20180725

O poder transformador da oração! Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 22/07/18


“6 Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, 7 nem deis a ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra.” Is 62:6,7

Introdução
  
Todos nós sabemos que a fé é fundamental para alcançarmos o favor de Deus (Hb 11:6). Mas quando e como a fé realmente se manifesta? A fé se manifesta quando confessamos com a nossa boca o que cremos.“Eu cri, por isso é que falei.” 1Co 4:13

Nossa fé deve estar nas palavras que saem dos nossos lábios. Isso é confirmado nas palavras de Paulo aos Romanos referente à salvação. 9 Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. 10 Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.” Rm 10:9-10

Como foi no nosso novo nascimento, deve ser na nossa caminhada cristã.

Não há fé sem confissão! Portanto, devemos viver crendo e confessando sempre! “Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele...”. (Cl 2:6). Como foi no nosso novo nascimento, deve ser na nossa caminhada cristã. Nós nascemos de novo em Cristo, depois de crermos com o coração e confessarmos com a boca, dessa mesma forma devemos continuar vivendo, crendo e confessando, crendo e confessando, crendo e confessando, sempre!

Quando falo sobre confessar, estou falando principalmente sobre orar. Muitas pessoas dizem que tem fé, mas não oram, e se não oram, invalidam a fé que dizem ter. Satanás não está preocupado com o tamanho da nossa fé, isso não o incomoda. Ele está preocupado é com a manifestação da fé através da oração que fazemos em nome de Jesus, é isso que aterroriza o inferno.

A fé é evidenciada na confissão e no compartilhamento

Fé é a maior riqueza de um cristão, mas só tem valor de fato, quando é externada, quando é compartilhada. Se a sua fé está oculta no mais profundo de seu ser, é o mesmo que um navio cheio de ouro afundado no meio do Oceano Atlântico, não tem valor. Nossa fé é testemunhada quando falamos sobre Cristo, foi só isso que Ele pediu para fazermos (At 1:8). Podemos testemunhar contando as histórias da Bíblia, conversando sobre o que Deus tem feito por nós, mas manifestamos a fé principalmente quando oramos.

A oração é a nossa principal expressão de fé

Uma igreja que não ora, é uma igreja que está com pouca fé. Um crente que não participa de uma reunião de oração de fato não tem a fé Cristã. Quando alguém crê, precisa orar dizendo ou confessando algo. Quero repetir isso: A fé funcionará por meio do que você diz, pregando a palavra, compartilhando da palavra de Deus com as pessoas, mas principalmente orando.

Toda ação sobrenatural de Deus é precedida de oração.

As chuvas de bênçãos não caem sem que antes nossos joelhos se dobrem. Deus não sarará a nossa terra sem que primeiro seu povo se humilhe e ore fervorosa e perseverantemente. (2Cro 7:14)

Quanto à reforma da igreja...

Quando falamos em reforma da igreja, estamos falando de voltarmos às veredas antigas, voltarmos aos dias primitivos. Na igreja primitiva a prática da oração era um estilo de vida. Veja o que Atos 1:14 diz a respeito dos discípulos de Jesus:

“Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.” At 1:14

Antes do pentecoste, aqueles discípulos já perseveravam em oração. Mesmo antes do recebimento do Espírito Santo, os discípulos tinham revelação sobre o valor da oração.

A oração, que já era valorizada e praticada antes do pentecoste, tornou-se mais evidente e fervorosa na vida daqueles discípulos depois do derramamento do Espírito Santo. Após serem revestidos de poder, o nível de ousadia, coragem e intrepidez foi aumentado e quanto mais unção eles tinham, mais eles oravam.

42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos.” At 2:42-43

A igreja primitiva orou com perseverança durante 10 dias, unanimemente, até que o Espírito Santo foi derramado (At 1:14; 2:1-4). Alguém disse que aqueles 120 crentes oraram 10 dias, Pedro pregou 10 minutos e 3000 se converteram. Hoje, nós oramos 10 minutos, pregamos 10 dias, e 3 pessoas se convertem.

Jonathan Edwards, o clássico teólogo do avivamento disse: “Quando Deus tem algo muito grande para realizar em favor da igreja, o desejo dele é que esse seu ato seja precedido por orações extraordinárias do seu povo”.

Charles Spurgeon dizia: “Se os ministros não são dedicados à oração, são dignos de lástima, e o seu povo digno de compaixão”. Dizia mais: “Todas as nossas bibliotecas e estudos são apenas vácuos comparados ao nosso recinto secreto de oração”.

No tocante à oração nós não devemos descansar. “... não descanseis...”. Is 62:6

Devemos orar sem descanso até que algo aconteça.

O profeta Oséias diz: “... é tempo de buscar ao Senhor, até que ele venha e chova a justiça sobre vós”. (Os 10:12). Jesus disse aos discípulos, antes de ser elevado aos céus: “Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder." (Lc 24:49). E eles, em obediência à Palavra de Cristo “... perseveravam unânimes em oração...” (At 1:14), até que o Espírito foi derramado sobre todos. 1 Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. 3 E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. 4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” At 2:1-4

O avivamento na África do Sul demorou doze anos desde que começaram a orar por ele. Não podemos desistir, pois Deus não age segundo o nosso cronograma. Ele não obedece à nossa agenda. Ele é soberano e livre.

Nosso dever é orar “até que...”.

Não importa o que você está passando, ore até que algo aconteça!

Devemos orar com intensidade, com suor, com lágrimas, como Jesus orou no Getsêmani. Com gemidos inexprimíveis como o Espírito Santo ora por nós e em nós. Como David Brainerd, que suava de molhar a camisa, nas noites geladas no meio da selva, até que Deus derramou do seu Espírito e salvou 08 índios peles vermelhas. Como Mônica, mãe de Agostinho, que lutou trinta anos com Deus até que seu filho foi salvo. Disse o historiador Ambrósio mais tarde: “Um filho, alvo de tantas lágrimas, jamais poderia perder-se”. Devemos orar como Ana, que derramou sua alma aflita diante de Deus, até que o Senhor lhe deu um filho. Devemos orar como aquele amigo que bateu à porta do seu vizinho à meia-noite e recusou ir embora sem os três pães que pedira (Lc 11:5-8). Se queremos um avivamento, devemos orar ininterruptamente, sem cessar, até que algo aconteça.

Se queremos que um grande mover aconteça, devemos orar até que algo aconteça!

A falta de oração é um sintoma evidente de frieza espiritual, é ausência de revelação, amor e temor a Deus. Quando nós oramos, somos transformados, nossa vida ganha novo fôlego e vigor, e maravilhas começam a acontecer.

Três coisas poderosas aconteceram quando Jesus orou

Em Lucas, nós podemos ler que quando Jesus orou no Jordão, o céu se abriu, o Espírito Santo desceu e o Pai falou (Lc 3:21,22). Veja que extraordinário mover a oração de Jesus produziu. Em primeiro lugar o céu se abriu, derramando bênçãos sem medidas sobre o Senhor; depois o Espírito Santo pousou sobre o Senhor; e por fim a voz de Deus foi ouvida. De fato, há muito poder na oração que fazemos. Aleluia!

Deus quis se mover na sua soberania, cumprindo os seus sábios propósitos na história através das orações dos santos. A oração defere as bênçãos de Deus; libera o que Deus tem planejado. Ausência de oração, porém, priva-nos de bênçãos que são nossas. “Nada tendes, porque não pedis.” (Tg 4:2). Jesus ensina-nos: “Pedi, e dar-se-vos-à: buscai, e achareis. batei, e abrir-se-vos-a.” (Mt 7:7). Deus ordena-nos: “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei cousas grandes e ocultas, que não sabes.” Jr 33:3

5 motivos para você orar até que algo aconteça

1.    Motivo - Deus sempre estará pronto para te ouvir e responder suas orações

“7 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. 8 Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á. 9 Ou qual dentre vós é o homem que, se porventura o filho lhe pedir pão, lhe dará pedra? 10 Ou, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 11 Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?” Mt 7:7-11

Enquanto medito nessa palavra, lembro-me de um pastor que visitou o Museu de Kisington na Inglaterra, e achou muito interessante um quadro que retratava um nobre numa sala de espera aguardando a sua vez de ser recebido por um grande rei. Intrigado com o quadro, escreveu em seu diário: “O Senhor nosso Deus, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, nos recebe em audiência a qualquer momento do dia sempre pronto para nos abençoar”. Que santo privilégio!

Quantas vezes temos de esperar para falar com alguém importante? Dias atrás, fiquei 40 minutos numa sala de espera para ser atendido por uma autoridade. Essa não foi uma boa experiência. Você já deve ter sido forçado a esperar para ser atendido numa ligação de telefone, e se passou por isso, sabe que é muito desgastante. Alguém já me disse que detesta fazer uma ligação e ser atendido por uma secretária eletrônica.

Que grande bênção é o fato de Deus não ter uma secretária eletrônica! Nós temos uma linha direta que nos liga a Deus. Em nome de Jesus, temos acesso constante à presença e poder de Deus. Essa é a nossa confiança.

O escritor aos Hebreus diz que podemos nos aproximar de Deus pela fé, orando e confiando no sacrifício de Cristo. “16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” Hb 4:16

Nunca deixe de orar

Não desanime se as suas orações parecem não funcionar, isso é como um exercício. Como no aprendizado de um idioma estrangeiro, é preciso praticar e se comprometer com a oração diária e constante. Eu estou estudando inglês e descobri que não é fácil aprender uma nova língua estrangeira. Da mesma forma, a linguagem do céu deve ser aprendida. Mas saibam, no entanto, que nós temos um “professor”, alguém disponível em tempo integral, que não vai nos cobrar por nenhum serviço prestado, seus serviços são gratuitos, são de graça. O professor Espírito Santo vai nos ensinar a orar na autoridade do nome de Jesus!

2.      Motivo - A oração sempre te levantará, te colocará para cima.

“1 Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? 2 O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.” Sl 121:1-2

Deus sempre quis que o homem olhasse para cima

Quando Deus mandou Noé construir a Arca, Ele orientou que se fizesse apenas uma janela, que deveria ficar na parte de cima da Arca, como uma escotilha. Foi assim para que o homem não tivesse uma visão horizontal e desoladora, mas olhasse para o alto, de onde certamente viria o socorro. Deus não queria que Noé e sua família olhassem para a morte e destruição ao derredor, mas firmassem seus olhos no alto.

Em Mateus 14, quando o Senhor multiplicou os pães e os peixes, ele não olhou horizontalmente para o tamanho da multidão e a limitação dos recursos. Os discípulos se enfraqueceram, pois olharam cinco pães e dois peixes, mas o Senhor não.

19 E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos discípulos, e estes, às multidões. 20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolheram ainda doze cestos cheios. 21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.” Mt 14:19-21

Jesus ergueu os olhos para o céu, orou e deu graças, porque a graça vem do alto. Quando oramos, olhamos para cima crendo no Senhor, é a partir disso que podemos experimentar provisão. Mesmo que alguém orando ao Senhor, esteja de cabeça baixa, os olhos do seu coração e seus pensamentos estão voltados para o alto, de onde sabe que virá o socorro.

Orar é levantar os olhos ao alto, e é uma chave que abrirá os céus e fará chover bênçãos sobre nós.

Recentemente uma amiga me contou sobre a experiência de orar observando a beleza e a grandeza dos céus todos os dias pela manhã. Segue seu relato: “Pastor Edenir, todos os dias enquanto aguardo o ônibus que me conduz ao trabalho, oro contemplando a beleza e a grandeza dos céus. Olho para o alto e vejo quão grande e poderoso é o meu Deus. Percebo que as pessoas ficam me observando e achando que eu estou olhando para alguma aeronave, ou pensam que sou lunática falando sozinha ou estou com algum problema”.

Queridos, fiquei pensando sobre isso e conclui que realmente é muito difícil vermos pessoas olhando para o alto. Não vemos pessoas por ai levantando a cabeça para orar ou apreciar a beleza e majestade dos céus. O contra ponto disso é que, o que mais vemos são pessoas cabisbaixas, seja por tristeza, desânimo ou por estarem presas a um smathphone.

Quem olha para o alto tem menos chances de desenvolver patologias psicossomáticas.

Jogadores de Vôlei

Você sabia que estudos recentes mostraram que jogadores de vôlei e basquete quase não sofrem de depressão. Sabe por quê? Porque eles passam a maior parte do tempo olhando para o alto. Descobriu-se então que quando um homem dobra seu pescoço para olhar para o alto, a dobradura abaixo da nuca produz uma substância chamada “Reticular Ascendente”, que é responsável por uma parte do cérebro encarregada de produzir impulsos elétricos que além de manter o corpo ativo, produz boas sensações como alegria, contentamento e entusiasmo. Uma outra pesquisa revelou que 38% dos jogadores de futebol que estão na ativa sofrem de depressão. Será por que a maior parte do tempo estão olhado pra frente e para baixo? Acredito que isso tem algum sentido.

Disc-Vida

Nos Estados Unidos, assim como em várias cidades brasileiras, criou-se uma linha de telefone (disk-vida) com um número específico para atender pessoas deprimidas com desejo de suicidarem-se. Quando o atendente recebe uma chamada de alguém que está pensando em tirar a própria vida, o mesmo pergunta ao deprimido: “Você pode me dizer para onde está olhando agora?”. Pasmem! 90% das respostas é: “Estou olhando para baixo, para o chão”. Orientando-as a olhar para cima neste momento, quebra-se o impulso do suicídio. É claro que não fica somente nisto, mas um passo decisivo já foi dado, só com os olhos voltados para cima. Na neurolinguística também descobriu-se que olhar para o alto ativa a memória e nos motiva.

Certamente a decisão de orar, é também a decisão de olhar para o alto, e isso nos faz bem e revigora nossas energias.

“1 Elevo os olhos para os montes (e oro): de onde me virá o socorro? 2 O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.” Sl 121:1-2

Quando ouvimos ou vemos que alguém está cabisbaixo, ou de cabeça baixa, logo pensamos que a pessoa pode estar deprimida.

Sempre que você se sentir abatido (a), “pra baixo”, em vez de olhar para baixo, levante a cabeça, olhe para cima e ore ao Senhor.

Quando alguém olha para baixo, faz referência ao corpo e isso intensifica as sensações físicas e naturais. O olhar para baixo faz com que sejam acessados em seu cérebro redes neurais que se identificam mais com o corpo, suas limitações e imperfeições. Olhando para cima, o cérebro usa outras redes neurais, afasta-se do corpo e diminui as sensações. Simplesmente olhar para cima fará você se sentir melhor.

Escute! A decisão de orar é a decisão de ser abençoado!

O jovem marinheiro que teve de subir ao mastro durante uma tempestade

Certa vez um jovem marinheiro teve que subir ao mastro durante uma tempestade. As ondas levantavam o barco para alturas estonteantes e logo em seguida jogavam-no para profundezas abismais. O jovem marujo começou a sentir vertigem e estava quase caindo quando o capitão gritou:  “moço, olhe para cima”. De maneira decidida, o marinheiro desviou seu olhar das ondas ameaçadoras e olhou para cima. Assim, ele conseguiu subir com segurança e executar a sua tarefa.

Quando as marés de tribulação revolverem o barco da sua vida, quando as tempestades te puxarem para baixo tentando te afogar, ouça a voz do Capitão Jesus e levante a cabeça, olhe para o alto e ore. Se buscarmos a face do Senhor em oração e agarrarmos na Sua poderosa mão, nosso coração se aquietará, receberemos força e paz para podermos executar as nossas tarefas em meio às tempestades e finalmente seremos vitoriosos.

A serpente de bronze

Quando os filhos de Israel foram picados por serpentes venenosas, Moisés recebeu a ordem de erguer uma serpente de bronze em um mastro. A serpente de bronze representava Cristo. Aqueles que levantassem a cabeça e olhassem para a serpente, conforme orientados pelo profeta, seriam curados. Nm 21:4-9

A ressurreição que veio do alto

Encerro esse tópico com o texto de Jo 11:41, que no contexto fala sobre a ressurreição de Lázaro. “E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste.” Jo 11:41. Logo em seguida, Jesus chama Lázaro para fora do sepulcro e a ressurreição acontece!
Que tal agora, você levantar a cabeça, olhar para o alto e orar?

Deus nos abençoe e agracie sempre em nome de Jesus!

3.      Motivo - A oração resolverá todos os seus problemas

“E todas as coisas, tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis.” Mt 21:22
“E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.” Jo 14:13,14.
“Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.” Jo 15:16
“Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade eu vos digo que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. Até agora não pedistes nada em meu nome: pedi, e recebereis, para que a vossa alegria seja completa.” Jo 16:23,24
“Porque em verdade vos digo que todo aquele que disser a este monte, sê removido, e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que as coisas que ele diz devem vir a passar, ele terá tudo o que ele diz. Portanto, eu vos digo que tudo quanto pedirdes, quando orardes, crede que recebestes, e será vosso. Mc 11:23,24

4.      Motivo - A oração move a mão de Deus

“Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir...”. Is 59:1

A fé nos trás presença de Deus, mas a oração nos trás as obras de Deus.

Há uma ligação direta entre os ouvidos e as mãos, entre a oração e as obras. Jabez sabia disso, por isso ele orou:

“Que seja comigo a tua mão...”.

“Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; sua mãe chamou-lhe Jabez, dizendo: Porque com dores o dei à luz. 10 Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.” 1Cro 4:9-10 (ARA)

Palavras manifestam a obra de Deus. O Diabo não está muito preocupado com o tamanho da sua fé, mas com sua disposição pra orar.

Quem ora para que as fronteiras se alarguem, precisa pedir a proteção das mãos de Deus. Pois os desafios serão maiores, e as lutas mais ferrenhas. Para realizarmos a obra de Deus precisamos clamar como Jabez fez em seu terceiro apelo: “que seja comigo a sua mão”.

“Para que todos os povos da terra conheçam a mão do Senhor, que é forte, para que temais ao Senhor, vosso Deus, todos os dias.” Js 4:24

Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir.” Is 59:1

Em Atos o sucesso da Igreja é atribuído a mão do Senhor.

E a mão do Senhor era com eles, e grande número creu e se converteu ao Senhor.” At 11:21

Patrick Johnstone, diz em seu livro, Intercessão Mundial que “quando o homem trabalha, o homem trabalha; quando o homem ora, Deus trabalha”. Jorge Müller costumava dizer que “um crente pode fazer mais em quatro horas, depois de empregar uma em orar, que cinco sem orar”. John Wesley disse: “Nos parece que Deus é limitado pela nossa vida de oração. Ele nada faz pela humanidade a menos que alguém o peça para fazê-lo”.
Um crente que não tem uma vida consistente de oração é como uma dinamite sem um detonador. O dunamis (poder de Deus) está nele, mas não tem como ser ativado pela falta de oração. 

5.      Você deve orar, para que fique claro onde está a sua confiança.

“Em ti, pois, confiam os que conhecem o teu nome, porque tu, Senhor, não desamparas os que te buscam.”                  Sl 9:10

Pessoas que não oram, na verdade não confiam em Deus.

Jesus orou muito durante todo seu ministério.

Muitos problemas podem ser evitados por meio da oração, e situações adversas podem ser transformadas em bênçãos por meio da oração. Veja o que Tiago disse a respeito da nossa oração: “... a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tg 5:16b

Jesus é o nosso maior exemplo de oração. Ele orava frequentemente em público e em particular. Jesus orou em seu batismo, no deserto, antes de escolher os apóstolos, orou a sós, longe das multidões, no monte da transfiguração, no jardim do Getsêmani, e em outros tantos lugares.

Jesus orou muito em seu ministério terreno porque a sua confiança estava em Deus

Devemos orar sempre com confiança total em Deus

Dias atrás, ouvi sobre a história de uma criança que estava prestes a pular da janela de um edifício em chamas. Os bombeiros estavam embaixo segurando aquele tipo de maca grande e redonda, e gritando para o menino diziam: “Pule, pode pular que nós seguraremos você aqui”. Mas a criança não tinha coragem para saltar. Logo em seguida, o pai do menino chegou, segurou também na borda da maca e gritou bem alto para seu filho: “Filho, acredite em mim! Pode pular que o papai te segura”. No mesmo instante que ouviu as palavras de seu pai, o menino saltou e foi salvo.

Essa história pode ilustrar a nossa confiança em Deus. Primeiro aprendemos que Deus é pai e sempre estará com seus braços abertos para nos salvar e proteger. Nossa parte é simplesmente “pular”, dar um salto de confiança, orando sempre, crendo sempre que o que Ele diz em Sua palavra vai se cumprir.

“E todas as coisas, tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis.” Mt 21:22
“E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.” Jo 14:13-14

Será que podemos confiar nas palavras acima? Claro que sim! O que Jesus disse está na ordem do absoluto.

O salmista, no texto do Salmo 9:10, disse que os que conhecem o nome do Senhor, confiam n’Ele. Essa é a razão das orações que fazemos, a nossa confiança em seu poderoso nome. Oramos em nome de Jesus, e o fato de conhecermos o poder e autoridade desse nome, nos assegura de que seremos ouvidos e respondidos todas as vezes que orarmos pedindo de acordo com a vontade d’Ele. Aleluia!

Quando entregamos nossa vida a Cristo, os nossos olhos espirituais são abertos e passamos a conhecer o poder que há no nome do Senhor, daí a afirmação de que os que conhecem, podem confiar plenamente. Da mesma sorte, o Salmo diz que o Senhor jamais abandonará os que oram buscando a sua face.

O Senhor não desamparou a serva Hagar, que mesmo despedida por Abraão e andando errante pelo deserto de Berseba teve seu choro ouvido por Deus, bem como o de seu filho, que tendo sede pôde enfim beber (Gn 21:14-19). Também o Senhor não desamparou o pérfido povo de Nínive que clamou a Deus e o Senhor os ouviu (Jn 3:7-10). Deus ouviu a oração de Elias e o respondeu instantaneamente de maneira sobrenatural fazendo cair fogo do céu. (1Re 18:36-38)

Que tremenda promessa é essa do Salmo 9. Podemos confiar em Deus porque Ele jamais nos abandonará. O Senhor não faz acepção de pessoas e Ele se compadece daqueles que oram e clamam pelo Seu santo nome.

Em todas as situações de perigo que enfrentamos, Deus quer que nós confiemos em Sua palavra, orando, buscando e clamando por Ele. Em Jeremias 33:3 podemos ler: “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.” Jr 33:3

Ele quer nos responder e nos abençoar de maneira abundante, com bênçãos que estão além da compreensão humana. Ele anseia prover e cuidar de nós para que possamos conhecê-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sabedoria para prosperar em tempos de abundantes chuvas. Pv 1:1-7; 20-33. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 19/01/20

De 3 meses para cá, eu tenho descoberto uma fonte de vida inesgotável através da leitura do livro de provérbios. Eu penso que propositadam...