por Deus, mas não é bem assim. Veja como um pai se relaciona com seu filho, nem tudo o que o filho deseja o pai atende.

Na época de Jesus era costume os Rabinos (Mestres) era ensinar aos seus discípulos as práticas espirituais e uma delas era a oração. E os discípulos de Jesus pediram que Ele também os ensinasse a orar. E Jesus atendeu seus pedidos fazendo a tão conhecida oração do pai Nosso.

Na oração do Pai Nosso está a essência do ministério de Jesus. Está também a busca do significado pela vida.

A oração do Pai Nosso é um roteiro que nos ensina como orar. Ela é dividida em sete partes, e cada parte dela podemos orar intensamente. Eu gostaria de falar sobre os 7 P’s do Pai Nosso.

1. PATERNIDADE. “Pai nosso que está nos céus”.

Quando você disser “Pai nosso que está nos céus”, você está louvando-O por ser seu Pai. Aliás, Jesus deixou os religiosos da época perplexos e de cabelo em pé com esta afirmação, pois, até então ninguém tinha chamado o Deus Todo-Poderoso de Pai. Davi ou Moisés nunca chamaram Deus de Pai. O judeu via Deus como El Shadai, ou alguém grandioso, poderoso. Você já parou para enxergar Deus como Pai? O vemos sempre como Senhor, portanto nos sentimos como servo. O vemos como General de guerra e nos sentimos como soldados. O vemos como um curador então nos sentimos como enfermos.

2. PODER. “Santificado seja o Teu nome”.

Santificar é colaborar com Deus, é fazer notória a diferença entre o santo e o profano, entre o que é de Deus e o que não é. Santificar o nome do Pai é estabelecer, por meio da fé, no nosso próprio coração, o que Deus é para nós. Significa sustentar a fé no meio das contrariedades da vida, quando tudo pretende negar a Deus, quando os ímpios se levantam para desacreditar a Deus, como filhos podemos honrar ou desonrar o nosso Pai. Mt 5:16 diz que devemos fazer brilhar a luz através de um bom comportamento. Sl 1:1-3

3. PROPÓSITO. “Venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”.

No céu a vontade de Deus é feita prontamente, imediatamente e sem nenhum questionamento. E aqui na terra como é feita a vontade de Deus? Aqui só existe um povo qualificado para fazer a sua vontade é o povo que tem confessado Jesus como Senhor. Você consegue imaginar um anjo de Deus recebendo uma ordem e dizendo: “Não estou sentindo de fazer tal coisa.” Mas muitas vezes não queremos fazer a vontade de Deus, principalmente quando não entendemos ou quando não gostamos. Quando oramos a Deus clamando para que Sua vontade seja estabelecida, com certeza nossa oração atravessa os céus de bronze e vai até o coração do Pai.

Muitos querem Jesus como Médico, General de guerra, Provedor, mas quantos O querem como Senhor.

A vontade de Deus é perfeita e agradável quando está concretizada, mas antes ela não é tão agradável não.

4. PROVISÃO. “O pão nosso de cada dia nos dá hoje”.

Jesus quando fala do pão Ele está falando de nossas necessidades físicas, emocionais e Ele está falando também da nossa fome da alma, da nossa dimensão espiritual, ou seja, Jesus está falando de uma fome mais profunda, mais essencial. Quando Ele disse eu sou o Pão de vida, Ele está falando de uma provisão além do natural, algo que de fato pode saciar a nossa fome de uma maneira plena e diária. Quando no deserto Deus enviava o Maná, a semente que caia do céu era moída transformada em farinha e disso era produzido o pão para alimento do povo. Não se podia guardar pão para o dia seguinte, pois se assim fizessem o pão se estragava. Jesus disse: “o pão nosso de cada dia nos dá hoje”. A unção de hoje não serve para amanhã, a oração de hoje não serve para amanhã, devemos buscar este alimento todos os dias, e no mínimo 1 hora. A súplica pelo Pão é a suplica pelo trabalho, pelo afeto, pela benção de Deus para que possamos enfrentar a vida e seus desafios.

5. PERDÃO. “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores”.

Bom seria se essa oração fosse só a primeira parte, mas não é assim. Nesta parte da oração do Pai Nosso Jesus entra num ponto muito importante das relações humanas, ou seja, ofensor e ofendido. O ofensor sendo sabedor (porque ele pode nem saber que magoou) que machucou alguém e não busca o perdão a sua oração não é ouvida. O ofendido se não perdoa a sua oração também não obterá resposta. Quem perdoa aprendeu que o perdão é uma pessoa e seu nome é Jesus de Nazaré, quem tem ele no coração tem um espírito perdoador.

O perdão deve ser visto como uma atitude decisiva. Eu decido perdoar e o sentimento me seguirá. Muitos dizem que estão feridos, e feridos há muito tempo. Agora veja que quem está ferido porque decidiu ficar ferido não tem as suas orações atendidas.

1. Perdoe quantas vezes for necessário. 7 vezes?

2. Não espere que o ofensor se arrependa para perdoar. Justiça retributiva ou própria. Ex: Vilão e mocinho.

3. Nós devemos perdoar sempre, mas restaurar a comunhão somente se houver mudanças. O perdão não nos isenta de tratamento.

6. PROTEÇÃO. “E não nos deixeis cair em tentação”.

Somos tentados o tempo todo e ninguém que seja humano está isento de tentação. Como pastores e líderes somos tentados todos os dias e essa deve ser a nossa oração: Deus me livre da tentação! O mal é necessário para que manifeste o bem. Jesus disse que devemos vigiar e orar. Vigiar é necessário para a conservação do crente. A vigilância deve ser principalmente de nós mesmos. Em Romanos 6 Paulo diz que ele era desventurado.

7. PREÇO. “Pois Teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!”.

Depois da queda de Lúcifer todos agora querem o reino, o poder e a glória. O homem se tornou o ego absoluto é agora como o diabo quer o Reino, o poder e a glória. Paulo nos ensina que tudo o que fazemos, precisamos fazer para a glória de Deus. Quando cantamos estamos dizendo eu não sou Deus (porque lá no fundo a grande tentação é querer ser igual a Deus) Ele é Deus o Único merecedor de toda Honra e glória.

Vamos orar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário