20170801

Quando o dinheiro se torna Mamon. Parte 2. Pastor Edenir Araújo - Culto de Celebração - 30/07/17

Deixe-me fazer 4 considerações que julgo serem importantes sobre o assunto dinheiro:

1. Ao falar sobre dinheiro, não há de minha parte, nenhuma motivação que não seja a de ver cada membro do corpo de Cristo prosperando. Não estou interessado em enriquecer ou fazer prosperar a instituição Igreja evangélica Geração de Adoradores. Meu sincero objetivo e fundamental motivação é ver cada membro dessa congregação prosperando de maneira plena em todas as áreas, principalmente na área financeira.

2. Todo avivamento ou despertamento é acompanhado de prosperidade financeira. Uma unção de prosperidade e conquista sinaliza para o mover de Deus. Isso independe do lugar onde estamos. Israel tinha uma promessa de prosperar e isso aconteceu mesmo quando o povo hebreu estava escravo no Egito. Você sabe que o Egito representa o mundo. Os Hebreus estavam no Egito como nós estamos no mundo. Da mesma forma que os hebreus foram blindados contra as pragas do Egito, nós estamos sendo guardados das maldições deste mundo, e podemos prosperar de maneira plena.

3. Ministrar sobre finanças é uma maneira de reorientar o curso do nosso coração.

“19 ¶ Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; 20 mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; 21  porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. 22  São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; 23  se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!24  Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” Mt 6:19-24

Se o seu coração estiver errado com relação ao dinheiro, você estará com a sua visão comprometida. O amor ao dinheiro cegará você para que não mais veja Deus e o seu agir.

Teste prático para saber se o dinheiro está te controlando?

·         Você já perdeu noites de sono por causa do dinheiro?
·         Você já teve problemas relacionais por causa do dinheiro?
·         Você já discutiu, brigou com seu cônjuge por causa do dinheiro?
·         Você já se entristeceu por que quis comprar algo e não pode por não ter dinheiro?
·         Você fica desmotivado quando é desafiado para ofertar uma grande soma de dinheiro?
·         Você tem problema para perdoar alguma dívida?
·         Você se desanima quando vê o valor líquido na sua folha de pagamento?
·         Você já teve ou tem o seguinte pensamento: “Ah se eu tivesse R$ 3000,00...”.
·         Você (homem) fica a vontade e com disposição para conversar sobre dinheiro com sua esposa?  
·         Você fica bravo ou nervoso quando é cobrado por uma dívida não paga?

Há muitos homens que passam a metade da vida gastando a saúde para ganhar dinheiro. E depois, passam a outra metade da vida, gastando dinheiro para ganhar a saúde.

A fé entra pela cabeça, vai até o coração, e quando atinge o bolso se torna verdadeira.

Como saber quando o dinheiro virou Mamon? 

Você é escravo de Mamon quando?

1.       Perde os limites do que é justo, legítimo e reto diante de Deus.

Quando pratica o ilícito para ganhar dinheiro. Essa foi a experiência de Zaqueu, cobrador de impostos que fraudava os contribuintes. Isso é roubo, mentira, e faz parte de um sistema de corrupção. Se o dinheiro não é seu, não ponha a mão nele. Não devemos praticar o ilícito para angariar dinheiro.

Você pode estar dizendo: “Mas eu não faço isso pastor!”.

Será???

Já aconteceu de você ir ao médico pegar um atestado para não perder o dia de trabalho sem estar doente?
Já mentiu alguma vez para ganhar ou não perder dinheiro??? Coisa do tipo imposto de renda... Sonegação fiscal... etc???
Já moveu um processo contra alguma empresa se utilizando de alguma mentira?
Você que dirige já se envolveu em alguma colisão e mesmo sabendo que estava errado, advogou em causa própria para não assumir o dano?
Já adulterou a placa do seu veículo para se safar do rodízio de veículos?
Já mentiu para um mendigo dizendo: Eu não tenho dinheiro, tendo condição para ajudá-lo?

Se você incorreu em alguma dessas situações, você pode ser escravo de Mamon.

2.       Se dispõe a perder pessoas para ficar com dinheiro em vez de perder dinheiro para ficar com pessoas.

Quando o dinheiro se torna motivo para discutir e romper com relacionamentos, Mamon está reinando. Se você perde a cabeça com seu cônjuge ou filhos, ou patrão, por causa de dinheiro. Mamon está te escravizando!

 Tempos atrás, eu decidi perdoar uma dívida de um alto valor para não sacrificar meu relacionamento com o irmão devedor. Se você se dispõe a perder pessoas para ficar com dinheiro ao invés de perder dinheiro para ficar com pessoas, você se tornou um escravo de Mamon.

3.       O dinheiro define seu estado de espírito ou estado emocional.

Algumas pessoas oscilam seu estado de espírito de acordo com o dinheiro. Quando estão com dinheiro no bolso, se sentem felizes e seguras. Doutra sorte, se estão sem dinheiro, caem o semblante, se isolam e se tornam uma pilha de nervos.

4.       O consumo se torna uma compulsão. (Consumismo)

A esposa disse para o marido: “Amor, saí para comprar uma bota e voltei com mais dois sapatos, um tamanco, e um tênis Nike”. O marido indignado então pergunta: “VIROU CENTOPÉIA?”

Isso é um grande vazio na alma! Quando acreditamos que os vazios da alma podem ser preenchidos apenas com coisas e experiências que o dinheiro pode comprar somos escravos de Mamon.

Todas as vezes em que você se sentir impelido para comprar algo de maior valor, faça a seguinte pergunta:

Isso é um desejo ou necessidade?

5.       Adota a cultura do descartável, e vive de substituições e acúmulo de coisas.

Acabou de comprar um celular, mas já quer trocar por um modelo novo. Usou 2 vezes o tênis novo e já está querendo comprar outro.

6.       Determina sua identidade e a de outras pessoas baseado em suas posses.

Quando você se avalia e avalia as pessoas pelas grifes que elas usam, ou pelos bens que possuem, você torna-se um escravo de Mamon. Quando precisam de coisas e de grifes para sentir que tem valor. Me parece que hoje as grifes se saúdam. Se as grifes não se comunicarem, não há relacionamento.

Quando em nome da aparência e da imagem você perde sua autenticidade, anda na moda e segue tendências ditadas por terceiros, você é o que os outros dizem que você deve ser, você não sabe o que quer, o que de fato gosta, o que realmente pensa.

Você já viu pessoas que dizem: “Eu não fui porque eu não tinha roupa”.

Não há gente mal vestido, mas inadequado para determinado ambiente. Mamon nos faz avaliar os outros pela aparência.

Uma roupa que você não usa a três meses você não vai usar mais. Toda vez que você ganhar uma camisa nova, dê uma camisa para alguém.

7.       Cultiva o sonho da ociosidade, o desejo de parar de trabalhar.

O desejo de ter dinheiro suficiente para parar de trabalhar é um desejo maligno, pois te estagna e interrompe o processo de crescimento e multiplicação. Geralmente vemos pessoas que não veem a hora de se aposentar para ficarem “numa boa”. Ouvi uma história de uma pessoa enferma que disse que não queria ser curada pois estava prestes a receber aposentadoria do governo por conta da enfermidade. Já vi filhos de Mamon esperando um cônjuge rico para se estabelecerem financeiramente sobre as costas de outros.

8.       Prioriza seu bem estar (entretenimento) acima de todos os demais compromissos da vida e em detrimento de todas as pessoas com quem convive.

Acredita que o dinheiro é o caminho para uma vida de prazer permanente, e que garante a possibilidade de viver sem qualquer preocupação. Não existe tal condição! Muitas coisas que nos fazem sentir bem, levam-nos a um fim trágico.

9.       Não é capaz de conviver com necessidades não satisfeitas e desejos não atendidos.

10.    Gasta mais do que ganha, e confunde cheque especial e crédito pré-aprovado com receita.

A maior parte das pessoas que conheço, e que estão enfrentando alguma crise financeira, gastam mais do que ganham.

Gerente de banco não é seu amigo. Crédito não é solução!

11.    É desorganizado, não faz contas, não controla as finanças e vive se endividando.

Quanto você ganha? Quanto você ganhou este mês? Quanto você gastou este mês? Quanto você gastou de telefone esse mês? Quanto gastou com mercado? Quanto gastou com cartão de crédito? Paga as suas contas em dia ou sempre paga atrasado? Pega emprestado e se esquece de pagar ou finge que esqueceu?

Algumas pessoas que eu conheço, vivem dizendo que precisam de um milagre nas finanças, dizem que precisam de uma intervenção sobrenatural para se livrarem dos problemas financeiros. Na verdade, elas precisam de organização!

Viver pedindo dinheiro emprestado também é um sinal de gente desorganizada. Você já ouviu coisas do tipo: Eu só preciso de R$ 3.000,00 pra resolver minha vida. As pessoas mais perigosas não são as de mau caráter, mas as enroladas. Principalmente as queqq aparentemente são legais.

12.    Tem um padrão de vida que exige sacrifícios exagerados, trabalha demais, mas não por necessidade.

Trabalha dia e noite. Troca e sacrifica a família que é importante pelo excessivo trabalho que é supérfluo. Muitos tentam compensar a ausência com presentes. Pais compram muitos presentes para o cônjuge e filhos, trocam presença por presentes. Isso não resolve, pois o que sua família necessita é presença pessoal e não presentes.

Você trabalha por dinheiro ou o dinheiro trabalha para você?

13.    Não é grato pelo que tem sempre dizendo que “tudo não é o bastante”.

Escravos de Mamon nunca estão contentes com o que tem. Estes sempre estão reclamando da casa, do carro, da comida, etc.

14.    É egoísta, avarento, não reparte, não empresta, não compartilha, retém tudo apenas para si.

Tem algum marido que fica enfezado quando a esposa pede R$ 10,00? Da sermão na esposa por causa de R$ 10,00. Não reparte seus bens com os pobres e necessitados; não tem a prática da generosidade e da solidariedade como estilo de vida. Finge esquecer a carteira no carro. Joga o jogo da retenção e se esquece da partilha. Paulo diz que dinheiro é para ajudar os outros e para se alegrar. Não se incomoda com a realidade da desigualdade social, nem se compromete com as causas da justiça. Quando nos tornamos indiferente ao próximo e pensamos que cada um  deve cuidar dos seus problemas somos escravos de Mamon. Jesus disse que todos são dignos do pão de cada dia.

Quem dá ao pobre empresta a Deus. Pv 22:1; Fl 4.

15.    Quando mede esforços para investir na obra de Deus.

Você é um celeiro de sementes. Deus te salvou para que você seja um investidor no Seu reino.

Fiquei muito triste quando ouvi de uma irmã que seu marido deixava a carteira no carro na hora do culto para não ofertar. Mais triste foi saber que depois de algum tempo um bandido arrombou seu veículo e levou não só a carteira mas também o som e tudo o que tinha de valor.

Outro irmão sempre se preparava para ofertar arrumando as notas no bolso de acordo com valores. Na hora da oferta, ele
Já sabendo onde a nota de menor valor estava, sempre ofertava o que sobrava. Na verdade ele não estava ofertando, mas dando uma esmola.


"Se, pois, não vos tornastes fiéis na aplicação das riquezas de origem injusta, quem vos confiará a verdadeira riqueza?" Lc 16:11

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As três provisões da chuva abundante. Dt 11:14. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 12/01/20

“ darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas , para que recolhais o vosso cereal, e o vosso vinho, e o vosso ...