20171130

Tudo vem d’Ele e é para Ele. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 26/11/17

“Ó SENHOR, nosso Deus, nós trouxemos toda esta riqueza a fim de construir um templo para honrar o teu santo nome, mas tudo isso veio de ti, e tudo é teu.” 1Cro 29:16

De todas as cartas, destinadas às igrejas para as quais Paulo escreveu, a carta aos Gálatas é a mais exortativa. O apóstolo chega a dizer a essa igreja “Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça decaístes.” Gl 5:4

Vemos o apóstolo chamando esses irmãos de “insensatos”, pois começaram a vida cristã justificados pela fé na graça, mas no decorrer do processo, da carreira, se inclinaram para as obras da carne. Insensato, é o mesmo que insano ou doido. De fato, a palavra foi dura, mas necessária.
O mesmo apóstolo escrevendo aos coríntios orientou a igreja para que os vigiassem para não caírem da graça por pensarem estar de pé pelo seu próprio esforço. Ele disse: “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” 1Co 10:12

Embora a igreja de Corinto fosse uma comunidade cheia de escândalos, não vemos Paulo manifestando tanta severidade em comparação ao que foi dito aos gálatas. A dura mensagem endereçada aos Gálatas foi para despertá-los do sono profundo em que estavam por causa dos ensinos dos falsos mestres.
Todos, devemos tomar muito cuidado para não fazermos como os Gálatas, que depois de terem começado no Espírito, desviando-se, terminavam por agir na carne. No aspecto prático da vida cristã, uma linha tênue faz separação entre lei e graça.

É bem possível que a lei esteja presente em nossas vidas, anulando por completo o poder da graça e nos fazendo carregar o fardo pesado das obras meritórias. Vemos muito isso acontecendo quando ouvimos testemunhos do tipo: “Deus contemplou ‘meu esforço’ e me abençoou”, ou “Jesus me abençoou porque eu Jejuei e orei 40 dias no monte”, ou ainda, “eu tive muita fé, e por essa razão alcancei a minha vitória”.

Eu não quero diminuir o valor das conquistas desses preciosos irmãos, mas precisamos entender que ninguém pode chamar Jesus de Senhor se não for pelo Espírito. 1Co 12:3b

O que quero dizer com isso? Estou querendo dizer que tudo o que fazemos para glorificar o Senhor não vem de
nós; Ele mesmo é quem produz boas obras em nós através de sua graça capacitadora. Se orarmos, jejuarmos ou fizermos campanhas, faremos tudo pela graça que habita em nós e essa é a fonte que nos capacita para oferecermos nossas vidas como sacrifício ao Senhor. Devemos rejeitar a falsa ideia de que Deus está trabalhando porque estamos nos esforçando. Nunca devemos esquecer que o “nosso esforço” é um produto da graça operando em nós. Paulo tinha a certeza de que tudo o que fazia era pala graça.

“Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo.” 1Co 15:10

O Dr. Paul Tournier disse em seu livro “Culpa e Graça”:
“Nenhum preço pago a Deus pode ser suficientemente alto pelo que Ele merece”. Em outras palavras, ninguém pode oferecer um sacrifício a Deus que não venha d’Ele mesmo. Vamos ver essa verdade lendo o que diz o Salmista.

“10 Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros. 11 Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é meu. 12 Se eu tivesse fome, não to diria pois meu é o mundo e a sua plenitude.” Sl 50:10-12

Vemos no texto acima que os animais oferecidos como sacrifício ao Senhor na antiga aliança, eram fornecidos pelo próprio Deus. Outro texto bíblico que remete a Deus toda honra e glória está no reconhecimento de Davi, registrado em 1 Crônicas 29:16, que depois de ofertar muitas riquezas para a construção do templo declarou: “Ó SENHOR, nosso Deus, nós trouxemos toda esta riqueza a fim de construir um templo para honrar o teu santo nome, mas tudo isso veio de ti, e tudo é teu.” 1Cro 29:16

Veja mais uma vez que a oferta que Davi ofereceu ao Senhor veio d’Ele mesmo. Resta-nos perguntar: Que mérito o homem poderia ter no sacrifício de animais a Deus, se o animal foi fornecido pelo próprio Deus? Que reconhecimento o homem deve ter se o dinheiro dado para a obra é um produto da bondade do Senhor? O fôlego da vida que nos sustenta vem de quem? Será que podemos requerer alguma parte da glória pelos esforços que fazemos?

Davi sempre soube que o único digno de reconhecimento é o Senhor.
“Somente a ti, ó SENHOR Deus, a ti somente, e não a nós, seja dada a glória por causa do teu amor e da tua fidelidade.” Sl 115:1 (NTLH)

Gosto de meditar no texto de Isaías 64:4 que diz:
“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que opera a favor daquele que por ele espera.” Is 64:4

A vida cristã deve ser um caminho percorrido pelo solo seguro da graça, onde não há mais mérito próprio, e o reconhecimento seja dado direto para Aquele que fez a obra de maneira inteira e completa.
Rendamos sempre glórias ao Senhor por todos os Seus poderosos feitos! Não a nós, mas a Ele porque tudo vem d’Ele e é para Ele!

Deus te abençoe e agracie sempre em nome de Jesus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As três provisões da chuva abundante. Dt 11:14. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 12/01/20

“ darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas , para que recolhais o vosso cereal, e o vosso vinho, e o vosso ...