20081210

Chamados para Servir. João 13:4

Introdução: Uma coisa é certa em nossa existência: Existimos para um fim específico, viveremos e daremos a nossa vida por algo. O que estamos fazendo com as nossas vidas?

Onde estamos investindo o nosso tão precioso tempo?

Uma carreira, um esporte, um passatempo, fama, dinheiro?
A verdade é que nenhuma dessas coisas tem valor eterno.

Outro dia ouvi alguém dizer: “Viva feliz fazendo o que você gosta” ou “O importante é você fazer o que gosta”.
Isso parece atraente, mas é falso.

A princípio não fomos criados para fazer o que gostamos, pois se agirmos assim, estaremos arrumando um grande e sério problema. Veja que se formos viver fazendo o que gostamos de fazer, vamos começar dormindo mais do que o necessário, trabalharemos menos ou nada, comeremos fora de hora, nos alimentaremos com alimentos de baixo valor nutritivo. Gastaremos muito tempo com entretenimento, filmes, prática de esporte, viagens etc. Veja que tudo isso é bom para o nosso desfrute, mas ninguém pode ser realmente feliz vivendo assim, fazendo somente o que se gosta, porque esse estilo de vida desregrado não produzirá bons resultados a longo prazo. Se você dorme muito certamente vai trabalhar menos e tornar-se preguiçoso e improdutivo, se comer só o que gosta, vai se encher de lanche, doces e outras guloseimas de baixo valor nutritivo. Isso certamente vai redundar em uma anemia ou outra doença decorrente de uma má alimentação.

Então podemos concluir que:

Não fomos criados para fazer somente o que gostamos, mas para aprender a gostar do que fazemos, ou pelo menos do que fomos chamados a fazer. E o que nós fomos chamados a fazer como cristãos?

Imitar Jesus!!!

Se nós queremos ser relevantes e valorizar as nossas vidas, até porque temos muito pouco tempo para cumprirmos o propósito de Deus para nós, precisamos seguir o exemplo de Jesus, pois o Senhor realmente viveu a vida de uma maneira intensa e sadia.

Veja que Jesus nos deixou o exemplo de como viver a vida de maneira relevante.

“Aquele que quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo tome a sua cruz e siga-me.” Mt 24:16

O princípio aqui é o inverso do que queremos fazer. O desejo do homem natural está em fazer somente o que quer e dá prazer à carne. Agora o cristão verdadeiro, consciente do porque da sua existência, vive a sua vida em constante renúncia, agradando a Deus como um bom cristão.

Resumindo a mensagem: RENUNCIE-SE A SÍ MESMO!!!

Esse tipo de mensagem não agrada muito, mas o princípio é esse:

Não devemos fazer só o que gostamos de fazer, e também não devemos ouvir só o que queremos ouvir!

“Pois vai chegar o tempo em que as pessoas não vão dar atenção ao verdadeiro ensinamento, mas seguirão os seus próprios desejos. E arranjarão para si mesmas uma porção de mestres, que vão dizer a elas o que elas querem ouvir. Essas pessoas deixarão de ouvir a verdade para dar atenção às lendas.” 2Tm 4:3
Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Jr 17:9

Cuidado com os seus desejos, eles podem te levar por um caminho de derrota e pecado.

“Há um caminho que ao homem parece direito (ser bom), mas o fim dele são os caminhos da morte.” Pv 14:12

Jesus não viveu para a satisfação De suas carne, viveu para alimentar seu espírito pela palavra de Deus (Mt 4:4) e por isso sua vida foi relevante. A história da humanidade foi dividida em duas partes, uma antes e outra depois d’Ele. Queremos marcar o nosso tempo e geração fazendo algo realmente significativo; mas como? Fazendo o que gostamos apenas? Vivendo para o nosso deleite? Certamente esse não é a razão da nossa existência.

Portanto se queremos deixar um legado (aquilo que alguém transmite ou deixa a outro) devemos seguir os passos de Jesus.

Segundo o exemplo que Jesus deixou, a primeira atitude que devemos tomar é:

1. Amar

“Ora, antes da festa da páscoa, sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até o fim.” Jo 13:1

Jesus amou os seus até o fim, inclusive Judas. Que amor é esse, que o mais cruel inimigo é amado e visto como amigo?

“Jesus, porém, lhe disse: Amigo, a que vieste? Então, aproximando-se eles, lançaram mão de Jesus, e o prenderam.” Mt 26:50

Amigo? Só se for amigo da onça! Como Jesus pode chamar Judas de Amigo?

Realmente após lermos esse texto, fica evidente que não devemos somente amar, mas esse amor deve ser incondicional. Poderíamos dizer nesse caso de Judas como alguém disse:

“Aqueles que menos merecem o amor são os que mais necessitam dele”.

Simplesmente decida amar! Amar a Bíblia, a oração, a casa de Deus, Jesus, sua família, sua célula, seus líderes, seus inimigos...

Simplesmente ame!!!

A orientação da Bíblia para aqueles que querem ser como Jesus está em amar a todos os homens. Segundo a Palavra de Deus precisamos estar em débito de amor com o nosso próximo.
“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” Rm 13:8

Não fique esperando o sentimento aflorar, mas decida amar e o sentimento o acompanhará. Lembre-se que nós vivemos pela fé. “Mas o justo viverá da Fé...” Hb 10:38
Acredite no que diz a Palavra de Deus em Gl 5:22, “Mas o fruto do Espírito é amor...”. Se você crê no que diz a Bíblia, o amor de Deus já está em nós pelo Espírito Santo, e o que precisamos fazer é aprender a colocar esse amor na prática. Aprenda a amar. Veja o depoimento de uma jovem de uma época, onde os casamentos eram arranjados pelos pais:

"Quando nascemos, não podemos escolher pai, mãe, irmãos e, então, aprendemos a amá-los profundamente. Assim será em relação àquele que será o meu marido. Aprenderei a amá-lo".

Passou a época, mas ficou a lição: podemos aprender a amar. Podemos decidir e aprender amar, pois o amor é o único tesouro que se multiplica por divisão. É a única dádiva que aumenta quanto mais você a reparte. Doe amor; jogue-o fora; esparrame-o; esvazie seus bolsos; sacuda o cesto, vire o copo para baixo, e amanhã você terá mais amor do que nunca.

Toda escritura se resume no amor. Mt 22:34:40

Acho que todos os cristãos deveriam ler a obra de Gary Chapman “As cinco linguagens do amor”. Nesse livro Gary nos leva a descobrir a nossa linguagem própria de amor. Como é bom descobrir a nossa linguagem pessoal de amor, e o mais importante; amar sem limites

Por fim amar é uma evidência do novo nascimento e conhecimento de Deus.

“Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.” 1Jo 4:7-8

A segunda atitude que precisamos ter para seguir o exemplo de Jesus é:

2. Servir

Servir é o caminho para a verdadeira importância e relevância. Nós encontramos sentido e significado quando entendemos que somos parte do corpo e precisamos servir de alguma forma.

“Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas”. Ef 2:10

“Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações”. Jr 1:5

Não fomos salvos pelo serviço, mas para o serviço. Nos tornamos cristãos porque alguém serviu a Jesus dispondo sua vida a serviço do reino.

Se não temos nenhum amor pelos outros, nenhum desejo de ajudar as pessoas servindo-as dificilmente conseguiremos imitar Jesus!

Se nos esquivamos de amar e servir, deveriamos questionar se Cristo está mesmo em nossa vida.

Estamos edificando uma igreja onde todos devem ser ministros, e ministros são servos! Ministro é para servir. Jesus veio para servir e para dar.

“Tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. Mt 20:28

Servir é doar-se, e doar-se é ter vida. Veja exemplo do mar da Galiléia e do mar morto.
O mar da Galiléia é vivo porque libera água para o rio Jordão, mas o mar morto, como o próprio nome diz está morto porque só recebe a água do Jordão e não libera água. O Mar Morto tem esse nome devido a grande quantidade de sal por ele apresentada, dez vezes superior à dos demais oceanos, o que torna impossível qualquer forma de vida - flora ou fauna - em suas águas. Qualquer peixe que seja transportado pelo rio Jordão ao mar morto, morre imediatamente assim que deságua neste lago de água salgada. Não há processo de escoamento no mar morto a não ser por evaporação.

Servir é algo contrário à nossa inclinação natural, porque geralmente nós sempre estamos buscando alguém para nos servir.

É comum ouvirmos: “estou procurando uma igreja que sirva às minhas necessidades e me abençoe”, mas é raro ouvir: “estou procurando um lugar onde eu possa servir e ser abençoado”.

Em João capítulo 13:1-5 aprendemos uma lição de Jesus a respeito de serviço e amor. Esse texto diz que Jesus lavou os pés dos discípulos. Você pode imaginar o que é isso. Deixe-me explicar. Na época de Jesus, as duas coisas mais importantes que um anfitrião podia oferecer para o visitante era, um servo para lavar seus pés, e logo após convidá-lo para sentar à mesa para comer um bom pedaço de pão.
Os pés dos judeus da época de Jesus, não estavam sujos somente por causa da poeira devido ao clima seco e ruas de terra, mas também estavam sujos de fezes de animais como cavalos e vacas, pois todos, homens e animais transitavam no mesmo caminho. Lavar os pés de alguém era uma tarefa humilhante, geralmente era necessário contratar servos para essa tarefa. Só quem está disposto a descer e se humilhar pode lavar os pés de alguém, pois lavar pés é uma questão de renuncia de si mesmo; é servir ao próximo.

Qual a sua desculpa para não servir a Cristo na sua família, trabalho, célula, igreja etc?

1º Sou demasiado pecador – Cristo veio salvar o pecador 1Tm 1:15; Cristo morreu pelos pecados Rm 5:6-8; Tornará pecado como a neve Is 1:18; Ele não nos lançará fora Jo 6:37.

2º Não tenho tempo – Como pode ser isso? Deus nos deu todo o tempo que temos, precisamos apenas valorizá-lo, fazendo bom uso deste tempo. Veja essa história sobre João Wesley, o fundador do Metodismo, movimento que abalou a Inglaterra no Século XVIII, escreveu 371 obras. Viajava, a cavalo, 8.000 quilômetros por ano. Pregava anualmente 750 sermões, uma média de dois por dia. Além disso mantinha, fielmente, correspondência com muita gente. Como foi possível fazer tudo isso? Em instruções a seus auxiliares, ele escreveu: "Sede diligentes. Nunca vos ocupeis em coisas triviais. Não percais tempo. Não gasteis em nenhum lugar mais tempo do que o absolutamente necessário. Sede pontuais. Fazei tudo exatamente no seu tempo próprio".

É uma loucura dizer "amanhã" quando Deus diz "hoje".

Quantas vezes já ouvimos a expressão: “Estou matando tempo”. Que crueldade fazer isso a algo tão valioso como é o tempo! Matá-lo, porquê? O tempo é-nos dado para ser cultivado, não assassinado. O tempo não espera por ninguém. Ontem é história, o amanhã é um mistério, hoje é uma dádiva, é um presente.

3º Não sei qual Será a minha recompensa – O que importa a esse respeito é sabermos que a nossa recompensa vem do Senhor. Aos Hebreus o escritor disse:

“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hb 11:6

4º Ainda é cedo; sou muito jovem! - Na mocidade é o melhor tempo para servir o Senhor. Ec 12:1
O Senhor da glória mostrou-se o maior de todos os servos!

“E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” Fl 2:8

Algumas observações a respeito de um verdadeiro servo. Jo 13:1-5

1. Somente aqueles que amam realmente servem - 13:1
No verso primeiro lemos que o Senhor amou os seus discípulos até o fim. O lavar os pés ou servir os irmãos é uma questão de amor. Servir uns aos outros deve ser uma expressão de amor. No verso 1, no original, se diz que Jesus os amou ao máximo. E como ele expressou esse amor final e máximo?
Servindo os discípulos.
É por isso que nos versos 34 e 35 deste mesmocapítulo ele orientou os seus discípulos sobre o novo mandamento do amor. Sem amor não podemos servir.

“Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros”. Jo 13:35-35

2. Só quem tem segurança sobre si mesmo é um verdadeiro servo - v. 3
O verso 3 diz que o Senhor sabia que o Pai tudo lhe confiara nas mãos. Ele, portanto era absolutamente claro de quem era e do que deveria fazer. Algumas pessoas não querem servir ao próximo porque não tem clareza de quem são. Apenas aqueles que possuem essa clareza podem servir verdadeiramente. Eu sei o meu valor, sei quem sou, mas ainda assim estou aqui para lhe servir.
O fato de Jesus saber quem ele (Deus) era não produziu arrogância nele. Se soubéssemos que o Pai nos confiara todas as coisas talvez em nossa natureza pecaminosa nos recusríamos a lavar os pés sujos de uns galileus iletrados.

3. Para servirmos precisamos nos fazer menores que os irmãos - v. 4
Para podermos lavar os pés uns dos outros devemos colocar de lado a nossa glória pessoal. Diminuir diante de nosso próximo, seja ele irmão ou não. O texto diz que Jesus se despiu de sua vestimenta e se vestiu com uma toalha. O sentido básico de despir-se das roupas é despojar-se e se colocar como menor entre os irmãos. Não dá para servir numa atitude de superioridade. Precisamos nos despir em humildade diante de nossos irmãos, e nos fazer iguais a eles.

4. O verdadeiro servo abre mão de sua liberdade para servir. V. 4
Somente os escravos se vestiam com toalhas, pois estavam sempre prontos a lavar os pés de alguém. Quando Jesus se vestiu com uma toalha aquilo deve ter chocado os discípulos. Vestir-se de uma toalha significa que abrimos mão de nossa liberdade para servir os irmãos; como um escravo que voluntariamente se dispõe a servir o seu senhor. Este é o paradoxo da liberdade do crente: por um lado foi liberto do pecado, do diabo, da lei e do mundo, mas voluntariamente se coloca como servo dos irmãos em amor. O verdadeiro servo tem uma atitude de servir sem esperar nada em troca.

5. O verdadeiro servo toma a iniciativa e serve a qualquer um que deva ser servido. V. 4
O Senhor não esperou que alguém sugerisse que ele servisse. Ele percebeu a necessidade e a supriu imediatamente, tomou a iniciativa. O verdadeiro servo não serve porque possui uma baixa auto-estima e nem serve apenas aqueles que são maiores que ele. Muitos foram ensinados desde pequenos a agirem servindo, mas por educação. Eles são apenas educados, não são servos.
O verdadeiro servo serve aqueles que não são gratos e nem reconhecidos de sua humildade. Na verdade não queremos servir aquele que diz: “lave melhor entre os dedos, por favor”.
Mas gostamos daquele que diz: “por favor, não quero constrangê-lo me servindo”. Lembre-se que os pés dos discípulos eram um espetáculo de causar repulsa em qualquer um. Lavar os pés limpinhos qualquer um lava, mas lavar os pés sujos assim só um verdadeiro servo de Jesus.

6. O verdadeiro servo expõe o orgulho de outros - v. 6-10
Todos nós achamos que Pedro teve a melhor atitude rejeitando ser servido, mas Jesus disse que ele foi infeliz na colocação que fez. Pedro se recusou a ser servido por Jesus. Aquelas pessoas que não admitem ser servida comumente ocultam problemas no seu coração. Um teste tão grande quanto servir é aprender a ser servido e ainda assim manter um coração correto.

Porque nos recusamos a ser servido?
a) Porque não queremos ter de retribuir servindo.
b) Porque ser servido faz aflorar nosso orgulho.
c) Porque temos uma auto-estima problemática.
d) Porque tememos a opinião de outros e vir a ser tido como arrogantes.
e) Qualquer que seja a razão ela denuncia um problema no coração.

Jesus não apenas lavou os pés, mas permitiu que seus pés também fossem lavados em outras ocasiões.

7. Só aprendemos a servir pelo exemplo. V. 15
O verdadeiro servo só se tornou assim porque foi discipulado por um outro servo. Não adianta mandar servir, precisamos dar um passo adiante e servir como exemplo.

“Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”. Jo 13:14-15

Conclusão: Em nossa visão dizemos que cada crente é um ministro, isto significa que cada um de nós é um servo, mas somente aqueles que amam realmente servem, porque tem segurança sobre si mesmo e é um verdadeiro servo, se fazendo menores que os irmãos, abrindo mão de sua liberdade para servir, tomando iniciativa através do exemplo do Senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário