20110502

Chamados a Gerar. A visão do Gerar. Gn 1:26-28; Mt 28:18-20


Nestes dias estamos muito preocupados com o que Deus está fazendo, onde Ele está movendo; mas devemos nos preocupar com o que Deus deseja que façamos, porque o que importa é cumprirmos a sua vontade.

Embora Deus seja criador de todas as coisas, Ele quer usar o homem para conquistar algo que Ele deseja. E só o homem pode cooperar para realizar este sonho que está no coração de Deus.

Como pode ser isto?

Deus desejar algo que Ele ainda não tem? O criador do universo O Deus Todo Poderoso deseja Ter os filhos que ele ainda não tem!

Os anjos não podem fazer isso para Deus, pois foi ao homem que Deus deu a ordem “Frutificai e multiplicai-vos”. Pois somos cooperadores nesta obra maravilhosa que consiste na edificação da igreja de Senhor. Nós só temos uma vida para agradar a Deus, e é tão pouco comparado com a eternidade. Temos pouco tempo para cumprir o propósito para o qual fomos criados. Portanto hoje, precisamos lutar para fazer com que a vontade de Deus se realize. É nessa vida que nós precisamos responder a Deus.

Infelizmente a maioria de nós, os evangélicos, saímos do propósito original de Deus. Fomos criados para servir ao criador, mas hoje a mentalidade que se tem é de consumismo e então fazemos da igreja um grande centro de consumo. Estamos na igreja por que queremos receber alguma coisa, e nos esquecemos que fomos criados para servir e oferecer nossas vidas a Deus. Como é difícil pregar isso neste dias!

O que precisamos fazer para servir a Deus? A princípio precisamos descobrir a sua vontade, para isso vamos ler as primeiras palavras que saíram da boca de Deus para o homem logo após a sua criação:

“Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra, e sujeitai-a.” (Gn 1:28)

Gn 1:28 compreende toda a vontade de Deus para o homem! A vontade de Deus para o homem é que este seja frutífero!!!

Existe uma regra na hermenêutica que chamamos de regra da primeira menção, veja como isso funciona:

1ª Palavra de Deus para o homem: Frutificai

1ª Bênção de Deus sobre o homem: Ser frutífero

1ª Característica do homem Bem aventurado segundo o Salmo de número 1: Árvore frutífera

1ª Manifestação do Espírito Santo no crente salvo: Fruto. Gl 5:22

1º Sinal de reprovação na vida do crente: Falta de fruto. Jo 15:2

Nas primeiras palavras de Deus para o homem segundo Gn 1:28, vemos o desejo que esta no coração de Deus. Frutificar e multiplicar.

A ênfase de Deus na frutificação, crescimento e multiplicação foi tão grande, que nos três começos de Deus o que se ouve é: Frutificai e multplicai-vos!

Com Adão e Eva foi assim, “Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra, e sujeitai-a.” (Gn 1:28). Adão comeu da árvore do conhecimento do bem e do mal e recebeu uma natureza diabólica. Os planos de Deus foram interrompidos momentaneamente. Os homens se desviaram e Deus destruiu os homens com as águas do dilúvio. No segundo começo, já com Noé, Deus renova sua aliança com o homem. Gênesis 9:1diz: “E abençoou Deus a Nóe e a seus filhos e disse-lhes: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra”. O mesmo que fez com Adão no começo fez agora com Noé. Deus não mudou. Seus propósitos e desígnios se mantêm de eternidade em eternidade. Mas a geração de Noé também não respondeu a Deus. Ao acompanhar a geração de Noé chegaremos até a construção da torre de babel. Gênesis 11:4 diz: “E disseram: “Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo topo chegue até aos céus e tornemos celebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra”.

Babel é o oposto da vontade de Deus. Eles queriam ser reconhecidos, e queriam ficar juntos no mesmo local, sendo que Deus pediu que se espalhassem e enchessem a terra. Podemos ver que novamente o homem falhou e novamente Deus interfere no processo separando aqueles homens.

Já em Gênesis 12, no terceiro começo, Deus chama a Abrão e renova mais uma vez a sua aliança com o homem. “De ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma benção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” Gênesis 12:2-3

Deus disse a Abrão o mesmo dito a Adão e Noé, mas em outras palavras. Antes o Senhor disse: Eu os abençôo... mas desta vez Deus disse: Seja tu uma benção! Abraão entendeu que ser uma benção implicava em Ter, gerar filhos, pois o próprio nome Abrão significa “Pai exaltado” e o nome recebido depois, Abraão significa “Pai de multidões”. Alguém que é reconhecido como pai de multidões precisa Ter muitos filhos. O chamado de Abraão foi unicamente para ter muitos filhos.

Para que Abraão não perdesse a visão do gerar, Deus continua falando a ele: “Que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar...” Gn 22:17

Só podemos ver estrelas a noite, como só podemos ver a areia do mar durante o dia. Isso nos ensina que dia e noite, Deus está nos dizendo: Eu quero filhos, muitos filhos!

Essas verdades nos fazem concluir que servir a Deus é frutificar, gerando muitos filhos para Ele.

A vontade de Deus está em que o homem se multiplique!!!

Isso de fato se cumpriu na vida de Abraão, pois somos todos seus filhos na fé.

Já no Novo Testamento, após Jesus ter cumprido o propósito de morrer no lugar do homem, Ele ressuscitou três dias depois, e passou 40 dias com seus discípulos ensinando coisas preciosas a respeito de seu reino. Na grande comissão ele disse:

Ide e fazei discípulos de todos os povos (frutificai por onde vocês forem), batizando-os em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo.” Mt 28:19

Jesus reproduziu o que Deus desde o começo tinha dito a Adão, Noé e Abraão. O Senhor não muda, e seu maior desejo é gerar filhos para Deus, produzir segundo a natureza de Deus.

Jesus com sua vida reta diante de Deus, cumpriu a vontade do Pai!

Num primeiro momento ao nascer neste mundo, Jesus foi chamado de único filho, “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai.” João 1:14. Já num segundo momento, Paulo o chama de primogênito, o primeiro entre muitos irmãos. “...a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos...” Rm 8:29

Jesus cumpriu a obediência, cumpriu a vontade do Pai porque ele gerou filhos para Deus.

Agora quando nós olhamos para a igreja hoje, nós enxergamos dois tipos de mentalidade dentro da mesma. Uma mentalidade de fazer coisas, e a outra a do gerar filhos.

Talvez você esteja pensando: “Mas parece que não se fala em outra coisa neste lugar.” Deixe-me te dar alguns dados sobre esse assunto na Bíblia. Só no Livro de Gênesis, que é o primeiro livro da Bíblia, nós temos 50 capítulos. Estudando sistematicamente o assunto frutificação, multiplicação, crescimento, descobrimos que verbos do tipo, “frutificar, crescer, multiplicar, prosperar”, aparecem mais de cem vezes nestes cinqüenta capítulos. A Bíblia também fala de 8000 promessas de bênçãos reservadas ao homem. Dentre todas essas promessas, aproximadamente 5000 delas estão relacionadas com a expansão do reino de Deus através do crescimento e multiplicação de seus filhos na terra.

O que você tem feito com sua vida cristã???

O Paradigma do fazer e do Gerar

Deixe-me contar uma história para ilustrar isso. “Um irmão confeiteiro queria muito agradar a Jesus, e decidiu gastar seus dias fazendo um delicioso bolo de chocolate para Jesus. No dia de seu grande encontro com o Senhor, levou seu esplêndido bolo de chocolate. Quando entregou seu presente a Jesus ouviu do Senhor: Meu filho, não te disseram nada a respeito de meu gosto? Respondeu o homem: Não que eu saiba. Falou novamente o Senhor: Eu não gosto de bolo de chocolate, o que eu gosto mesmo é de bolo de baunilha, mas pode dar esse bolo pro Gabriel, pois ele adora chocolate.”

Essa história fala a respeito de muitos daqueles que estão querendo cumprir a vontade de Deus, mas não sabendo como, estão como o confeiteiro, de bom coração produzindo alguma coisa achando que estão fazendo a vontade de Deus.

Saiba de uma coisa, Deus não vai fazer cara de satisfeito para algo que não é a sua vontade. Nele não há sombra de variação. Quando ganhamos um presente que não nos agrada, não rejeitamos o presente, até por uma questão de cortesia e consideração à pessoa, mas com Deus não é assim, se ele não aprova sua atitude, logo te reprovará.

Deus quer que sejamos uma geração de crentes, mas ao invés de gerar almas passamos a fazer coisas. Queremos alcançar o coração de Deus fazendo. Babel Gn 11:4

Deus criou o homem e a mulher e os abençoou para serem fecundos e multiplicar. Deus liberou uma bênção sobre o homem para gerarem filhos para o Senhor.

A bênção de Gênesis 1:28 é a autorização de Deus para a frutificação e multiplicação.

O que Deus disse a Adão e Eva quando os criou, diz hoje para cada um de nós, Deus não mudou. O desejo de Deus é o mesmo, Ele só mudou a estratégia por causa do pecado.

Pois se Adão foi alma vivente, hoje nós temos o segundo Adão que é Jesus, Espírito vivificante com o mesmo poder de bênção para gerar filhos para Deus. Jesus aquele que foi unigênito em Jo 3:16, gerou muitos filhos para Deus e hoje é chamado de primogênito, o primeiro de muitos milhares.

“Porque, os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho; a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” Rm 8:29

Fomos projetados por Deus para sermos frutíferos como seu filho Jesus!!! Em Jesus temos a Bênção da fecundidade!!!

Hoje muitos estão “fazendo” coisas para agradar a Deus (Babel), mas Deus deseja que sejamos frutíferos em gerar filhos para ele (Jo 15:16). Os dons que buscamos passarão (1Co 13:8), as muitas coisas que estamos juntando nessa terra passarão, mas as almas que conquistarmos permanecerão para sempre!

Fazer coisas em nossas atividades diárias é um sinal de ocupação, e talvez você esteja ocupado com tantos trabalhos da igreja ou vida pessoal. Mas a pergunta é:

Dentre todas as sua atividades, você está gerando filhos para Deus? Você está influenciando pessoas para a salvação, está treinando pessoas para entrarem no reino de Deus?

Gostaria de fazer uma observação sobre o nosso estilo de igreja.

Não há problema em fazer coisas desde que haja uma consciência sobre a necessidade do gerar filhos para Deus.

A princípio gostaria de dizer que não há problema em fazer coisas. Nós aqui na Geração de Adoradores fazemos muitas coisas. Reuniões todas as semanas, Treinamentos, Curso para Casais, Bazar, Tela Crente, Tendall Fest, Encontro com Deus, Maturidade no Espírito, CTLPC, Evento ponte, Evento de colheita, Células, etc. Tudo isso é necessário mas com um fim de manifestar a vontade de Deus que é gerar filhos.

Talvez o êxito em algumas igrejas esteja em honrar “aquele que faz”. Talvez alguém seja honrado porque se formou em um seminário teológico, ou porque foi o construtor do prédio da igreja. Muitos são honrados porque fizeram grandes ofertas na igreja. Glória a Deus por tudo isso! Mas é isso o que verdadeiramente importa? Este é o centro do coração de Deus?

Não há problema em fazer estas coisas, mas o importante é saber a motivação para tudo isso. Tudo isso é importante se for canalizado para o alvo de Deus que é gerar filhos semelhantes a Jesus!

O Paradigma do fazer e do gerar nas duas descendências de Adão

Para entender melhor vamos pintar um quadro da igreja lendo sobre as duas descendências de Adão em Gênesis. Uma que fez e outra que gerou. Lembremo-nos que a descendência de Adão deveria ser três, mas com a morte de Abel somente Caim e Sete, tiveram descendência. Vamos estudar sobre esses homens e seus descendentes porque eles representam a realidade da igreja nos dias de hoje.

A primeira é a descendência de Caim, uma descendência que fez.

Vamos ler o que diz Gênesis 4:17 ao 22:

17. E conheceu Caím a sua mulher, e ela concebeu, e teve a Enoque e ele (Caim) edificou uma cidade (engenheiro civil), e chamou o nome da cidade pelo nome do seu filho Enoque.

18. E a Enoque nasceu Irade, e Irad gerou Meujael, e Meujael gerou Metusael, e Metusael gerou Lameque.

19. E tomou Lameque para si duas mulheres: o nome de uma era Ada, e o nome da outra Zilá. (Bígamo)

20. E Ada teve Jabal: este foi o pai dos que habitam em tendas, e têm gado (pecuarista).

21. E o nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta (Músico).

22. E Zila também teve Tubalcaim, mestre de toda a obra de cobre e de ferro (artes em ferro, metalúrgico); e a irmã de Tubalcaim foi Naamá.

Esta descendência poderia participar daquele comercial do extinto Banco Bamerindus, “Gente que Faz”. Sim, porque fizeram cidades, música, foram pecuaristas e metalúrgicos.

Esta descendência gastou seus esforços e vidas fazendo coisas, mas o interessante é que em nenhum momento você vê o quanto estes homens viveram. O texto só menciona o que eles fizeram e nada mais. Explicarei melhor isso adiante.

No capítulo 5 de Gênesis, a Bíblia fala da geração de Sete.

1. ESTE é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez.

2. Macho e fêmea os criou; e os abençoou, e chamou o seu nome Adão, no dia em que foram criados.

3. E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme à sua imagem, e chamou o seu nome Sete.

4. E foram os dias de Adão, depois que gerou Sete, oitocentos anos; e gerou filhos e filhas.

5. E foram todos os dias que Adão viveu, novecentos e trinta anos; e morreu.

6. E viveu Sete cento e cinco anos, e gerou Enos.

7. E viveu Sete, depois que gerou Enos, oitocentos e sete anos, e gerou filhos e filhas.

8. E foram todos os dias de Sete novecentos e doze anos; e morreu.

9. E viveu Enos noventa anos; e gerou Cainã.

10. E viveu Enos, depois que gerou Cainan, oitocentos e quinze anos; e gerou filhos e filhas.

11. E foram todos os dias de Enos novecentos e cinco anos; e morreu.

12. E viveu Cainã setenta anos; e gerou Maalalel.

13. E viveu Cainã, depois que gerou Maalalel, oitocentos e quarenta anos; e gerou filhos e filhas.

14. E foram todos os dias de Cainã novecentos e dez anos; e morreu.

15. E viveu Maalalel sessenta e cinco anos; e gerou Jarede.

16. E viveu Maalaleel, depois que gerou Jarede, oitocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas.

17. E foram todos os dias de Maalaleel oitocentos e noventa e cinco anos; e morreu.

18. E viveu Jarede cento e sessenta e dois anos; e gerou Enoque.

19. E viveu Jarede, depois que gerou Enoque, oitocentos anos; e gerou filhos e filhas.

20. E foram todos os dias de Jarede novecentos e sessenta e dois anos; e morreu.

21. E viveu Enoque sessenta e cinco anos; e gerou Matusalém.

22. E andou Enoque com Deus, depois que gerou Matusalém, trezentos anos; e gerou filhos e filhas.

23. E foram todos os dias de Enoque trezentos e sessenta e cinco anos.

24. E andou Enoque com Deus; e não se viu mais; porquanto Deus para si o tomou.

25. E viveu Matusalém cento e oitenta e sete anos; e gerou Lameque.

26. E viveu Matusalém, depois que gerou Lameque, setecentos e oitenta e dois anos; e gerou filhos e filhas.

27. E foram todos os dias de Matusalém novecentos e sessenta e nove anos; e morreu.

28. E viveu Lameque cento e oitenta e dois anos; e gerou um filho.

29. E chamou o seu nome Noé, dizendo: Este nos consolará acerca das nossas obras, e do trabalho das nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou.

30. E viveu Lameque, depois que gerou Noé, quinhentos e noventa e cinco anos; e gerou filhos e filhas.

31. E foram todos os dias de Lameque setecentos e setenta e sete anos; e morreu.

32. E era Noé da idade de quinhentos anos; e gerou Noé a Sem, Cam, e Jafé.

Estes descendentes de Sete não fizeram coisas e nem foram reconhecidos artistas ou profissionais, eles somente geraram filhos para Deus. Tudo bem pastor, uns fizeram e outros geraram, sendo assim o que diferencia um do outro?

A diferença é que uma dessas descendências não existiu para Deus.

Veja que na descendência de Caim não há menção de dias vividos pelos homens. Deus não os enxergou, para Deus é como se eles não tivessem existidos. O fator tempo determina a existência de homens ou coisas. Deus não menciona o tempo de vida desta descendência porque eles não viveram para Deus, não geraram filhos no temor de Deus, não viveram para o cumprimento de seu propósito.

Por outro lado, olhando para a descendência de Sete, vemos que Deus contou os dias dessa geração, pois eles fizeram o que foi ordenado em Gênesis 1:28. É importante dizer que Moisés, Abraão e Cristo fazem parte da descendência de Sete.

Caim e sua descendência apenas fizeram coisas e não tiveram os seus dias contados por Deus, para Deus estes homens não existiram, tudo o que fizeram não atraiu os olhos do Senhor.

A descendência de Sete gerou filhos. Estes tiveram os seus dias contados pelo Senhor. Não podemos ser como Caim e sua descendência porque Deus quer contar os nossos dias! “Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios.” Sl 90:12

Aqueles que somente edificam cidades, fazem instrumentos, artes, não serão vistos, contados ou acompanhados pelo Senhor.

“Pois os olhos do Senhor passam por toda a terra para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito (alinhado com sua vontade) para com ele.” 2Cro 16:9

Conclusão:

Você pode Ter dons ou talentos, pode ser eloqüente ou carismático, mas se não tiver filhos, será vazio e sem razão para viver. Observe como os nossos filhos nos motivam a crescer. Por causa deles trabalhamos duro para sustentá-los. Ter muitos filhos significa Ter muitos motivos para prosseguir no chamado de Deus. Ide e fazei discípulos. Tenha muitos filhos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário