20181114

Série de Mensagens O Valor da Igreja - A igreja precisa do seu investimento. 2Co 9:6-15. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 11/11/18


Eu quero falar sobre dinheiro hoje e fico bastante a vontade para tratar sobre isso.

Em primeiro lugar eu fico a vontade pra tratar sobre isso por uma questão de consciência. Eu não vejo a Igreja como um comércio ou centro de arrecadação financeira. Eu não vejo a igreja como uma organização e sim como um organismo. Eu não vejo a igreja como oportunidade para enriquecer ou juntar bens materiais. Eu vejo a igreja como corpo de Cristo.

Em segundo lugar, eu tenho uma relação de comunhão com a maior parte dos membros aqui da igreja. Eu sei da realidade da maior parte dos membros dessa igreja, e nessa via de mão dupla, a maior parte dos membros também sabe do nosso jeito simples de viver. Então não há nada em oculto entre nós.

Em terceiro lugar, nós estamos passando por dificuldades financeiras. Assim, precisamos falar sobre isso com liberdade, franqueza e temor de Deus.

Não podemos nos omitir num assunto de tão grande importância. E para não ficar somente nas minhas palavras, vamos ler uma porção bíblica que pode nos ajudar muito a enterder a relação entre a igreja e nosso dinheiro.

6 E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. 7 Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. 8 Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, 9 como está escrito: Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre. 10 Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, 11 enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus. 12 Porque o serviço desta assistência não só supre a necessidade dos santos, mas também redunda em muitas graças a Deus, 13 visto como, na prova desta ministração, glorificam a Deus pela obediência da vossa confissão quanto ao evangelho de Cristo e pela liberalidade com que contribuís para eles e para todos, 14 enquanto oram eles a vosso favor, com grande afeto, em virtude da superabundante graça de Deus que há em vós. 15 Graças a Deus pelo seu dom inefável!” 2Co 9:6-15

A oferta do crente, colocada no altar segundo o texto de 2Co 9 gera poder!

Essa oferta gera poder de multiplicação e poder econômico na vida dos irmãos.

O mundo grita pelo seu dinheiro, mamon grita peio seu dinheiro, principalmente no fim do ano, mas Deus grita pelo seu coração em todo o tempo!

Quando nós, aqui no culto de celebração, ou na célula pedimos uma oferta, não estamos tirando nada de ninguém, mas estamos dando para os irmãos a possibilidade de crescer economicamente. Pastores e líderes que tem medo de tirar oferta em suas igrejas ou células são egoístas. É muito importante mudar a nossa mente com relação a isso, pois aquilo que temos na mente pode estabelecer limites ou abrir caminhos novos no que se refere às suas finanças.

Precisamos ter plena certeza que se administramos as nossas finanças segundo o que nos ensina a Bíblia, teremos poder proveniente das nossas ofertas.

Sou voz profética na sua vida para provocar um milagre nas suas finanças.

“Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis.” 2Cro 20:20

Me veja como um profeta e seja abençoado! O problema de muitas pessoas que ouviram Jesus falar e não foram alcançados pela Sua graça, foi a incredulidade.

53 Tendo Jesus proferido estas parábolas, retirou-se dali. 54 E, chegando à sua terra, ensinava-os na sinagoga, de tal sorte que se maravilhavam e diziam: Donde lhe vêm esta sabedoria e estes poderes miraculosos? 55 Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, José, Simão e Judas? 56 Não vivem entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe vem, pois, tudo isto? 57 E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, senão na sua terra e na sua casa. 58 E não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles.” Mt 13:53-58


Hoje eu quero ser profeta de Deus sobre você e suas finanças! Pois você também hoje será levantado como profeta nessa área também!!!

Quando nos falta essa convicção, nós nos afastamos da condição de profeta. O crente que se parece com Jesus precisa ser profeta. A mulher samaritana disse a Jesus:

“Senhor, vejo que és profeta.” Jo 4:19

O centurião romano disse:

“Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado; mas somente dize uma palavra, e o meu criado há de sarar.” Mt 8:8

Reconhecidamente Jesus era profeta.

Nós precisamos reassumir a nossa condição profética no que diz respeito às nossas finanças.

O profeta precisa liberar a palavra de Deus. At 4:29-30

“29 Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a intrepidez a tua palavra, 30 enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo filho Jesus. At 4:29-30

Nós precisamos resgatar isso principalmente na área financeira em nossa igreja.

Quando liberarmos a palavra de Deus sobre a semeadura e a colheita, a vida de Deus vai se manifestar.

Os profetas precisam falar com ousadia!!!

Vamos ler sobre o profeta Elias.

“9 Levanta-te, vai para Sarepta, que pertence a Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei a uma mulher viúva ali que te sustente. 10 Levantou-se, pois, e foi para Sarepta. Chegando ele à porta da cidade, eis que estava ali uma mulher viúva apanhando lenha; ele a chamou e lhe disse: Traze-me, peço-te, num vaso um pouco d'água, para eu beber. 11 Quando ela ia buscá-la, ele a chamou e lhe disse: Traze-me também um bocado de pão contigo. 12 Ela, porém, respondeu: Vive o Senhor teu Deus, que não tenho nem um bolo, senão somente um punhado de farinha na vasilha, e um pouco de azeite na botija; e eis que estou apanhando uns dois gravetos, para ir prepará-lo para mim e para meu filho, a fim de que o comamos, e morramos. 13 Ao que lhe disse Elias: Não temas; vai, faze como disseste; porém, faze disso primeiro para mim um bolo pequeno, e traze-mo aqui; depois o farás para ti e para teu filho. 14 Pois assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da vasilha não se acabará, e o azeite da botija não faltará, até o dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra. 15 Ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeram, ele, e ela e a sua casa, durante muitos dias.” 1Re 17:9-20

Essa história nos fala de três anos de escassez sem chover na terra. Deus então envia Elias para ser sustentado por uma viúva em sarepta de sidom. Veja que coisa, as viúvas é que deveriam ser sustentadas, mas aqui Deus contraria o entendimento comum. Elias então se encontra com essa viúva e pede a ela água e pão. Ela então diz que não tinha pão, mas só tinha um pouco de farinha e azeite para preparar sua última refeição e em seguida morreria, ela e seu filho. Esse é o mesmo espírito que nos ronda hoje. As pessoas estão extremamente desanimadas e sem esperança. Estão se perguntando o que eu vou fazer para pagar minhas dívidas amanhã?

Então, Elias vira pra aquela e diz, vai e pega essa farinha e esse azeite e faça um bolo primeiro para mim. Elias estava dizendo: Primeiro você precisa dar honra ao profeta! Se você honrar o profeta, receberá galardão de profeta.

Geralmente os crentes honram suas necessidades e depois os profetas e a igreja.

Primeiro é o altar e depois as necessidades dos irmãos. O primeiro dinheiro de um salvo é para o altar e depois para sua casa, carro, escola dos filhos etc.

Elias disse a viúva: Se você obedecer o que diz o profeta, Deus vai te honrar!

Ela fez conforme disse o profeta. Então aquela mulher comeu com seu filho, com sua família até o dia que o Senhor mandou chuva outra vez.

Outro texto que nos ensina sobre priorizarmos o profeta está em Mateus 14

“13 Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multidões, vieram das cidades seguindo-o por terra. 14 Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos. 15 Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lugar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo pelas aldeias, comprem para si o que comer. 16 Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer. 17 Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes. 18 Então, ele disse: Trazei-mos. 19 E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos discípulos, e estes, às multidões. 20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolheram ainda doze cestos cheios. 21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.” Mt 14:13-21

Algumas consequências na vida do crente fiel a Deus nas finanças:

1. Consagrar seu dinheiro ao Senhor com alegria, manifesta o amor de Deus sobre você.  2Co 9:7

“porque Deus ama ao que dá com alegria.” V.7

Essa palavra no original deve ser melhor traduzida assim:

“porque Deus manifesta o seu amor para os que dão com alegria.”

Veja bem, eu tenho 5 filhos, e amo a todos. Mas não manifesto meu amor de igual maneira a todos. Dependendo das obras que eles praticam, serão galardoados, premiados, ou disciplinados, corrigidos. É assim com Deus!

Veja que Deus não faz acepção de pessoas, ama a todos de igual maneira, mas se agrada daqueles que obedecem.

34 Então Pedro, tomando a palavra, disse: Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas; 35 mas que lhe é aceitável aquele que, em qualquer nação, o teme e pratica o que é justo. At 10:34-35

2. Consagrar seu dinheiro ao Senhor trás a multiforme graça de Deus. 2Co 9:8

“E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça.” v8

“Toda a graça” nos fala de um pacote. Que pacote? Isso é como ir ao supermercado e pegar um kilo de cada coisa. A graça é assim, ela contém tudo o que precisamos. Toda a graça fala de salvação, libertação, cura, restauração em todas as áreas.

Muitos estão enfermos no nosso meio porque ainda não consagraram suas finanças ao Senhor. A consequência disso é que estão deixando seu precioso dinheiro nos hospitais e farmácias.

Muitos casais estão com sérios problemas no relacionamento por que são infiéis ao Senhor nas suas finanças. Daí os problemas financeiros interferem no relacionamento. 

3. Consagrar seu dinheiro ao Senhor te permite experimentar a lei da semeadura e colheita. v. 6

“E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará.” 1Co 9:6

A lei da semeadura é essa: Se você planta, você colhe. Mas então porque fazemos nossas ofertas que são sementes muitas vezes não colhemos? Veja que no processo de semeadura o agricultor não planta qualquer semente, pois ele sabe que só a boa semente irá germinar, e o problema está aqui. A maioria de nós estamos fazendo a semeadura de maneira errada, pois estamos plantando qualquer semente.

A Lei da Semeadura pressupõe a plantação de uma boa semente, pois nós temos o poder de plantar aquilo que queremos. Existe uma grande variedade de sementes boas e ruins. A boa semente é semeada com amor, misericórdia, compaixão, encargo, desejo de servir. Por outro lado a semente ruim é aquela que é permeada de indisposição, dúvida, desconfiança, pressão, indiferença, sentimento de perda, carnalidade.

"Conforme tenho visto, os que lavram iniqüidade e semeiam o mal segam o mesmo" Jó 4:8.

"O que semeia injustiça segará males..." Pv 22:8.

"Porque semeiam ventos e segarão tormentas..." Oséias 8:7

A motivação do coração é o que conta diante de Deus.

1 Olhando ele, viu os ricos lançarem as suas ofertas no gazofilácio. 2. Viu também uma viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas. 3. E disse: Em verdade vos digo que essa viúva pobre deu mais do que todos. 4. Todos estes deram como oferta do que lhes sobrava; mas esta, da sua pobreza, deu todo o sustento que tinha. Lc 21:1-4 

Posso imaginar Jesus observando bem de perto a oferta daqueles irmãos. Daí a certeza de que Jesus está provando nossas atitudes diante das ofertas que fazemos. Não é a quantidade da oferta, mas a qualidade da nossa atitude que fará a diferença.

Se investimos de maneira santa, certamente viveremos a promessa da boa colheita.

“Mas outras caíram em boa terra e, vingando e crescendo, davam fruto; e um grão produzia trinta, outro sessenta, e outro cem.” Mc 4:8

Sempre que você ofertar, espere retorno da parte de Deus. Alguns dizem: eu vou ofertar mas não quero nada de Deus. Se você quando for ofertar esperar receber algo de Deus ou não, isso não mudará a lei da probabilidade. Alguém que se atira do décimo andar para se suicidar terá o mesmo fim de alguém que limpando os vidros também no décimo andar caiu acidentalmente. A lei da probabilidade diz que ambos o suicida e o trabalhador se esburracharão no chão. Então se você oferta de maneira correta, espere retorno.

“Provai, e vede que o Senhor é bom...” Sl 34:8

“Deus é amor.” 1Jo 4:16

Rejeitar a bondade e a vontade de Deus é pecado!!!

4. O que você dá veio das mãos do próprio Deus. 2Co 9:10-11

“Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, 11 enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus.” 2Co 9:10-11

Davi tinha um coração esclarecido sobre a capacidade de ofertar. Ele sabia que a possibilidade de ofertar era um oportunidade e capacitação dada por Deus.

“1 Disse mais o rei Davi a toda a congregação: Salomão, meu filho, o único a quem Deus escolheu, é ainda moço e inexperiente, e esta obra é grande; porque o palácio não é para homens, mas para o SENHOR Deus. 2 Eu, pois, com todas as minhas forças já preparei para a casa de meu Deus ouro para as obras de ouro, prata para as de prata, bronze para as de bronze, ferro para as de ferro e madeira para as de madeira; pedras de ônix, pedras de engaste, pedras de várias cores, de mosaicos e toda sorte de pedras preciosas, e mármore, e tudo em abundância. 3 E ainda, porque amo a casa de meu Deus, o ouro e a prata particulares que tenho dou para a casa de meu Deus, afora tudo quanto preparei para o santuário: 4 três mil talentos de ouro, do ouro de Ofir, e sete mil talentos de prata purificada, para cobrir as paredes das casas; 5 ouro para os objetos de ouro e prata para os de prata, e para toda obra de mão dos artífices. Quem, pois, está disposto, hoje, a trazer ofertas liberalmente ao SENHOR? 6 Então, os chefes das famílias, os príncipes das tribos de Israel, os capitães de mil e os de cem e até os intendentes sobre as empresas do rei voluntariamente contribuíram 7 e deram para o serviço da Casa de Deus cinco mil talentos de ouro, dez mil daricos, dez mil talentos de prata, dezoito mil talentos de bronze e cem mil talentos de ferro. 8 Os que possuíam pedras preciosas as trouxeram para o tesouro da Casa do SENHOR, a cargo de Jeiel, o gersonita. 9 O povo se alegrou com tudo o que se fez voluntariamente; porque de coração íntegro deram eles liberalmente ao SENHOR; também o rei Davi se alegrou com grande júbilo.” 1Cro 29:1-9

Davi louva o Senhor

“10 Pelo que Davi louvou ao SENHOR perante a congregação toda e disse: Bendito és tu, SENHOR, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade. 11 Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, SENHOR, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. 12 Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força. 13 Agora, pois, ó nosso Deus, graças te damos e louvamos o teu glorioso nome. 14 Porque quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos dar voluntariamente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos. 15 Porque somos estranhos diante de ti e peregrinos como todos os nossos pais; como a sombra são os nossos dias sobre a terra, e não temos permanência. 16 SENHOR, nosso Deus, toda esta abundância que preparamos para te edificar uma casa ao teu santo nome vem da tua mão e é toda tua.” 1Cro 29:10-16

O Dr. Paul Tournier disse em seu livro “Culpa e Graça”: “Nenhum preço pago a Deus pode ser suficientemente alto pelo que Ele merece”. Em outras palavras, ninguém pode oferecer um sacrifício a Deus que não venha d’Ele mesmo. Vamos ver essa verdade lendo o que diz o Salmista.
“10 Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros. 11 Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é meu. 12 Se eu tivesse fome, não to diria pois meu é o mundo e a sua plenitude.” Sl 50:10-12
Vemos no texto acima que os animais oferecidos como sacrifício ao Senhor na antiga aliança, eram fornecidos pelo próprio Deus.

Descobrindo o propósito de Deus para o seu dinheiro - v.10

“Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça.” v 10

Precisamos entender que tudo o que chega até nossas mãos é semente e pão. Nessa ordem:

1. Semente.
2. Pão.

Primeiro o altar, depois minhas necessidades. Porque o pão é o produto da semente. Normalmente as pessoas visam primeiramente suas necessidades e depois a oferta. Comem a semente. Não podemos comer a semente, sem ela não teremos colheita na próxima temporada. O cuidado com a vida própria leva a ruína. Lembre-se das palavras de Elias para a viuva de sarepta.

...faze disso primeiro para mim um bolo pequeno, e traze-mo aqui; depois o farás para ti e para teu filho.” 1Re 17:13

Primeiro é o altar (semente), depois as necessidades (pão). Quem não semeia no altar primeiro, come a semente e sua bênção é bloqueada. 

Ageu foi um profeta judeu que durante a construção do Segundo Templo em Jerusalém repreendeu o povo por sua negligência na contribuição para edificação do templo.

“1 No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a palavra do Senhor, por intermédio do profeta Ageu, a Zorobabel, governador de Judá, filho de Sealtiel, e a Josué, o sumo sacerdote, filho de Jeozadaque, dizendo: 2 Assim fala o Senhor dos exércitos, dizendo: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo de se edificar a casa do Senhor. 3 Veio, pois, a palavra do Senhor, por intermédio do profeta Ageu, dizendo: 4 Acaso é tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica desolada? 5 Ora pois, assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai os vossos caminhos. 6 Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado. 7 Assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai os vossos caminhos. 8 Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a casa; e dela me deleitarei, e serei glorificado, diz o Senhor. 9 Esperastes o muito, mas eis que veio a ser pouco; e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu o dissipei com um assopro. Por que causa? diz o Senhor dos exércitos. Por causa da minha casa, que está em ruínas, enquanto correis, cada um de vós, à sua própria casa. 10 Por isso os céus por cima de vós retêm o orvalho, e a terra retém os seus frutos. 11 E mandei vir a seca sobre a terra, e sobre as colinas, sobre o trigo e o mosto e o azeite, e sobre tudo o que a terra produz; como também sobre os homens e os animais, e sobre todo o seu trabalho. 12 Então Zorobabel, filho de Sealtiel, e o sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, juntamente com todo o resto do povo, obedeceram a voz do Senhor seu Deus, e as palavras do profeta Ageu, como o Senhor seu Deus o tinha enviado; e temeu o povo diante do Senhor. 13 Então Ageu, o mensageiro do Senhor, falou ao povo, conforme a mensagem do Senhor, dizendo: Eu sou convosco, e diz o Senhor. 14 E o Senhor suscitou o espírito do governador de Judá Zorobabel, filho de Sealtiel, e o espírito do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e o espírito de todo o resto do povo; e eles vieram, e começaram a trabalhar na casa do Senhor dos exércitos, seu Deus, 15 ao vigésimo quarto dia do sexto mês.” Ag 1:1-14

Quando imagino a época em que Ageu viveu, vejo a cidade de Jerusalém e ao redor com um grande canteiro de obras. O povo estava voltando da Babilônia, havia saído do cativeiro e estava animado para construir suas casas. Até ai, tudo bem, mas e a casa do Senhor??? O profeta exorta o povo justamente neste aspecto. O povo voltou animado para com suas casas e não se importaram com a casa de Deus, fizeram a seguinte afirmação:

“... Não veio ainda o tempo, o tempo de se edificar a casa do Senhor.” Ag 1:2

O que podemos aprender desta exortação profética?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sabedoria para prosperar em tempos de abundantes chuvas. Pv 1:1-7; 20-33. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 19/01/20

De 3 meses para cá, eu tenho descoberto uma fonte de vida inesgotável através da leitura do livro de provérbios. Eu penso que propositadam...