20111108

A escravidão das dívidas. 2Re 4:1-7. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 09/11/2011

1 Certa mulher, das mulheres dos discípulos dos profetas, clamou a Eliseu, dizendo: Meu marido, teu servo, morreu; e tu sabes que ele temia ao SENHOR. É chegado o credor para levar os meus dois filhos para lhe serem escravos. 2 Eliseu lhe perguntou: Que te hei de fazer? Dize-me que é o que tens em casa. Ela respondeu: Tua serva não tem nada em casa, senão uma botija de azeite. 3 Então, disse ele: Vai, pede emprestadas vasilhas a todos os teus vizinhos; vasilhas vazias, não poucas. 4 Então, entra, e fecha a porta sobre ti e sobre teus filhos, e deita o teu azeite em todas aquelas vasilhas; põe à parte a que estiver cheia. 5 Partiu, pois, dele e fechou a porta sobre si e sobre seus filhos; estes lhe chegavam as vasilhas, e ela as enchia. 6 Cheias as vasilhas, disse ela a um dos filhos: Chega-me, aqui, mais uma vasilha. Mas ele respondeu: Não há mais vasilha nenhuma. E o azeite parou. 7 Então, foi ela e fez saber ao homem de Deus; ele disse: Vai, vende o azeite e paga a tua dívida; e, tu e teus filhos, vivei do resto.”

Essa história nos fala da realidade de muitos nos dias de hoje. Essa viúva estava com um problema muito sério, além de ter perdido seu marido, agora estava sob pressão de um credor que veio para cobrar uma dívida sob a pena de ter de levar seus dois filhos caso ela não conseguisse pagar. Obviamente isso não pode acontecer hoje, mas muitos da mesma forma por alguma razão se tornam escravos das dívidas. Achei interessante compartilhar essa palavra hoje, pois acho este momento oportuno para tratarmos sobre esse assunto “A maldição das dívidas”.

Estamos entrando em uma época do ano onde as pessoas mais se endividam. Os meses de setembro até dezembro são meses que concentram as maiores vendas em quase todos os seguimentos do mercado.

A maior parte das pessoas que se endividam sem planejamento, não conseguem honrar seus compromissos, e estes contraem dívidas exatamente nessa época do ano.

Um outro motivo que tenho para compartilhar sobre isso, é que no fim de ano, as entradas das nossas igrejas deveriam aumentar, mas não é isso que acontece. A equação é muito simples, se o mercado todo aquece no fim de ano, se as empresas pagam o 13º salário e algumas participam seus funcionários nos lucros, porque as entradas diminuem nas nossas igrejas? A resposta é porque parte das ofertas e dízimos que deveriam entrar na igreja vão para as grandes magazines, hipermercados, concessionárias, etc. Por essa razão eu gostaria de compartilhar uma palavra sobre como administrar as dívidas que contraímos.

Causas de endividamento

O cartão de crédito aparece como o principal causador do endividamento, representando quase a metade (49,3%) das dívidas. Em segundo lugar aparece o financiamento de carros (22,7%) e em terceiro lugar os carnês (12,4%).

No Brasil a cultura é comprar a prazo. Compramos carros em 60 vezes, eletroeletrônicos em 24 vezes, casa em 7 anos. Você pode dizer: Mas se não for assim eu não consigo comprar nada. Mentira! Se você poupar e tiver diligência você poderá comprar o que você quer e o melhor, tudo a vista! É só ter paciência.

Cuidado com os juros que você esta pagando para os bancos.

100,00 aplicados na Poupança de 94 a 2004 = 360,00

100,00 devedor no cheque especial durante 10 anos = 2950.000,00

100,00 aplicados todo mês na conta poupança durante 20 anos te renderá um milhão de reais.

A respeito disso, você conhece algum americano, europeu, japonês comprando a prazo? Dificilmente você vai encontrar algum? Isso de comprar a prazo e se atolar em dívidas é coisa de brasileiro.

As dívidas são a causa da maior parte das nossas aflições, definitivamente a maior parte delas não procedem de Deus.

Vamos fazer uma enquete e ver quantos nós temos dívidas.

Verdades do texto que se aplicam a nós que podem nos ajudar a administrar nossas dívidas.

O que é a dívida na vida do crente?

1º Escravidão.

“A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.” Rm 13:8

“O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta.” Pv 22:7

Quem empresta vira escravo de quem emprestou, pois o devedor fica sem liberdade para sair para um restaurante, comprar uma roupa nova, etc.

Nós nos tornamos reféns quando fazemos dividas. A pessoa para quem deve vai viver para te vigiar. É terrível perder a liberdade. Quem paga manda e domina. É o mesmo que viver sendo sustentado por alguém, é aquela velha expressão joga na cara. É bom que todos os adultos tenham independência financeira.

A melhor coisa é comer do seu próprio suor e esforço. “Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens.” 1Co 7:23

2º Maldição

“Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do SENHOR, teu Deus, não cuidando em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos que, hoje, te ordeno, então, virão todas estas maldições sobre ti e te alcançarão.” Dt 28:15

“O estrangeiro que está no meio de ti se elevará mais e mais, e tu mais e mais descerás. 44 Ele te emprestará a ti, porém tu não lhe emprestarás a ele; ele será por cabeça, e tu serás por cauda.”Dt 28:43-44

3º Presunção

“13 Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. 14 Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. 15 Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.” Tg 4:13-15

4º incredulidade

É incredulidade por que antes de orar e pedir uma direção a Deus muitos se entregam nas mãos de um agiota.

2 tipos de dividas:

Desejo: “Não precisava desta roupa mas eu gostei tanto.”

Necessidade: irmão que paga aluguel e tem que suprir a família, mas perdeu o emprego então ele toma um empréstimo.

A dívida da viúva foi uma necessidade, agora nós não devemos julgar nosso próximo. Quem compra um carro pode comprar por cobiça ou necessidade.

Toda dívida é ruim, toda dívida é errada ou imprópria. Existem dívidas que podem ser feitas. Que dívidas podem ser contraídas?

1. O item negociado tem o potencial de valorizar ou de produzir uma renda.

2. O valor do item se equipara ou excede quantia que foi financiada. Por exemplo: Você está tendo a oportunidade de comprar um automóvel de R$ 30.000,00 por R$ 15.000,00 em 20 vezes sem juros. A respeito de automóveis, cuidado! Automóvel só desvaloriza, e o pior; se financiar 100% do veículo, você vai pagar 2 ½ automóvel.

3. A dívida não é tão grande ao ponto de comprometer todo o seu rendimento. Sua dívidas não podem ultrapassar 25% do seu salário. Nunca entre no cheque especial, e nunca pense que o cartão de crédito é dinheiro seu.

Quando a dívida é sensata? Quando ela está enquadrada nestes critérios.

Fazer dívida é o caminho largo, e as pessoas acham mais fácil fazer dessa forma. Cuidado com as dívidas de fim de ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário