20090107

21 Dias de Jejum pela Unidade e Multiplicação

Capítulo 3

A unidade no corpo

“Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer. Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo. Acaso, Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo?” 1Co 1.10-13

De tudo o que devemos guardar na vida da Igreja, certamente o mais importante é a unidade na comunhão no corpo. Tudo o que o diabo faz visa destruir a unidade entre nós. Se perdermos a unidade, a expressão da igreja estará arruinada e não teremos impacto algum no mundo espiritual.

Na igreja de Corinto havia muitos tipos de problemas: havia problema de carnalidade, problemas de entendimento doutrinário, questões sobre casamento, questões sobre os dons, comida consagrada a ídolos e muito mais. Mas, de todos, o que Paulo tratou em primeiro lugar foi o problema da divisão.

Ao tratar dessa questão, ele coloca três princípios que precisamos guardar na vida de nossa igreja.

 Devemos falar a mesma coisa (v. 10)
 Devemos ter uma mesma disposição mental (v. 10)
 Devemos ter um mesmo parecer (v. 10)

Devemos falar a mesma coisa

Muitas igrejas estão definhando simplesmente porque estão divididas. Algumas pessoas pensam que divisão é somente quando um grupo resolve sair e passa a se reunir num outro lugar. Mas divisão vai além disso e pode ser algo muito sutil. Algumas vezes é melhor haver separação para não haver divisão. Paulo e Barnabé resolveram se separar em certo momento do ministério deles. Aquela separação não foi uma divisão, eles simplesmente não poderiam caminhar juntos se não concordassem a respeito de como a obra deveria ser feita. Eles se separaram para não se dividirem.
Algumas vezes é melhor a honestidade de sair e procurar outro lugar do que o espírito errado de ficar e alimentar uma divisão naquela igreja local. Apenas reunir juntos não é suficiente, é preciso haver unidade de coração. Amós 3.3 diz: “Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?”. Para caminharmos juntos, precisamos ter concordância. Sem concordância, não há unidade e, se não concordarmos uns com os outros, não caminharemos, não avançaremos.
Nenhum de nós aprecia o fato de haver tantas igrejas e denominações. Eu gostaria que estivéssemos todos juntos, que tivéssemos um mesmo tipo de culto, mas isso não é prático. Sei que parece estranho o que vou dizer, mas é até bom que haja essas separações. Se no coração não há divisão, então a separação torna-se até positiva. Uma igreja sozinha não alcança todo tipo de gente. É importante que haja uma igreja que tenha um culto de determinada maneira porque ela atrairá pessoas que se sentem mais confortáveis cultuando daquela forma. Não é ruim que Pedro alcance os judeus e Paulo vá para os gentios. Não é errado que algumas igrejas alcancem as classes baixas e outras as classes mais abastadas. Não conseguimos falar a linguagem de todos, por isso uma igreja local não atinge a todos. É nessa diversidade que o reino vai prevalecendo.Por isso, não pense que diferenças e divergências sejam negativas. Diferenças e divergências são coisas normais. O problema ocorre quando, em um mesmo grupo, as diferenças se tornam divisões. O problema é quando caminhamos juntos, mas não pensamos a mesma coisa.

Existem muitas coisas que explicam o sucesso e o crescimento de uma igreja, mas certamente o fator principal é a unidade. Nós temos crescido porque resolvemos, de comum acordo e em um só propósito, que iremos crescer. Quando um grupo realmente concorda a respeito de algo e não há voz discordante entre eles, então não haverá restrição para tudo aquilo que intentam fazer.

No livro de Gênesis, vemos um exemplo disso. O povo, ímpio e rebelde a Deus, resolveu construir a torre de Babel. Eles eram malignos e estavam construindo algo para afrontar a Deus, mas ainda assim o Senhor disse que havia algo poderoso entre eles: “... e o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer” Gn 11:6.
A unidade funcionou mesmo para aqueles que queriam fazer algo contra Deus, imagine o que a unidade não fará quando fizermos algo em concordância com a vontade de Deus. É por isso que podemos dizer que não haverá restrição para aquilo que queremos fazer aqui.
É por tudo isso que Paulo diz aos coríntios: “Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa” 1Co 1:10. É como aconteceu lá em Gênesis, o povo era um e tinha a mesma linguagem.
Se quisermos avançar, precisamos falar a mesma coisa. Não pode haver entre nós irmãos que se levantem para falar algo diferente. Desejar ser diferente é do ego e procede do desejo de aparecer e se destacar entre os demais. Há pessoas cheias de vaidade intelectual. Elas discordam simplesmente para mostrar que não seguem a ninguém e são originais. Esse espírito tem destruído muitas igrejas. Se você deseja ver o mover de Deus entre nós, precisa rejeitar esse espírito.

Todos já vimos pastores que falam na televisão e que parecem ter decorado a mesma fala e usam até o mesmo tom de voz. Certa vez, perguntaram a um desses pastores porque eles falavam todos do mesmo jeito. A resposta dele foi emblemática: “Nós falamos do mesmo jeito porque temos o mesmo coração”. Esse é o segredo da unidade: ter o mesmo coração.
Nós mesmos não percebemos, mas certamente existe um jeito de falar peculiar em nossa igreja. As pessoas de fora percebem isso em você? Se você ainda não fala como nós é porque ainda não tem o nosso coração.
Já observou que marido e mulher acabam ficando parecidos até fisicamente no decorrer dos anos? Isso não é resultado simplesmente da convivência, é resultado de uma unidade tal que os corações se tornaram unidos.

Devemos ter uma mesma disposição mental

Além de falar a mesma coisa, Paulo diz que devemos ter a mesma disposição mental. Isso significa que todos devemos possuir uma mesma forma de ver as coisas. O ângulo pelo qual olhamos deve ser o mesmo. Nesse ponto, precisamos perceber a diferença entre duas palavras: união e unidade. Paulo exorta para que haja unidade e não simplesmente união.
Uma coisa é termos unidade, outra coisa é uma mera união de crentes. União é ter muitas batatas no mesmo saco. Muitas igrejas são apenas sacos de batatas, os membros estão todos juntos, mas não são unidos. A união das batatas se transforma em unidade quando elas são cozidas e amassadas tornando-se um purê dentro do prato. Batatas cruas não podem ser unidas. É necessário que elas tenham sido amaciadas pelo fogo do Espírito. A unidade tem um preço de fogo e quebrantamento, ou seja, não há unidade sem o fogo do Espírito.
Além disso, é preciso tirar a casca das batatas. Na Palavra de Deus, a casca simboliza a aparência e o orgulho. Tirar a casca nos fala da renúncia do ego. Aqueles que desejam manter a sua diferença estão lutando contra a unidade. O individualismo tem sido um grande impedimento ao avanço da obra de Deus justamente porque quebra a unidade e impede que o purê seja feito. Só assim podemos falar a mesma coisa e termos a mesma disposição mental.
Por que alguns desejam ser batatas sozinhas? Porque são orgulhosos. Eles dizem: “Eu tenho minha opinião própria!”. Mas isso é orgulho. Quando nosso ego é crucificado, não temos opiniões próprias, temos apenas a vontade de Deus. O Senhor não quer um monte de batatas, ele deseja um purê.
Mas não basta o fogo e o retirar a casca. Para termos o purê, as batatas precisam ser amassadas. Isso aponta para o quebrantamento. Corações contritos podem ser unidos. Só há unidade no meio de gente quebrantada, mas como ter unidade se as pessoas são intratáveis? Alguém pode tentar moer as batatas cruas tentando produzir purê, mas isso é tolice. Somente pela ação do Espírito Santo a unidade pode ser produzida.
A união somente não nos leva a realizar coisas grandes para o reino de Deus. Apenas a unidade move o braço de Deus. Apenas a unidade produz edificação.

É a mesma diferença que há entre um depósito de materiais de construção e um edifício. No depósito, os materiais estão em união. Os tijolos estão juntos com outros tijolos, a areia no monte de areia e as ferragens estão colocadas juntas. Isso é união. Unidade só acontece quando todos esses materiais são unidos num projeto de edificação. Somente quando eles são unidos pela argamassa do Espírito é que temos edificação no reino de Deus.
Todas as igrejas possuem crentes reunidos, mas nem todas possuem unidade, por isso não realizam muita coisa. Os crentes estão reunidos, mas são como fermento levedando tudo. Estão ali sentados não para receber a Palavra, mas para criticar o pregador. Em vez de servirem, estão puxando o tapete dos líderes que não agem como eles gostariam. Igrejas cheias de pessoas polidas e políticas que se tratam educadamente por diplomacia, mas que desejam a queda um do outro. Tais igrejas não participam do mover de Deus porque os membros não estão dispostos a se tornarem um purê. O padrão de Deus é unidade e não união.

Deus abomina aqueles que possuem um sorriso diplomático, mas que, por detrás, minam a visão, criticam os líderes e levedam a massa com as suas atitudes rebeldes. Na equação da multiplicação também existe subtração. Todo relacionamento de unidade é destruído por uma terceira voz: a voz da serpente no jardim. Subtração é tão importante quanto a multiplicação. O banheiro é tão necessário quanto a cozinha em uma casa. Remover pessoas erradas é tão importante quanto estabelecer as pessoas certas. Salomão disse: “Lança fora o escarnecedor, e com ele se irá a contenda; cessarão as demandas e a ignomínia” Pv 22:10.

Existem pessoas com problemas, mas há pessoas que são um problema. Nunca mandamos embora pessoas com problemas, mas tiramos aquelas que são um problema. As batatas que se recusam ser cozidas e amassadas precisam ser removidas.

Devemos ter um mesmo parecer

Além de ter o mesmo falar e a mesma disposição mental, Paulo diz que devemos todos ter o mesmo parecer, ou seja, a mesma opinião. Alguns supõem que isso seja uma impossibilidade. Eles dizem que não conseguem ter a mesma opinião nem como marido e esposa, como terão a mesma opinião na igreja?
Não precisamos ter a mesma opinião sobre política, times de futebol ou qualquer outra coisa natural. O que Paulo diz é que devemos ter a mesma opinião nas questões espirituais. Se o assunto é salvação, enchimento do Espírito, vida eterna ou novo nascimento todos nós devemos falar a mesma coisa. A respeito de questões de fé temos de falar o mesmo. Numa igreja local não pode haver dois pensamentos ou dois pareceres, todos nós temos a mesma opinião.

Naturalmente, Paulo tinha em mente a Palavra de Jesus de que um reino dividido não pode subsistir. Se a igreja vai prevalecer, ela precisa caminhar em unidade. O inimigo sabe que a única forma dele prevalecer contra a igreja é produzindo divisão no meio do corpo.

“Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá.” Mt 12:25

A pergunta de Jesus foi muito clara: “Se satanás está dividido, como subsistirá o seu reino?”. O mesmo princípio se aplica a nós. Se formos divididos, não podemos prevalecer contra o diabo. Como prevalecerá a nossa obra? Antes de avançarmos como igreja local, precisamos ter unidade.
Gosto daquele cântico do Asaph Borba que diz: “Na força do Espírito Santo, nós proclamamos que pagaremos o preço de sermos um só coração no Senhor”. Certamente existe um preço a ser pago para termos unidade em nossa localidade.

O primeiro preço a ser pago é rejeitar as preferências pessoais. Um grande fator de separação e divisão são as preferências pessoais. Se nós queremos servir a Deus, temos de servi-Lo de acordo com Suas escolhas e preferências para nós. Naturalmente, ter preferências é normal e até inevitável, mas o problema surge quando somente aceitamos ser edificados ou exortados por determinado líder ou pastor e rejeitamos os demais. Se as preferências são alimentadas, em dado momento elas se tornarão rejeição aos demais líderes da igreja.

O segundo preço a ser pago é reconhecer as diferenças e a diversidade na igreja. Sei que, quando falamos de unidade, as pessoas tendem a entender como uniformidade. Mas isso é um engano. Deus ama as diferenças e Ele nos fez diferentes para que continuemos diferentes. Algumas igrejas têm tentado produzir unidades gerando clones. A vontade de Deus é que geremos filhos. Filhos se parecem conosco, mas não são exatamente iguais a nós. O clone por outro lado é uma cópia. Filhos são frutos de amor, mas clones são frutos da arrogância e da vaidade. Eu me acho tão maravilhoso que concluo que o mundo deveria ter pelo menos meia dúzia de mim. O clone é um monumento à vaidade e à soberba do homem.
Se todos fôssemos clones, certamente haveria unidade, mas não haveria diferença e diversidade. Como somos todos filhos, então temos a diferenças e agora precisamos pagar o preço para termos unidade.

Finalmente, gostaria de falar sobre algo bem sensível. Estar em unidade é viver um tipo de aliança com os líderes e com os irmãos. Ouço em alguns lugares líderes dizendo serem discípulos de pastores de outras igrejas. Ora, se você está aqui, o seu líder, ou discipulador, também precisa estar aqui. Não posso admitir que um de meus pastores pastoreie aqui, mas seja discípulo de outro pastor de outro lugar. Isso é confusão. É como a mulher casada que recebe dinheiro de outro homem. É plantar duas sementes diferentes em um mesmo campo. Confusão é Babel, o resultado da separação e da perda da unidade. Confusão na Palavra de Deus é caos. Deus não pode agir no meio da confusão.
Evidentemente não estou dizendo que você não possa aprender com outros. Você pode e deve aprender com muitos, mas só pode ser discípulo de apenas um pastor. Só há unidade onde as ovelhas são discípulas do pastor. Não adianta ter pessoas conosco que são discípulas de outrem. Não pode haver entre nós pessoas seguidoras de outras visões. Se o seu discipulador não está aqui, então vá aonde ele está.
Se você tem vindo à nossa igreja para aprender e até se diz meu discípulo, mas está ligado a outro pastor e outra localidade, eu quero dizer que você está fazendo algo muito sério. Você é uma batata fora da panela, você não faz parte do purê aqui. Você está tentando edificar uma obra dentro de outra obra, uma igreja dentro de outra igreja. Tudo isso é confusão, a qual resultará em divisão. Tudo isso é prostituição espiritual.
Por fim, o último preço a ser pago pela unidade é entender que você não determina a visão de sua igreja local. Por isso, não tente mudar a visão de seus líderes. Se a sua visão é diferente, você precisa ir a um lugar que pratique a visão que você acredita. Essa separação não é divisão, antes é honestidade. A equação da morte é esta: visão + visão = divisão.

Infelizmente, muitos crentes bem intencionados estão sendo usados pelo inimigo para destruir a unidade resistindo a ser discípulos de seus pastores. Receba a visão de seu pastor. Seja um com a sua igreja local. Ame seus irmãos mesmo no em que são diferentes de você. Ame seu pastor mesmo que a visão dele não seja tão grande quanto a sua. Pague o preço de ser um só coração com os irmãos que Deus tem colocado junto a você.
Um homem visitava um hospício. O enfermeiro mostrava-lhe pacientemente os vários setores daquela casa. Intrigado com a desproporção entre o número de funcionários e o de enfermos ali internados, o visitante perguntou:
– Vocês não têm medo de que os internos se amotinem e agridam vocês? Afinal, eles são em número muito maior!
O enfermeiro respondeu:
– Oh! Não. Ninguém precisa ficar com medo. Os loucos nunca se unem.

Sei que é difícil falar a mesma coisa, ter a mesma disposição mental e o mesmo parecer. Mas não é impossível. Se assim fosse, o Senhor não nos daria esse mandamento. Na força do Espírito Santo, podemos ser um e, então, as portas do inferno não nos resistirão e não haverá limites para tudo o que intentarmos fazer como igreja local. Eu creio nisso. Você está unido nesse propósito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário