Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20111015

Marcas de um crente vencedor. At 2:42 - Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 09/10/11

Marcas de um crente vencedor. At 2:42

"E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” At 2:42

Introdução

Eu acredito piamente que a maior parte dos crentes que conheço, é sincera no desejo de agradar a Deus. Para estes homens e mulheres o Senhor se revela, pois os que de fato querem servir a Deus, encontrarão o caminho perfeito. Quando nos voltamos para Deus e a sua Palavra, descobrimos que Ele não nos deixa sem luz acerca do que precisamos fazer para agradá-lo, para cumprir a sua vontade. "Ao justo, nasce luz nas trevas." Sl 112:4

Hoje é dia de recebermos revelação e luz da parte de Deus, pois sem revelação, sem luz, impossível nos será sermos crentes prevalecentes e vencedores.

Voltando ao texto de Atos 2, podemos dizer que a maioria dos estudiosos do Novo Testamento são unanimes em dizer que a igreja descrita em atos dos apóstolos é um referencial de igreja e os crentes dessa mesma igreja são também um referencial para nós nos dias de hoje. Não porque eles eram perfeitos, mas porque fizeram parte de um mover que iniciou a igreja de Jesus Cristo.

O apóstolo João escreveu algo relevante a respeito disso, em sua segunda epístola combatendo os falsos ensinamentos dentro da igreja, ele escreveu: "E o amor é este: que andemos segundo os seus mandamentos. Este mandamento, como ouvistes desde o princípio, é que andeis nesse amor." 2 Jo 6

Este é um grande princípio, pois se queremos ser vencedores devemos retornar àquilo que era "desde o princípio" aos primeiros fundamentos do cristianismo. Precisamos buscar a Palavra de Deus e vermos como a igreja se reunia para glorificar a Deus e adotarmos isso como a nossa prática de vida cristã. Acredito que Jesus disse: “Assim, os últimos serão primeiros” Mt 20:16a, porque voltaríamos às primeiras práticas, restaurando o mover da igreja primitiva nos dias de hoje.

Hoje em dia existem muitas igrejas cristãs, e a maior parte delas não tem muito haver com o padrão de igreja estabelecida por Jesus. Para termos um parâmetro da igreja de Jesus, precisamos olhar para a igreja descrita em atos. Essa igreja não era perfeita, mas tinha uma identidade cristã muito forte. Essa igreja e os primeiros crentes tinham marcas que testificavam a respeito de Jesus.

Que marcas eram essas? Atos 2:42 nos dá uma visão bastante clara de como esses crentes viviam.

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.

5 marcas dos crentes dos crentes de Atos dos Apóstolos:

1. Foram perseverantes

2. Na doutrina dos apóstolos

3. Na comunhão

4. No partir do pão

5. Nas orações

Essas são as 5 marcas de um crente vencedor, agora entenda a igreja aqui como crente, pois estes princípios servem para nós cristãos.

Marcas de um crente vencedor

1. Perseverança. Hb 10:36

“Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa.” Hb 10:36

“Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, 2 olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.” Hb 12:1-2

Perseverar é manter o curso, continuar, perseguir, conservar-se firme, constante. Quantas vezes vemos pessoas, inteligentes, de personalidade forte, cheios de entusiasmo e vigor, que aparentemente possuem qualidades de liderança, fracassarem em seus empreendimentos; isso porque permitiram que um obstáculo ou uma série deles detivessem seus passos. Se houvessem acatado o conselho de Salomão e tivessem ido ter com a formiga, teriam aprendido a lição necessária. Observe um desses insetos, de aparência tão frágil. Se colocarmos um obstáculo em sua rota, ele tenta por todos os modos ultrapassá-lo; tentar dar a volta, ou passar por baixo ou em cima dele, mas persiste até conseguir superá-lo. E o empecilho, em alguns casos, é várias vezes maior que ele. Chame a isso de obstinação, teimosia, o que quiser - o negócio é persistir. E não se trata apenas de não aceitar uma resposta negativa; trata-se de insistir e perseverar mesmo quando a resposta é não, não, não, não, não, não, não. É nunca aceitar um não como sendo definitivo.

A Palavra de Deus sempre nos orienta a perseverar!

Esforça-te e tem bom ânimo é a palavra para os que querem romper. (Js 1:6) Renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz é a palavra para os verdadeiros discípulos. (Mt 16:24) Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós, resisti ao diabo e ele fugirá de vós é a palavra para os campeões. (Tg 4:7) Persevere em fazer a vontade de Deus para alcançar a promessa é a palavra para os vencedores. (Hb 10:36)

O verdadeiro heroísmo consiste em persistir por mais um momento quando tudo parece perdido. Aquilo que persistimos em fazer torna-se cada vez mais fácil para fazermos; não porque a natureza das coisas mudou, mas porque a nossa capacidade para fazer aumentou substancialmente.

Para aqueles que se frustraram no passado porque alguma coisa deu errado, não se preocupe com o que você perdeu, mas agradeça pelo que se aprendendo. (John Maxwell)

2. Perseveravam na doutrina dos apóstolos

Isso nos fala de uma igreja que estava firmada nos ensinamentos de seus líderes. Essa é uma marca de um crente vencedor. Preservar os valores e princípios que são compartilhados pelos seus líderes deve ser o anseio de cada crente hoje em dia. Perseverar na doutrina dos apóstolos nos fala de estarmos debaixo de uma direção, uma linhagem de autoridade.

Se você acha que ser cristão é ser membro de uma igreja evangélica, escapar do inferno e viver uma vida mais ou menos aprovada, você está enganado, o propósito de Deus transcende o simplesmente ser membro de uma igreja local, o propósito de Deus é que você seja continuador do mover de Deus.

Devemos seguir as orientações que nos são dadas por Deus através dos nossos líderes como terminamos as nossas orações dizendo “amém, que seja assim”. Mas infelizmente não é assim, nem mesmo coisas tão simples de serem obedecidas não são levadas a sério. Ex: Intensivo de MDA com Pr. Elvis Oliveira. Quantos irão??? Vamos ver um outro exemplo prático: Arrecadação de doces para a realização da festa das crianças.

No entendimento dos primeiros crentes, essas direções deveriam ser atendidas por todos os crentes, e não somente por alguns. Muitas vezes as pessoas simplesmente ignoram seus líderes como se nada fossem. Quantos de nós, poderia dizer honestamente que tem prazer em fazer a vontade de Deus obedecendo seu líder ou discipulador pessoal?

3. Perseveravam na comunhão

A palavra comunhão aqui é KOINONIA, que quer dizer, viver tendo tudo em comum. Essa era uma das marcas mais impactantes dessa igreja. Atos 4:32 diz: “Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum.”

Infelizmente a maior parte dos crentes, não chegou nesse entendimento. Somos um com nosso irmão, porque tudo nos é comum.

Como podemos prevalecer como crentes se não temos essa marca? Na oração de Jesus por nós em Jo 17, podemos ler: 19 E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. 20 Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; 21 a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.” Jo 17:19-21

1 Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! 2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes. 3 É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre..” Sl 133:1-3

Este texto do Salmo 133, menciona 2 elementos, o óleo e o orvalho do Monte Hermom.

O óleo aponta para o Espírito Santo, fala de unção. "E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo, do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção." Is 10:27 (RC)

O óleo também simboliza autoridade.

A característica principal do Monte Hermom é que ele mantêm-se coberto do meio para cima o ano inteiro, apresentando-se branco, e à noite ele libera um orvalho que rega a terra aos seus pés, e os montes mais baixos da cadeia de Sião, proporcionando fertilidade contínua.

Hb 10:25 diz: “Não deixemos de congregar-nos...” A comunhão é uma ordenança bíblica e ninguém pode servir a Deus isolado. Precisamos estar aliançados uns com os outros. Todo crente deve estar numa congregação (comunidade).

“Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. 1Jo 1: 7

A comunhão é uma prova de que de fato conhecemos o Senhor e temos uma vida na luz (santa).

4. Perseveravam no partir do pão

Eu sei que muitos interpretam o partir do pão apenas como um compartilhamento de provisão, uma confraternização. Em partes isso está certo, mas existe uma lição, além disso, pois veja que essa expressão “partir o pão” nasceu quando Jesus estava à mesa com seus discípulos. “E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim.” Lc 22:19

Veja que neste dia, Jesus estava promovendo um concerto com seus discípulos. No contexto da ceia, Jesus tratou sobre assuntos como traição, divisão entre irmãos, promiscuidade, descompromisso e falta de coragem, egoísmo etc.

Para o judeu sentar a mesa para partir o pão é uma oportunidade de ajustar o coração, concertar relacionamento etc.

5. Perseveravam nas orações

Sem ser muito teológico, gostaria de enfatizar de maneira prática o valor da oração. Os maiores moveres e milagres de Deus aconteceram enquanto homens comuns oravam. Enquanto Elias orava, Deus derramou fogo do céu, Ezequiel enquanto orava viu a restauração de Israel naquele vale de ossos secos. Jesus separou seus discípulos após orar a Deus. Porque temos 40 minutos de louvor, 60 minutos de palavra, e não oramos nem 30 minutos em nossos cultos?

Outro motivo para orarmos é o fato de a oração ser uma marca da igreja de Cristo e do crente vencedor desde a sua origem. Quando o Senhor Jesus retornou ao céu, cento e vinte discípulos ficaram orando, unânimes e fervorosamente, enquanto aguardavam o cumprimento da promessa do Pai (At 1:12-15), que era o derramamento do Espírito Santo sobre eles (At 1:8).

Enquanto oravam, o poder do Espírito Santo foi derramado (At 2:1-4). Cabe, aqui, uma observação preciosa: A igreja de Cristo nasceu orando, e era uma oração conjunta. O mover do Espírito Santo, no dia de Pentecostes, aconteceu após uma reunião de oração de dez dias. E, a partir dali, aquela igreja nunca mais deixou de orar: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” At 2:42

Quando as perseguições e ameaças tentaram calar aqueles cristãos, ao invés de desistirem da fé, reuniam-se e erguiam suas vozes em clamores, e Deus lhes dava força. Os apóstolos, que eram líderes da igreja, tinham por costume ir ao templo orar (At 3:1). Esses homens entendiam que a oração era prioridade em seus ministérios (At 6:4). Em Atos 12, lemos que, após a morte de Tiago e a prisão de Pedro, a igreja não teve outra reação, senão colocar-se a orar: Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele. As Escrituras dizem que um anjo enviado por Deus libertou Pedro daquela prisão (v.7). Depois de livre, o apóstolo decidiu ir para a casa de Maria, a mãe de João Marcos, e lá encontrou muitas pessoas que estavam congregadas e oravam (v.12). A igreja primitiva se reunia também para orar agradecendo os grandes livramentos concedidos por Deus (At 4:24). Era em momentos de oração conjunta que as pessoas eram batizadas no Espírito Santo (At 8:14-17, 19:1-7). Enquanto a igreja orava, as portas da prisão eram abertas, o evangelho avançava com poder e o nome de Cristo era glorificado. A igreja em Antioquia, por exemplo, estava em consagração, quando o Espírito Santo a guiou na obra missionária, separando Barnabé e Saulo. Foi orando, jejuando e impondo as mãos sobre eles que a igreja os enviou para a missão (At 13:2-3). Ela não apenas nasceu em oração, mas também sobreviveu e cresceu orando conjuntamente. “Sempre que a igreja experimentou grandes avanços, ela estava caminhando de joelhos”.

Aleluia!!!

Só nos resta orar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito