Total de visualizações de página

Acesse o site da GERAÇÃO DE ADORADORES IGREJA DE VENCEDORES

20170425

Cuidado, a ceia é a celebração do Corpo de Cristo! 1Co 10:16-17; 11:17-34. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 23/04/17

Introdução

Como sabemos a igreja local é constituída por um grupo de irmãos que se reúnem regularmente numa determinada localidade, seja num prédio ou residência. Precisamos enxergar de maneira mais esclarecida, os valores dessa igreja e os benefícios que se pode receber sendo um membro ativo do processo de edificação e expansão da mesma. Todos os crentes que de fato querem ser reconhecidos como discípulos de Cristo, foram chamados para esse fim, para efetivamente edificarem a igreja de Jesus.
Jesus se manifestou para desfazer as obras do Diabo (1Jo 3:8) e assim Ele o fez edificando a Sua igreja. Hoje, nós que somos seus discípulos devemos fazer o mesmo através da igreja. Cristãos autênticos vencem o poder do diabo e de seus demônios através da igreja, através da vida comunitária e coletiva da igreja. O próprio Jesus disse que as portas do inferno não prevaleceriam contra a igreja (Mt 16:18).
Individualmente, no nome de Jesus, podemos resistir aos demônios e até principados, mas para destruir as obras do inferno, e avançarmos no processo de amadurecimento pessoal e expansão do Reino de Deus, precisamos entender o valor da igreja.

Por que estou falando sobre isso hoje? Porque Paulo no texto compartilhado, está trazendo uma dura exortação aos Coríntios quanto à maneira de eles reunirem para a celebração da ceia. Paulo está chamando a atenção daqueles crentes, pois participando da ceia na condição em que eles estavam, com uma motivação estranha como a deles, na verdade eles estavam trazendo juízo e condenação para si.

As nossas atitudes nunca são neutras. Elas produzem bênção ou maldição em nossas vidas! O cálice da Ceia é chamado por Paulo de “cálice da bênção”. Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo.” 1Co 10:16

No entanto, no texto base que compartilhamos no início, vemos que a mesma Ceia que traz bênção também pode trazer juízo e maldição sobre os crentes! Podemos perceber que a Ceia do Senhor é um ato com conseqüências espirituais. A Igreja de Corinto tinha todos os dons do Espírito Santo em operação (1 Co 1:7), o que incluía os dons de cura, mas, mesmo assim, havia entre eles muitos fracos e doentes, bem como mortes prematuras. O apóstolo disse que vivendo dessa maneira, eles estavam reunindo para pior. 1Co 11:17

Paulo diz que a igreja de Corinto estava reunida para o ato da ceia, mas não para serem abençoados, mas para pior. Estavam reunidos para juízo e condenação.

29 pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si. 30 Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes e não poucos que dormem”. 1Co 11:29-30

“E não poucos que dormem” é eufemismo (figura de linguagem), um termo mais agradável para suavizar uma expressão, porque o que Paulo está dizendo é que por causa dessa falta de discernimento do corpo (igreja), muitos já estavam mortos.

Conforme o verso 29, comemos a ceia indignamente e fazemos isso para pior, para a nossa condenação quando não discernimos o Corpo de Cristo, quando não temos revelação da igreja de Jesus. Quem não discerne o Corpo de Cristo vive na base do ego desprezando a vida comunitária da igreja.

Existem algumas situações no texto que nos revelam pecados decorrentes de comer e beber sem discernir a igreja.

Quando comemos a ceia sem discernir o corpo?

1.       Quando nos tornamos divisivos.

“17 Nisto, porém, que vos prescrevo, não vos louvo, porquanto vos ajuntais não para melhor, e sim para pior. 18 Porque, antes de tudo, estou informado haver divisões entre vós quando vos reunis na igreja; e eu, em parte, o creio.”

·         Fazendo acepção de pessoas;

·         Escolhendo amizades, líderes, célula, etc.

·         Achando que somos donos do nosso próximo.

·         Nos ocupando em observar as falhas dos irmãos.

2.      Quando evitamos relacionamentos mais profundos.

“20 Quando, pois, vos reunis no mesmo lugar, não é a ceia do Senhor que comeis. 21 Porque, ao comerdes, cada um toma, antecipadamente (rapidamente), a sua própria ceia; e há quem tenha fome, ao passo que há também quem se embriague.” 1Co 11:20-21

Algumas pessoas limitam seus relacionamentos no Corpo de Cristo a um cumprimento “paz do Senhor” ou “como vai você irmão?”. Na verdade, muitos sustentam uma vida oculta, tem uma segunda agenda, vivem à margem da vida de Cristo que flui somente através da igreja. Alguém pode dizer: “Eu sou anti-social.” ???? Não há cristianismo antissocial. Geralmente as pessoas que decidem relacionar de maneira superficial no contexto da igreja, estão vivendo fora do padrão de santidade e vivem sozinhas para não serem descobertas.

3.      Quando não temos tempo para a coletividade. At 2:1-4; At 2:42-47

Muitos cristãos não valorizam a Celebração, a célula, os eventos, as conferências, etc.

Celebração – Célula – Sexta Fire

Geralmente a falta de tempo para a igreja é compensada com a ocupação do tempo com outras atividades. Não ter tempo para a celebração ou célula é na verdade não quero estar na célula ou celebração. Como podemos dizer que a nossa vida pertence ao Senhor, se não temos tempo para Ele? A vida de um homem se resume no traço entre a data de seu nascimento e a data do falecimento. Esse tempo (cronos) é a nossa vida. A sua vida diária são as 24 horas do dia. Sua vida semanal está compreendida nas 168 horas da semana. Quanto desse tempo você está destinando à igreja. Dizer que você não tem tempo é estratégia do diabo para te afastar da igreja. Ex 5:6-9

Existem moveres que são individuais e geralmente tratam das questões interiores. Por isso Jesus disse que podemos orar em secreto no nosso quarto que o Pai nos ouvirá. Mas acredite na Bíblia, as reuniões da igreja são liberações poderosas de unção e glória. As mais significantes experiências que homens tiveram no Novo Testamento, foram coletivas, em meio a muitas pessoas.

4.      Quando não investimos na igreja.

“32 Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum. 33 Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. 34 Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo- as, traziam os valores correspondentes 35 e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade.” At 4:32-35

A ordem de prioridades do cristão, segundo o que aprendemos no passado era:

Deus – Família – Trabalho – Igreja. Será que isso é certo? ERRADO!!!
Deus – Igreja – Família – Trabalho. CERTO!!! 

Diga-se com ênfase a palavra “investir”. Pois tudo o que semeamos na igreja é um investimento. Não existe uma aplicação mais segura e rentável do que a obra de Deus.


É relevante destacarmos e discernir esse aspecto do Corpo do Senhor. O corpo de Jesus quando viveu como homem entre os homens, foi investido e o Corpo de Cristo (igreja) também precisa de investimento. Isto nos ajudará a entendermos um paralelo espiritual de grande importância. A nossa ênfase quando falamos de investir é no cuidado, ou na manutenção do Corpo de Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Senhor Cara Legal - Evangelismo com o livrete 11ª Questão

O poder da oração no Espírito