20150120

A Familiaridade com o mover de Deus. 2Sm 6:1-11. Sup. André Queiróz - Culto de Celebração - 18/01/15


Em II Samuel 6 temos a descrição de como Davi resolveu trazer a Arca da Aliança para Jerusalém. A Arca simboliza a presença de Deus no meio do seu povo, então o que temos aqui é um relato do mover de Deus.
A vontade de Deus é habitar no meio do seu povo e ser o seu conteúdo e satisfação. Mas no meio desse mover a nossa atitude determina se desfrutaremos a bênção de Deus ou não.
Nesse relato temos pelo menos quatro personagens: Uzá, Obede-Edom, Mical e Davi. Cada um deles tocou no mover de Deus de uma forma ou de outra.

II Samuel 6: 1-11
Tornou Davi a ajuntar todos os escolhidos de Israel, em número de trinta mil. Dispôs-se e, com todo o povo quetinha consigo, partiu para Baalá de Judá, para levarem de lá para cima a arca de Deus, sobre a qual se invoca oNome, o nome do SENHOR dos Exércitos, que se assenta acima dos querubins. Puseram a arca de Deus num carro novo e a levaram da casa de Abinadabe, que estava no outeiro; e Uzá e Aiô, filhos de Abinadabe, guiavamo carro novo. Levaram-no com a arca de Deus, da casa de Abinadabe, que estava no outeiro; e Aiô ia adiante da arca. Davi e toda a casa de Israel alegravam-se perante o SENHOR, com toda sorte de instrumentos de pau de faia, com harpas, com saltérios, com tamboris, com pandeiros e com címbalos.
Quando chegaram à eira de Nacom, estendeu Uzá a mão à arca de Deus e a segurou, porque os bois tropeçaram. Então, a ira do SENHOR se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu ali por esta irreverência; e morreu ali junto à arca de Deus. Desgostou-se Davi, porque o SENHOR irrompera contra Uzá; e chamou aquele lugar Perez-Uzá, até ao dia de hoje. Temeu Davi ao SENHOR, naquele dia, e disse: Como virá a mim a arca do SENHOR? Não quis Davi retirar para junto de si a arca do SENHOR, para a Cidade de Davi; mas a fez levar à casa de Obede-Edom, ogeteu. Ficou a arca do SENHOR em casa de Obede-Edom, o geteu, três meses; e o SENHOR o abençoou e a toda a sua casa. 

Neste texto falamos a respeito de um dia marcante, o dia em que Davi resolve trazer a arca do Senhor para o seu reinado, onde temos diversos personagens Davi, Mical, e entre outros temos Uzá, personagem que hoje falaremos a respeito.

Mas a Arca de Deus simboliza o próprio Cristo, que era feita de Madeira revestida de Ouro, que na bíblia madeira representa a natureza humana e o ouro à natureza divina, logo entendemos que a arca da aliança se revela como plenamente homem e plenamente Deus, plenamente madeira e plenamente ouro.

A Arca da Aliança ficava no santo dos santos e tinha 2 anjos voltados um de frente ao outro e Deus falava de cima da Arca que era conhecido como Propiciatório onde o sangue de um animal era aspergido, este dia é conhecido como “dia do Perdão nacional” “yom kippur”
Levítico 23:27 "Ora, o décimo dia desse sétimo mês será o dia da expiação; tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao SENHOR."
Davi decide por sua vez trazer a arca de Deus para Jerusalém, ele decidiu ter a presença de Deus. A coisa mais dura que presenciamos nos dias de hoje são reuniões sem sua presença.


A arca da aliança simboliza a presença manifesta de Deus. Uma coisa é a presença imanente de Deus, mas outras é a sua presença manifesta. As escrituras mostram queDeus é onipresente, Ele está em todo lugar. O salmista disse que se eu subir aos céus ele lá estará, se fizer a minha cama no mais profundo abismo lá estará também. Se tomar as asas da alvorada e me detiver nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a sua mão e a sua destra me susterá. Ele diz que se eu andar pelo vale da sombra da morte eu não precisarei temer coisa alguma porque ele está comigo. O nosso Deus é onipresente, Ele esta em todo lugar, mas existe um outro aspecto da sua presença, eo que chamo de presença manifesta. 
Na manifestação de sua presença percebemos a sua glória. Nossos coração são cheios da sua vida e transbordamos do rio de sua graça. A arca simboliza esta presença, a presença manifesta de Deus. Hoje à semelhança de Davi, nós estamos com um grande clamor no nosso coração. Queremos trazer a manifestação da presença de Deus em nosso meio. Que esse lugar possa tremer quando começarmos a orar. Como podemos trazer a Arca de Deus? Quantos podem dizer que possuem um clamor pela arca em seu coração?
Davi desejava profundamente a presença manifesta de Deus. Então ele reuniu todo o povo para trazer a arca. Aquele foi um dia especial, foi um grande mover de Deus. Mas na descrição desse mover Uzá é  mencionado. Uzá certamente nos fala de quatro tipos diferentes de atitudes que temos em relação ao mover de Deus. O que esse personagens têm a ver comigo e com você? Tem muito, porque a presença de Deus sendo a mesma pode ter efeitos diferentes em cada um de nós. Assim como o sol é o mesmo, mas quando bate na cera a faz derreter, e quando bate no barro o faz endurecer. O problema não está no sol, mas na natureza do material. Se você é cera cada vez que osol da justiça vier, você vai se derreter na presença dele. Mas se você é apenas um barro quando o sol vier você vai se endurecer. A presença é a mesma, mas produz resultados distintos dependendo da atitude de cada um.



Uzá
A palavra do Senhor diz que Davi, querendo trazer a arca, mandou buscá-la na casa de Abinadade. Mas como a arca foi parar ali? Ela não deveria estar no Tabernáculo?
Nos dias de Eli, antes de Saul tornar-se rei, o povo de Israel foi à guerra contra os filisteus. Eles resolveram levar a arca para a frente da batalha como se ela fosse um amuleto, todavia o resultado foi que eles foram derrotados e arca foi levada pelos filisteus. Os filisteus, por sua vez, a colocaram no templo do seu deus chamado Dagon  1 Samuel 5- No outro dia quando eles entraram no templo encontraram Dagon caído diante da arca. Eles colocaram Dagon de pé, mas no outro dia Dagon estava caído com os braços e as pernas quebrados. Isso era um símbolo que diante da presença de Deus todo poder do inferno é quebrado. Mas para piorar as coisas Deus mandou uma praga no meio deles. Apareceram-lhes úlceras (Que na verdade eram hemorroidas). Eles não sabiam se aquilo vinha de Deus ou não, então eles decidiram fazer um teste. Fizeram um carro de boi que não tinha sido usado e colocaram duas vacas que ainda tinham bezerro para guiá-lo. O teste era simples, as vacas com bezerro não se apartam de sua cria de jeito nenhum, mas se aquelas vacas saíssem com o carro em direção a Israel eles saberiam que aquilo era de Deus.
E foi exatamente isso o que aconteceu. As vacas foram caminhando mugindo para Israel. Quando o povo viu a Arca em cima do carro eles pegaram a Arca e a colocaram na casa de Abinadabe. Muitos anos depois Davi quis trazer a Arca para Jerusalém, então ele precisou buscá-la na Casa de Abinadabe.


Então vieram os homens de Quiriate-Jearim, e levaram a arca do SENHOR, e a trouxeram à casa de Abinadabe, no outeiro; e consagraram a Eleazar, seu filho, para que guardasse a arca do SENHOR.
E sucedeu que, desde aquele dia, a arca ficou em Quiriate-Jearim, e tantos dias se passaram que até chegaram vinte anos, e lamentava toda a casa de Israel pelo Senhor.

1 Samuel 7:1-2

Davi sabia que nos dias de Saul ninguém tinha se importado com a arca, porque poucos se importavam com a presença de Deus. Davi, porém queria trazer a presença de Deus para o centro do seu reino.
O problema é que Davi não tinha conhecimento de como carregar a arca, por isso resolveu usar do mesmo artifício dos filisteus. Fez um carro de boi para transportar a Arca. Mas ele estava errado. A Bíblia diz que somente os levitas podiam carregar a arca.
Nesse momento entra em cena o primeiro personagem desse mover de Deus, Uzá. Naquele grande dia, quando se reuniram para trazer unção, glória, vida, poder e presença de Deus, a primeira pessoa que se destacou foi Uzá. Mas para a surpresa de todos ele não teve uma experiência muito agradável. Ele não caiu no poder, não sentiu nenhum calafrio, não riu e nem chorou, mas diz a escritura que Uzá tocou na Arca e caiu morto. O que era para ser glória, resultou em morte. O que era para ser poder, resultou em destruição. Porque isso aconteceu? O que Uzá fez para não desfrutar da bênção? Pelo menos quatro coisas podemos perceber na sua atitude.



1. Cuidado com a familiaridade com as coisas espirituais
Uzá era filho de Abinadabe. A Arca havia ficado 20 anos na casa de Abinadabe (I Sm. 7:1-2). Uzá com certeza tinha crescido com a presença da Arca em sua casa. A Arca era um dos muitos móveis presentes ali. Esta familiaridade foi fatal. Ele não via a Arca como algo sagrado, mas como uma peça de mobília.
Uzá cresceu e se tornou um soldado no exército de Davi. Quando chegou o dia que orei quis trazer a Arca certamente pareceu a coisa mais apropriada pedir a alguém quejá estava acostumado com ela para ajudar a trazê-la. Durante o trajeto os boi quepuxavam o carro tropeçaram e arca estava quase caindo quando Uzá resolveu segurá-la para que não caísse. Por causa disso caiu morto diante do Senhor. Uzá não podia tocar na Arca, pois apenas os levitas poderiam transportá-la.
Uzá nos fala daqueles que estão acostumados, familiarizados com a arca. Já tem tantos anos que eu participo da igreja e já vi tantas coisas que nada mais me impressiona. Hoje o Senhor está curando! “Eu já vi isso muitas vezes! Diz Uzá.  Apesar de estar perto da arca, de ter sido criado num ambiente da presença da arca, infelizmente ele estava cheio de indiferença. Isso acontece freqüentemente com filhos de crentes. São criados na vida da Igreja e por isso se tornam demasiadamente familiarizados com ela. Eles já conhecem tudo, já viram de tudo e pensam já ter experimentado também de todo o mover de Deus. 
Coitado do Uzá, tão acostumado com tudo sem perceber que perdeu o fluir da vida de Deus. Uma das coisas mais serias da vida é se acostumar com as coisas espirituais. 
Dizem os entendidos que aqueles homens que trabalham com alta tensão não podem trabalhar no mesmo lugar mais de dois ou três meses. Eles precisam fazer um rodízio constante, porque o lugar onde trabalham exige atenção constante, eles devem seguir todos os rituais técnicos e usar todo equipamento de segurança. Mas quando oprofissional vai se acostumando ele inadvertidamente pode tocar em algo e morrer.
Esse foi o caso de Uzá, morreu porque estava familiarizado com tudo. Você nãoreceberá nada de Deus se a sua postura for a de Uzá, acostumado com as coisas do céu. Quem está familiarizado assume atitudes críticas porque não consegue entender porque ao seu lado tem alguém se derramando na unção, e um outro nem consegue ficar de pé enquanto ele não sente coisa alguma. A conclusão equivocada é que devem estar encenando. Mas a verdade é que o seu coração, de tão acostumado, tornou-se frio e indiferente. 
Se esse é o seu caso humilhe-se diante de Deus e seja reverente diante das coisas do mover de Deus. Comece uma nova história hoje. Renova aquilo que parecia antigo. Saia da religião e venha para a vida.

2. O mover de Deus não tolera a religiosidade
O que matou Uzá foi algo chamado religiosidade. Foi isso que realmente matou aquele homem, religiosidade, pois só a religiosidade pode causar comodismo; banalização, imprudência e irreverência.
Uzá simboliza o crente religioso. O religioso é aquele que está acostumado com o queé sagrado. É aquele que vive acomodado e por isso mesmo se torna irreverente. Há muitos em nosso meio que não ligam em sair pulando as pessoas que estão cheias do Espírito caídas no chão em nossas reuniões. Não ligam para a ação do Espírito, pois já se acostumaram. Gostam de imitar as pessoas falando em línguas e até profetizando. Banalizaram a glória de Deus. 
Com o passar do tempo qualquer um de nós pode se tornar um religioso. Se nada mais lhe toca, nada mais o comove, se coisa alguma o impressiona, então você se tornou um Uzá. Volte para o mover de Deus.

3. Não tente segurar aquilo que precisa cair
Davi estava usando carros de boi para carregar a Arca, o que era algo contrário ao ensino da escritura. Tudo o que está fora do padrão de Deus precisa ser demolido. Apenas os levitas podiam levar a Arca e mesmo assim sustentada por varais sobre os ombros (Ex. 25:13-15). Antes de edificar, Deus primeiro precisa demolir.
O problema acontece quando Deus está demolindo algo e então tentamos preservar aquilo a todo custo. Quantos estão edificando a casa de Deus fora do padrão, mas ainda assim tentando segurar o que está caindo. Foi Deus quem fez os bois tropeçarem. Os filisteus puderam fazer daquela forma porque não conheciam a palavra de Deus, mas o seu povo é indesculpável. Deus não pode abençoar o que nãoestá em linha com a sua perfeita vontade.
Certas obras precisam ruir, não tente segurá-las. Se você tentar preservar o que oSenhor quer derrubar você pode experimentar morte em vez de vida. Mas a Arca não é de Deus? Certamente sim. Há coisas que são de Deus, mas que precisam ruir para obem do seu povo.
Esse é o caso de todo tipo de obra religiosa no meio da igreja. O religioso é aquele quesustenta algo sem se preocupar em saber se é ou não segundo a vontade de Deus. Quando a igreja do Senhor resolve levar a arca em cima de carros de boi o resultado é trágico. Mas se você tem visto carros de bois levando a arca e parece que vai tudo bem, então talvez sejam apenas filisteus tentando se livrar de alguma praga.
Uzá estava tentando segurar algo que tinha que cair. Infelizmente alguns estãotentando segurar o que Deus determinou que tem que cair. Para o bem de Davi a arca tinha que cair. Davi é sincero, mas está fazendo a coisa da maneira errada. Para Deus é importante o que você faz, mas é igualmente importante o como se faz. Davi tem omotivo certo, quer fazer a coisa certa, mas está equivocado, não se carrega a arca num carro de boi. Carro de boi nos fala de habilidade humana, nos fala de estratégia filistéia, é um símbolo da carne tentando produzir fruto do espírito. Qualquer igreja, qualquer obra ou qualquer célula que esteja tentando trazer a arca usando uma estratégia da carne tem que cair para o seu próprio bem. 
Quando algo religioso está caindo e você tenta segurá-lo o resultado é que a morte nos é transmitida. Quanto mais você tenta manter pior vai se sentir. Não tente trazer a arca no braço. Deus não precisa da sua ajuda para levar a arca.

4. Deus quer pessoas que obedeçam às Suas ordens e não que O ajudem em Sua obra
O voluntário age segundo o seu próprio entendimento. Presume que a sua boa intenção seja a vontade Deus. Ele não faz por obediência a uma palavra de Deus, mas porque quer ajudar. Por detrás dessa atitude, há uma grande soberba. Quem disse queDeus precisa de ajuda? E quem disse que a pessoa está apta para ajudá-lo?
Uzá é um grande exemplo de voluntário na Bíblia. Você não pensa que a disposição de Uzá de amparar a Arca para que ela não caísse é uma postura até louvável? Talvez devêssemos até agradecê-lo por esse ato voluntário, afinal o que ele fez não foi uma grande obra? Por que, então Deus, se irou com ele? O motivo é que Deus quer pessoasque obedeçam às Suas ordens, mais do que O ajudem em Sua obra. Deus não precisade ajudantes, Ele busca servos que O obedeçam.
Qualquer um, que como Uzá, faz alguma coisa sem a ordem de Deus está sujeito à morte. Esse é o problema de ser voluntário na obra de Deus, estamos sujeitos à morte.
O voluntário pensa que o trabalho seja o mais importante, mas Deus diz que a obediência é o mais importante. Nosso trabalho para Deus deve ser fruto de nossa obediência ao seu chamado.
Deus não precisa de ajuda, mas de obediência. Ainda que ele nos chame de cooperadores e servos, ele não precisa de ninguém para segurar a sua obra, ele precisade homens e mulheres que obedeçam. Uzá não tem que fazer o que ele acha melhor, nem tem que fazer o que ele acha mais apropriado. Uzá tem que fazer aquilo que Deus determinou que ele faça. Ele tem apenas que obedecer. Nosso trabalho para Deus deve ser fruto de nossa obediência ao seu chamado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário