20190626

Série de Mensagens Fé. Parte 1. Deus pode, Deus quer, e vai te abençoar!. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 23/06/19


No tocante à fé cristã, não podemos ter dúvidas sobre o quanto Deus nos ama e nos quer fazer bem. Mesmo que as circunstâncias não nos sejam favoráveis, devemos continuar esperando em Deus. Devemos continuar crendo. Nós podemos perder tudo nessa vida, menos a fé. A fé é a nossa maior riqueza. A fé é onde tudo é startado.  

35 Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. 36 Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. 37 Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá e não tardará; 38 todavia, O MEU JUSTO VIVERÁ PELA FÉ; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma. 39 Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; SOMOS, ENTRETANTO, DA FÉ, para a conservação da alma.” Hb 10:35-39

Tudo o que Deus faz é para que você continue crendo. A Palavra Viva de Deus, que é Jesus, nos é dada pelo Senhor para que haja fé em nós. Jesus é a Palavra, Ele é o autor e consumador da nossa fé.

A fé é que vai te levar ao seu destino...

Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.” 2Tm 4:7 (RA)
Combati o bom combate, completei a corrida, perseverei na fé!” 2Tm 4:7 (KJA)
Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé.” 2Tm 4:7 (Católica)

Porque a fé é tudo o que precisamos para continuar caminhando.

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.” Hb 11:1 (RA)
Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem.” Hb 11:1 (RC)

Quando lemos que a fé é o firme fundamento, isso quer dizer que tudo na vida de um cristão deve começar pela fé. A fé inicia o processo de bênção em nós e nos garante ao longo da caminhada.

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.     Hb 11:6

Mas eu tenho fé pastor...

Na contra mão disso, a ação do diabo é para lançar dúvida em seu coração sobre a bondade de Deus. E diante dessa introdução você deve estar pensando... “Mas pastor, todos aqui temos fé...”. Sim! Eu creio que todos temos fé, mas também você precisa concordar que de vez em quando, principalmente em meio às tribulações, nós ficamos meio que incrédulos sobre a vontade de Deus. Um exemplo disso acontece quando falamos:

·         Oh Deus... Porque isso esta acontecendo comigo?
·         Até quando eu vou ter de suportar essa luta?
·         Deus, será que o Senhor não está vendo o quanto eu estou sofrendo?
·         Meu Pai, será que o Senhor me ama mesmo?

Não duvide da bondade, amor e misericórdia de Deus. Ele, O Senhor pode, e quer te abençoar muito!!!

Não divida o seu coração entre fé e medo!

O seu coração é falso; por isso, serão culpados...”. Os 10:2a

Jesus é Senhor, tem poder, mas não sei se quer o meu bem.

Vamos ler um texto que está em Mateus 8:1-3 e entendermos melhor isso.

1 Ora, descendo ele do monte, grandes multidões o seguiram. 2 E eis que um leproso, tendo-se aproximado, adorou-o, dizendo: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. 3 E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: QUERO, FICA LIMPO! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra.        Mt 8:2-3

A fé do leproso acreditava que Jesus era Senhor, acreditava no seu poder para curar, mas não tinha certeza se Deus queria de fato favorecê-lo.

Todos os cristãos provavelmente acreditam que Deus tem poder para abençoar, curar, proteger, prosperar e fazer alguém bem sucedido. Entretanto, muitos não acreditam que Deus está disposto a fazer tudo isso por eles. O leproso não duvidava da capacidade de Jesus para curá-lo, mas não tinha certeza de que Jesus estava disposto para com ele.

Este homem leproso havia sido condenado ao ostracismo por todos. Certamente durante anos, aquele leproso foi repelido por todos que testemunhavam o seu estado. Provavelmente, até os membros de sua própria família se distanciaram dele. Ele provavelmente cheirava mal devido à carne apodrecida e aos maus tratos. Sua aparência devia ser deformada e repulsiva.

A lei segregava os leprosos, a graça veio para cura-los.

Isso sucedeu a esse homem porque a lepra era uma doença altamente contagiosa e a lei proibia os leprosos de entrarem em contato com qualquer pessoa. A lei segregava os leprosos num ato discriminatório de exclusão social. Entender esse contexto cultural é necessário porque a interação de Jesus com os leprosos era absolutamente assombrosa, uma demonstração tão poderosa do esforço que Deus faz para estender sua graça até as pessoas que a sociedade considera as menos merecedoras. Essa é exatamente a definição da graça, alcançar e tocar quem não merece.

A lei afastava os leprosos, a graça tocava os leprosos.

Ao ouvir a oração do leproso, Jesus sem hesitar, tocou-o, dando-lhe possivelmente o primeiro toque humano desde que contraiu a doença. A Bíblia nos conta que, imediatamente, a sua lepra foi purificada e o homem recebeu a sua cura. Isso de fato é libertador! Mateus 8:3 diz que...

“Jesus estendendo a mão, tocou-lhe dizendo: Quero! Fica limpo!”. Mt 8:3

Você consegue ver o quanto o ministério de Jesus é pessoal?

Ele não tocou todas as pessoas que curou. Algumas vezes, Ele simplesmente falava e os enfermos ficavam curados. Mas neste caso, Jesus estendeu a mão e tocou o leproso com ternura. Creio que Jesus fez isto para curá-lo não apenas da sua lepra, mas também das cicatrizes emocionais e psicológicas que havia recebido devido aos anos de rejeição e isolamento. Veja o quanto isso foi poderoso.

Ele não mudou! Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente (Hebreus 13:8).

Seja qual for a intempérie que você esteja enfrentando, creia que Jesus pode fazer em sua vida o mesmo que fez na vida do leproso. Creia que Ele está agora dizendo: “EU QUERO FAZER ISSO”. Não duvide mais do amor que há no coração de Deus por você. Pare de se ocupar com as suas próprias incapacidades e seja completamente envolvido em Seu amor e na Sua graça (favor imerecido) para com você!

O homem leproso acreditava na onipotência de Deus

O leproso não tinha certeza de que o coração de Deus era um coração de amor e favor imerecido para com ele. Tenho certeza de que você conhece crentes que são assim. Podem acreditar no poder de Deus, mas se acham muito distantes do coração de Deus. Eles sabem que Deus de fato é poderoso, mas não têm certeza se Ele está disposto para abençoa-los.

Deixe-me dizer a você: Jesus não desceu pelas escadas do céu para terra apenas para fazer uma breve visita a um leprosário. Ele veio para trazer graça para curar, salvar e libertar. É como se ele mesmo tivesse se tornado um leproso tomando sobre si todo sofrimento e o pútrido pecado de uma só vez pregado na cruz.

A maneira como Jesus interagiu com as vítimas da lepra é uma grande ilustração da compaixão e da graça de Deus por nós.

A graça tocou o leproso

Graça é a palavra que usamos para descrever os meios pelos quais Deus permite que pessoas superem suas diferenças e voltem para perto de Jesus. O Senhor demonstrou essa graça quando tocou o leproso.

Tocar alguém é um sinal automático de intimidade. Muitas vezes o toque demonstra ternura e compaixão e é uma ponte não só de uma mão para um ombro, mas também de um coração para o outro. Geralmente tocamos pessoas com as quais nos preocupamos. Tocamos pessoas de quem gostamos. Tocamos pessoas quando elas precisam saber que alguém se importa com elas. A verdade é que Deus está próximo de nós e sua proximidade, evidencia o seu amor por nós.

Ele veio até nós, não esperou que nós subíssemos até Ele

O Senhor da graça desceu até nós e sujou suas mãos para que nossos corações pudessem ser purificados. Com seu exemplo, Jesus nos ensinou muito sobre o caráter de Deus. Jesus não se manteve afastado da confusão do mundo quando decidiu descer das ruas de ouro do céu para entrar nas aldeias empoeiradas do Oriente médio repleta de pessoas pobres e frustradas desprivilegiadas e rejeitadas. Jesus não se deleitou em sua imensa glória, não se entregou completamente a oportunidade de transmitir aos desprezados o fato de que Deus se importa com eles. Ele esvaziou-se de si mesmo vindo a ser servo e fez questão de estender sua mão e tocar aqueles que a sociedade rejeitava.

Ele quer tocar em você hoje, te agraciar com cura, restauração e alegria. Creia nisso!

... E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra.” Mt 8:3

A Bíblia nos ensina que Deus demonstra seu amor por nós. Jesus desceu do céu dos céus e nos alcançou, não esperou que nós subíssemos até ele, mas decidiu descer até nós. O Senhor que sempre foi e é puro, decidiu sujar suas mãos para que os nossos corações e mentes fossem limpos e purificados de toda lepra. Com o exemplo que Jesus nos deixou, Ele nos ensinou muito sobre o caráter de Deus.

Quando estudamos a vida de Jesus, encontramos muitos sinais sobre o coração de Deus e encontramos também muitas dicas de como devemos viver nossas vidas para sermos como Cristo é.

O favor imerecido de Deus por nós foi o meio pelo qual Deus se fez semelhante a nós e após tocar-nos, nos tornou semelhantes a Ele. O enorme abismo entre nós e Deus, a gritante diferença entre o homem caído e o Deus santo tornou-se nada diante da maior prova de amor dada ao homem. Jesus demonstrou esse infinito e inesgotável amor quando se encarnou e decidiu tocar-nos através da Sua maravilhosa graça.

Tocar as pessoas é um sinal de intimidade

60

 
Sobre tocar e ser tocado, podemos dizer que tocar alguém é um sinal automático de intimidade. Muitas vezes o toque pode demonstrar ternura e compaixão. Como já falamos, o toque é uma ponte que liga não só uma mão e um ombro, mas principalmente um coração a outro coração. Geralmente tocamos pessoas com as quais nos preocupamos. Tocamos pessoas de quem gostamos, tocamos pessoas quando elas precisam saber que alguém se importa com elas. Quando você descobre que alguém que você ama está enfrentando uma situação difícil ou desesperadora, quando você descobre que alguém próximo está necessitado de amparo ou consolo o que você faz? Você lhe oferece seu ombro ou um abraço. Claro que você não lhe dá um sermão ou exortação.


Testemunho do nosso filho Davi  

Falar sobre isso me faz lembrar de um período muito difícil em que eu e minha esposa enfrentamos uma grande adversidade. Uma grande aflição nos atingiu por conta de uma grave enfermidade que acometeu nosso filho Davi, que na época tinha apenas um ano de idade. Um problema cardíaco fez nosso precioso filho passar por uma complicada intervenção cirúrgica. Durante o período de internação na UTI, que foi de 21 dias, sofremos muito por conta do estado delicado do nosso filho, mas sofremos também pelo julgamento de algumas pessoas desprovidas de graça. Eles diziam que nós éramos pessoas de pouca fé por estarmos confiando nosso filho nas mãos dos médicos. Todavia, em meio a esses ataques desprovidos de compaixão e empatia, o nosso consolo veio através de uma irmã muito simples que pouco conhecia a Bíblia, mas que estava cheia de graça e verdade. Numa rápida visita em nossa residência, sem ter muito que dizer, ela apenas pediu para nos abraçar e balbuciando algumas palavras disse que estava sentindo as nossas dores. Isso fez muito bem para nós.

O que menos precisamos quando estamos sendo afligidos é de julgamentos, respostas inteligentes ou divagações sobre as injustiças da vida. Quem experimentou o amor incondicional através do toque curador da graça, sabe que oferecer o ombro ou um abraço sincero pode mudar a história de alguém. De fato aquele abraço significou muito para nós.

Voltando para o exemplo de Jesus, ele não se manteve afastado da confusão do mundo quando desceu das ruas de ouro do céu para as aldeias empoeiradas de Israel. Jesus não veio para julgar as pessoas pobres e frustradas desprestigiadas e rejeitadas, oprimidas e enfermas. Jesus não se deleitou em Sua distante e imensa glória, Ele se entregou completamente pela humanidade a fim de transmitir aos desprezados o fato de que Deus se importa com eles. Ele se esvaziou de si mesmo e se fez servo. Fez questão de estender sua mão e tocar aqueles que a sociedade rejeitava. Na verdade aqueles que a sociedade respeitava eram para Jesus muitas vezes os sujos. Os leprosos, as prostitutas e os coletores de impostos eram o alvo de Jesus.

Jesus e os Fariseus

Os fariseus eram os “detentores” da verdade que há muito haviam trocado o amor a Deus pelo amor ao poder e ao dinheiro. Jesus deve ter ficado muito decepcionado ao ver que aqueles que haviam decorado a Torá eram incapazes de reconhecer seu próprio orgulho e sua justiça própria. Estes precisavam tanto da graça de Deus quantos os “pecadores” rejeitados pela “elite” da época. Jesus pouco se interessava em pressionar as pessoas importantes, Ele estava ocupado demais em sujar as mãos tocando os “pecadores”, as pessoas comuns.

Ele não precisava de amigos religiosos em posições altas para mudar o mundo, maravilhosamente a graça de Jesus seria forte e generosa o bastante para oferecer perdão aos desprezíveis e mais improváveis. O toque de Jesus bastou para arrancar a lepra de muitos homens e mulheres. Hoje, exatamente nesse instante, um toque da graça basta para reescrever sua história. Quando pessoas desesperadas, sem saída e sem esperança se deparam com Jesus, e são tocadas por suas mãos, as coisas não continuam da mesma forma, uma radical mudança interior, que não pode ser contida, é evidenciada por meio de um novo viver permeado do fruto do Espírito.

Jesus é um terapeuta que toca seus pacientes

Jesus realmente era um terapeuta, mas não apenas um terapeuta. Ele era e continua sendo um terapeuta que usa as próprias mãos para catalisar seus poderosos feitos. Podemos ver como Jesus fez isso ao longo de todos os evangelhos pelo menos cinco vezes apenas no livro de Marcos. Com frequência, Jesus tocava voluntariamente homens e mulheres que as outras pessoas evitavam. Jesus não se contentou em interagir distante das pessoas rejeitadas, ele estendeu as mãos como quem quer se aproximar. Ele estava disposto para estar perto o bastante dos enfermos para tocá-los sem reservas. Essa proximidade das pessoas fracas não era o sinal de um deus fraco que se envolvia com aqueles que não mereciam, mais de um Deus forte que queria curar os doentes e fazer milagres devolvendo a dignidade aos desprezados. A graça de tocar alguém, aliada ao poder de Deus, formam uma parceria milagrosa.

Que o Senhor possa tocar em você como tocou nos enfermos dois mil anos atrás, e da mesma forma que curou a muitos, possa pela Sua infinita graça curar-nos hoje de todas as enfermidades em nome de Jesus.

Deus te abençoe e agracie sempre em nome de Jesus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sabedoria para prosperar em tempos de abundantes chuvas. Pv 1:1-7; 20-33. Pr. Edenir Araújo - Culto de Celebração - 19/01/20

De 3 meses para cá, eu tenho descoberto uma fonte de vida inesgotável através da leitura do livro de provérbios. Eu penso que propositadam...